O impacto do aquecimento global na avicultura é preocupante, uma vez que as mudanças climáticas em curso podem causar muitos prejuízos aos produtores. Temperaturas acima de 38ºC geram a morte de aves adultas, que são muito sensíveis ao calor.

Além disso, o estresse causado pelas altas temperaturas pode causar perda no rendimento da granja devido à diminuição de peso corporal e aumento da mortalidade.

As aves se desenvolvem melhor com temperaturas entre 18 e 20ºC. Nessas condições, o calor superficial da pele é de cerca de 33ºC e o interno é de 41ºC. Com isso, além da melhoria genética, tecnologias de aclimatação como o 3TC são fundamentais para garantir o aumento da produtividade.

Impacto do aquecimento global na avicultura

O impacto do aquecimento global na avicultural é facilmente observado, uma vez que algumas localidades brasileiras passaram a observar temperaturas diárias extremas, o que dificulta a atividade avícula.

Segundo um estudo publicado pela Faculdade de Engenharia Agrícola da Universidade Estadual de Campinas (Feagri/Unicamp) temperaturas acima de 32ºC são consideradas extremas enquanto temperaturas em torno de 20ºC permitem o crescimento adequado das aves. Ao analisar esse quadro é possível prever o desenvolvimento dos animais caso o calor aumente ou diminua.

O aquecimento global afeta, portanto, o comportamento dos animais de granja o que inclui a diminuição do apetite, da performance das poedeiras e até da fertilidade. Além disso, mudanças climáticas podem fazer com que as aves reduzam as suas atividades, o que pode causar o surgimento de doenças e o aumento da mortalidade.

Vale observar ainda que o aquecimento global pode reduzir a produção agrícola de grãos que compõe a dieta das aves, fazendo com que os animais adoeçam e percam peso caso seja preciso substituir a sua alimentação repentinamente.

O papel de novas tecnologias para minimizar os problemas 

Novas tecnologias são essenciais para evitar os problemas causados pelo aquecimento global. Assim, a termotolerância visa garantir que aves recém-nascidas se adaptem melhor ao estresse causado pelo calor e animais com menos penas possam resistir melhor as altas temperaturas.

Além disso, pesquisas da Embrapa Meio Ambiente (SP) buscam identificar espécies de aves mais adaptadas as altas temperaturas. Galinhas-africanas de pescoço pelado, por exemplo, poderiam participar de cruzamentos para aprimorar as linhagens existentes no Brasil.

impacto do aquecimento global na avicultura, granja usando 3TC

Imagem: Granja no Pará de Minas usando 3TC

Investimento em granjas mais eficientes

Para minimizar os efeitos do aquecimento global também é importante investir em granjas, aviários e dark houses, que evitem que as altas temperaturas afetem os animais. De fato, o setor precisa se adaptar as mudanças climáticas e investir em novas tecnologias de infraestrutura para eliminar riscos de eventuais perdas.

Aqui, o Isolante Térmico 3TC merece destaque – disponível em rolo e em placa, o material é fabricado com EPS e polímero reflexivo, o que garante eficiência e durabilidade superior aos isolamentos tradicionais.

Além disso, o 3TC é baseado no sistema de isolamento utilizado pela Nasa e controla três formas de transferência de calor: condução, convecção e radiação. Isolantes térmicos como a lã de vidro, a Espuma de Poliuretano (PU) e o isopor (EPS), eliminam apenas a condução, o que corresponde a menos de 10% da transferência de calor dos galpões.

Outros isolamentos térmicos como as mantas térmicas eliminam apenas a radiação. O 3TC é o único revestimento térmico capaz de garantir que o produtor não sofra com o impacto do aquecimento global na avicultura, garantindo que as aves cresçam e se desenvolvam com saúde e vigor. Saiba mais no vídeo abaixo:

Outros fatores a considerar no impacto do aquecimento global na avicultura

Gases de efeito estufa

No Brasil, os maiores emissores de GEEs são os setores de agropecuária e energia.

