O telhado é a parte de uma estrutura que mais está sujeita às variações climáticas. A exposição ao Sol, ventos, chuva e outras mudanças climáticas favorece o surgimento de falhas estruturais, além de contribuir para o desconforto térmico no interior do ambiente.

Dentro desse contexto,  os revestimentos térmicos podem ajudar a diminuir o desconforto térmico em indústrias, residências e outras construções. Hoje conversaremos sobre um desses tipos de isolamento: conheça o que é e o os tipos de manta térmica existentes no mercado.

O que é manta térmica?

A manta térmica é um produto utilizado como uma barreira para diminuir o desconforto térmico das construções. Ela pode ser instalada em diversos locais para reduzir a passagem de calor externo para o ambiente interno e vice-versa.

Em países de climas mais frios, a utilização de mantas térmicas nos telhados é bem difundida. Aqui no Brasil a maioria das construções não utiliza nenhum tipo de isolamento. Apesar de não termos o frio  excessivo, na época do verão o calor é intenso, atingindo temperaturas bem altas em quase todos os estados.

O desconforto térmico causado pelas altas temperaturas pode ser amenizado com um sistema de isolamento térmico. A incidência do sol sobre as telhas gera calor que é absorvido pelo material e depois transferido para dentro do imóvel. A camada de isolante impede que todo esse calor seja totalmente transferido.

Quando instaladas no telhado, além dos benefícios térmicos, elas podem contribuir com a manutenção da estrutura, prevenindo falhas. De forma geral, a manta térmica é importante por abranger três frentes:

Isolamento da radiação

Dependendo do local, o telhado é a parte da construção que mais recebe radiação solar. Logo, o aquecimento das outras partes é inevitável, pois as telhas mais utilizadas não fornecem proteção contra o calor.

Redução do consumo de energia elétrica

O consumo de energia elétrica utilizada com ar-condicionado e ventiladores tende a diminuir, já que o ambiente fica com temperatura agradável para os usuários, e os aparelhos precisam fazer menos esforço para resfriar o ambiente.

Redução do desconforto térmico

Durante o verão, a manta isola o calor externo, deixando o ambiente interno mais agradável, enquanto no inverno a manta impede que o calor produzido internamente saia para o ambiente externo.

Quais são os tipos de manta térmica?

Manta asfáltica

Como o próprio nome sugere, a manta asfáltica é fabricada à base de asfalto, sendo adicionados outros materiais de acordo com a característica pretendida. A manta asfáltica pode ser utilizada em telhados com a finalidade de impermeabilizar a área.

A grande vantagem de utilizar esse tipo de manta é a flexibilidade, já que ela consegue se adaptar ao local sem rachar nem perder sua função impermeabilizante.

Manta asfáltica aluminizada

A manta térmica de alumínio funciona como isolante térmico, refletindo um pouco do calor das telhas. O material é impermeável e, por isso, impede também a troca de ar e umidade entre os ambientes.

Porém, a capacidade de redução térmica de uma manta de alumínio pode não ser satisfatória. Isso se deve ao fato de que o objetivo principal desta tecnologia está relacionado à impermeabilização, e não ao isolamento térmico.

Basicamente, a instalação desse tipo de manta isolante pode ser realizada de duas maneiras: sobre o telhado ou sob as telhas.  E ainda pode ser utilizada em juntas de dilatação, calhas, canaletas e marquises.

A maneira mais eficiente para cada projeto deve ser definida junto a uma empresa especializada em projetos de isolamento térmico.

Placas de espuma

A placa de espuma é um material rígido, com baixa condutividade térmica e por isso é utilizada para revestimento térmico. Na instalação, as placas são cortadas e encaixadas no local de acordo com a necessidade.

Além da sua forma rígida, existe também a espuma expansiva, que pode ser aplicada em forma de spray. Assim, o material atinge lugares mais difíceis, podendo selar completamente o ambiente.

Manta de lã de vidro

A manta de lã de vidro é um isolante térmico para condução, mas principalmente um ótimo isolamento acústico, sendo um dos mais tradicionais. Ela pode ser utilizada em telhados e paredes, é altamente resistente e incombustível. A vantagem em utilizar a lã de vidro é conseguir reduzir os ruídos e um pouco da transferência de calor com o mesmo material.

Além disso, o material é flexível e a instalação é considerada fácil. Quanto maior for a exigência do isolamento, maior será a espessura necessária, o que pode se tornar uma desvantagem em locais com pouco espaço disponível.

Manta térmica 3TC

A manta isolante desenvolvida pela 3TC tem tecnologia exclusiva, permitindo a proteção contra todos os tipos de transferência de calor. A manta 3TC é constituída por polímeros refletivos e poliestireno expandido.

A manta é revestida por lâminas refletivas que conseguem reter até 97% dos raios infravermelhos. O modo como a manta é produzida e instalada também impede a troca de ar entre os ambientes.

Por ser um material bem versátil, ela pode ser instalada também como placa, de acordo com a necessidade de cada projeto. Então, mesmo que o local já esteja construído, essa manta térmica pode ser utilizada sem comprometer a planta do local e com os mesmos benefícios.

Outras vantagens de utilizar a manta 3TC é que, além da proteção térmica, ela resiste a mofo e água, pode ser reciclada e proporciona isolamento acústico ao ambiente e ainda é fabricada com material antichamas.

Portanto, antes de decidir sobre qual manta térmica utilizar, pesquise bastante. Se ainda restarem dúvidas, não hesite em contratar ajuda profissional para que se faça uma avaliação precisa do local. A instalação das mantas pode trazer inúmeros benefícios para a sua residência ou ambiente de trabalho. Por isso, é importante os tipos de manta térmica no mercado e como cada uma delas funciona para que o desempenho da instalação a longo prazo não seja prejudicado.

