Os impactos do aquecimento global na saúde são sérios e muitas vezes irremediáveis. Desde a metade do século XX, o planeta tem experimentado constantes e devastadoras ondas de calor, resultado das mudanças climáticas causadas pela interferência do homem na natureza e pela emissão de gases de efeito estufa.

Até pequenas elevações na temperatura podem causar sérios danos a saúde. Um aquecimento de 1,5 °C, por exemplo, pode fazer com que o verão se prolongue por muitos dias, causando problemas como a perda da produção agrícola e problemas de saúde da população em geral.

A seguir explicaremos melhor os impactos do aquecimento global na saúde. Acompanhe!

O que é aquecimento global?

Como o nome sugere, aquecimento global é a elevação da temperatura média da atmosfera e das águas oceânicas. É causado pela concentração de gases de efeito estufa na atmosfera, que impede que o calor se dissipe da superfície terrestre, fazendo com que a temperatura da Terra aumente.

O efeito estufa é um processo natural que permite que a Terra seja um planeta habitável. No entanto, o aumento das emissões de gases poluentes, a queima das florestas nativas e a industrialização aceleraram o processo, resultando no aquecimento acelerado do planeta.

O aquecimento global é, portanto, um processo de intensificação do efeito estufa que impede que os raios provenientes do sol consigam retornar para a atmosfera e ao ficarem “presos” na Terra, aumentam a temperatura do planeta.

Os gases que causam o efeito estufa são chamados de Gases de Efeito Estufa – GEE. Os principais são o CO₂, CH₄, N₂O, O₃, halocarbonos e o vapor d’água.

Quais são os impactos do aquecimento global na saúde?

A combinação da urbanização descontrolada com as mudanças climáticas intensificam os efeitos do calor nas maiores cidades do mundo. Esse estresse térmico causa sérios problemas no organismo, aumentando o risco de doenças respiratórias, renais e cardiovasculares.

Trabalhadores que realizam atividades ao ar livre, por exemplo, se tornam menos produtivos quando expostos às temperaturas extremas. Além disso, o estresse térmico, o esforço físico e a desidratação podem causar danos renais, nesse caso o órgão passa a trabalhar de forma mais lenta.

Caso os danos se agravem, o quadro pode evoluir para nefropatia mesoamericana, doença associada ao estresse térmico (HSN). Danos renais afetam, principalmente, os trabalhadores expostos às altas temperaturas, como os que trabalham em usinas ou fornos industriais, e as populações pobres, que moram em casas com pouca ou nenhuma ventilação.

Assim, sempre que possível esses profissionais devem descansar em áreas sombreadas para recuperar do calor por algum tempo.

Comunidades com poucos recursos e sem acesso a aparelhos de ar-condicionado ou ventiladores são as mais afetadas pelos impactos do aquecimento global na saúde. Principalmente, dado que terão grande dificuldade de escapar do calor nos dias mais quentes do ano.

O que acontecerá se o aquecimento global chegar a 1,5 ºC?

Os impactos do aquecimento global na saúde podem ser sentidos a partir de temperaturas acima de 1,5 °C.

Em 2015, uma onda de calor decorrente do aumento de temperatura de 1,5 ºC matou 300 pessoas no sul do Paquistão. Caso essa alteração climática se prolongue, a região poderá sofrer danos como esse a cada três anos.

A África também sofrer com impactos do aquecimento global na saúde. Algumas cidades sofrem com temperaturas 5 ºC acima da média por dois a três dias. Em um mundo com temperaturas 1,5% mais altas que a temperatura média, essa situação pode ocorrer com uma frequência cada vez maior.

Esse aquecimento também afetará diretamente a vida nas grandes cidades. Muitos moradores poderão adoecer severamente devido ao estresse térmico. Isso significa que mais de 350 milhões de pessoas podem desenvolver doenças crônicas como alergias, asma e doenças pulmonares.

Isso ocorre porque a elevação da temperatura atmosférica pode aumentar a quantidade de esporos, pólen e substâncias químicas no ar, o que pode irritar e danificar as vias aéreas.

O que acontecerá se o aquecimento global chegar a 2 °C?

Como você se lembra, a onda de calor que atingiu a Europa no verão mais de 35.000 pessoas – os idosos e as crianças foram as mais afetados. Esse fato é um dos maiores impactos do aquecimento global na saúde.

Além dos impactos do aquecimento global na saúde dos moradores dessa região, as ondas de calor podem provocar incêndios florestais graves e perdas na colheita de vários produtos, o que impacta toda a sociedade. 

Caso a temperatura se mantenham 2 °C acima da média, os países tropicais podem sofrer com ondas de calor durante metade dos meses de verão enquanto os países da Europa Ocidental poderão ser afetados por, pelo menos, dois meses.

No Oriente Médio e no Norte da África, as temperaturas podem atingir 46 ºC nos dias mais quentes do ano, causando sérios danos ambientais como a desertificação de extensas áreas desses continentes.

Nesse cenário, grande parte da população mundial ficará exposta a doenças cardiovasculares e a acidentes vasculares cerebrais (AVC). De fato, o estresse causado pelas temperaturas extremas e a baixa qualidade do ar podem sobrecarregar o organismo. A hidratação inadequada também pode contribuir para esse quadro.

E se o aquecimento global chegar a 3 °C?

Caso a temperatura da Terra suba 3 °C, as cidades africanas sofreriam ondas de calor frequentes e devastadoras. Nesse cenário as secas se tornariam cada vez mais frequentes em diversos países europeus, causando perdas nas lavouras, o empobrecimento e o adoecimento da população.

Entenda os impactos do aquecimento global na saúde

Foto: infoescola.com

Quais são os impactos da poluição do ar na saúde?

A poluição causada pela queima de combustíveis fósseis causa severos danos à saúde, aumentado os casos de doenças pulmonares e cardiovasculares entre a população.

Esse problema é potencializado pelos gases de efeito estufa que podem piorar os efeitos da poluição do ar, problema que se mostra particularmente preocupante nos grandes centros urbanos.

O que acontecerá se o aquecimento chegar a 1,5 °C?

Caso a Terra experimente temperaturas 1,5 ºC mais altas durante o verão, espera-se que, aproximadamente, 1,7 milhões de pessoas morram devido a problemas relacionados ao ozônio.

O que acontecerá se o aquecimento chegar a 2,0 °C?