Dejetos dos ruminantes correspondem a 55,9% das emissões, o solo agrícola a 35,9%, o manejo de dejetos animais a 4,8%, o cultivo de arroz em áreas alagadas a 1,9% e a queima da cana-de-açúcar a 1,5% – tudo isso é responsável pelo impacto do aquecimento global na avicultura.

Só a criação de gado emite cerca de 11,5 mil toneladas de metano na atmosfera, gás que contribui para o aquecimento global 25 vezes mais que o dióxido de carbono.

Uma linha de pesquisa do Embrapa tenta garantir que as granjas emitam menos gases de efeito estufa (GEEs).

Aqui, as maiores emissões ocorrem devido à queima de combustível fóssil para o aquecimento dos galpões. Também há geração de gás na produção de grãos para a geração de ração. Avaliações preliminares observaram que granjas têm menores emissões de gases de efeito estufa que a criação de bovinos.

A diminuição das emissões pode ser obtida pela eliminação do uso de combustíveis fósseis ou pela adoção de medidas que garantam a conservação do calor, como a utilização do 3TC na construção de galpões.

Também é preciso observar a eliminação dos dejetos. Eles devem ser manejados de modo a evitar a produção de metano. Para a produção de biogás, o esterco das aves precisa ser diluído em água o que, assim como a alta concentração de amônia, representa um grande desafio para os produtores.

Biogás

Produzir biogás a partir dos dejetos da criação de animais confinados pode diminuir o impacto do aquecimento global na avicultura. Além disso, promove benefícios sociais e econômicos significativos.

A mitigação de gases e a consequente diminuição do impacto do aquecimento global na avicultura ocorre, principalmente, quando o biogás passa a substituir os combustíveis fósseis ou vegetais. Claro, para isso é preciso gerir de forma eficiente os sistemas de tratamento de dejetos e ampliar os investimentos no setor.

O impacto do aquecimento global na avicultura precisa ser observado de perto. Esse setor da economia é afetado de várias formas: o preço e a disponibilidade dos grãos, assim como a diminuição das pastagens podem causar o emagrecimento, a diminuição do crescimento e causar problemas de saúde ao rebanho. Além disso, pode ser preciso deslocar o rebanho para outras regiões geográficas.

Esses impactos podem ser menores em rebanhos confinados, uma vez que, nesse caso, os animais vivem sob abrigos e são pouco expostos ao calor excessivo, uma vez que esses espaços são climatizados.

Agora que você já conhece o impacto do aquecimento global na avicultura, aproveite para saber mais sobre o isolamento térmico em granjas! 

Muito usado em empresas, centros comerciais e espaços corporativos, o piso de vinílico é bom para residências e outros espaços destinados à convivência familiar, pois reproduz com perfeição a beleza e a praticidade da madeira ou a modernidade do cimento queimado. 

Além de tornar um espaço mais acolhedor, o piso de vinílico é bom porque é muito fácil de instalar. A limpeza não exige cuidados especiais: basta varrer e passar um pano úmido — ao contrário da madeira o material é resistente a água.

A seguir explicaremos melhor as vantagens desse material e por que instalá-lo na sua casa! Acompanhe!

O piso de vinílico é bom para qual espaço da casa?

O piso de vinílico é bom para ser usado em, praticamente, todos os espaços da casa como quartos, salas de jantar e escritórios, permitindo a criação de ambientes amplos e abertos, que aproveitam melhor a iluminação natural.

É um material 100% sintético. A primeira camada é composta por fibra de vidro, que então é revestida com vinil de PVC e plastificante. Sobre essa é superfície é gravada uma lâmina que imita a textura da madeira ou do mármore. A seguir, é aplicada poliuretano sem cera. A espessura total varia de 1,5 mm em mantas de vinil a 5 mm em réguas ou pranchas.

Durável e resistente, confere grande beleza e conforto a um ambiente. Também conhecido como piso de PVC, é ideal para quem deseja substituir o revestimento antigo da casa de forma rápida e sem entulho. Pode ser encontrado em diferentes modelos e formatos, que se diferenciam pela padronagem e textura.

piso de vinílico

Foto: br.pinterest.com

Tipos de piso vinílico

O piso de vinílico pode ser encontrada em diferentes formatos. Confira!