Se a estrutura do seu telhado for de madeira, baixe aqui o manual de instalação!

Algumas opções oferecem várias vantagens, além do isolamento térmico. Por isso, é importante pesquisar e avaliar o melhor custo-benefício.

Agora, que você já conhece os tipos de mantas térmicas e como cada tipo funciona, entenda os principais problemas causados por um isolamento térmico e má qualidade. 

 

Ao falar em isolamento térmico, é muito comum associar o processo a imóveis, como um galpão ou uma casa. No entanto, essa não é a única possibilidade. Atualmente, é possível recorrer ao isolamento térmico para veículos em casos específicos.

Tão seguro, funcional e eficiente quanto o que é realizado em casa, esse procedimento deve ser conhecido profundamente. Assim, você tem a chance de decidir se essa é a melhor alternativa para a sua necessidade.

Não quer ficar na dúvida? Então, continue a leitura e veja o que temos a dizer sobre o isolamento térmico para veículos.

Afinal, do que se trata esse processo?

O isolamento térmico, de maneira geral, consiste em utilizar materiais de revestimento para impedir a entrada ou a saída de calor. É o que acontece com uma garrafa térmica, em que o líquido não se torna mais quente ou frio, justamente por causa desse bloqueio.

Com os meios de transporte, é bem parecido. A diferença é que o foco está na área de transporte de carga. É o caso de um caminhão ou furgão receber o processo de revestimento para que o interior não sofra uma variação de temperatura.

Como funciona o isolamento térmico para veículos?

O funcionamento dessa etapa é parecido com o que ocorre em uma casa. Basicamente, toda a superfície interna do local de transporte é revestida com um material especial. É o mesmo processo que acontece ao incluir um isolamento entre as paredes de uma residência, por exemplo.

Esse componente evita a transferência de calor por diferentes métodos. Se for realmente adequado, ele impedirá a passagem por condução, convecção e radiação. Afinal, os veículos circulam ao ar livre e sofrem o impacto direto dos raios solares. Sem a devida atenção, a carga pode aquecer.

Um dos principais benefícios de recorrer a esse sistema é a proteção do conteúdo a ser movimentado. Muitos são sensíveis a mudanças de temperatura, então o controle é bem adequado.

Também é um jeito de reduzir o consumo geral do veículo. Não é preciso usar o ar-condicionado de forma tão forte, por exemplo. Isso ajuda a diminuir o gasto de combustível e torna o processo mais lucrativo.

Kombi Home com o 3TC Isolamento realizado pelo pessoal do Virando Mundo

Quando ele deve ser aplicado?

O isolamento térmico para veículos é recomendado, principalmente, diante da necessidade de transportar certos materiais. Empresas que fazem esse tipo de serviço e até profissionais autônomos, como caminhoneiros de carga especial, devem recorrer a essa solução.

Ela é indicada quando o produto é frágil e sensível às mudanças de temperatura. Com a etapa, portanto, é possível manter tudo adequado. A seguir, mostraremos quais são as principais cargas que motivam esse procedimento.

Alimentos

A maioria dos alimentos perecíveis precisa ser armazenada em condições específicas de temperatura. Os ingredientes resfriados e os congelados, por exemplo, devem estar diante de uma temperatura menor — muitas vezes, abaixo de 0º C. Já os alimentos em ambiente climatizado têm que ficar na faixa dos 20 a 25º C.

No entanto, não é incomum que, com a radiação, o valor se torne alto no interior. Com o isolamento, é possível conter o aumento de temperatura e garantir a segurança alimentar do transporte.

Medicamentos

Diversos medicamentos contam com componentes sensíveis e que devem ser mantidos em ambientes preparados e climatizados. A insulina, dada a pacientes diabéticos, é um exemplo de produto médico que deve ter uma temperatura específica e mais baixa que o ambiente.

Com o processo de isolamento, fica fácil garantir as condições adequadas para que o transporte ocorra sem problemas. Inclusive, é algo que tem a ver com as obrigações sanitárias, então é preciso cumprir as regras.

Materiais biológicos

Os materiais biológicos também devem ser levados em temperaturas específicas. Componentes de laboratórios de análises, bolsas de sangue e outros elementos exigem o resfriamento para que fiquem aptos para o uso, conforme a necessidade.

Os cuidados na escolha do revestimento fazem com que esses materiais estejam protegidos e seguros. Inclusive, é um jeito de evitar possíveis contaminações e de garantir o cumprimento do propósito de transporte.

Como escolher o melhor isolamento térmico?

Agora que já mostramos quando recorrer a essa solução, é a hora de você descobrir como selecionar corretamente o isolamento térmico para veículos. Entre tantas opções, o ideal é conhecer as principais e ficar com aquela que realmente atende às necessidades.

Para não ter dúvidas na hora da decisão, veja algumas dicas para escolher o isolamento térmico mais recomendado.

Verifique a carga a ser transportada

Primeiramente, é preciso pensar em qual é o tipo de carga a ser transportada. As mais sensíveis exigem um cuidado extra, o que significa recorrer a uma alternativa muito segura e que realmente impeça a troca de calor indesejada.

Considere qual é a faixa ideal de temperatura para cada carga e opte pela que trouxer versatilidade. Assim, com apenas uma instalação você tem a certeza que o isolamento atenderá a todas as necessidades específicas.