O número de mortes e doentes deve aumentar exponencialmente em comparação com o cenário de aquecimento limitado a 1,5 ºC.

Quais os impactos do aquecimento global na produção de alimentos?

A produção de alimentos depende de condições ambientais favoráveis. Isso quer dizer, que os impactos do aquecimento global na saúde também são afetados pela segurança alimentar já que a disponibilidade de alimentos poderá diminuir a medida que a temperatura da Terra aumentar.

De fato, para cada grau de aumento de temperatura a produção de grãos diminui em mais de 6%. Assim como a qualidade do solo, mudanças climáticas afetam diretamente a produção e o valor nutricional dos alimentos, causando o aumento da fome em todos os continentes.

Esse pode ser o maior impacto das mudanças climáticas sobre a saúde da população mundial. Além disso, um mundo mais quente pode fazer com que o número de insetos aumente, causando mais perdas nas lavouras e favorecer o crescimento de outras pragas nocivas à agricultura.

O aquecimento global pode favorecer a propagação de micróbios causadores de doenças, como o vibrião que contamina os alimentos. Caso isso ocorra, será preciso verificar as regras de segurança alimentar e observar se as normas sanitárias então sendo cumpridas.

Vale lembrar que lavar as mãos com frequência, limpar os utensílios de cozinha e cozinhar adequadamente os alimentos é fundamental para evitar contaminação.

O que acontecerá se o aquecimento chegar a 1,5 °C?

O aquecimento  afeta diretamente a safra de grãos – cada grau de aumento da temperatura reduz a produtividade global desses alimentos em até 6%. Alguns países são mais afetados que outros – na África, por exemplo, a produção de trigo pode cair pela metade caso a temperatura suba 1,5 °C.

A pesca também pode ser afetada já que o aumento da temperatura dos oceanos, a acidificação e a morte dos recifes de coral pode causar a morte de diversas espécies marinhas.

O que acontecerá se o aquecimento chegar a 2,0 °C?

Nesse cenário, os danos à agricultura poderão ser ainda mais devastadores em comparação ao aquecimento de 1,5 °C, levando milhões de pessoas a morte por desnutrição.

Em Bangladesh, por exemplo, a população mais pobre deve ser uma das mais afetadas pela redução dos peixes que vivem nos rios e lagos e pela redução da produção agrícola. Os habitantes que vivem ao longo das bacias hidrográficas asiáticas também sofrerão com a falta de peixes na região e com a redução da capacidade produtiva dos solos.

O aumento de 2ºC na temperatura pode arruinar a colheita de grãos em vários países, colocando uma grande parcela da população em risco alimentar.

E se o aquecimento chegar a 3.0 °C?

Nesse cenário, todas as regiões agrícolas do planeta poderão sofrer impactos negativos e a produção de grãos caíra drasticamente até mesmo nos países da Europa e da América do Norte. Várias espécies aquáticas poderão ser extintas e a proliferação de pragas poderá ficar fora de controle.

Entenda os impactos do aquecimento global na saúde

Foto: juntospelaagua.com

Quais os impactos do aquecimento global na segurança hídrica?

Grande parte da população mundial pode sofrer com o desabastecimento hídrico devido ao aquecimento global. Além disso, extensas áreas do planeta podem sofrer inundações e ter suas fontes de água doce contaminadas devido a salinização do solo e elevação do nível do mar.

Entre os impactos do aquecimento global na saúde vale ainda destacar que 80% da população mundial já enfrenta problemas relacionados a indisponibilidade de água e a poluição dos mananciais.

De fato, o aquecimento global afeta negativamente a disponibilidade da água, alterando o ciclo hidrológico e derretendo as geleiras, o que impacta na elevação dos oceanos e na poluição da água doce. Índia, Oriente Médio e o extremo norte do planeta têm sofrido uma significativa perda de água doce.

Os impactos do aquecimento global na saúde são intensificados em decorrência do desbastecimento de alimentos naturaus saudáveis como frutas e verduras.

A alteração climática também pode elevar o uso de pesticidas na agricultura, contaminando os alimentos com toxinas e metais pesados. O aquecimento global também pode favorecer a proliferação de algas tóxicas que podem matar diversas espécies aquáticas como peixes e crustáceos e contaminar a água potável.

O que acontecerá se o aquecimento chegar a 2,0 °C?

Os  impactos do aquecimento global na saúde se refletirão em problemas renais e respiratórios causados pela escassez de água. Caso as temperaturas aumentem em 2 ºC, a Europa sofrerá com tempestades frequentes em todas as estações do ano. Somente o sul do continente terá algum alívio durante o verão.

A quantidade de chuva será 20% maior na América do Norte e na América Central, o que pode causar grandes estragos. No entanto, 8% da população mundial sofrerá com a escassez de água.

Outros problemas são causados pela diminuição do ozônio na atmosfera já que dessa maneira uma grande quantidade de raios ultravioleta incide na superfície da Terra, o que pode resultar no aumento de doenças como câncer de pele. Além disso, a radiação pode aumentar a incidência de catarata entre a população idosa.

E se o aquecimento chegar a 3°C?

Os impactos do aquecimento global na saúde serão ainda maiores caso a temperatura suba 3 ºC ou mais. Nessas condições, as águas subterrâneas poderão secar, desabastecendo países como Inglaterra, Estados Unidos e Austrália.

A situação seria mais grave na Austrália e na Inglaterra – no primeiro país, um aumento de temperatura de 3 ºC reduziria as águas subterrâneas pela metade até 2050. No mesmo período, as reservas hídricas da Inglaterra cairiam 22% em relação aos níveis pré-industriais.

Além disso, 50% das geleiras da Ásia que respondem pelo abastecimento hídrico de grande parte do continente desapareceriam, colocando a população em risco. O número de pessoas que pode sofrer com a escassez de água nos próximos anos pode aumentar em 11% até o final do século.

Quais os impactos do aquecimento sobre as doenças transmitidas por vetores?

Entre os impactos do aquecimento global na saúde a proliferação de doenças é um dos mais preocupantes.

Mudanças bruscas de temperatura e as chuvas torrenciais podem modificar os padrões de doenças fazendo com que algumas regiões passem a enfrentar o aumento de certas doenças. Em contrapartida, algumas localidades podem vivenciar a redução de determinadas doenças.

De fato, vetores de doenças como carrapatos e pernilongos podem ser afetados pelas mudanças climáticas. Mortes causadas por esses animais são quase 300 vezes maior em países tropicais do que nos de clima temperado.