Piso de vinílico em manta

Pode ser instalado sobre o piso existente, o que diminui o custo da obra. Existem diferentes padrões como madeira, mármore ou cimento queimado. 

É bonito e fácil de instalar, no entanto, é pouco resistente a ranhuras e cortes. Muitos projetos de construção e reforma utilizam esse revestimento no quarto do casal ou para no das crianças. 

Piso de vinílico em placa

Deve ser instalado em superfícies regulares, o que garantirá a durabilidade e a resistência do material. É um material versátil e bastante resistente que pode ser instalado em todos os espaços da casa como quartos, salas e varandas e é indicado para casas com crianças ou animais de estimação. 

Piso de vinílico em réguas

Essa opção de acabamento é durável e bastante resistente a ranhuras. Durante a instalação as peças são coladas ou encaixadas umas as outras, o que diminui o tempo da obra.

Esse sistema conhecido como “click” deve ser utilizado em superfícies regulares e não corre o risco de descolar com o passar do tempo. Como é mais resistente e durável que os outros modelos, essa opção é um pouco mais cara que as demais, no entanto, oferece um toque de sofisticação ao projeto.

piso de vinílico

Foto: tuacasa.com.br

Quais as vantagens do piso de vinílico?

O revestimento oferece muitas vantagens, por isso é um dos materiais de construção mais procurados por quem deseja reformar ou construir ambientes bonitos e confortáveis. Veja os pontos fortes do material:

Bom desempenho termoacústico

O piso de vinílico é bom, pois não propaga do som e garante o conforto térmico. Assim, os moradores se verão livres de ruídos indesejáveis e conseguirão reduzir as contas de energia, devido à queda da necessidade do uso de ar-condicionado no verão e de aquecedores elétricos no inverno. 

Além disso, o revestimento é confortável – as pranchas de piso são revestidas com uma camada acolchoada o que fará com que você caminhe sem sentir frio ou calor. 

Hipoalérgico

O piso de PVC não acumula poeira e pode ser limpo facilmente — basta remover a sujeira e passar um pano úmido. Por isso, o material é considerado hipoalérgico.

Grande variedade de padrões

Como dissemos acima, o piso de vinílico é bom, pois pode ser encontrado em diferentes modelos e formatos. Revestimentos coloridos são ideais para o quarto das crianças ou para a brinquedoteca.

Já as que imitam a madeira, podem ser instaladas na sala de estar ou na sala de jantar, assim como o piso que imita o cimento queimado. Modelos que simulam o mármore são boas opções de acabamento para varandas e demais áreas de convivência. 

Fácil instalação

O piso de vinílico é bom, pois é bem mais fácil de instalar que os revestimentos mais usados em projetos residenciais como a cerâmica, a madeira e a ardósia.

Pode ser colado, adesivado ou instalado pelo sistema de clique, sem a necessidade de retirar o piso anterior — o tempo de instalação é em torno de 3 dias. 

Preço baixo

O metro quadrado do piso de PVC varia de R$50 a R$200,00, ou seja, é bem mais acessível que o revestimento cerâmico ou de porcelanato. 

piso de vinílico

Foto: arkpad.com

Quais as desvantagens do piso de vinílico?

Claro, o piso de PVC também apresenta algumas limitações:

Não pode ser usado sobre qualquer superfície

O piso de PVC deve ser aplicado sobre superfícies niveladas e devidamente impermeabilizadas. Além disso, o revestimento não pode ser aplicado sobre superfícies de madeira ou de cimento, uma vez que a nova cobertura pode apresentar manchas. 

Exige a contratação de mão de obra especializada

Para garantir uma instalação perfeita, o ideal é contratar mão de obra especializada. O profissional verificará se há necessidade de nivelar a superfície e se a umidade permite a aplicação do revestimento. 

Além disso, somente um profissional sabe como cortar e encaixar as peças corretamente, o que garantirá a durabilidade e a beleza da reforma. 

Baixa durabilidade 

O piso de PVC é menos resistente que a madeira e os acabamentos cerâmicos. Em geral, dura cerca de 15 anos – após esse período é preciso substituir a cobertura. 