Confira o tipo de revestimento

Em seguida, recomendamos pensar no tipo de revestimento que é apresentado. Há, por exemplo, o modelo em placas, que é ideal para veículos com estrutura rígida e linear. Já a manta atende muito bem a furgões e outros ambientes de transporte que contam com linhas sinuosas.

Ainda há outras opções, como o compensado e as alternativas do tipo. Pense no que oferece melhor desempenho de proteção e vedação, de modo a obter os resultados desejados.

Observe a reputação da empresa

Não menos importante, é fundamental ficar de olho na experiência relacionada ao produto e, é claro, à fornecedora. Dê prioridade para um revestimento exclusivo e que ofereça proteção contra os três tipos de transferência do calor. Os resultados serão ainda melhores e permitirão o transporte com qualidade.

Também indicamos ficar de olho nas redes sociais e nas opiniões de quem já contratou. Desse jeito, você tem a chance de fazer uma escolha muito bem embasada e que promete oferecer os benefícios desejados.

Como é feita a instalação da manta térmica em automóveis?

A instalação das mantas térmicas nos automóveis deve respeitar as características da estrutura para não danificá-las. Devido ao receio de riscos na lataria ou de problemas na vedação do baú do caminhão, muitas pessoas acabam indo em busca do isolamento por spray. Além de pouco eficiente para o isolamento, o spray é de remoção muito difícil, que pode danificar a pintura ou deixar marcas que parecem sujeira.

Na 3TC, desenvolvemos vários métodos de instalação para que você não tenha nenhuma dor de cabeça. Para as janelas, por exemplo, oferecemos estruturas de encaixe que ficam presas nas laterais e põe pressão sobre a placa. Já nos baús, quando a estrutura nos permite, podemos pregar a placa com pregos cortantes, utilizar expansores para garantir a fixação e vedar os furos para evitar a entrada de água.

Por fim, caso não seja possível fazer nenhum furo, a 3TC também pode ser aplicada com os mais diversos tipos de cola. A escolha vai depender da estrutura de fixação utilizada. Pode-se, por exemplo, utilizar a cola contato e a cola PU nos materiais metálicos. Em alguns casos, é possível até mesmo empregar a tradicional cola branca para a instalação.

Por que contratar a 3TC?

A 3TC não é só mais uma empresa de isolamento. Somos um negócio que prima pela inovação, trazendo sempre os melhores materiais e processos para você. Portanto, poderá sempre contar com a gente para oferecer os melhores preços, uma instalação simplificada e um suporte completo.

Custo-benefício

As mantas e as placas de 3TC são realmente um material que entrega o máximo de funcionalidade por um preço muito atrativo. Normalmente, ligamos produtos de alta tecnologia com valores muito altos, porém certamente esse não é o caso.

Apesar de ser desenvolvido com os materiais e processos mais avançados, você poderá conquistar o melhor custo-benefício. Primeiramente, por ser constituída de duas camadas de lâminas refletoras, a 3TC apresenta uma resistência enorme e uma capacidade de reduzir em 90% o calor transmitido pela radiação.

Desse modo, você não vai precisar se preocupar com a manutenção e a troca da estrutura por longos anos. Os materiais mais tradicionais, como as lãs e a espuma, acumulam mais facilmente a umidade, além de se romperem com atritos pequenos. Então, mesmo que você economize a princípio, essa vantagem não compensa em longo prazo.

Ademais, a 3TC não somente vende e instala o produto. Ela oferece uma consultoria completa sobre como você pode atingir os seus objetivos com o isolante térmico. Temos uma ampla experiência no mercado, o que nos permitiu aprender com os erros e os acertos para oferecer o melhor para nossos clientes.

Por fim, não podemos deixar de falar da economia de combustível que um bom isolamento térmico traz. Com eles, você pode não precisar investir em um sistema de refrigeração para produtos que devem ficar em temperatura ambiente. A 3TC será capaz de manter temperaturas amenas mesmo diante do calor externo.

Caso você trabalhe com produtos que necessitem de refrigeração, a 3TC permite um menor trabalho do motor, o que economiza energia. Isso é possível, pois as trocas com o meio será menor. Desse modo, a temperatura interna fica mais estável e, assim, o termostato não aciona frequentemente o aumento da potência do motor.

Fácil instalação

Também, as mantas da 3TC apresentam uma instalação muito mais simplificada e adaptável aos mais diversos materiais. Por exemplo, quando aplicamos diretamente o isolante na lataria, podem ser usadas colas especiais que não oferecem risco de danos. Já em outras estruturas, como os baús, podemos pregá-las ou encaixá-las.

Se você quiser saber mais sobre esse processo e como a 3TC realmente se diferencia das concorrentes, não deixe de conferir o nosso vídeo com um de nossos clientes, a Laranja Mecânica.

Com isso, você garante que todo o serviço de instalação não demore mais do que algumas horas. Nos concorrentes, você pode ficar até um dia inteiro para que todo o processo seja concluído. Além disso, não é possível garantir que o material utilizado não danifique seu veículo.

Segurança

Nos veículos de carga, a preocupação com incêndios é muito grande, pois tem o potencial de gerar acidentes graves. O 3TC é aprovado em relação ao comportamento ao fogo pelo IPT. Além disso possui ótima qualificação em relação à emissão de gases tóxicos, estes que são os verdadeiros responsáveis pelas mortes em caso de incêndios.

Estabilidade térmica

A estabilidade térmica é essencial para determinados setores do comércio e da indústria que precisam ter uma atenção redobrada. Esse é o caso dos alimentos perecíveis, que podem estragar em questões de poucas horas na temperatura incorreta.