No entanto, entre os impactos do aquecimento global na saúde podemos citar o aumento de doenças típicas dos países mais quentes como a malária e a dengue se alastrarem para outros países. Esse risco pode aumentar em cerca de 4% a cada ano.

O aquecimento global também pode afetar a saúde mental da população. De fato, eventos inundações e incêndios causados pelo calor excessivo como os que ocorreram na Flórida nos últimos anos estão associados ao aumenta da ansiedade, depressão e transtornos pós-traumáticos. A perda causada por desastres naturais podem levar ainda a comportamentos agressivos e a dependência química.

Muitas pessoas desenvolvem ainda o transtorno conhecido como “eco-ansiedade” que pode ser descrito como o medo crescente do que pode ocorrer acontecer caso os impactos do aquecimento global na saúde não seja levado a sério. As pessoas mais jovens são as mais afetadas e, geralmente, apresentam sintomas como ansiedade, depressão e síndrome do pânico.

Como reduzir os impactos do aquecimento global na saúde?

Para tentar reduzir os impactos do aquecimento global na saúde os países firmaram o chamado Acordo de Paris, se comprometendo a reduzir a emissão de gases de efeito estufa e tomar outras medidas capazes de reduzir a temperatura em 2 ºC.

Limitar o aquecimento a 1,5 ºC pode beneficiar toda a humanidade, evitando que doenças causadas por vetores como a dengue mate uma grande parcela da população mundial. Além disso, o número de pessoas em risco de contrair matéria seria reduzido em pelos menos 150 milhões.

Se os gases de efeito estufa deixarem de ser emitidos haverá a diminuição da poluição atmosférica e as mudanças climáticas ocorrerão em ritmo mais lento. Esse benefício garantiria a integridade das áreas agricolas e das fontes de água potável em diversos países.

Limitar o aumento da temperatura global a 1,5 ºC pode evitar 153 milhões de mortes prematuras nos próximos anos devido a problemas causados pela poluição atmosférica e ao desabastecimento de água.

Como o 3TC auda a reduzir os impactos do aquecimento global na saúde?

Para diminuir os impactos do aquecimento global na saúde é possível contar com o 3TC, tecnologia capaz de reduzir a temperatura no interior das construções garantindo o bem-estar e o conforto dos moradores.

Além disso, o produto reduz o consumo de ar-condicionado e aquecedores de ar, o que se reflete em contas de energia mais baratas.

Como você sabe, um ambiente perde calor de três formas: pela condução, que ocorre entre diferentes materias e fluidos, por convecção, que é a transferência térmica entre dois meios gasosos ou líquidos e pela radiação, que dissipa o calor entre diferentes superfícies.

Os isolamentos térmicos tradicionais, como a manta térmica, lidam apenas com a perda de calor por condução. No entanto, somente 10% do calor do ambiente se perde dessa maneira, os outros 90% não encontra barreira e se perde facilmente fazendo com o ambiente se torne quente demais no verão e frio demais no inverno.

Já o 3TC Isolamento é uma solução completa que inova por lidar com as três (3) formas de transferência (T) de calor (C). Fabricado com poliestireno expandido (EPS), material utilizado no isolamento de construções e veículos, e um polímero refletivo de baixa densidade o material eliminada 97% da perda de calor.

A capacidade de isolamento tornam o 3TC um produto de alta performance, ideal para atender a todas as demandas do setor agroecológico e da construção civil. Pode ser usado para adaptar ônibus e kombis para o transporte das mais diversas mercadorias.

Vale ressalta ainda que o 3TC é fácil de ser transportado já que muito mais leve que os isolamentos tradicionais, reduzindo assim o custo com transporte para o cliente final.

Gostou do conteúdo? Agora que você já sabe quais são os impactos do aquecimento global na saúde, veja aqui os segmentos de atuação da tecnologia 3TC e veja os benefícios do 3TC para seu projeto! 

A utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil é de fundamental importância para o crescimento sustentável do setor que consome um volume exagerado de matéria-prima e de energia na produção de seus produtos.

Algumas áreas, no entanto, já se destacam na reciclagem de resíduos. A indústria cerâmica, por exemplo, recicla grandes quantidades de resíduos industriais e urbanos. Isso é facilitado pela produção em larga escala que consome uma quantidade expressiva de rejeitos.

Utilização de resíduos industriais para cimento e argila na indústria cerâmica

Curtume e resíduos sólidos galvânicos

As características mecânicas dos produtos cerâmicos utilizados na construção civil, como o tijolo e os pisos, e as condições únicas de processamento permite que essa indústria recicle volumes consideráveis de resíduos urbanos.

Essa opção garante inúmeros benefícios como a economia de matéria-prima, a redução do consumo de energia e a melhoria da pegada ecológica dos produtos fabricados. Um estudo de 1997, citado no artigo: utilização de resíduos industriais para a produção de artefatos cimentícios e argilosos empregados na construção civil verificou que a adição de resíduos de curtumes na fabricação de tijolos tornou o produto mais resistente e durável.

Outro estudo do mesmo artigo focou na incorporação de resíduos sólidos galvânicos em massas de cerâmica vermelha. Observou-se que a adição de até 2% do resíduo na massa não causou alterações no produto final. Porcentagens maiores, causaram eflorescência da superfície. No entanto, o problema pode ser facilmente solucionado após a lavagem do produto.

Essa eflorescência, no entanto, não interfere nas características físico-químicas do produto, o que significa que os metais presentes nos tijolos permanecerão inertes. Os resultados mostraram, portanto, que a incorporação do resíduo galvânico na massa de cerâmica vermelha estrutural é uma boa alternativa para a inertização dos metais pesados ali presentes.

Um artigo científico publicado em 2002 sobre a utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil verificou que a incorporação de até 10% de dos resíduos de curtumes não alteram as características do material no que diz respeito a absorção de água, retração, lixiviação e emissões gasosas durante a queima.

Utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil

Lodo gerado em estações de tratamento de esgoto

Um estudo de 2003, estudou a utilização de lodo gerado em estação de tratamento de esgoto na fabricação de tijolos.

Nesse caso, a utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil utilizou duas matérias-primas: o primeiro lodo foi coletado em um sistema de filtragem tradicional ativado e condicionado com cal e cloreto férrico. O segundo, oriundo de um reator anaeróbio de secagem rápida e sem tratamento químico.