Não deve ser aplicado em áreas externas

A cobertura não deve ser aplicada nas áreas externas da casa, uma vez que o PVC não suporta o excesso de sol ou de chuva que podem danificar e desbotar o material. 

Além disso, a cobertura pode exibir cortes e desgastes, caso tenha contato com móveis e outros objetos pontiagudos. 

Gostou deste texto que explica por que o piso de vinílico é bom? Então, aproveite a visita para assinar a nossa newsletter e fique por dentro de todas as novidades do nosso blog!

Hoje, o conceito de eficiência energética em armazéns está comumente relacionado com integração, equilíbrio e gestão de transporte, armazenamento e toda uma logística econômica, ambiental e social. Confira neste artigo a sua importância nas operações em armazéns com ajuda tecnológica.

O conceito de armazém verde

O armazém verde sustentável pode ser definido como um cluster de soluções tecnológicas e organizacionais concebidas para a eficiência energética em armazéns, nos seus processos, e que deve possuir elevados padrões para minimizar o efeito na natureza.

No entanto, as empresas estão cientes que é difícil obter esses serviços de eficiência energética em armazéns, na distribuição eficaz e logística de terceiros, bem como no abastecimento no atual ambiente de mercado.

Nesse contexto, as empresas que oferecem serviços de eficiência energética em armazéns, estão na vanguarda das vantagens competitivas, além de educarem seus clientes para as boas práticas de sustentabilidade.

Tecnologias como dos edifícios verdes, com sistemas de iluminação com sensores de movimento e tempo, equipamentos de movimentação automática, isolamento térmico, utilização de energia renovável, sistemas de ventilação natural, painéis solares, sistemas de tratamento de água, padrões ISO e filosofia 5S, tudo em um futuro próximo do agora.

Assim, entender como a eficiência econômica e operacional é importante para minimizar os danos ao meio ambiente e criar ambientes de trabalho e residência adequados, só pode ser possível através destes fatores.

Com a globalização e o crescendo rápido da tecnologia verde, ter trouxe uma configuração das  condições de construção em relação ao passado. Empresas como a 3TC, por exemplo, se adequaram a um mundo inovador, capaz de gerar conhecimento para outras áreas da construção, na questão da sustentabilidade e meio ambiente.

Dentro deste contexto, a produção de materiais, pensando na energia renovável e de uso eficiente, na construção verde, diminuição de barulho poluente, tecnologia para o armazenamento verde e  otimização  no  desperdício, são  práticas realizadas em nome do meio ambiente.

Por mais que a sustentabilidade é uma das últimas palavras da moda na indústria, a logística e esse conceito está começando a se enraizar firmemente nas mentes de empresários em todo o mundo. Isso diz respeito à logística da cadeia de suprimentos, da eficiência energética em armazéns, toda uma rede que pode ser melhorada em termos de otimização de custos ambientais.

A eficiência energética em armazéns

O armazém é um componente importante de cadeias de abastecimento sustentáveis ​​e eficientes. Independentemente de qual setor um depósito atende, as empresas que o utilizam farão bem em não ver o depósito simplesmente como um meio de armazenar matérias-primas e produtos acabados.

A fim de maximizar a eficiência energética em armazéns, na operação, os fabricantes experientes hoje empregam várias formas de reduzir as pegadas ambientais e sociais das instalações, de forma que melhorem os resultados financeiros de seus negócios.

E quando se trata de criar valor sustentável, existem várias práticas que a eficiência energética em armazéns pode ser implementada. Entre essas abordagens incluem a automação de soluções, por exemplo, de green warehouse e processos de gerenciamento.

eficiencia energetica em armazens

Aumentando a eficiência energética

Os armazéns consomem uma grande quantidade de energia em uma cadeia de abastecimento de logística regular. No entanto, as soluções de armazenamento automatizado podem ser responsáveis ​​por quantidades significativas de economia de energia, pois podem funcionar no escuro e em ambientes não aquecidos.