Com a 3TC, você tem a garantia de estabilidade da temperatura interna, independentemente do ambiente externo. Portanto, os riscos de que haja perda de qualidade dos alimentos é muito menor.

Qualidade

A qualidade dos produtos da 3TC também é incrível. Utilizamos as melhores práticas de controle de qualidade em cada lote para que você não tenha de se preocupar com nenhum problema no futuro.

Além disso, também oferecemos um serviço único e muito atencioso. A instalação é cuidadosa e, sempre que você entrar em contato, tiramos todas as dúvidas.

Tecnologia diferenciada

A tecnologia da 3TC se baseia nos materiais desenvolvidos pela NASA para proteger os astronautas das grandes variações de energia do Espaço Sideral. Desse modo, baseia-se nos melhores vendidos comercialmente para garantir o isolamento termoacústico.

Para isso, é utilizado o EPS (isopor estendido), que apresenta a melhor eficácia de proteção contra a condução de energia além de alta resistência ao fogo. Ao contrário do isopor tradicional, o EPS pode suportar mais de 800 graus celsius sem entrar em combustão ou derreter.

Ideal para os veículos

Devido à versatilidade de instalação da 3TC, ele é o isolante ideal para os automóveis. Como pode ser encaixado, colado e pregado, ele praticamente se adapta a qualquer superfície. Os veículos geralmente apresentam vários materiais, como o vidro nas janelas, o plástico nos forros internos e o metal. Então, é preciso contar com um isolante que respeite as características de cada um.

Além disso, a 3TC atua também sobre a principal forma de transmissão de calor dentro dos baús, a radiação. Com suas lâminas refletoras, ela reflete até 90% das ondas de calor transmitidas pela lataria.

Portanto, o isolamento térmico para veículos é uma alternativa interessante para proteger cargas sensíveis. Com o processo de revestimento, é possível manter a temperatura no interior do transporte, o que garante impactos muito melhores.

Para conquistar esses resultados, é fundamental trabalhar em parceria com empresas especializadas e com as soluções adequadas. Por isso, entre em contato com a 3TC e saiba como podemos ajudar! Ele é fácil de instalar, e basta utilizar uma cola de contato, adequada à aplicação na superfície do veículo. Nossa dica é na escolha do acabamento: fique atento às especificações dos fabricantes.

 

A criação de animais inclui diversos fatores. É preciso se preocupar com aspectos como o espaço disponibilizado, o tipo de produção, a alimentação e assim por diante. Além desses pontos, entretanto, não dá para ignorar a necessária atenção ao ambiente. É nesse sentido em que surge o conforto térmico animal.

O conceito tem sido cada vez mais difundido e tem que ser aplicado do jeito certo para garantir o bem-estar dos animais. Com as técnicas adequadas, fica fácil obter os resultados necessários para uma criação segura e eficiente.

Para que não restem dúvidas, mostraremos qual é a importância do conforto térmico animal e quais são os pontos que exigem a sua atenção. Continue a leitura!

O que é conforto térmico animal?

O conforto térmico, de maneira geral, consiste em garantir as condições adequadas de temperatura para os seres em determinado ambiente. Ou seja, é necessário disponibilizar um espaço que não seja quente ou frio demais, de modo a não causar o que é conhecimento como estresse térmico.

Se para humanos essa questão já é importante, para animais é especialmente necessário. Em ambientes de produção animal, os bichos precisam estar dentro das condições corretas para a sua espécie e faixa de vida. Ao saber o que é conforto térmico animal, portanto, fica mais fácil entender o seu papel.

É importante notar que cada um tem uma exigência. Mamíferos normalmente conseguem regular a temperatura do organismo. No entanto, não significa que devam ser deixados em situações de frio ou calor extremo. No caso das aves, é ainda mais importante considerar essa questão.

Então, é fundamental executar ações que permitam que os animais estejam em condições realmente confortáveis durante toda a sua vida.

Qual a importância do conforto térmico para os animais?

Os animais também sentem desconfortos relacionados ao ambiente. A falta de um espaço correto para descansar, por exemplo, pode deixar uma espécie irritada. Já a escassez de limpeza compromete a saúde da maioria dos bichos.

No caso da temperatura, valores muito altos ou baixos atrapalham o funcionamento dos sistemas. Por isso, pensar nas medidas para controlar essa questão é muito vantajoso. A seguir, explicamos por que o conforto térmico animal é tão importante.

Manter a temperatura ideal

Para alcançar essa sensação de conforto, é preciso acompanhar o nível da temperatura em cada ambiente. Ou seja, isso significa fazer com que o espaço esteja com os valores adequados para cada animal.

Vale notar, inclusive, que esse é um processo individual, de acordo com cada espécie e estágio da vida. Aves, como os frangos de corte, podem necessitar de uma temperatura que varia de 32º C, após o nascimento, até 24º C, a partir da quarta semana. No entanto, os valores também podem mudar com a quantidade de animais por metro quadrado e até com a ventilação, de modo a não diminuir muito a sensação térmica.

O mesmo acontece com suínos, bovinos e outras espécies. Portanto, o conforto térmico animal é essencial para ter controle sobre a temperatura percebida pelo ser, o que garante um bom funcionamento do organismo de cada um deles.

Reduzir o estresse do animal

Quando elas não são adequadas, os bichos procuram meios de se “defender” das condições ambientais. O instinto faz com que eles busquem novas formas de regular a temperatura, em busca da sobrevivência.

Frangos em temperatura baixa, por exemplo, ficam aglomerados na tentativa de gerar calor. Porcos em ambientes muito quentes se tornam agitados e sofrem problemas de circulação.

O estresse térmico prejudica a saúde dos animais, bem como compromete diversas funções corporais. De forma prolongada, pode afetar todo o desempenho e o bem-estar. Evitar o quadro, portanto, é essencial para garantir o bom tratamento às espécies e para oferecer um cuidado humanizado na criação.

Preservar a oxigenação

A temperatura corporal está ligada à capacidade de diversos sistemas do organismo. Os órgãos dos animais funcionam de maneira diferente de acordo com cada situação, então é preciso ficar atento.

A oxigenação está ligada à capacidade de carregar os nutrientes para as células e fazer as trocas gasosas. No entanto, fora das condições ideais de temperatura, há problemas nesse processo.

Se o ambiente é muito quente, o animal pode sofrer com uma respiração mais rápida e uma oxigenação que não é suficiente. Já em temperaturas baixas, problemas respiratórios podem ocorrer. Portanto, podemos dizer que o conforto térmico animal também está ligado à preservação da oxigenação, de modo a otimizar o funcionamento do organismo.

Garantir a produtividade

A criação de animal, qualquer que seja, visa a obter produtividade. Animais de corte, por exemplo, devem alcançar pesos específicos para que atinjam os padrões esperados. Outros estão ligados a quanto produzem diretamente, como galinhas e ovos e vacas e leite.

De qualquer forma, a temperatura tem grande influência sobre o desenvolvimento e a atuação dos animais. Uma vaca com estresse térmico, por exemplo, não vai produzir tanto leite, o que afeta os resultados almejados. Frangos com frio não se desenvolvem como deveriam, o que também gera perdas.

As respostas fisiológicas incluem perda de massa, alterações na circulação, mudanças na alimentação, modificações no nível de atividade e assim por diante. Já com as condições ideais, os animais têm tudo o que é necessário para fortalecer a produção.

Aumentar a sustentabilidade

A sustentabilidade é uma preocupação cada vez mais latente na sociedade. As pessoas desejam ajudar o meio ambiente, bem como esperam que as marcas se engajem nesse sentido. Com isso, empresas de todos os setores devem se atentar a tal questão — inclusive as de produção animal.

Ao cuidar do controle da temperatura do ambiente onde ficam os animais, em primeiro lugar, há uma produção mais humana e adequada. Isso se encaixa com os preceitos de desenvolvimento sustentável e respeito à natureza.

Além do que, é um jeito de otimizar o consumo de diversos recursos, como ração, água, energia e assim por diante. Desse modo, a produção se torna sustentável e relevante.

Como reduzir o desconforto térmico?

O cuidado com a temperatura é o principal jeito de garantir que os animais não passem pelo estresse térmico. Para que o desconforto seja reduzido ao menor nível possível, portanto, essa preocupação deve ser colocada em prática por meio de diversas técnicas.

O uso dos recursos certos faz toda a diferença para ser bem-sucedido na empreitada, então é preciso ficar atento. Venha ver nossas sugestões sobre como reduzir o desconforto térmico e entenda quais são os pontos que merecem a sua atenção.

Manter os animais na sombra

A radiação é a maior vilã do calor e do aumento da temperatura. Os raios solares trazem o calor que cruza a atmosfera terrestre e impacta todo o espaço. Ou seja, tanto o solo quanto as construções são afetados pelo aquecimento. Se os animais ficarem em uma área de sol, a tendência é que a temperatura seja ainda maior.

Portanto, o ideal é que os animais sejam deixados em ambientes à sombra. No caso do gado criado solto, por exemplo, é preciso que o local tenha pontos de descanso sem sol direto. Na granja ou em áreas de criação de suínos, é fundamental que os animais não sejam afetados diretamente pelos raios solares.

Embora seja apenas a primeira ação recomendada nesse sentido, já é capaz de ajudar a garantir um ambiente mais salubre.

Fazer uso da ventilação natural

Não apenas a temperatura é importante, como também a questão da ventilação. Oferecer correntes adequadas de ar é indispensável quando o objetivo é diminuir o desconforto e evitar o estresse térmico.

Uma das maneiras de conseguir isso é por meio da ventilação natural. Um dos fatores determinantes é a altura do espaço, então um pé direito elevado torna o lugar mais arejado por causa da diferença de pressão, melhorando os resultados.

Também é viável pensar na ventilação cruzada. Nesse caso, é comum criar aberturas paralelas no imóvel onde ficam os animais, de modo a aproveitar o fluxo de passagem do ar. Assim, é possível diminuir a temperatura ambiente sem precisar gastar nada nesse sentido.

Utilizar nebulizadores e ventiladores

Ao mesmo tempo, não é interessante depender apenas da ventilação natural. Em certos períodos do ano, por exemplo, isso significa ter um baixo nível de umidade na atmosfera, o que também pode prejudicar os animais.

Então, é essencial pensar no uso de ventiladores. Há os condensadores e climatizadores — inclusive, os que auxiliam a trocar e renovar o ar.

Em relação à umidade do ambiente, a nebulização é essencial. Isso significa usar microaspersores, ou seja, equipamentos que ajudam a pulverizar pequenas gotículas de água. Elas evaporam antes que atinjam os animais, mas permitem umidificar e a diminuir a temperatura do ar.

Planejar a construção dos alojamentos

Como deu para ver, a maioria das soluções está relacionada ao ambiente de alojamento. Sem cuidar desse ponto é impossível garantir de forma completa a atenção necessária em relação ao controle de temperatura.

Portanto, é fundamental partir do cuidado com a construção dos alojamentos. Eles devem ser planejados de maneira integral para que apresentem as melhores condições e toda a capacidade de conforto.

Além de tudo, ter atenção nesse momento é determinante para otimizar o uso dos recursos. Basicamente, a melhoria ainda no planejamento evita a necessidade de gastos e consumos em excesso posteriormente, de modo a melhorar o desempenho nesse sentido.

Quais os cuidados envolvidos na construção dos alojamentos?

Como visto, a área construída onde ficam os animais é um dos fatores essenciais para o conforto térmico. Erguer um ambiente já com o pé direito alto ou com ventilação cruzada, por exemplo, diminui as exigências em relação ao uso de ventiladores de grande potência.

Mais que apenas pensar no tamanho ou na disposição, é fundamental considerar alguns outros aspectos. Na sequência, apresentaremos os pontos que exigem mais atenção e o que levar em conta para obter bons resultados.

Localização

Primeiramente, é preciso escolher uma localização adequada. A intenção é identificar um ponto que reúna as melhores características, de acordo com a necessidade de cada animal.

Se o local tiver um clima naturalmente muito quente, vale pensar em espaços com um pouco mais de sombra e que sejam arejados. No entanto, é preciso tomar cuidado para que ele não seja frio demais, por exemplo.

Em relação à umidade, convém evitar os chamados terrenos de baixa. Eles têm um grande nível de umidade — principalmente à noite. No inverno, não recebem tanta radiação e isso pode gerar o desconforto térmico e até a necessidade de aquecimento.

Outro ponto importante é que o local deve ter uma área suficiente para abrigar todos os animais e a estrutura necessária para dar conta de todos. Não adianta achar um lugar adequado se os animais ficarão aglomerados e desconfortáveis, por exemplo. Então, verifique se a instalação realmente se adapta ao ponto.

Disposição

Em relação à planta baixa, é muito importante pensar em toda a disposição do imóvel, de modo a facilitar e favorecer a utilização do espaço. É preciso avaliar a instalação de recursos para a ventilação natural cruzada, por exemplo. Então, devem-se planejar as janelas ou pontos de passagem de ar.

Também é necessário considerar onde ficarão elementos como berçários, comedouros, áreas de descanso e assim por diante. É natural que cada ambiente precise de um nível de climatização e controle, então isso deve ser considerado para o conforto térmico animal.

Além de tudo, não dá para desconsiderar a possibilidade de expansão. Se existe o planejamento de crescimento da produção animal, deve-se considerar esse aspecto no planejamento do espaço.

Telhado

Como visto, a radiação é uma das maiores vilãs quando o assunto é a temperatura. Em um alojamento, o telhado é um dos pontos que mais sofre com a incidência dos raios solares e, portanto, desse processo. Sem o cuidado adequado, ocorre a transferência de calor e o estresse térmico.

O melhor é escolher um material com bom índice de reflexão solar, em vez de um que absorva os raios. Também vale pensar em um projeto de isolamento térmico, que será tratado adiante.

Outros aspectos incluem, por exemplo, a inclinação. O ângulo ideal fica entre 20 e 30 graus e é interessante ter uma passagem para a saída do ar quente.

Em relação à altura, ele deve ser mais elevado para impedir a transferência excessiva de calor. Completar a estrutura com ventiladores e microaspersores é um jeito de dissipar parte do calor.

Laje e piso

Especialmente em alojamentos com mais de um andar, a laje é essencial. Além de dar sustentação, ela também evita a transferência de calor entre pontos, o que garante maior proteção e conforto térmico animal.

O melhor é construir uma versão com materiais que ajudem no isolamento térmico, como um concreto com características especiais. A segurança também está em jogo, então recomendamos ter atenção sobre essa questão.

Quanto ao piso, a escolha depende do animal e do seu comportamento. Por exemplo, os suínos passam até 19 horas deitados e, portanto, têm um grande contato com esse ponto. Se o piso for muito quente ou frio, há desconto térmico. Nesses casos, é possível optar pelos ripados ou maciços, de acordo com cada exigência.

Em todos os cenários, é preciso tomar cuidado com o nível de calor que o material consegue absorver. Ele deve ter a temperatura ótima, justamente para evitar a perda de produtividade. Além de tudo, o contrapiso tem que ser regular para prevenir que parte do revestimento cause algum tipo de dano ou escape de calor indesejável.

Manta térmica

Os vários tipos de isolamento térmico são excelentes soluções para garantir o conforto térmico animal. Eles protegem o ambiente das diferentes formas de transmissão de calor — condução, convecção e radiação — e ainda ajudam a economizar recursos.

A manta térmica é uma solução muito utilizada e que serve para impedir a passagem do calor de maneira indesejada. Ela pode ser aplicada tanto no telhado quanto nas paredes — e é daí que surge a necessidade de fazer um bom planejamento quanto ao espaço.

Mas se há tantos tipos, qual é a melhor opção? A seguir, mostramos as principais alternativas e as suas características!

Fibra

A versão de fibra pode ser feita com vários materiais, como a cerâmica. Nesse caso, formam-se fios aglomerados que ajudam a conter o calor, conforme a transferência ocorre de um ponto a outro.

Dependendo do tipo que é aplicado na fabricação, é um modelo que permite conter a condução ou a convecção. Essa alternativa, entretanto, não resiste muito bem à umidade e, em alguns casos, à temperatura elevada. Com isso, pode não ser a escolha ideal para garantir o conforto térmico animal.

Spray

A versão em spray consiste em um material que é pulverizado no local de interesse — normalmente o telhado. O mais comum é que ela seja feita de poliuretano, que funciona como um péssimo condutor térmico e, portanto, como um bom isolante.

A cor é clara para evitar a absorção dos raios solares, o que ajuda a conter parte do problema ligado à radiação. Paralelamente, exige uma aplicação muito profissional e que nem sempre atende aos interesses do alojamento. Como normalmente não é usado nas paredes do mesmo modo que no telhado, o problema da temperatura talvez permaneça.

Alumínio

A manta térmica de alumínio ou foil, como também é conhecida, tem o papel principal de ajudar a conter a radiação. Ela funciona como uma espécie de forro no telhado ou até entre as paredes.

Quando os raios solares batem na superfície espelhada, são refletidos e dissipados. Isso permite evitar a absorção de calor por radiação, o que diminui consideravelmente a temperatura do espaço interior.

Contudo, o produto pode não ser eficiente contra a condução, já que ela está associada ao contato. Como o alumínio não funciona como uma barreira para a transferência, o aquecimento se torna inevitável em muitos casos.

Espuma

A manta térmica de espuma é feita de poliuretano, na maioria das vezes. O material não permite a condução térmica e, com isso, evita que a temperatura seja transmitida do exterior para a parte de dentro.

Também pode se tratar de uma versão com espuma expansiva, que ajuda a preencher vários espaços e, portanto, impede a circulação do ar quente.

No entanto, é tóxica e não é ideal em altas temperaturas. Um princípio de incêndio, por exemplo, pode ganhar força rapidamente e comprometer a integridade dos animais.

Mista

Já a versão mista combina diversos materiais para chegar a um resultado mais completo. Uma opção exclusiva é a que aparece no estilo “sanduíche”, com camadas especiais para cada tipo de transferência de calor.

No revestimento externo, o material altamente reflexivo combate a radiação, que é a grande vilã. Como visto, os raios são refletidos e o calor é dissipado, o que já ajuda a diminuir boa parte do impacto.

No meio, há um preenchimento com poliestireno expandido, o qual impede a passagem do calor. Juntos, os dois componentes são essenciais para também combater a condução, o que favorece o controle de temperatura.

Além disso, a estrutura é feita para “vedar” o alojamento, o que impede a passagem de vapores. Desse jeito, é possível combater a convecção, o que gera um cuidado extra e possibilita o conforto térmico animal.

Um dos maiores benefícios de um material do tipo é que há uma proteção reforçada contra umidade e mofo, além de não ser tóxica e nem gerar problemas diante de temperaturas muito elevadas. Nesse caso, é uma solução robusta para garantir máximo controle no ambiente.

A instalação é simplificada e, com um bom planejamento, torna-se ainda mais fácil. Como resultado, é possível fazer com que os animais, de qualquer que seja a espécie, tenham tudo o que é necessário para que possam se desenvolver.

O ideal é escolher uma empresa capacitada, experiente e com uma solução que realmente cumpra esses pontos. Somente desse jeito é possível obter o melhor isolamento, dentre os disponíveis.

Como dissemos, o conforto térmico animal é indispensável para a produtividade, sustentabilidade e humanização. Nesse caso, o controle de temperatura é fundamental, o que exige medidas específicas. Além do bom planejamento, o uso de mantas térmicas garante o isolamento necessário para que o espaço seja muito bem aproveitado.

Para não perder nenhuma dica e saber como conseguir o melhor desempenho, assine nossa newsletter e fique por dentro sobre as questões de temperatura!

Quem trabalha com construção civil sabe o quanto é importante diminuir as imprevisibilidades. Tudo isso para conseguir concluir a obra dentro de um prazo e de um orçamento predeterminados. Diante desse desafio, é fundamental encontrar meios que facilitem o trabalho no canteiro de obras sem que prejudique a qualidade da edificação a ser construída. Uma das que se destacam é a utilização do steel frame.

Dentre as várias soluções existentes no mercado, o steel frame vem ganhando espaço na construção civil brasileira. A popularidade vem aumentando devido às várias vantagens que esta tecnologia proporciona. Bastante utilizado nos países mais desenvolvidos, como Estados Unidos, Japão e grande parte do continente europeu, esse método construtivo consegue ser ecologicamente sustentável e de alto desempenho.

Ao ler este artigo, você descobrirá o que é o steel frame e as suas principais vantagens e desvantagens. Confira!

O que é steel frame?

O steel frame é um sistema construtivo caracterizado pelos materiais que utiliza. É comum a utilização de perfis de aço galvanizado na estrutura de paredes, vigas e outros elementos que suportam as cargas de uma edificação. Também conhecida como construção a seco, essa tecnologia praticamente não utiliza água no canteiro de obras. A exceção à essa regra é a etapa de fundação que ainda necessita de água no processo.

Historicamente, o steel frame surgiu como uma evolução do wood frame (estrutura de madeira). Isso se deve ao fato de ambos os sistemas utilizarem o mesmo princípio, sendo que o mais antigo utiliza a madeira como componente estrutural. Esse sistema utiliza perfis de aço leve com alguns revestimentos. Alguns exemplos são o OSB e o drywall. Para garantir melhor eficiência térmica e acústica, é imprescindível a utilização de material isolante.

Além disso, esse método construtivo é amplamente industrializado, o que garante um canteiro de obras sem resíduos. Ou seja,  Sustentabilidade garantida. Ademais, o steel frame possui o mínimo de desperdício e total previsibilidade dos custos, uma vez que os quantitativos são totalmente precisos.

Como funciona esse elemento construtivo?

Muitos profissionais da construção civil têm desconfiança e desconhecimento sobre tecnologias novas. Isso se deve pelo fato de o concreto armado com fechamento de alvenaria ainda ser o principal método construtivo utilizado no Brasil. Por isso, é importante saber como o steel frame funciona. Afinal, esse sistema proporciona mais qualidade e economia, além de apresentar um resultado visual semelhante, num cronograma mais curto.

Paredes externas

Um dos maiores preconceitos existentes no Brasil em relação ao steel frame é a baixa qualidade das paredes, que se acredita serem facilmente destruídas. Entretanto, isso não passa de um falso mito, pois é possível utilizar uma combinação de diversos elementos para proporcionar mais resistência a esse componente.

Os elementos mais utilizados como fechamento das obras em steel frame são:

Oriented Strand Board (OSB)

OSB é a sigla em inglês para painel de tiras de madeira orientada. Como o próprio nome já explica, esse material é constituído por tiras sobrepostas de madeira de reflorestamento, organizadas em uma mesma direção. A cada camada ocorre a alteração do sentido das lascas, de modo a gerar um produto resistente, com ótima propriedade de isolamento.

Placa cimentícia

Produzida por meio de uma mistura homogênea de cimento Portland e fibras sintéticas, a placa cimentícia é um material que apresenta grande durabilidade, versatilidade e facilidade no manuseio. Além disso, ela permite o revestimento com grande variedade de acabamentos.

OSB + placa cimentícia

Além do fato de essa combinação aproveitar as vantagens dos dois materiais, ela proporciona uma resistência ainda maior à estrutura do steel frame. Afim de descrever, separamos este vídeo da 3TC Isolamento de uma entrevista com um de nossos clientes. Além do relato, ele também aborda esse método construtivo:

 

Painéis de alumínio composto (ACM)

Produzido a partir de um núcleo de polietileno colado a duas placas de alumínio, o ACM é um material leve e durável. Por conta de suas características, é muito utilizado no acabamento de fachadas.

Paredes internas

Com uma estrutura semelhante à usada no fechamento externo, as paredes internas de steel frame recebem o nome de drywall pelo fato de serem constituídas por placas de gesso cartonado.

Ao utilizar uma fita niveladora para eliminar as emendas existentes entre as placas, cria-se uma parede totalmente plana, a qual pode receber qualquer tipo de acabamento — inclusive cerâmica, porcelanato, pedra e madeira.

Ao contrário das divisórias de drywall, as paredes de steel frame que utilizam esse material são mais robustas e resistentes devido ao contraventamento dos perfis de aço leve.

Lajes

É possível utilizar o steel frame como componente estrutural de uma edificação. Para isso, será preciso reforçar esse elemento para suportar os esforços que serão exercidos sobre ele.

Assim, uma laje construída utilizando esse processo construtivo é constituída por uma estrutura de aço galvanizado, reforçado com um contrapiso armado. Além disso, o fechamento é feito utilizando placas de OSB e o acabamento desejado. Normalmente, utiliza-se lã de vidro para fazer o isolamento acústico.

Cobertura

Nos últimos anos, houve aumento considerável do uso do steel frame nas coberturas. Afinal, esse método construtivo proporciona algumas vantagens em relação à madeira, como imunidade a parasitas, maior leveza e melhor resistência estrutural. Além disso, os perfis de aço galvanizado apresentam mais facilidade para vencer grandes vãos.

Quais são as vantagens do steel frame?

Como é possível perceber, o uso do steel frame proporciona diversas vantagens em um canteiro de obras. Pelo fato de ser um método construtivo industrializado, ocorre diminuição das imprevisibilidades da construção, uma vez que se aumenta a precisão dos processos e diminui-se o tempo para que a empreitada seja concluída.

Além disso, há economia no uso da água, pois utiliza um processo construtivo a seco. Este método é diferente do tradicional método do concreto armado com fechamento de alvenaria. Outro ponto positivo é a redução de desperdícios e entulhos produzidos no canteiro de obra.

Pelo fato de a estrutura do steel frame ser modular, a manutenção é facilitada. Caso ocorra um problema nas instalações hidráulicas ou elétricas, apenas é necessário retirar a placa para fazer conserto. Finalizado o trabalho, basta recolocá-la em seu lugar.

Esse tipo de edificação também apresenta elevada vida útil, a qual pode chegar a 300 anos.

Quais são as desvantagens do steel frame?

Apesar de o uso do steel frame proporcionar diversas vantagens à construção de uma edificação, existem alguns pontos negativos que atrapalham a disseminação de seu uso em nosso país. Uma das principais desvantagens é o custo, pois ele ainda é superior ao observado nas obras tradicionais. Por isso, o seu uso é recomendado apenas quando se tem pressa para que a construção fique concluída rapidamente.

Outro ponto a ser considerado é a escassez de mão de obra especializada. Como tal processo construtivo não permite erros em seu planejamento e execução, é preciso que a equipe de obras seja treinada para executar esse tipo de instalação.

No entanto, o que mais atrapalha a propagação do uso desse método construtivo é a barreira cultural existente no Brasil. Afinal, devido à desconfiança de muitos profissionais e clientes, ainda é comum priorizar o uso dos métodos tradicionais da construção civil.

Apesar disso tudo, o uso do steel frame ainda é uma ótima solução para a construção civil brasileira. Por meio dele, é possível obter obras organizadas, previsíveis, com menos desperdícios e céleres.

Agora que você sabe o que é o steel frame, que tal aprender um pouco mais sobre mantas e isolantes térmicos? Até mais!