Os lodos foram misturados a massa cerâmica e o produto final não apresentou alterações significativas quanto a absorção de água e resistência à compressão. O estudo concluiu, portanto, que a utilização de resíduos industriais para cimento e argila permite a fabricação de produtos cerâmicos cuja qualidade final não é alterada.

Já o lodo proveniente da indústria têxtil deve ser tratado antes de ser acrescentado a massa cerâmica. Nesse caso, é preciso observar a proporção máxima de 5% para não alterar as propriedades do produto.

Borra de fosfato

A utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil também focar no reaproveitamento da borra de fosfato, derivado de indústrias que pintam superfícies metálicas com produtos químicos.

Nesse caso, até 20% de resíduo deve ser misturado a argila – o produto final mantem a qualidade estabelecida pela norma NBR 7171/92 quanto as suas características físico-químicas.

Já a incorporação de resíduo oleoso inerte proveniente do setor petrolífero na cerâmica argilosa permitiu obter um produto de qualidade superior, mais denso e que absorve menor quantidade de água.

CuSO4

O material pode ser incorporado a argamassa na construção de escolas e outros prédios comunitários. Ao incorporar 0,5%, verificou-se uma boa resistência e porosidade. Essa proporção equivale a adicionar 5 kg de CuSO4 em cada tonelada de massa.

Tal proporção deve ser usada para preparo de objetos não estruturais, como calçadas e outros acabamentos. Segundo o estudo, a taxa de lixiviação do resíduo incorporado foi desprezível em relação ao cobre que se desejava imobilizar.

Tendências da construção civil

A utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil é uma tendência que veio para ficar. Como a responsabilidade de descarte dos insumos é das empresas, o setor apoia soluções capazes de evitar que esses resíduos sejam descartados de forma incorreta, poluindo o solo, a água e o ar.

Por outro lado, reúso e a reciclagem de resíduos têm grande potencial de crescimento, principalmente nos países em desenvolvimento que precisam reduzir custos produtivos.

O setor da construção civil, sendo um grande consumidor de recursos naturais, representa uma boa alternativa para a eliminação de resíduos que podem ser facilmente incorporados em materiais cerâmicos e cimentícios, promovendo o desenvolvimento sustentável.

No entanto, é de extrema importância considerar como os produtos reciclados afetarão o meio ambiente, os trabalhadores da construção civil e os processos produtivos.

3TC

Assim como a utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil, o 3TC pode ser apontado como uma tendência do setor. O produto é inspirado nos trajes dos astronautas e garante o conforto térmico de galpões, estufas, casas, apartamentos e outras construções, reduzindo o consumo de energia e garantindo contas mais baratas.

O 3TC controla as três formas de transferência térmica, a radiação, a convecção e a condução, ao contrário dos produtos mais tradicionais, como a manta térmica, que lidam apenas com a condução, o que corresponde a 10% da perda de calor de uma construção.

Assim, o isolamento mantém a construção em uma condição climática perfeita durante todo o ano.  Além disso, o revestimento elimina os ruídos externos, o que aumenta o bem-estar dos moradores.

Agora você que já sabe mais sobre a utilização de resíduos industriais para cimento e argila na construção civil, aproveite para conhecer a página da 3TC e tire todas as suas dúvidas sobre o assunto! Aproveite também e confira nosso vídeo “Instalação Manta Térmica 3TC Isolamento – Melhor e mais barata que Telha Sanduíche!”

Ter eficiência energética é uma das maneiras mais rápidas e econômicas de não ter prejuízos, aumentar a sustentabilidade e reduzir a crescente demanda de energia. Continue lendo!

O que é eficiência energética?

Eficiência energética significa simplesmente usar menos energia para realizar a mesma tarefa – ou seja, eliminar o desperdício de energia. A eficiência energética traz uma variedade de benefícios:

  • redução das emissões de gases de efeito estufa;
  • redução da demanda de energia
  • redução de nossos custos domésticos e em edifícios.

Embora as tecnologias de energia renovável também ajudem a atingir esses objetivos, melhorar a eficiência energética é a maneira mais barata – e frequentemente a mais imediata.

Os muitos benefícios da eficiência energética incluem os seguintes tópicos.

Ambiental

O aumento da eficiência energética pode reduzir as emissões de gases de efeito estufa (GEE) e outros poluentes, bem como diminuir o uso de água.

Econômico

Melhorar a eficiência energética pode reduzir as contas, estabilizar os preços e a volatilidade da eletricidade.

Gerenciamento de risco

A eficiência energética também ajuda a diversificar os portfólios de recursos e pode ser uma proteção contra a incerteza associada aos preços flutuantes.

Por exemplo, se você substituir suas lâmpadas incandescentes por lâmpadas LED, reduzirá a quantidade de eletricidade usada para iluminar sua casa em 75%. As lâmpadas LED também oferecem benefícios ambientais na redução das emissões de mercúrio, combatendo uma preocupação crescente.

Como adquirir mais eficiência energética?

Há diversas maneiras de obter esse benefício. Veremos como é possível aplicar a eficiência energética, na prática.

Edifícios de energia zero

Os projetistas de edifícios estão procurando otimizar a eficiência da construção e incorporar tecnologias de energia renovável, levando à criação de edifícios de energia zero. Mas, alterações em edifícios existentes também podem ser feitas para reduzir o uso de energia e os custos.

Isso pode incluir pequenos passos, como escolher lâmpadas LED, preferir aparelhos com eficiência energética e buscar aplicar isolamento térmico.

Geração e Distribuição de Energia

Os sistemas combinados de calor e energia capturam o calor “residual” e o utilizam para fornecer aquecimento, resfriamento e/ou água quente para edifícios e residências próximas.

Controles de iluminação

A iluminação pode consumir muita energia, especialmente em edifícios comerciais. Na verdade, a iluminação é responsável por 30% do consumo de energia no país. Mas, a boa notícia é que também é um dos mais fáceis e baratos de substituir.

Quando uma pessoa está em casa, é fácil lembrar de desligar as luzes quando não estiver em uso. Em um ambiente comercial, onde mais pessoas estão presentes, torna-se mais difícil implementar esse hábito. Isso pode levar a um grande desperdício de energia, especialmente quando a iluminação é mantida desnecessariamente.

eficiência energética

Imagem: Pinterest

Uma maneira de resolver esse problema é instalar sistemas de controle de iluminação. Os controles básicos de iluminação são interruptores manuais para ligar e desligar, como sensores de movimento e de ocupação ou por temporizador.

O equívoco comum é que a instalação de controles de iluminação pode ser muito cara, no entanto, a tecnologia avançada tornou-o acessível até mesmo para residências.

Trocar a iluminação para LED

Mudar para iluminação LED é uma maneira de economizar energia instantaneamente e tornar a edificação mais eficiente. Em geral, consomem 70 a 90% menos energia do que uma lâmpada incandescente. Além disso, têm longa vida útil que pode durar de 50.000 a 100.000 horas.

Embora o custo de uma lâmpada LED seja mais caro do que o de uma lâmpada incandescente, os preços estão caindo à medida que mais pessoas estão fazendo a troca.

É importante planejar o projeto de iluminação em todo o edifício para garantir que todas as luzes sejam usadas em sua capacidade ideal.

Ventilação e ar condicionado

A ventilação e o ar condicionado também contribuem amplamente para o aumento de consumo de energia de uma propriedade comercial e residencial. Mas, na ventilação de ar natural, o sistema capta o ar do prédio e mistura o ar fresco de fora, sem alterar a temperatura do ar. O objetivo é refrescar e remover os elementos nocivos do ar, trazendo ar fresco para dentro.

O ar condicionado, por outro lado, circula o ar ao redor do edifício e altera sua temperatura. Isso pode aquecer ou resfriar o ar, dependendo da temperatura desejada. Ambos são importantes em qualquer espaço para garantir que as pessoas estejam confortáveis.

Existem várias maneiras de melhorar a eficiência energética dos sistemas de ventilação e ar condicionado como selecionar motores e ventiladores de maior eficiência, utilizar acionadores de velocidade para variar a saída do sistema de ar, entre outros.

Geração de eletricidade própria

Quando as empresas podem produzir sua própria eletricidade, isso reduz suas contas de luz, protege-as de cortes repentinos de energia, escassez e aumento de preços. E mais!  O uso de energia renovável é mais benéfico para o meio ambiente.

Alguns exemplos de fontes de energia renováveis que é possível explorar incluem energia solar, eólica, geotérmica, bioenergia, hidrelétrica, hidrogênio e oceânica. No entanto, duas das fontes mais acessíveis são a energia solar e eólica.

Para obter energia solar a instalação de painéis é uma escolha popular para a maioria dos edifícios comerciais e residenciais. É uma energia limpa e renovável que não emite gases e pode reduzir significativamente as contas

Para edifícios comerciais em cidades e áreas populosas, a melhor opção ainda é a energia solar. No entanto, se a propriedade está localizada em uma área mais rural, onde outras fontes de energia renováveis ​​podem funcionar.

Caldeiras com eficiência energética

As caldeiras são usadas para gerar calor e água quente para propriedades domésticas e comerciais. Eles também são conhecidos por consumir muito mais energia do que qualquer outro aparelho.

Aquecimento por piso 

O aquecimento por piso é um método de aquecimento central em que o calor do piso é irradiado para a divisão. Até o uso de pisos revestidos com materiais específicos são ideais para garantir o aquecimento (ou resfriamento) interno.

A 3TC é notória neste sentido, já que utiliza das normas adequadas de desempenho como a NBR 15575-5, que é para nivelar o desempenho da construção e, neste caso, incluindo os sistemas de piso.

Usar a tecnologia 3TC

Tudo o que vimos acima são destaques que podem ser usados na construção para garantir a eficiência energética.

A preocupação da 3TC se deve às boas práticas do uso de energia, de forma sustentável, tecnológica e que possa ser revertido em economia.

O 3TC é uma tecnologia baseada no isolamento térmico e acústico conhecida por sua alta performance – o que faz toda a diferença no controle, como barreira para ambos. Com tecnologia inovadora, até utilizada pela NASA, o 3TC serve para diversas aplicações, como prédios (comerciais e industriais), residências, containers, subcoberturas, entre outras.

Com a minimização do calor, a tecnologia 3TC favorece a adequação a todas as normas relacionadas ao conforto térmico, eficiência energética, e principalmente como uma alternativa para o meio ambiente e segurança humana.

Isolamento térmico de edifícios e residências

O isolamento térmico é outro meio de manter o edifício o mais hermético possível. Isso significa que o isolamento atua como uma barreira à perda e ao ganho de calor. Residências que não são isoladas podem superaquecer durante os meses de verão e, durante o inverno, pode ser mais difícil manter uma temperatura confortável.

Isso consome mais energia, pois a demanda de sistemas de aquecimento ou resfriamento é muito maior. A falta ou o isolamento ineficiente podem resultar em contas de energia mais altas.

Assim, ao realizar um isolamento de parede, uma inspeção e pesquisa completas são recomendadas para determinar o tipo de material de isolamento mais adequado. A pesquisa também ajudará a determinar o custo e o cronograma de instalação.

Um edifício comercial com um telhado plano que não está devidamente isolado pode potencialmente perder cerca de 25% do seu calor através do telhado. Se uma casa está tendo o mesmo problema, aplicar o isolamento é uma ótima ideia para evitar a perda de grandes quantidades de calor.

Otimizando janelas

Outro método para reduzir a perda de calor é proteger aberturas, como janelas e portas externas. Uma casa média, por exemplo, perde 40% de seu calor através de janelas e portas. Para propriedades comerciais, essa taxa pode ser maior se as aberturas externas não forem isoladas.

Um método amplamente utilizado para evitar a fuga de calor é pôr janelas de vidros duplos.

Em um mundo ideal, cada edificação possui o tempo e os recursos necessários para construir ou reformar um prédio para ser mais eficiente em termos de energia. No entanto, nem sempre é esse o caso.

E você, como está amenizando a temperatura e lidando com a eficiência energética? Leia também Manta térmica: como funciona a subcobertura para telhados?

Hoje, o conceito de eficiência energética em armazéns está comumente relacionado com integração, equilíbrio e gestão de transporte, armazenamento e toda uma logística econômica, ambiental e social. Confira neste artigo a sua importância nas operações em armazéns com ajuda tecnológica.

O conceito de armazém verde

O armazém verde sustentável pode ser definido como um cluster de soluções tecnológicas e organizacionais concebidas para a eficiência energética em armazéns, nos seus processos, e que deve possuir elevados padrões para minimizar o efeito na natureza.

No entanto, as empresas estão cientes que é difícil obter esses serviços de eficiência energética em armazéns, na distribuição eficaz e logística de terceiros, bem como no abastecimento no atual ambiente de mercado.

Nesse contexto, as empresas que oferecem serviços de eficiência energética em armazéns, estão na vanguarda das vantagens competitivas, além de educarem seus clientes para as boas práticas de sustentabilidade.

Tecnologias como dos edifícios verdes, com sistemas de iluminação com sensores de movimento e tempo, equipamentos de movimentação automática, isolamento térmico, utilização de energia renovável, sistemas de ventilação natural, painéis solares, sistemas de tratamento de água, padrões ISO e filosofia 5S, tudo em um futuro próximo do agora.

Assim, entender como a eficiência econômica e operacional é importante para minimizar os danos ao meio ambiente e criar ambientes de trabalho e residência adequados, só pode ser possível através destes fatores.

Com a globalização e o crescendo rápido da tecnologia verde, ter trouxe uma configuração das  condições de construção em relação ao passado. Empresas como a 3TC, por exemplo, se adequaram a um mundo inovador, capaz de gerar conhecimento para outras áreas da construção, na questão da sustentabilidade e meio ambiente.

Dentro deste contexto, a produção de materiais, pensando na energia renovável e de uso eficiente, na construção verde, diminuição de barulho poluente, tecnologia para o armazenamento verde e  otimização  no  desperdício, são  práticas realizadas em nome do meio ambiente.

Por mais que a sustentabilidade é uma das últimas palavras da moda na indústria, a logística e esse conceito está começando a se enraizar firmemente nas mentes de empresários em todo o mundo. Isso diz respeito à logística da cadeia de suprimentos, da eficiência energética em armazéns, toda uma rede que pode ser melhorada em termos de otimização de custos ambientais.

A eficiência energética em armazéns

O armazém é um componente importante de cadeias de abastecimento sustentáveis ​​e eficientes. Independentemente de qual setor um depósito atende, as empresas que o utilizam farão bem em não ver o depósito simplesmente como um meio de armazenar matérias-primas e produtos acabados.

A fim de maximizar a eficiência energética em armazéns, na operação, os fabricantes experientes hoje empregam várias formas de reduzir as pegadas ambientais e sociais das instalações, de forma que melhorem os resultados financeiros de seus negócios.

E quando se trata de criar valor sustentável, existem várias práticas que a eficiência energética em armazéns pode ser implementada. Entre essas abordagens incluem a automação de soluções, por exemplo, de green warehouse e processos de gerenciamento.

eficiencia energetica em armazens

Aumentando a eficiência energética

Os armazéns consomem uma grande quantidade de energia em uma cadeia de abastecimento de logística regular. No entanto, as soluções de armazenamento automatizado podem ser responsáveis ​​por quantidades significativas de economia de energia, pois podem funcionar no escuro e em ambientes não aquecidos.

Este é um contraste gritante com o equipamento de armazém convencional, que possui altos níveis de consumo de energia e altos custos operacionais. Para operações do dia a dia em um armazém automatizado, é aconselhável instalar tecnologia de isolamento térmico e iluminação natural, já que as luzes geralmente são necessárias apenas durante as verificações de manutenção de rotina.

As tecnologias automatizadas, como elevadores, podem funcionar de forma independente sem supervisão, portanto, não é necessário atender a essas despesas.

Armazéns que integram práticas de armazenamento ecológico, como tecnologia de iluminação natural (claraboias, sensores de fotocélula, etc.) ajudam às empresas a economizar custos de energia no longo prazo. Outros métodos que podem ser usados ​​incluem:

  • a instalação de armazéns com painéis solares ou iluminação por emissor de luz (LED);
  • regeneração de energia pela conversão das forças de frenagem de equipamentos automatizados em eletricidade;
  • recuperação de calor gerado por sistemas de armazenamento refrigerado ou isolamento térmico.

Outros métodos incluem:

  • mudar para a ventilação natural em vez da ventilação elétrica;
  • ajustar a velocidade dos transportadores para que, quando não utilizados, o equipamento possa funcionar em um ritmo mais lento ou ser desligado.

Ao implementar medidas de eficiência energética em armazéns, mais de 20% da economia de custos pode ser alcançada. As empresas que adotam práticas de armazenamento ecológico podem, então, trabalhar no sentido de construir um negócio sustentável do ponto de vista financeiro e ambiental.

Também, o planejamento cuidadoso do layout do armazém não é apenas crucial para as empresas maximizarem a eficiência do fluxo de trabalho, mas também ajuda a garantir que o armazém possa integrar novas funções no futuro.

Ao construir o desenho de planta, as empresas precisam coletar dados operacionais sobre o rendimento real da instalação, informações sobre os requisitos da estrutura do armazém, como carregamento e nivelamento, dados de precisão sobre a planura do piso e até mesmo informações meteorológicas no que se refere ao possível impacto na durabilidade da estrutura do armazém.

Ao incorporar esses fatores ao design, as empresas podem alcançar a eficiência energética em armazéns e aumentar a produtividade.

Como a tecnologia 3TC ajuda a maximizar a eficiência energética

Como o setor de logística continua a evoluir, as abordagens destacadas acima podem ser empregadas pelas empresas para aumentar a eficiência energética em armazéns e ter efeitos positivos de suas atividades comerciais no meio ambiente. O conceito de green warehouse pode ser um ativo competitivo para as empresas alcançarem objetivos de sustentabilidade financeira e ambiental a longo prazo.

Assim, a nossa preocupação é com as práticas de armazém verde que economizam dinheiro nas operações, visando a redução do uso de energia. Tudo na cadeia de abastecimento requer energia para funcionar. Como resultado, o uso de tecnologia que economiza energia no depósito também estão economizando dinheiro em todas as operações no depósito.

Todas as estratégias acima requerem um investimento de tempo e dinheiro para criar um plano e executá-lo. No entanto, um plano de sustentabilidade cuidadosamente considerado fornece reduções de custos e melhorias de produtividade que oferecem um bom retorno sobre o investimento inicial em tempo e energia.

Muitas empresas que adotam estas práticas verdes descobrirão que oferecem esse cenário onde todos ganham, independentemente de tratar de outros resíduos de energia ou materiais.

Se você está interessado nessas mudanças revolucionárias, agora nunca foi um momento melhor para agir. A 3TC oferece muitas maneiras pelas quais os armazéns ecológicos estão renovando o setor diariamente.

Ficou interessado? Conheça as nossas soluções para o segmento. Ajudamos o seu armazém a atingir o máximo de eficiência energética e sustentabilidade.

Os ambientes fechados são vulneráveis a diferentes tipos de poluição. É importante conhecer quais são os principais deles e como evitá-los. Geralmente, são os mesmos tipos de poluição que também afetam os espaços abertos, como a visual, a atmosférica (do ar) e a sonora.

O Brasil, por ser um país tropical, tem épocas ensolaradas e outras chuvosas. Outra característica é a intensa umidade relativa do ar.

Ambientes fechados com muita umidade não são saudáveis, nem para a equipe, nem para a construção. Esse também é um tipo de poluição do ar muito comum em residências e em empresas. Neste artigo, vamos detalhar melhor esse assunto e mostrar como diminuir a umidade em ambientes fechados. Confira a seguir!

Os problemas causados pela umidade em ambientes fechados

Nos meses mais frios, a retenção da umidade é mais comum porque a temperatura cai e, em ambientes fechados, com pouca ou nenhuma ventilação, a umidade começa a causar problemas nas paredes e piso dos cômodos de uma edificação.

A umidade excessiva pode gerar sérias complicações à saúde, pois promove a proliferação de bactérias e de outros microrganismos nocivos. Umidade a 65% já favorece o desenvolvimento de algumas bactérias. Se ela alcança 80%, a quantidade de bactérias pode se multiplicar, alcançando 40 vezes mais!

Em geral, o recomendado é que a umidade relativa do ar permaneça em torno de 60%. Acima disso, começam a aparecer os efeitos, como odor intenso de “coisa velha”, mofo nas paredes e móveis, sintomas em pessoas idosas, crianças e demais pessoas que sofrem com algum problema de saúde, especialmente os respiratórios (asma, por exemplo).

Os motivos que provocam a umidade em ambientes fechados

É importante conhecer as formas de captura de umidade em ambientes fechados para compreender melhor alguns mecanismos de prevenção e combate ao problema. Existem 4 formas de captura, que vamos detalhar a seguir.

A umidade por intemperismo

Nesse caso, a umidade resulta da infiltração da água pluvial em rachaduras ou fissuras nas paredes ou outra estrutura.

Também pode ser resultado de projetos de escoamento mal definidos nas coberturas e nos telhados.

A umidade por infiltração

Aqui, estamos falando da umidade originada do solo e do lençol freático e que afeta as paredes. Essa forma de captura acontece com mais frequência em adegas, subsolos, porões e outros ambientes situados abaixo do nível do solo.

A umidade por capilaridade

A capilaridade é uma propriedade física característica dos fluidos. Refere-se à capacidade deles de subir ou descer em passagens tubulares (na forma de tubos) muito finas.

Como as vigas e as paredes são porosas, elas apresentam milhares dessas passagens em sua estrutura interna. Quando vigas e paredes se encontram em contato direto com o solo, a umidade pode penetrar nelas por meio do fenômeno da capilaridade.

A umidade por condensação

Essa forma de captura é resultado do vapor que emana de certos lugares, como banheiro e cozinha. Esse vapor invade os cômodos e fica impregnado nas superfícies, causando machas nas paredes e tetos, deixando-os com coloração mais escura.

As maneiras de evitar e remover a umidade em ambientes fechados

Existem formas efetivas de retirar a umidade em ambientes fechados. Conheça quatro delas logo mais.

A ventilação e a luz solar

Uma boa solução, que deve ser previamente definida, é a concepção detalhada do projeto, considerando pontos como a entrada da luz do sol no espaço interno e o acesso à ventilação natural.

É importante analisar o posicionamento certo das janelas, de modo que seja fácil a captação da luz solar. Com boa ventilação e calor, é possível evitar o excesso de umidade.

Os materiais impermeabilizantes

Uma técnica muito comum para reduzir e evitar a umidade em ambientes fechados é aplicar materiais impermeabilizantes na estrutura. Um deles é a argamassa impermeabilizante, que resolve problemas causados por capilaridade e infiltração.

A argamassa deve penetrar na parede. Por isso, caso a umidade já esteja presente, será preciso remover o revestimento na área úmida e colocar o produto na alvenaria, seja interna ou externamente.

Outro material é a tinta impermeabilizante. Trata-se de uma solução acessível, econômica e destinada à prevenção e à solução de problemas de umidade causada por intemperismo, ou seja, quando a água da chuva penetra pelas fissuras em coberturas e fachadas.

Uma tinta impermeabilizante consegue bloquear a entrada da umidade na área coberta. Geralmente, é um produto que custa mais que a tinta premium, sendo até 4 vezes mais caro. Mas o custo-benefício compensa, porque resolve problemas de umidade sem a necessidade de derrubar paredes ou de outras intervenções mais sérias.

O desumidificador de ar

Uma solução mais definitiva é o desumidificador de ar. É um eletrodoméstico que atua como um filtro. Sua função é exatamente a oposta da função de um umidificador. O desumidificador puxa o ar úmido, remove a água desse ar e o devolve ao ambiente já desprovido de umidade. Isso permite controlar os níveis de umidade de forma constante.

É uma boa opção para os ambientes fechados, dispensando até a necessidade de abrir janelas. Outra vantagem é que o aparelho portátil não faz ruídos e pode ser levado para qualquer local com facilidade. Há diferentes modelos que atendem a necessidades diversas.

As plantas que reduzem a umidade em ambientes fechados

A NASA confirmou, em 1989, que algumas plantas podem absorver a umidade e deixar o ar purificado. Além de promover um ambiente mais saudável, elas integram o espaço corporativo à natureza e servem como elementos decorativos. Algumas dessas plantas são:

  • lírio da paz: desenvolve-se bem em espaços fechados e com pouca iluminação, onde faz a absorção da umidade do ar para garantir seu crescimento;
  • samambaia de Boston: ela não requer poda constante e pode ser pendurada em qualquer ponto. Quando absorve a umidade, ela ainda remove benzeno, xileno e outras impurezas;
  • clorofito: tem folhas longas e curvas e pode retirar até 90% das impurezas do ar;
  • hera: tem folhas pequenas e, preferencialmente, deve ficar pendurada na parede. Ela reduz a umidade em forma de vapor no ar e ainda absorve mofo, matéria fecal de animais domésticos e microrganismos;
  • palmeiras: podem ser pequenas, médias ou grandes, crescem em espaços úmidos e absorvem poluentes em ambientes fechados.