Este é um contraste gritante com o equipamento de armazém convencional, que possui altos níveis de consumo de energia e altos custos operacionais. Para operações do dia a dia em um armazém automatizado, é aconselhável instalar tecnologia de isolamento térmico e iluminação natural, já que as luzes geralmente são necessárias apenas durante as verificações de manutenção de rotina.

As tecnologias automatizadas, como elevadores, podem funcionar de forma independente sem supervisão, portanto, não é necessário atender a essas despesas.

Armazéns que integram práticas de armazenamento ecológico, como tecnologia de iluminação natural (claraboias, sensores de fotocélula, etc.) ajudam às empresas a economizar custos de energia no longo prazo. Outros métodos que podem ser usados ​​incluem:

  • a instalação de armazéns com painéis solares ou iluminação por emissor de luz (LED);
  • regeneração de energia pela conversão das forças de frenagem de equipamentos automatizados em eletricidade;
  • recuperação de calor gerado por sistemas de armazenamento refrigerado ou isolamento térmico.

Outros métodos incluem:

  • mudar para a ventilação natural em vez da ventilação elétrica;
  • ajustar a velocidade dos transportadores para que, quando não utilizados, o equipamento possa funcionar em um ritmo mais lento ou ser desligado.

Ao implementar medidas de eficiência energética em armazéns, mais de 20% da economia de custos pode ser alcançada. As empresas que adotam práticas de armazenamento ecológico podem, então, trabalhar no sentido de construir um negócio sustentável do ponto de vista financeiro e ambiental.

Também, o planejamento cuidadoso do layout do armazém não é apenas crucial para as empresas maximizarem a eficiência do fluxo de trabalho, mas também ajuda a garantir que o armazém possa integrar novas funções no futuro.

Ao construir o desenho de planta, as empresas precisam coletar dados operacionais sobre o rendimento real da instalação, informações sobre os requisitos da estrutura do armazém, como carregamento e nivelamento, dados de precisão sobre a planura do piso e até mesmo informações meteorológicas no que se refere ao possível impacto na durabilidade da estrutura do armazém.

Ao incorporar esses fatores ao design, as empresas podem alcançar a eficiência energética em armazéns e aumentar a produtividade.

Como a tecnologia 3TC ajuda a maximizar a eficiência energética

Como o setor de logística continua a evoluir, as abordagens destacadas acima podem ser empregadas pelas empresas para aumentar a eficiência energética em armazéns e ter efeitos positivos de suas atividades comerciais no meio ambiente. O conceito de green warehouse pode ser um ativo competitivo para as empresas alcançarem objetivos de sustentabilidade financeira e ambiental a longo prazo.

Assim, a nossa preocupação é com as práticas de armazém verde que economizam dinheiro nas operações, visando a redução do uso de energia. Tudo na cadeia de abastecimento requer energia para funcionar. Como resultado, o uso de tecnologia que economiza energia no depósito também estão economizando dinheiro em todas as operações no depósito.

Todas as estratégias acima requerem um investimento de tempo e dinheiro para criar um plano e executá-lo. No entanto, um plano de sustentabilidade cuidadosamente considerado fornece reduções de custos e melhorias de produtividade que oferecem um bom retorno sobre o investimento inicial em tempo e energia.

Muitas empresas que adotam estas práticas verdes descobrirão que oferecem esse cenário onde todos ganham, independentemente de tratar de outros resíduos de energia ou materiais.

Se você está interessado nessas mudanças revolucionárias, agora nunca foi um momento melhor para agir. A 3TC oferece muitas maneiras pelas quais os armazéns ecológicos estão renovando o setor diariamente.

Ficou interessado? Conheça as nossas soluções para o segmento. Ajudamos o seu armazém a atingir o máximo de eficiência energética e sustentabilidade.

A tendência mundial da acessibilidade para idosos começa a ser uma realidade da engenharia e da construção. Projetos que seguem alguns princípios bem estabelecidos de design universal podem ajudar muito na construção de uma casa segura e confortável, respeitando a acessibilidade para idosos.

As residências e lares de repouso devem oferecer um ambiente seguro e controlado para pessoas com Alzheimer, demência e outras formas de deficiência de memória, por exemplo. Como os altos níveis de ruído e atividade podem agitar os residentes, um edifício ou casa que cuida do isolamento acústico, deve ser empregado em recursos tecnológicos para evitar esse problema.

Mercado de acessibilidade para idosos em crescimento

Arquitetos e construtores estão começando a se especializar na vida da terceira idade e merecem um sério reconhecimento. Não é fácil criar casas para quem mais amamos. E no futuro, o índice de idosos ultrapassará as estatísticas no Brasil, sendo, portanto, muito importante para àqueles que também trabalham no espaço de cuidados a idosos, entre outros.

Este mercado não está apenas crescendo, ele está repleto de oportunidades. Os avanços na tecnologia estão proporcionando aos idosos melhores níveis de cuidado, permitindo que vivam de forma mais independente e confortável, abrindo as portas para novas construções e layouts espaciais inovadores. 

Isso soa verdadeiro em todo o mercado especial para acessibilidade para idosos, desde asilos (que oferecem cuidados médicos e pessoais em um ambiente clínico) até instalações residenciais, edifícios e lares de repouso assistido.

Então, quais são as principais considerações para arquitetos, construtores e designers de interiores ao projetar acessibilidade em residência e casas de repouso para idosos?

Dica 1. Luz natural

Concentrar-se na luz natural nos planos residenciais traz muitas vantagens. Além dos benefícios para a saúde, como a produção de vitamina D, a luz natural melhora o estado emocional e mental dos residentes. A exposição à luz natural ao longo do dia ajuda a regular os ritmos circadianos e contribui para estabelecer padrões regulares de sono.

Para a instalação em si, maximizar a luz do dia em relação à iluminação artificial também pode criar um edifício mais eficiente com custos operacionais ao longo do tempo.

Dica 2. Sustentabilidade

Os conceitos verdes são fatores cada vez mais importantes na criação de acessibilidade para idosos em residências e lares de repouso. A melhoria da qualidade do interna de circulação de ar, isolamento acústico, economia de energia e água, redução de umidade, vistas da natureza, estão sendo levadas em consideração.

Dica 3.Pisos amigáveis

Superfícies escorregadias não são o único perigo, embora sejam os mais óbvios. Todos os pisos devem ser antiderrapantes, por exemplo, adicionando tapetes antiderrapantes. Travessias são tão perigosas quanto escorregões, portanto, elimine pontos de tropeço sempre que possível.

Dica 3. Melhorar o banho

A maioria das pessoas pensa nas barras de apoio do chuveiro como uma forma de tornar o banho mais seguro. Existem outras maneiras de ajudar a garantir a segurança no banho, como ter um box amplo, controle de ducha com uma única alça, controle de pressão balanceada, etc.

Dica 4. Escadas seguras

acessibilidade para idosos

A acessibilidade para idosos que vivem em casas com mais de um andar, os corrimãos são obrigatórios, em ambos os lados da escada, se possível. Certifique-se de que toda a escada esteja bem iluminada de cima para baixo. Passos claramente definidos que mostram onde está a borda da banda de rodagem podem ajudar a prevenir quedas.

Dica 5. Otimizando espaço

Em qualquer empreendimento, cada metro quadrado conta e isso é especialmente verdadeiro em lares de repouso e instalações com acessibilidade para idosos. Um espaço aberto deve ser alocado para equipamentos médicos e permitir a liberdade de movimento de residentes e cuidadores. Obter esse equilíbrio certo requer planejamento no projeto arquitetônico e escolha inteligente de materiais.

Opções disponíveis no mercado são o uso de divisórias de vidro emparelhadas com filme, tecnologias de vidro inteligente, filmes PDLC — soluções modernas para um ambiente mais saudável, que oferecem privacidade e transparência ao mesmo tempo, são mais sustentáveis ​​e dinâmicas.

Lembre-se: a maneira como construímos e projetamos residências de acessibilidade para idosos pode ter um impacto significativo na qualidade de vida de milhares de nossos entes queridos. 

Dica 6. Audite seu prédio

Peça a um especialista em acessibilidade para idosos para  auditar a área de entrada do prédio a cada 3 anos, ou mais regularmente, se necessário. Um bom especialista em acessibilidade frequentemente será capaz de sugerir soluções acessíveis. Assim que possível, após a auditoria, desenvolva um plano de implementação para abordar cada questão identificada no relatório, de acordo com as prioridades das questões.

Dica 7. Qualidade do ar

O ar é um dos principais problemas dentro do projeto de construção, agregando a isso, outras patologias vinculadas à umidade. São causas típicas de danos à saúde, problemas respiratórios. O ambiente interno deve ser sempre impermeabilizado em razão da umidade que pode se manifestar de diversas formas. 

São elementos muito importantes que devem ser implementados no projeto para a execução da obra. A prevenção dessas patologias, se for desprezada por medidas de contenção de gastos, pode acarretar problemas no futuro, como insalubridade, manchas, bolores e doenças respiratórias. 

Dica 8. Pense na acessibilidade para idosos fora do prédio

Certifique-se de que as vagas de estacionamento para pessoas com deficiência e de idosos sejam respeitadas. A superfície e a iluminação ao redor do prédio ou da casa, bem como a porta de entrada principal esteja corretamente desenhada, e que pelo menos uma entrada seja fácil caso a entrada principal não estiver acessível.

Se qualquer área externa tiver declives muito íngremes, certifique-se de que os degraus e as rampas estejam disponíveis e que sejam projetadas corretamente. Assim, evite colocar degraus na entrada de um edifício, sempre que possível. Onde forem necessárias, então forneça uma rampa ou plataforma elevatória conforme apropriado.

Mantenha os elevadores desimpedidos, verifique se corredores não são obstruídos por espaços de entregas, máquinas ou qualquer outra coisa. Deixe as portas mantidas abertas sempre que possível. Os prédios devem ter placas para permitir que seus usuários saibam para onde precisam ir. Os sinais devem ser projetados de acordo com as diretrizes de melhores práticas, com textos grandes o suficiente para que sejam legíveis.

Se você fornece banheiros para o público idoso, tenha banheiros que os usuários também com deficiência, possam usar. Forneça um sistema de alarme em seus banheiros de acessibilidade para idosos e teste-o regularmente.

Planeje cuidadosamente a localização, a saída e a luminosidade externa, que deve ser distribuída uniformemente. Evite acabamentos de superfície lustrosos, brilhantes e polidos, reduza os reflexos. Para isto, use diferenças de cor e intensidade para criar contrastes visuais. Isso ajudará os usuários que tenham deficiência visual a distinguir entre paredes e pisos, fundos de portas e acessórios.

O design universal da acessibilidade para idosos não é, como alguns pensam, estritamente só para idosos ou deficientes. O conceito de design universal é tornar os espaços de vida e trabalho igualmente confortáveis, seguros e acessíveis para todos, independentemente da idade ou capacidade física. Essas ideias podem ajudar a tornar uma casa mais segura para um residente mais velho, e são muito inteligentes para proprietários de todas as idades.

Dica 9. Tecnologia de isolamento térmico

Por exemplo, a tecnologia 3TC faz uso de isolamento térmico (pioneira no Brasil), que garante maior durabilidade por causa da sua composição de EPS anti-chamas e de películas refletivas que não conduzem eletricidade.

Com isso, é possível ser instalado no meio de pisos, paredes, tetos (incluindo telhas e telhados de todos os tipos), ou como manta térmica, em contêineres, veículos e até em dutos de ar-condicionado. Seja para o frio ou para o calor, o isolamento térmico é muito importante para os idosos, pois são tecnologias capazes de controlar todas as transferência de calor, diferente dos isolantes convencionais

Lembre-se: a tecnologia 3TC de isolamento forma soluções ideais para um ótimo desempenho no seu projeto, tal como a eficiência térmica (conforto no calor e no frio), durabilidade (não se danifica com facilidade), e sua segurança.

 

O 3TC® atende a todas as demandas exigidas no mercado de construção civil, o que garante inúmeras vantagens tecnológicas e de inovação no mercado atual brasileiro.

Quer saber mais sobre como podemos melhorar a qualidade de vida de residentes para idosos? Fale conosco hoje e conheça nossos produtos 3TC!