O conforto térmico é um conceito importante em arquitetura e engenharia civil. Em uma empresa, ele contribui para qualificar as condições de trabalho de um determinado espaço ou de todas as instalações. Ele considera diferentes parâmetros: físicos (temperatura, umidade e velocidade do ar), fisiológicos (resposta do organismo humano a determinadas condições) e psicológicos (saúde mental do colaborador em relação a esse ponto).

Combinando esses fatores, são obtidos padrões térmicos, apropriados ou não. O setor de segurança do trabalho desenvolve um papel fundamental nesse aspecto, pois identifica e contorna os eventuais riscos de natureza térmica.

Não é tarefa simples mensurar e controlar os perigos efetivos relacionados ao assunto, pois é preciso conhecer as causas do desequilíbrio térmico, as normas regulamentadoras específicas, a utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs) e assim por diante. No post, mostramos 8 problemas causados pelo mau isolamento térmico e o calor. Confira!

1. A falta de conforto

Desempenhar atividades em um ambiente excessivamente quente pode se tornar insuportável. Um equipamento que dissipa calor tende a manter a temperatura muito elevada, fazendo com que o profissional se desgaste mais rápido. Além disso, pode provocar choque térmico nas pessoas que não exercem atividade constante em ambientes assim.

A falta de conforto causada pelo mau isolamento térmico influi, portanto, diretamente na produtividade industrial. Muitos empregadores ainda não fazem a correta associação entre ergonomia e produtividade, que é fundamental para que as metas sejam alcançadas.

A baixa variação de temperatura permite que o ambiente interno fique mais agradável, ainda que sejam usados equipamentos muito quentes, que dissipam muito calor.

2. O gasto elevado de energia

Outro problema resultante de um mau isolamento térmico é o consumo elevado de energia para refrigerar o ambiente de forma artificial. Aparelhos de ar condicionado, por exemplo, consomem muita energia, principalmente se a finalidade for refrigerar um espaço muito amplo.

Além disso, as instalações da indústria isoladas termicamente permitem que a utilização de energia na fonte geradora seja menor, o que ajuda a reduzir os gastos com seu consumo. A economia total da construção varia conforme diferentes fatores, como o tipo de combustível que é empregado, a localização da indústria, os impostos, as condições ambientais e outras coisas.

O retorno do investimento, ou payback, de um sistema de isolamento térmico ocorre geralmente dentro de um ano.

3. A falta de segurança

Como já falamos, o isolamento térmico é de extrema importância para a segurança dos usuários. Isso porque o calor excessivo pode causar choques térmicos nos colaboradores e outros problemas de saúde. Em alguns casos, o ambiente pode ficar tão quente que torna as condições de trabalho insalubres.

A segurança dos trabalhadores deve ser uma das prioridades da gestão industrial. A preocupação com a qualidade de vida e o bem-estar da equipe contribui para criar um ambiente de trabalho salutar, que ajuda na retenção de talentos e promove melhorias no relacionamento da empresa com seus colaboradores.

Um calor muito elevado expõe os colaboradores a diversos riscos. Uma temperatura alta demais é muito nociva, podendo provocar desidratações, infertilidade masculina, queimaduras graves, câncer de pele e problemas de visão.

Esses problemas podem ser agravados pela falta de equipamentos de proteção individual (EPIs). As Normas Regulamentadores mais importantes nesse sentido são: NR 17, ISO 7730 e ISO 7243, como veremos mais adiante.

Os EPIs, por sua vez, são fundamentais para minimizar ou evitar os efeitos nocivos do calor sobre o corpo dos colaboradores. Não levar em conta os efeitos do mau isolamento térmico pode levar a acidentes de trabalho e a outros problemas de saúde muito graves. Entre os principais EPIs e medidas de segurança que reduzem os riscos da alta exposição ao calor estão:

  • Os óculos com proteção ultravioleta e infravermelho;
  • As luvas térmicas;
  • A vestimenta térmica que envolve todo o corpo (o macacão);
  • A máscara de segurança facial;
  • Os respiradores com filtros específicos;
  • As botas de couro;
  • O isolamento e a sinalização das áreas que envolvem mais riscos;
  • O enclausuramento das fontes e dos processos que emitem radiação (sempre que possível).

4. Os problemas trabalhistas

Descuidando da precaução, a empresa pode até se envolver com problemas trabalhistas. Existem normas de segurança de trabalho que devem ser seguidas sob pena de multas pesadas para quem não cumprir. Em casos mais graves, como acidentes ou doenças de trabalho, a situação pode ser ainda pior.

Os processos judiciais trabalhistas são grandes inimigos das finanças e do potencial competitivo da indústria. A reputação dela cai consideravelmente e, além disso, pode ficar sob a mira de órgãos fiscalizadores.

Esses problemas podem ser agravados pela falta de equipamentos de proteção individual (EPIs). As Normas Regulamentadores mais importantes nesse sentido são: NR 17, ISO 7730 e ISO 7243.

5. O desrespeito à Norma Regulamentadora 17

A Norma Regulamentadora 17 garante algumas condições de conforto para os colaboradores como:

  • A temperatura efetiva entre 20º C e 23º C;
  • A velocidade do ar inferior a 0,75 m/s;
  • A umidade relativa do ar igual ou maior que 40%.

6. O desrespeito à ISO 7243

A ISO 7243 faz uma estimativa do estresse por calor provocado nos colaboradores, se baseando no índice de bulbo úmido e temperatura de globo (IBUTG). Seu método oferece ótima aplicabilidade na indústria e um diagnóstico eficiente e rápido.

Porém é analisado somente o efeito do calor no organismo humano em um período específico de tempo, sem considerar a análise do estresse em períodos mais curtos de exposição ao calor.

7. O descumprimento da ISO 7730

A ISO 7730 é uma norma de abrangência internacional que combina fatores físicos com parâmetros definidos e avalia a sensação térmica do colaborador. O que se considera são roupas usadas, tarefa desempenhada e outras coisas.

8. Um alto índice de emissão de CO

Em uma indústria, a emissão de gás carbônico sempre tende a ser alta. Com um mau isolamento térmico, haverá uma liberação maior desse gás para a atmosfera, o que produzirá efeitos nocivos no meio ambiente, como o aumento da poluição e os danos à camada de ozônio.

Vemos assim que o mau isolamento térmico pode gerar consequências graves que afetam a saúde dos colaboradores, a indústria e até o meio ambiente como um todo. Por isso, convém seguir corretamente as leis relacionadas ao assunto.

Gostou do texto? Ele foi útil para você? Aproveite para ver como se faz um bom isolamento térmico!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *