Os containers são soluções muito práticas quando falamos sobre transporte aéreo ou marítimo de cargas pesadas. Nos últimos anos, eles se tornaram popular graças à existência da casa container. Essa nova opção de moradia apresenta características únicas e diversos benefícios.

Para vencer o ceticismo sobre essa alternativa, o melhor é entender quais são as qualidades do ambiente e como é possível torná-lo confortável e conveniente. Assim, você compreenderá quais são os motivos para a popularização dessa escolha em todo o mundo.

A seguir, preparamos um guia com tudo o que precisa saber sobre a casa container e suas qualidades. Confira!

O que é uma casa container?

Quando falamos em casa, é comum associar à ideia construtiva padrão, que envolve alvenaria e soluções semelhantes. No entanto, hoje existe a casa container. Como o próprio nome diz, trata-se de um projeto de moradia que se baseia na transformação e no aproveitamento de um espaço de container.

De transportador metálico de cargas, o item passa a oferecer as bases para as paredes, o teto e o piso de um lar. Então, estamos falando de uma casa que é construída de maneira inovadora, com técnicas diferentes, mas que gera uma experiência final similar.

Quais são os tipos de casa container?

Como cada morador tem uma necessidade, há distintos modelos de casa container. Eles variam tanto em relação ao tamanho quanto à execução do projeto. Ao conhecer as alternativas, é possível definir o que faz mais sentido para a sua realidade.

Pensando nisso, veja quais são os tipos ligados a essas residências e conheça suas principais características.

Simples

Uma casa container simples utiliza, normalmente, apenas uma estrutura metálica. Trata-se de uma moradia compacta, mas que pode conter todos os cômodos normais, como banheiro, quarto e cozinha. Se o container for um pouco maior, há espaço separado para a sala.

É a opção ideal para quem deseja ter um estilo de vida minimalista, mas que ainda garante conforto e muita segurança.

Dois andares

Ao pensar nas dimensões de um container, o teto é relativamente baixo, pois não passa de 3 metros. A casa container de dois andares envolve duas estruturas empilhadas e que ganham altura. Isso é ótimo para driblar a dificuldade quanto ao tamanho do teto, além de garantir espaço.

A alternativa pode incluir a existência de um mezanino, por exemplo. O projeto pode ganhar a cara de loft ou, então, apresentar um visual que se assemelhe a uma casa maior e mais robusta.

Vão livre

Apesar de o empilhamento ser uma característica comum nas versões com mais de um andar, ele não precisa ocorrer totalmente alinhado. É possível usar as peças em posições perpendiculares e mesmo criar uma casa com vão livre.

O projeto arquitetônico requer especial cuidado para equilibrar os pesos, mas é uma alternativa que garante modernidade. Em geral, é uma opção para aproveitar melhor o terreno e a área ao ar livre.

Quais as características da casa container?

Esqueça-se da ideia de uma casa container tem aquele aspecto puramente metálico, com as indicações da carga sobre um fundo laranja ou azul. A verdade é que esses projetos são cada vez mais robustos e modernos, com características que os tornam especiais.

Cada residência tem suas particularidades, como acontece na alvenaria, mas temos a chance de identificar alguns pontos que aparecem com frequência. Veja quais são eles!

Construção modular

Toda casa container funciona com base na construção do tipo modular. Como os containers têm medidas padronizadas, nem sempre eles atendem fielmente a uma necessidade. Para reverter a situação, é interessante pensar no “encaixe” de diversas peças, de acordo com o projeto.

Os containers podem ser empilhados, justapostos ou interligados e cada um funciona como um módulo. Assim, as moradias ganham geometrias únicas, embora algumas se aproximem de modelos “tradicionais”.

Otimização de espaço

Outro ponto crucial para um projeto dar certo envolve a otimização de toda a área disponível. Em uma casa como essa, não existe cantinho que seja deixado de lado ou ponto que fique esquecido entre os cômodos.

A ideia é maximizar o uso do ambiente, inclusive ao criar espaços multifuncionais. Isso adiciona um toque importante de modernidade e torna o ambiente mais agradável. É uma maneira de, até mesmo, atender às principais necessidades.

Layout aberto e integrado

Como os containers são módulos abertos, é muito comum que essa característica seja aproveitada. O layout costuma ser altamente integrado, com vários ambientes dividindo o mesmo lugar. Isso serve para aproveitar a iluminação e para dar a sensação de amplitude — o que combate a ideia de local confinado.

Dependendo do caso, é possível utilizar divisórias para criar certos ambientes, como quartos ou banheiro. Por outro lado, é comum que haja integração com a área externa, como por meio de grandes janelas e portas de correr.

Ventilação potencializada

Para tornar o ambiente ainda mais agradável, muitas construções desse tipo consideram a necessidade de potencializar a capacidade de ventilação. Isso é possível, principalmente, graças à continuidade oferecida por um layout aberto.

Várias opções de casa container também contam com uma grande quantidade de janelas e portas, o que adiciona versatilidade e permite uma circulação de ar que torne a efetividade ainda maior.

Cômodos unitários

Para quem busca uma alternativa muito mais moderna, é possível investir em uma residência baseada em cômodos unitários feitos de containers. A ideia é criar espaços individuais e divididos, embora tenham algum tipo de interligação.

É uma ótima opção para locais menores ou quando há um desejo reforçado quanto à privacidade. Nesse caso, é comum usar mais de 3 containers, com diferentes dimensões e características.

Como funciona esse projeto?

Não há mistérios ao falar no “funcionamento” de uma casa container. Morar nela é como na maioria das residências tradicionais, mas a construção e a implementação merecem destaque.

Em termos de projeto, é interessante conhecer o que o aguarda caso escolha essa modalidade. Veja mais sobre o funcionamento!

Levantamento das necessidades e preferências

Assim como em um imóvel de alvenaria, é crucial considerar quais são as principais exigências e escolhas. A ideia é entender o que faz sentido para tornar o ambiente interessante e adaptado à sua realidade.

Uma família com dois filhos, por exemplo, precisará de mais espaço que alguém que vive sozinho. Também há definições para manter o equilíbrio entre vantagens e desvantagens do container, de acordo com cada morador.

Escolha das soluções construtivas

A partir disso, são selecionadas as técnicas e os processos construtivos que ajudarão o projeto. É o caso de pensar em questões como a criação da fundação para a residência, o design arquitetônico e os acabamentos que serão adotados.

É muito importante ter um escopo definido com tudo o que precisa ser feito e em qual ordem, até mesmo para obter um projeto eficiente. A escolha das soluções também pode variar segundo os desafios encarados.

Aquisição dos containers e demais materiais

Com as principais decisões tomadas, é o momento de comprar os containers com as dimensões, a área e as características desejadas. Eles podem ser novos ou usados, mas é preciso ter atenção com o que foi transportado. Em geral, a única restrição é sobre as cargas tóxicas, mesmo após higienização.

Também há a compra de outros materiais, como os itens de acabamento e até de isolamento térmico. Vale considerar as necessidades específicas quanto a esse tipo de estrutura, além de pensar em características pontuais do projeto.

Utilização plena do espaço

O funcionamento, em si, envolve o máximo aproveitamento do lar, de acordo com o cotidiano de seus moradores. Em uma casa container, você poderá aproveitar todas as comodidades que existem em um imóvel tradicional, como energia elétrica e serviços associados.

Algumas dessas casas funcionam de maneira móvel e, para isso, são construídas sobre uma plataforma que pode ser transportada. Mesmo que não seja o caso do seu projeto, é uma alternativa muito prática e repleta de boas características.

Quanto custa?

O custo de uma casa container depende do tipo de projeto escolhido e das características. Ele pode custar algumas dezenas de milhares de reais a valores maiores. Tudo depende do tamanho do projeto e da quantidade de containers utilizados.

No entanto, é possível ter uma ideia dos preços, de acordo com o tamanho e com as qualidades das peças estruturais. No geral, podemos definir que um container de 14m², sem revestimento, custa de R$ 10 mil a R$ 12 mil. A versão com revestimento varia de R$ 15 mil a 17 mil.

Opções maiores, naturalmente, custam mais. O container de 28m², sem revestimento, custa de R$ 16 a R$ 18 mil. Com revestimento, o valor sobe para R$ 22 mil a R$ 24 mil. Na maioria dos casos, containers um pouco mais antigos custam menos, sendo que podem ser recuperados com diversos processos.

Como é a montagem?

Outra dúvida muito frequente sobre a casa container trata da montagem desse lar. O processo é bem interessante e é dividido em etapas, como em uma obra “comum”. A diferença é que algumas etapas são exclusivas desse modelo e, por isso, exigem atenção especial.

Na sequência, vamos mostrar quais são as principais características e fases ligadas à montagem dessa casa. Confira!

Elaboração e regulamentação do projeto

Para começar, é importante montar um projeto com todas as características técnicas e indicações necessárias. O ideal é contratar profissionais especializados nesse tipo de solução — e hoje já é possível achar escritórios de arquitetura que constroem apenas com containers.

Também é essencial ter cuidado com a regularização da obra junto aos órgãos públicos. Uma casa container paga imposto como qualquer opção de alvenaria e é preciso ter a autorização adequada da Prefeitura para que tudo seja executado. Como cada município tem suas regras, os profissionais contratados devem se preocupar com a etapa.

Preparação dos containers

Em seguida, há um processo de preparação. Se for necessário, ocorre a terraplanagem do terreno e a consolidação de uma estrutura para garantir total segurança e estabilidade à residência.

Depois, o container é preparado para se transformar em lar. É comum que eles sejam lixados e revestidos por uma tinta especial antiferrugem. Se houver mais de um, há o corte das peças segundo o projeto e o encaixe por engate. Ao final, temos o layout pronto para ser trabalhado.

Instalações elétricas e hidrossanitárias

Com o container posicionado e capaz de receber as próximas etapas, há a execução de instalações elétricas e hidrossanitárias. Isso significa que toda a fiação é puxada de acordo com as necessidades, como pontos de iluminação ou tomadas.

Também são planejados os canos e componentes hidráulicos para tratamento de esgoto e fornecimento de água. Dependendo do projeto, é possível investir em aquecimento solar e reuso da água, com a estrutura totalmente adaptada ao espaço.

Elaboração dos revestimentos

Na sequência, são realizados os revestimentos no container, para deixar a casa com um aspecto semelhante aos lares tradicionais. Há a instalação do piso e do revestimento de teto e das paredes. É comum utilizar o Drywall, mas também há forros minerais, produtos de PVC e outras possibilidades.

Não podemos nos esquecer de que, em alguns casos, há uma preferência por deixar o projeto mais “cru” e sem tanto revestimento.

Finalização do projeto

Com essas etapas realizadas, é hora de se preocupar com o acabamento e com a entrega do local. Basicamente, são adicionados os móveis e os elementos de decoração, além de quaisquer outras características desejadas.

Com tudo concluído, o projeto está pronto para ser entregue e garantir que os seus moradores possam aproveitá-lo ao máximo!

Quais são as vantagens da casa container?

Você sabe por que essa alternativa tem se tornado tão popular? Nós explicamos: essa é uma opção repleta de benefícios e que pode transformar o seu conceito de lar. Com um bom projeto, a qualidade de vida é priorizada em todas as etapas e isso se reflete na experiência de moradia.

Além desse ponto, quer descobrir o que a casa container tem a oferecer? Veja, a seguir, quais são as suas maiores vantagens!

Maior sustentabilidade

Podemos dizer que esse tipo de construção aproveita materiais que ficariam parados ou seriam descartados. Afinal, muitos containers deixam de ser usados após algum tempo e param no lixo. Com esse tipo de lar, há um novo uso para essa “matéria-prima”.

Além disso, a construção é mais limpa, rápida e eficiente, o que gera menos gastos e desperdícios de recursos. Portanto, essa é uma alternativa que eleva o nível de sustentabilidade do projeto e que dá origem, até mesmo, a propostas verdes. É uma ótima saída para ajudar o meio ambiente e diminuir o impacto negativo nos recursos naturais.

Personalização completa

Outro ponto positivo é que uma casa container pode ser totalmente customizada. Ou seja, você tem a chance de criar um projeto do zero, de acordo com as suas preferências e com as necessidades.

Os containers são especialmente fáceis de trabalhar e podem ser cortados e encaixados com relativa simplicidade. Com isso, é possível ter um lar com a sua cara, sem ter que gastar tanto dinheiro quanto em uma alternativa de alvenaria.

Alta resistência

Pensa só: os containers são capazes de transportar cargas com várias toneladas, em diversas condições, durante anos. Então, é justo dizer que a matéria-prima é muito resistente e oferece grande durabilidade.

Além de tudo, há a realização de processos especiais de proteção, como a aplicação de tinta contra a ferrugem. Isso auxilia a manter o visual sempre interessante, com menos necessidade de manutenção ao longo do tempo.

Custos reduzidos

Dissemos que os gastos com um projeto desse tipo variam com as características, como tamanho e demandas específicas. No entanto, essa é uma alternativa mais barata que a alvenaria, nas mesmas condições.

Ou seja: construir uma residência de tijolo e cimento com as mesmas características de uma casa container gasta mais. Também é possível planejar o projeto para otimizar o consumo de energia e de água, o que reduz os gastos associados.

Conforto garantido

Não menos importante, você precisa saber que uma casa container é confortável quando o projeto é realizado corretamente. Com a atuação de profissionais especializados e com os recursos necessários, o lar fica muito agradável e não deve em nada para qualquer outro tipo de ambiente.

Além disso, é versátil e pode, até mesmo, adaptar-se às novas demandas. Se tiver espaço disponível no terreno escolhido, há como ampliar o ambiente de acordo com as demandas.

Qual é o papel e como fazer o isolamento térmico e acústico?

Um dos desafios de um projeto de casa container é a composição desse elemento. Como ele é totalmente feito de aço, tem uma elevada capacidade de conduzir calor. Para manter as boas características no ambiente, é essencial pensar no isolamento térmico e acústico.

O processo é feito com a instalação de uma manta ou de placas térmicas no que seriam as “paredes” do ambiente. Como consequência, é possível evitar a passagem de calor do ambiente externo ou a perda para o lado de fora. A seguir, mostramos a importância dessa decisão e como acertar na instalação!

Por que recorrer ao isolamento térmico e acústico?

Adotar uma solução do tipo é indispensável se você quiser deixar a sua casa container ainda melhor. Com um bom isolamento térmico e acústico, é possível aproveitar diversos benefícios. Veja quais são!

Maior conforto térmico

Com a solução certa, você evita passar muito calor no verão ou frio no inverno. Climatizando containers, há uma experiência melhor e com muito mais conforto térmico em relação ao ambiente.

Aumento da eficiência energética

Já que o ambiente ficará agradável, não será preciso gastar tanto com ar-condicionado ou ventiladores. Isso ajuda a melhorar a eficiência energética, o que reduz os gastos com a conta de luz e até aumenta a sustentabilidade.

Garantia de privacidade

Com o isolamento acústico, há uma elevação no nível de privacidade. Além de os sons do seu lar não se propagarem com intensidade para o lado de fora, você não será incomodado pelos barulhos externos.

Por que escolher a 3TC?

Depois de reconhecer a importância do isolamento térmico na casa container, é essencial recorrer à solução adequada. Assim, é possível obter o máximo potencial e garantir máximo desempenho.

Na hora de escolher uma empresa de isolamento térmico, a 3TC se destaca — e merece a sua atenção. Quer saber os motivos? Descubra!

Única no mercado a proteger de todos os tipos de transmissão de calor

Quando falamos nos tipos de isolamento térmico, é possível notar que alguns protegem contra condução, outros contra convecção e outros contra radiação. A 3TC, entretanto, oferece uma solução única e que evita a transmissão de calor pelas três formas. Assim, há muito mais eficiência para tornar sua casa container agradável e climatizada.

Proteção térmica e acústica em um só produto

Outro diferencial é que o revestimento da 3TC garante proteção térmica e acústica ao mesmo tempo. Então, não será preciso recorrer a duas soluções distintas para fazer com que o espaço fique confortável e realmente privativo.

Propriedades anti-chamas

Manter a segurança também é essencial para aproveitar ao máximo a sua casa container. O nosso revestimento para isolamento térmico e acústico não propaga fogo graças às propriedades anti-chamas. Com isso, é possível atender às obrigações da legislação e ficar mais protegido.

Atua como impermeabilizante

Além de tudo, o produto serve para proteger o telhado do seu lar, evitando a entrada de água, de pequenos insetos e de animais e a formação de goteiras. Com isso, evita problemas com o mofo e ajuda até a proteger a saúde.

Facilidade de instalação

Ao escolher a nossa solução, você notará que a instalação é segura, rápida e muito simples. Além de tudo, contamos com profissionais altamente capacitados e prontos para ajudar. Com isso, a obra não sofre com atrasos e perdas e é possível conquistar os resultados desejados mais facilmente.

Excelente custo-benefício

Apesar de oferecer vários benefícios e diferenciais, a 3TC mantém uma excelente relação de custo-benefício. Afinal, trata-se de uma opção durável, muito eficiente e que gera conforto e economia. Longe da necessidade de manutenção e com consistência na conquista de boa performance.

Uma casa container é um novo jeito de viver e até de desempenhar mais sustentabilidade. Com um bom projeto e todos os cuidados necessários na etapa de montagem, é possível ter máxima qualidade de vida.

Para garantir o conforto, não se esqueça do isolamento térmico. Se quiser ter a melhor solução do mercado, entre em contato conosco da 3TC e peça o seu orçamento!

Com a ideia de incentivar a sustentabilidade, alguns municípios criaram projetos de preservação ambiental considerando a provável redução do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para aqueles que praticam ações benéficas ao meio ambiente e conseguem comprová-las, sendo que um desses incentivos é o IPTU Verde.

Esse programa foi implantado para tornar a ideia em realidade, é um exemplo de decisão que incentiva novos empreendimentos imobiliários residenciais, comerciais, ou institucionais a realizarem ações e práticas de sustentabilidade na construção civil, por exemplo, a gestão de resíduos e a redução do consumo de água.

Quer entender melhor o programa IPTU Verde e suas vantagens? Continue com a leitura!

Construção sustentável

A construção civil é, sem sombra de dúvida, o maior gerador de resíduos, como também é o setor da economia que mais utiliza recursos naturais e energia. Portanto, seu impacto no meio ambiente é consideravelmente alto. Para mudar essa imagem, os novos empreendimentos já são pensados com o conceito de sustentabilidade. Seus principais benefícios são:

  • redução nos custos de operação;
  • valorização do imóvel;
  • surgimento de novas oportunidades de negócios;
  • redução no desperdício;
  • menos deslocamentos, menos emissões de CO2.

A adoção de práticas sustentáveis durante a jornada construtiva passa pela redução de resíduos gerados, menor desperdício de materiais e diminuição no consumo de energia, água e outros recursos naturais. Tudo isso constitui em grandes vantagens tanto para o construtor como também para o morador da edificação.

Pensando em como reduzir esses impactos ambientais provocados pela construção civil surge o programa de IPTU Verde. Tendo como estímulo, descontos de 5% a 10% para novas construções ou para reformas que implementem soluções sustentáveis.

O programa IPTU Verde

O programa consiste na aplicação de um percentual de desconto sobre o valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para os novos empreendimentos que adotam medidas sustentáveis que visam a preservação, proteção ou regeneração do meio ambiente. O desconto é gradativo e cumulativo, sendo que para cada regra é concedido um percentual de desconto.

No entanto, quanto mais soluções forem utilizadas, maior será de desconto no IPTU. Entretanto, ele não é igual para todas as ações, quanto maior for a relevância para a cidade, maior será sua pontuação. Por isso, têm cidades em que os contribuintes obtêm até 100 pontos em uma determinação ação e o desconto no imposto também é maior.

Objetivos do IPTU Verde

O IPTU Verde ou Ecológico, tem como objetivo reduzir a taxa de contribuição para aqueles que adotam ações e práticas consideradas sustentáveis em seus empreendimentos. O tripé da sustentabilidade também é aplicado e, nada mais justo do que incentivar a sociedade por meio de seus imóveis.

Por isso, cada cidade tem a liberdade de aderir ou não ao programa IPTU Verde como também de estabelecer a forma como será aplicada. Infelizmente, com as dificuldades de receitas das prefeituras, as iniciativas ainda são muito tímidas e em poucas localidades.

Equilibrar o meio ambiente e meio urbano é uma meta fundamental para preservar não somente recursos naturais, mas também a qualidade da vida humana. Afinal, ambos os espaços estão diretamente relacionados.

Principais contribuições para sustentabilidade das cidades

A edificação sustentável começa desde sua concepção, ou seja, na planta. Sua materialização gera inovações para seus moradores e contribuem para o meio ambiente como também em um melhor aproveitamento dos recursos naturais.

É importante lembrar que as ações, além de desconto para seus moradores, trazem melhorias para a vida do cidadão e para toda a cidade. A seguir, apresentaremos algumas contribuições que são pontuadas onde a implantação do IPTU Verde já foi aprovada e as vantagens em sua aplicação.

Aquecimento solar

O maior benefício da utilização do sistema de aquecimento solar é o alto índice de economia de energia. Confira outros benefícios:

  • utilização de energia renovável;
  • sem impacto ambiental;
  • preservação do meio ambiente;
  • redução da utilização do chuveiro elétrico (alto consumo energético);
  • economia na conta de energia

Além dos benefícios diretos que um usuário pode ter, quem utiliza o aquecimento solar contribui fortemente para a diminuição da demanda de outros sistemas, como as hidrelétricas e termelétricas, colaborando assim com a preservação do meio ambiente.

Calçadas ecológicas

A calçada ecológica consiste em evitar a impermeabilização dos passeios públicos e privados. Isso é feito por meio da implantação de material permeável, como os concregramas, intertravados e faixas de gramados ou jardins, juntamente de uma arborização adequada no calçamento.

Essas medidas melhoram a drenagem da cidade, evitando assim as inundações e ainda diminuem o hábito de varrer as calçadas com a mangueira.

Captação de água da chuva e sua utilização

São vários os benefícios, além do meio ambiente, com a captação, sua conta de água pode diminuir em até 55% no final do mês. Lembrando que a água recolhida é para serviços que utilizam um grande volume, como descarga de vasos sanitários, limpar a casa, o carro, regar o jardim e outras atividades que a água potável pode ser dispensada. Outros benefícios importantes são:

  • diminuição no alto volume de água que vai para as redes pluviais durante as fortes chuvas, evitando assim, alagamentos e enchentes;
  • redução na utilização da água potável, que já está escassa no mundo;
  • diminuição da escassez de recursos hídricos, além de trazer economia para o bolso do consumidor;
  • instalação versátil, pois pode ser colocada em qualquer ambiente (rural ou urbano, casa ou apartamento);
  • auxilia em tempos de crise hídrica e é utilizada até em áreas do sertão nordestino como forma de combate às secas;

Coleta seletiva de lixo

A coleta seletiva tem como objetivo reduzir o lixo produzido pelas cidades, dando uma destinação mais nobre e assim, reprimir o impacto ambiental com o reaproveitamento ou descarte adequado.

Também evita a proliferação de doenças, economia no consumo de água e luz, reduz os gastos com a limpeza urbana e ainda colabora com a geração de emprego e renda por meio da comercialização dos recicláveis. A seguir, alguns benefícios da coleta seletiva:

  • limita a extração dos recursos naturais;
  • reduz a poluição do solo, água e do ar;
  • reciclagem de materiais;
  • prevenção de enchentes;
  • minimiza os custos da produção, com o aproveitamento de recicláveis;
  • diminui o desperdício;
  • formação de cooperativas fortes.

Portanto, a coleta seletiva é fundamental para o desenvolvimento sustentável do nosso planeta.

Energia fotovoltaica

Diferentemente de outros lugares, o Brasil tem bons índices de irradiação solar e seu uso é uma das atitudes mais promissoras na luta contra a degradação do meio ambiente, pois ela é renovável e limpa. As cidades são responsáveis por mais de 70% do consumo mundial de energia elétrica e do lançamento de gases do efeito estufa.

A energia solar é a mais eficiente entre os tipos renováveis, podendo ser utilizada facilmente em diversas partes de uma edificação:

  • iluminação de garagens;
  • postes solares para iluminação externa;
  • tomadas para abastecer carros elétricos;
  • fornecer energia para imóveis.

Além disso, a perda de carga na energia é muito baixa, pois o sistema tem sua instalação muito próxima ao seu ponto de utilização.

Lâmpadas de LED

Na iluminação pública o uso de lâmpadas LED, representa uma economia de energia de mais de 80% para as prefeituras. Os principais benefícios são: a eficiência energética e a redução de emissões de carbono. A iluminação pública é responsável por mais de 15% do consumo das cidades.

Manutenção das áreas permeáveis

Cada município tem seu Código de Obras, mas, de modo geral, todos contemplam a necessidade de se manter uma taxa mínima de permeabilidade do solo. Essa ação visa reduzir o volume de água decorrente de fortes chuvas para a rede de água pluvial, ou o agravamento das enchentes.

Além da drenagem, também buscam minimizar as elevadas temperaturas em alguns pontos da cidade, como as ilhas de calor. Esse fenômeno é causado pela alta concentração de concreto e asfalto ou pela concentração de poluição que não deixa o calor dispersar.

Com a criação de jardins, plantio de mudas ou com a instalação de pisos permeáveis, se promove a recarga do lençol freático como também a diminuição ou eliminação das ilhas de calor.

Controle dos resíduos da construção civil

A construção civil é uma grande geradora de lixo, portanto, o aproveitamento dos resíduos também contribui para a redução dos riscos de assoreamentos dos rios, contaminação de mananciais e o acúmulo de entulhos, sendo que todos esses fatores estão relacionados à proliferação de vetores de várias doenças.

Entre as formas de aproveitamento, tem a produção de pedrisco, britas e areia a partir de entulhos de construção civil, que preservam o ambiente e contribuem para produção de construções de moradias de baixo custo.

Telhado verde

Reduz o gasto com a energia e colabora com climatização de ambiente. Dessa forma, a conveniência da utilização de ar-condicionado é reduzida. O telhado verde permite que as espécies vegetais se reproduzam na área urbana, atraindo insetos e pássaros e isso amplia a biodiversidade.

As cidades representam um grande produtor de gases de efeito estufa. Em compensação, as plantas do telhado verde auxiliarão a absorção do gás carbônico para a realização do processo de fotossíntese. Já a infiltração da água da chuva pela cobertura vegetal contribui de modo a reprimir a sobrecarga das redes pluviais.

Além da opção do telhado verde que tem os benefícios acima é importante utilizar de manta térmica. Isto porque a eficiência no controle da temperatura interna utilizando esse tipo de isolamento térmico é bem superior ao telhado verde.

As vantagens do IPTU Verde

De maneira geral, o IPTU Verde incentiva o cidadão a adotar hábitos sustentáveis, oferecendo, em contrapartida, descontos nas alíquotas do imposto. No entanto, cada município tem suas regras, procedimentos e percentuais de abatimento. Ao participar do programa, você tem outras compensações. Confira alguma dessas vantagens.

Dedução no imposto

A dedução no IPTU é o principal estímulo para a adesão desse programa. Analisando como esse desconto, em médio e longo prazo, pode influenciar o seu orçamento, não é surpresa que muitos ficam interessados nesse programa. Logo, o cidadão realizará um investimento que beneficia toda a sociedade, nada mais justo do que compensá-lo por isso.

Diminuição das despesas gerais

Além do desconto no imposto, tem todos os benefícios de uma residência ecologicamente correta. Economia de água e energia, por exemplo, sempre tem um efeito positivo no seu orçamento ao longo do tempo. Principalmente para quem busca melhorar as próprias despesas.

Marketing verde

As empresas e os empreiteiros que praticam as ações para assegurar o IPTU Verde, além do desconto no valor da alíquota do imposto, lucram com o destaque e com a publicidade das ações ecologicamente corretas.

Redução dos efeitos da ilha de calor

Ilha de calor é um episódio muito recorrente nos centros urbanos muito adensados, em que a falta de vegetação, impermeabilização do solo e a quantidade de asfalto e concreto produz uma zona de temperatura muito alta. É prejudicial para a saúde e para o conforto da população que ali reside ou trabalha.

Conservação dos recursos naturais hídricos

A água é o bem mais valioso para a humanidade, pois sem ela não há vida. Apesar disso, a taxa de desperdício é muito alta. Para a manutenção dos recursos é preciso aplicar os três Rs: reduzir, reutilizar e reciclar.

Por isso, o IPTU Verde é uma política pública transformadora que incentiva investidores e proprietários a adotarem soluções sustentáveis nos seus empreendimentos e a cidade também é beneficiada com a prática dessas ações.

Ações de como se adequar

No decreto 29.100/2017 do IPTU Verde, no Anexo I são listadas 37 práticas e ações para uma edificação pleitear a certificação perante o órgão responsável na prefeitura do município. Então, vejamos algumas.

Equipamentos economizadores

A utilização de arejador e restritor de pressão nas torneiras e chuveiros proporcionam economia no consumo de água potável e evita também o desperdício.

Vaso sanitário com caixa acoplada com duplo acionamento

O sistema com duplo acionamento permite controlar a quantidade de água que é utilizada a cada descarga.

Medição individualizada nas edificações multifamiliares, comerciais, mistas

Com a medição individualizada, cada morador paga o seu próprio consumo e passa a conhecer seu padrão de utilização, sendo que isso evita o desperdício de água potável.

Sistema de reuso de água de máquina de lavar roupa

O recolhimento da água proveniente do esgotamento da máquina de lavar, após passar por tratamento, pode ser reutilizada na limpeza de garagens, rega de jardins como também abastecer os vasos sanitários.

Sistema de aproveitamento da água da chuva

Consiste no recolhimento da água dos telhados por meio de calhas, dos ralos das varandas e direcioná-las para um reservatório para uso em lavagens de passeio, garagens, regas de jardim, também pode ser reutilizada para abastecer os vasos sanitários.

Telhado verde

Sua instalação oferece vários benefícios, veja alguns:

  • minimiza o calor, proporcionando maior conforto térmico;
  • retém a água da chuva para o sistema de reuso;
  • garante o isolamento acústico, diminui os barulhos externos;
  • atua como isolamento térmico residencial;
  • preserva o telhado contra intempéries, reduz a necessidade de manutenção.
  • auxilia na filtragem do ar, ameniza, um pouco a poluição;
  • regula a umidade do ar ao redor do edifício;

Diminuição da temperatura interna

Na impossibilidade de instalação do telhado verde, uma boa opção é a utilização de manta térmica para o telhado. Esses produtos são isolantes e deixam o ambiente com uma temperatura mais agradável. No mercado há vários tipos de manta térmica para utilizar no telhado e, assim a redução no uso do ar-condicionado se faz presente, principalmente na conta de energia no final do mês.

Aproveitamento da água proveniente da condensação do ar-condicionado

Após o recolhimento por tubulações que vão até o reservatório de águas servidas, pode ser reaproveitada para regar plantas e limpeza de garagens e passeios.

Sistema de aquecimento de água

A utilização dos sistemas de produção de água quente solar, promove uma economia substancial ao sistema elétrico, tanto da edificação como do município. Pois, o consumo de energia de cada chuveiro é muito alto. Promove também, economia para a construtora, pois os cabos elétricos podem ser dimensionados com bitolas menores e, mais baratos.

Tubulação de água quente com isolamento térmico

Para não haver perda de calor, a tubulação de água quente deve ter isolação em todo o seu trajeto, desde o boiler até o ponto de atendimento.

Utilização de sensor de presença para comando de iluminação de áreas comuns

Para evitar o uso desnecessário da iluminação, principalmente em garagens e corredores, utilizar o sensor de presença para o controle.

Implantação de sistema de energia fotovoltaica

Esse é um sistema de produção de energia pelo sol e armazenada em baterias para ser utilizada e o excedente da produção é injetado na rede da concessionária local.

Pavimentação permeável do passeio

O passeio ou calçada, pode utilizar pavimentação drenante, permitindo que um mínimo de 60% de sua área seja permeável.

Piso permeável, mínimo de 80% de permeabilidade

Revestir o piso de áreas de estacionamento e pátios de manobras com pisos drenantes, pois isso evita enchentes e alagamentos.

Instalar caixa de retardo para águas pluviais

A caixa de retardo, como o próprio nome diz, retarda o lançamento da água pluvial na rede pública. Afinal, dependendo do volume, isso pode provocar os alagamentos e enchentes. Assim, atrasando o seu lançamento, essas situações são minimizadas ou, até mesmo, eliminadas.

São várias as ações e práticas que podem ser adotadas, sendo que todas têm a intenção de reduzir ou amenizar seus efeitos. Vale lembrar que, para cada prática ou ação que for incorporada ao empreendimento corresponde a uma pontuação, de 2 até 100 pontos.

Portanto, para atingir a maior porcentagem de desconto, integre o máximo de ações no seu projeto de construção ou reforma.

Cidades que já implantaram o IPTU Verde

Quanto ao processo para a solicitação do benefício, o contribuinte interessado deve dar entrada com o pedido no órgão responsável, que analisará e dará aval ou não para a incidência do IPTU Verde. Algumas cidades já incorporaram o benefício, portanto, a população pode, conforme a legislação municipal, fazer jus ao desconto. Veja:

  • Araraquara-SP;
  • Americana-SP;
  • Barretos-SP;
  • Camboriú-PR;
  • Campos do Jordão-SP;
  • Colatina-ES;
  • Curitiba-PR;
  • Goiânia-GO;
  • Guarulhos-SP;
  • Ipatinga-MG;
  • Maringá-PR;
  • Manaus-AM;
  • Rio de Janeiro-RJ;
  • Salvador-BA;
  • São Carlos-SP;
  • São Vicente-SP;
  • São Bernardo do Campo-SP;
  • Seropédica-RJ;
  • Tietê-SP.

A certificação IPTU Verde e como ela funciona

A adesão ao programa é opcional, no entanto, para obter a certificação é preciso seguir o que estabelece o Anexo I do decreto 29.100 (Salvador-BA). Portanto, é aplicável aos novos empreendimentos como também às ampliações e reformas nas edificações existentes.

A certificação é alcançada quando o empreendimento adotar ações e práticas constantes no Anexo I (ver item 5), cada ação corresponde a uma pontuação.

  • bronze — mínimo de 50 pontos, desconto de 5%;
  • prata — mínimo de 70 pontos, desconto de 7%;
  • ouro — mínimo 100 pontos, desconto de 10%.

No caso de descumprimento das ações e práticas sustentáveis que justificaram a liberação da certificação, ela será cancelada, como também todos os benefícios. Portanto, a anulação se estende a todas as unidades da edificação, mesmo que apenas uma tenha sido a causadora do cancelamento. Pois, a certificação é dada ao empreendimento como um todo e não para cada unidade.

Requisitos para obtenção da certificação

Primeiramente é feito o pré-certificação, quando deverá ser apresentado com o processo de construção, ampliação ou reforma, o projeto com as modificações como também a substituição de projetos. Deverão ser acompanhados dos seguintes documentos:

  • formulários constantes dos Anexos I e II;
  • projeto arquitetônico e o memorial descritivo;
  • apresentar controle de qualidade da água;
  • plano de gerenciamento dos resíduos sólidos.

O requerimento será analisado no prazo de 60 dias pelo órgão licenciador. Vale lembrar que, o empreendimento não pode ter nenhuma pendência relativa a licenciamentos ou fiscalização ambiental, sendo necessário a apresentação de declaração do órgão responsável.

Concessão da certificação

Quanto à solicitação do alvará de habite-se, será verificado se as ações e as práticas de sustentabilidade declaradas foram efetivamente cumpridas. Após isso, será emitida a certificação IPTU Verde. No entanto, a emissão fica condicionada à apresentação:

  • certidão negativa de débitos imobiliários;
  • inexistência de registro no cadastro de informações municipais.

Fica registrado no habite-se que a edificação foi construída de acordo com a certificação IPTU Verde, que tem validade de três anos, podendo ser renovado para mais três anos enquanto for do interesse do requerente.

Além de estimular o uso inteligente da água e de outros recursos, garantindo assim a continuidade e o bem-estar das futuras gerações, o IPTU Verde joga luz sobre um até então desconhecida função social da propriedade particular. Atribuição ligada à construção de uma nova consciência sobre a estabilidade saudável do meio ambiente.

Com tudo que vimos, o IPTU Verde será o propulsor do desenvolvimento sustentável para as cidades nos próximos anos. Afinal, a população está cada vez mais exigente em relação à proteção do planeta.

Falando em construção sustentável, uma das preocupações é se o ambiente será arejado e confortável. Para entender mais sobre o assunto, confira o nosso guia sobre conforto térmico nas edificações e entenda como promovê-lo.

O isolamento pode ser executado com uma série de estratégias diferentes, como a instalação de mantas térmicas. Em primeiro lugar, é preciso ter uma preocupação com os materiais utilizados e a eficiência deles em relação aos processos de transmissão de calor. Com isso, você consegue atingir todos os objetivos de redução de custos na empresa.

Além disso, é importante observar propriedades adicionais, como isolamento acústico, proteção contra o fogo, resistência mecânica e química, além da impermeabilidade. Assim, você garante a compra de um produto que atenda a todas as suas necessidades. Quer saber mais sobre o tema? Acompanhe!

O que é manta térmica?

Um mesmo material pode vir em diferentes apresentações. Isso garante que ele pode ser aplicado em diferentes superfícies e se adaptar a diversas demandas. Aqui, algumas características que você deve focar são: flexibilidade, facilidade de instalação, armazenamento durante a execução da obra, compressibilidade, entre outras.

As principais apresentações comerciais atualmente são:

  • mantas;
  • placas;
  • espumas;
  • tintas;
  • sprays.

As duas últimas são soluções líquidas, então não há muita confusão com as anteriores. No entanto, é preciso saber diferenciar as três primeiras a fim de garantir que sua escolha seja adequada para a finalidade que você deseja.

As placas são estruturas rígidas com variáveis capacidades de compressibilidade. A falta de flexibilidade impede sua utilização em superfícies e estruturas que precisam de uma conformação perfeita pelo isolante. Um exemplo são os grandes dutos circulares. No entanto, isso permite que ela apresente uma diversidade maior de espessuras. Na 3TC, as placas podem ir de 10 milímetros a 100 milímetros.

Suas propriedades vão depender da espessura e dos materiais utilizados. Quanto mais grossa, mais rígidas elas serão. Um cuidado que as pessoas devem ter é não confundir a “grossura” ou a densidade de uma placa com o desempenho do isolamento. Nem sempre uma placa mais grossa vai isolar melhor, é preciso avaliar o material como um todo. Assim, uma peça que só impede um processo de transmissão de calor (a condução), por mais grossa que seja, não será mais eficiente do que uma que trabalha nos três. Essa mesma lógica pode ser utilizada nas mantas.

No entanto, dentro de uma mesma linha de produto, as placas mais espessas controlarão melhor a condução de calor. Por essa razão, as placas também são indicadas quando é preciso ter um isolamento mais intenso, como no caso da proteção de aparelhos de resfriamento e congelamento.

Já as mantas, para manter a flexibilidade, a facilidade de instalação e a versatilidade, geralmente apresentam apenas uma espessura. Na 3TC, por exemplo, trabalhamos com 10 milímetros, o que é suficiente para todos os locais onde as mantas são instaladas.

Em relação às propriedades e características, as mantas são diferentes, pois elas passam por um processamento que permite uma maior flexibilidade e compressibilidade. Elas são trabalhadas para apresentar textura mais fibrosa, que lembra a lã animal. Assim, pode se adaptar aos estresses físicos vindos nas três dimensões, além de se conformar completamente às superfícies em que são aplicadas.

Desse modo, podem ser empregadas nos mais diversos ambientes e estruturas de uma construção, como dutos circulares, o telhado, os pisos, entre outros. Além disso, são bem fáceis de armazenar. Como podem ser enroladas, é possível armazená-la em rolos de até 24 metros quadrados. Elas vão se encaixar em espaços mais apertados sem se danificar, desde que todas as recomendações do fabricante sejam seguidas.

Outra grande vantagem das mantas é a facilidade de instalação, pois podem ser fixas por vários métodos diferentes. No caso dos produtos da 3TC, é possível utilizar os seguintes:

  • fixação por pressão das próprias estruturas ou de barras;
  • parafusadas com buchas e proteções especiais para garantir a vedação;
  • coladas com a maioria das substâncias encontradas no mercado, como a cola PU;
  • amarradas, o que é perfeito para a fixação em estruturas cilíndricas e tubulares.

Devido à flexibilidade, uma das poucas limitações na instalação é o encaixe sempre pressão.

Por fim, vamos falar um pouco das espumas. Esses materiais têm sido cada vez menos utilizados para o isolamento termoacústico devido às suas desvantagens:

  • normalmente, apresentam baixa resistência mecânica e podem ser rompidas com o atrito, cortes superficiais leves, impacto, entre outros estresses comuns na maioria das empresas por causa do transporte de cargas e trânsito de pessoas;
  • por serem porosas, acumulam ácaros, poeira e mofo com facilidade;
  • a instalação é muito limitada e depende de colas especiais na maioria dos casos. Além disso, pode haver o comprometimento das peças durante a instalação, aumentando a demanda de material.

Como funciona a manta térmica?

O funcionamento da manta isolante depende dos materiais de sua composição. Isso vai determinar seu comportamento diante do calor, assim como suas características complementares. A seguir, vamos falar das principais mantas disponíveis no mercado.

Contudo, antes disso, você precisará entender melhor os processos de transmissão de calor em uma construção, que são basicamente três.

Condução

É o fenômeno mais intuitivo para as pessoas, pois estamos constantemente percebendo-o com nossos sentidos. Quando tocamos em um objeto e o classificamos como quente ou frio, é a condução que está acontecendo.

Seu mecanismo é relativamente simples: o corpo com maior temperatura transfere energia calorífica para o mais frio até que eles entrem em equilíbrio térmico — isto é, fiquem na mesma temperatura. Se um deles for fonte de calor, o aquecimento será constante até o outro fique na temperatura do outro. Se nenhum for, vão entrar em um meio termo de acordo com a dimensão e a massa de cada um.

Para a condução ocorrer, eles precisam estar em contato físico direto ou indireto um com o outro. No primeiro caso, o calor é transferido pelo contato superfície a superfície. No segundo, o piso, as paredes e outras estruturas da construção transmitem a energia calorífica.

Para evitar esses processos, são instalados os isolantes. Eles funcionam da seguinte forma: o material deles é ineficaz para transmitir a energia de uma face a outra, pois a organização molecular não permite uma boa movimentação das partículas. Então, apenas a área em contato com a fonte de calor se aquece, afetando muito pouco o resto da estrutura.

Poucos tipos de isolantes não atuam sobre a condução, como os foils e os sprays de material reflexivo. Por sua vez, todas as mantas atuam sobre ela. Na verdade, a maioria atua apenas sobre ela — o que reduz a eficiência.

Radiação

Nós também percebemos a radiação no nosso dia a dia quando os raios de sol queimam a nossa pele. Ao contrário da condução que exige o contato dos objetos, neste caso, o efeito ocorre à distância. Exige um determinado tipo de onda de energia que é responsável pelo aquecimento — os raios infravermelhos.

Eles atingem a estrutura molecular dos materiais, causando a agitação das partículas e consequentemente o aquecimento. Desse modo, a principal forma de evitá-los é fazer com que eles sejam refletidos antes de afetar a estrutura.

Não é apenas o sol que emite o infravermelho, praticamente todos os objetos têm essa capacidade — especialmente as fontes de produção calor.

A radiação precisa ser tratada com bastante atenção, pois é a principal responsável pelo aumento de temperatura dos objetos. Estima-se que cerca de 90% da energia calorífica que é transmitida para as construções venha justamente dessa forma. Mas usualmente não a associamos com o aquecimento, então é um erro muito comum escolher mantas que só agem sobre a condução e ignoremos os efeitos intensos dos raios infravermelhos.

Convecção

O último processo é o mais complexo para nós, pois não é nada intuitivo. Entretanto. ele acontece o tempo todo nos ambientes internos e na atmosfera. Todos os gases mudam o volume de forma muito intensa ao calor, expandindo-se no aquecimento e retraindo-se no resfriamento. Com isso, a densidade deles se altera constantemente.

Dentro de um mesmo ambiente, formam-se várias massas de ar de diferentes densidades. Isso acontece, pois eles entram em contato com superfícies com diferentes temperaturas. Pelas leis da física, aquela massa com maior densidade é direcionada para baixo, enquanto aquela com menor densidade (mais quente) vai para cima. Como as variações são constantes, é como se o ar ficasse circulando constantemente.

Geralmente, o ar se aquece quando fica próximo ao solo ou ao piso, pois essas áreas se aquecem devido à incidência dos raios do sol ou pela atividade humana com equipamentos que produzem energia calorífica.

A eficiência do ar-condicionado, por exemplo, depende diretamente de esse processo ocorrer corretamente. Por esse motivo, eles são instalados próximo ao teto. O ar frio que sai do equipamento vai em direção ao chão e, no trajeto, resfria todo o ambiente.

No entanto, vários fatores podem alterar o processo de convecção e piorar o conforto térmico de um ambiente:

  • a falta de isolamento térmico no telhado vai fazer com que a massa de ar superior esteja sempre mais aquecida do que aquela próxima ao solo, reduzindo a circulação de ar e aquecendo toda a atmosfera do ambiente. Mantas ineficientes para combater a radiação consequentemente também são ruins para a convecção;
  • uma vedação inadequada das frestas do telhado e das saídas de ar vai fazer com que os gases externos entrem na construção e modifiquem a dinâmica. Isso é especialmente negativo quando sua construção utiliza ar-condicionado ou aquecedores. Algumas mantas também podem não agir adequadamente sobre esse processo, pois são permeáveis. Desse modo, não impedem a passagem de ar.

Quais são os principais tipos de mantas térmicas disponíveis no mercado?

Agora que você já sabe como o calor age sobre a construção, você poderá entender a diferença entre os materiais.

Manta de lã de vidro

Esse material surgiu para substituir as espumas de polímeros plásticos. Elas são fabricadas com a mesma matéria-prima do vidro, a sílica. Ela é aquecida a altas temperaturas e gradientes de pressão. Com isso, o material adquire um formato de fio e forma uma manta fibrosa.

Ela já foi considerada um dos materiais mais eficientes, porque ela é capaz de impedir grande parte da condução. Porém, os avanços na tecnologia dos materiais fizeram opções melhores e com melhor custo-benefício surgirem. Em relação aos outros processos, ela não tem quase nenhum efeito. Ela não apresenta uma refletividade de radiação significativa e, por ser permeável, não atua sobre a convecção.

Manta de lã de rocha

A lã de rocha apresenta propriedades muito semelhantes à lã de vidro. Inclusive, o processo de fabricação é muito semelhante. A principal diferença é a matéria-prima, a diábase. Ela é uma rocha vulcânica com excelente capacidade de evitar a condução, porém também não atua de modo significativo nos demais processos.

Manta de PET

A manta de PET também é fibrosa, mas é fabricado com um polímero plástico chamado de politereftalato de etila. É o mesmo utilizado nas garrafas de refrigerante e na maioria das embalagens. Por essa razão, apresenta o diferencial de ser sustentável para o meio ambiente, visto que pode ser fabricado com material reciclado e ser reciclada. É resistente à deterioração físico-química, mas só age na redução da condução.

Manta térmica 3TC

Já a manta 3TC representa o ápice dos avanços na tecnologia dos materiais isolantes. Sua estrutura foi elaborada pela NASA para proteger os astronautas e as estações espaciais das bruscas mudanças de temperatura fora da Terra. Durante o dia, os termômetros podem marcar até 121 graus celsius e, à noite, — 157 graus Celsius, de acordo com os dados da Agência Espacial. Desse modo, era preciso um sistema que atuasse sobre todos os processos para manter a segurança.

Depois de testar vários materiais, eles chegaram na solução ideal:

  • para reduzir a condução foi utilizado um núcleo de poliestireno estendido (EPS), o qual é um dos materiais com menor capacidade de transmissão de calor (coeficiente de condutibilidade) utilizados pelo homem;
  • já a radiação é combatida pela utilização de uma camada dupla de polímeros refletivos. Essa tecnologia controla a radiação devido ao espaço de ar contido no núcleo de Poliestireno Expandido (EPS) que resulta na refletância dos raios infravermelhos devido à baixa emissividade dos polímeros refletivos;
  • por fim, a convecção é controlada devido à impermeabilidade de todas as três camadas. Assim, funciona como uma barreira contra o ar e o vapor.

Ademais, a manta térmica 3TC é ideal para melhorar a eficiência da circulação de ar nas construções. Afinal, impede que as estruturas da laje ou do telhado se aqueçam demais e comprometam a convecção dentro das construções. Como apresentam resistência mecânica aliada à compressibilidade, podem vedar bem cada fresta e impedir o contato com gases do meio externo.

Para que serve?

As mantas térmicas são utilizadas principalmente para resolver problemas tradicionalmente ligados às construções empresariais e aos equipamentos.

  • otimização a eficiência da climatização — esse é o principal motivo que os gestores procuram o isolamento térmico. Assim, podem economizar na compra de ares-condicionados e utilizá-los em potência menor sem comprometer a temperatura efetiva;
  • Melhorar o conforto térmico da construção — os processos fisiológicos de frio e calor são muito incômodos para as pessoas. Então, manter temperaturas estáveis é essencial para agradar os clientes e os colaboradores;
  • Isolamento de sistemas de refrigeração ou resfriamento — as máquinas térmicas consomem bastante energia. Uma forma de otimizar essa situação é reduzindo a temperatura do ambiente em que elas estão. Assim, precisam fazer menos trabalho para chegar aos números desejados;
  • Proteção de salas de equipamentos e de estoque de produtos sensíveis ao calor — os dispositivos eletrônicos geralmente não podem se expor ao superaquecimento. Assim, ficam em ambientes refrigerados, cuja proteção é mais eficiente com as mantas;
  • nos veículos com baú frigorífico, melhoram a eficiência do sistema de refrigeração das cargas. Nos baús normais, evitam o aquecimento excessivo que pode resultar na perda de qualidade das cargas.

Onde e como ela pode ser aplicada?

Já falamos bastante sobre a aplicação no telhado e na cobertura de objetos. Agora, vamos explicar como fazer em relação a outras estruturas:

  • paredes — em geral, as mantas são utilizadas dentro das lâminas de drywall ou outros tipos de divisórias;
  • piso — a manta pode ser usada logo abaixo de pisos laminados, de PVC e outros revestimentos instalados por encaixe. Além do isolamento térmico, impede a propagação do som entre pisos de um mesmo edifício;
  • dutos de ar-condicionado — na proteção dessas estruturas, a ação impede que o ar se aqueça antes de chegar ao destino final.

Quando deve usar a manta térmica?

As mantas térmicas apresentam diversos benefícios, mas o principal motiva que leva as empresas a procurá-las é a redução de custos. Inicialmente, os gestores acreditam que o impacto vai ser somente na economia de energia elétrica, mas logo veem que os benefícios vêm de várias outras fontes.

5 vantagens da manta térmica para os funcionários e seu impacto na redução de custos da empresa

Ergonomia e bem-estar

A Norma Regulamentadora 17 do antigo Ministério do Trabalho ainda está em vigor e estabelece que, para respeitar a ergonomia do trabalhador, a temperatura do ambiente deve estar entre 20º e 23º. Com isso, é possível manter a saúde e o bem-estar — físico e mental — e evitar custos relacionados à baixa eficiência devido ao desconforto, afastamentos, faltas e processos trabalhistas.

Concentração e atenção

A capacidade cognitiva do cérebro humano se reduz quando há algum estímulo negativo que o corpo interpreta como ameaçador. Esse é o caso do calor e do frio. Assim, diversos processos fisiológicos para regular a temperatura corporal são ativados e parte da atenção da mente é desviada das tarefas. Com isso, erros e falhas se tornam mais frequentes, gerando mais gastos devido à necessidade de refação e ao desperdício de insumos.

Produtividade

Por essa razão, o conforto térmico aumenta a produtividade ao permitir que os trabalhadores executem suas atividades com o máximo de atenção. Além disso, eles ficam mais satisfeitos com a empresa, pois sentem que há uma preocupação com o seu bem-estar. Eles devolvem isso na forma de uma trabalho melhor e mais ágil. Assim, você pode reduzir sua necessidade de contratações futuras e evitar novos custos.

Ares-condicionados em menor potência

Além de reduzir a necessidade de trabalho do ar-condicionado, o isolamento traz outro benefício, agora para o trabalhador. Quanto maior a potência que o equipamento estiver ligado, mais umidade o motor retirará do ambiente. Assim, a qualidade do ar ficará ruim, provocando desconforto nas vias aéreas. Isso pode provocar problemas de saúde, como desencadeamento de crises de rinite alérgica, e levar ao absenteísmo.

Possibilidade de aumento salarial e oferta de benefícios

O ar-condicionado é o grande vilão da conta de luz da empresa, podendo representar cerca de 55% do valor relacionado ao consumo. Dependendo do porte e das atividades da empresa, isso pode representar milhares de reais. Com um isolamento eficiente, parte desse dinheiro poderá ser aplicado em ações para motivar funcionários. Assim, você tirará dinheiro de algo que era apenas um gasto para aplicar em uma ação que poderá trazer um importante retorno sobre o investimento.

4 cuidados necessários com a manta térmica

No entanto, não basta instalar um isolamento qualquer. É preciso instalar o isolamento do material certo e com um fornecedor confiável.

Escolha do material mais eficiente

Como explicamos, o 3TC é realmente a melhor opção no mercado atual, sendo uma tecnologia tão eficiente e segura que é utilizada pela NASA nas missões espaciais. Ele vai atuar sobre todos os processos de transmissão de calor e ainda oferecer outros benefícios, como

  • isolamento acústico;
  • resistência ao fogo;
  • resistência mecânica;
  • resistência química;
  • impermeabilidade;
  • vedação, entre outros.

Isso trará o máximo de economia com energia e fará com que o investimento em isolamento compense na prática.

Contratação de profissionais especializados

As mantas precisam ser instaladas por empresas que têm experiência especializada no assunto. Esses profissionais saberão qual é o melhor método de instalação para cada superfície, garantirão produtos originais, farão os cálculos de área corretos e minimizarão as perdas de material. Além de tudo, ainda haverá uma garantia pelo fornecedor por vários anos, se o uso for feito adequadamente.

Uso adequado

Só utilize as mantas para aquelas atividades que você detalhou para o instalador. Mesmo que as mantas 3TC sejam versáteis para instalar, o método utilizado dependerá da superfície de aplicação. Então, não adianta transferir de um local para o outro por conta própria. Essa aparente economia pode provocar a perda do material.

Manutenção correta

A manutenção deve ser feita de forma preventiva preferencialmente. Para isso, verifique constantemente eventuais defeitos nas estruturas próximas ao isolamento, como as telhas e os pisos. Em caso de qualquer dano, solicite a reposição da peça em vez de tentar fazer um conserto por conta própria ou ignorar o problema. É muito mais em conta fazer uma ação preventiva do que corretiva.

Com tudo isso que vimos, certamente o isolamento é uma das medidas mais efetivas para a redução de custos na empresa. Além de atingir um ponto crucial e caro, o consumo energético, traz benefícios para os funcionários e equipamentos. Assim, a produtividade geral aumenta e os custos não escalam.

Quer saber tudo sobre a manta térmica e seus benefícios para a empresa, para os funcionários e os clientes? Então, não deixe de baixar nosso e-book!