É fundamental ter cuidado com a umidade em ambientes fechados para evitar o desenvolvimento de problemas alérgicos e problemas à própria edificação. Além disso, o mofo e o bolor causam mau cheiro e comprometem a estética do lugar.

Percebeu que existem diferentes soluções para o problema da umidade? Continue aqui no blog e confira agora como é possível melhorar a qualidade do ar!

Independentemente do porte de uma obra, a busca por melhores técnicas de engenharia sempre será essencial para a garantia de construções mais econômicas e eficientes. Nesse sentido, um ótimo exemplo de recurso técnico que vem sendo cada vez mais utilizado por quem busca vantagens em vários aspectos é a aplicação de mantas térmicas de subcobertura para telhados.

Podendo ser muito bem aplicada em basicamente qualquer ocasião, engana-se quem acha que a instalação de uma manta térmica se restringe aos prédios e edifícios comerciais. Isso porque mesmo se tratando apenas de uma pequena reforma residencial, esse artifício, quando bem planejado, pode representar ganhos enormes, tanto no quesito financeiro quanto no ergonômico.

Afinal, você já sabe como funciona e para que serve uma manta térmica de subcobertura para telhados?

Funcionalidades da manta térmica de subcobertura

Como o próprio nome já sugere, uma das principais funções desse material é a de fornecer um satisfatório conforto térmico a partir das suas características de irradiação térmica. Outra função que ganha destaque é a capacidade que a manta térmica tem de aumentar a impermeabilização do telhado, reduzindo assim drasticamente as chances de ocorrer vazamentos e infiltrações decorrentes de chuvas.

Além disso tudo, vale lembrar que a manta térmica de subcobertura, quando bem instalada, é capaz de entregar bons níveis de isolamento acústico, o que proporciona ambientes mais agradáveis em questões sonoras.

Material de fabricação

Acerca do material de fabricação dessas mantas, é comum encontrá-las em polímeros refletivos e poliestireno expandido, ambos com excelentes características de reflexividade e baixos índices de emissão de radiação térmica.

Tipos de manta térmica

Atualmente, há vários tipos de manta térmica disponíveis no mercado. As principais são:

  • uma face de alumínio: com moderadas características térmicas, são mais aplicadas por quem deseja minimizar problemas com infiltrações;
  • duas faces de alumínio: além de minimizar infiltrações, apresentam melhores condições de isolamento térmico;
  • duas faces de alumínio e fibra de vidro: alinham boa capacidade de impermeabilização e isolamento térmico com durabilidade estendida;
  • duas faces de alumínio, fibra de vidro mais plástico bolha: apresentam vantagens em todos os aspectos acima, sobretudo no isolamento acústico.

Vantagens de utilizar uma manta térmica de subcobertura

Mesmo sendo um recurso de engenharia que entrega boa resistência mecânica e excelentes vantagens ergonômicas, a manta térmica de subcobertura precisa ser instalada de forma correta para que suas funcionalidades sejam garantidas.

Desse modo, quando bem aplicada, essa subcobertura no telhado representa as vantagens que citaremos a seguir.

Manta para Subcobertura 3TC Isolamento – cor branca

Economia financeira

Uma vez que essa subcobertura proporciona ambientes mais agradáveis termicamente, menos recursos serão gastos com ar-condicionado, ventiladores e climatizadores em geral, o que pode reduzir consideravelmente a conta de luz ao final do mês.

Outro fator econômico vantajoso é que a subcobertura também reduz a frequência de manutenção da estrutura dos telhados, já que ela ajuda a manter o ambiente menos úmido e propício ao aparecimento de fungos.

Importância em reduzir gastos

Seja qual for a finalidade da obra ou reforma, priorizar técnicas de construção e materiais que implicam em economia financeira (e que ainda tem qualidade) é essencial, principalmente quando estamos falando de colher frutos a médio e longo prazo.

Instalação prática

Se a armação que sustenta o telhado estiver em boas condições estruturais, a instalação da manta térmica de subcobertura provavelmente não encontrará dificuldades. Contudo, é imprescindível que essa instalação seja realizada por uma equipe especializada no assunto, que conseguirá colocar a manta térmica em qualquer tipo de telhado e inclinação.

Importância da instalação ser prática

Por se tratar de uma instalação prática e classificada de certa forma como simples de executar, esse processo não requer muito tempo para ser finalizado, o que permite à equipe de trabalho concentrar seus esforços em tarefas mais complexas, e que de fato precisam de mais tempo.

 

Garantia de conforto acústico de uma subcobertura

Como mencionamos acima, assegurar um bom conforto acústico é uma das funcionalidades desse tipo de subcobertura. Isso só é possível porque a manta térmica funciona como uma espécie de barreira física, dificultando assim a difração (capacidade que as ondas têm de contornar obstáculos) das ondas sonoras.

Importância do conforto acústico

Seja em um ambiente de trabalho, seja na residência, permanecer em ambientes que apresentam poluição sonora pode causar irritabilidade e prejuízos para a audição. Por isso, uma vez que é possível assegurar o conforto acústico por meio da instalação de um simples material, não há motivos para dispensá-lo.

Contenção de vazamentos

Em períodos de chuva, é comum notarmos nos telhados pontos de infiltração e vazamentos, os quais, quando não reparados, geram fungos e podem comprometer por completo toda uma estrutura. Nesse sentido, uma vez instalada de forma correta, a manta térmica de subcobertura impede a passagem de água (que muitas vezes é ocasionada devido às telhas mal colocadas) e faz com que a umidade local seja reduzida drasticamente.

Importância de manter a impermeabilização

A elevada umidade e infiltração são extremamente prejudiciais para qualquer tipo de construção e, tratando-se ainda de estruturas que contém madeira, esse processo de desgaste é mais severo e comprometedor.

Utilização de materiais sustentáveis

Uma vez que essa prática possibilita menos gastos com energia elétrica, há benefícios para o meio ambiente, visto que menos recursos para a geração de energia são requeridos. Além disso, vale lembrar que a manta é constituída por um material reciclável, o que é muito importante para a sustentabilidade do planeta.

Importância em utilizar recursos sustentáveis

Felizmente, nos últimos anos, o debate na sociedade acerca da importância da preservação do meio ambiente ganhou cada vez mais espaço. Com isso, tratando-se especificamente de uma obra ou reforma, é relevante priorizar materiais e técnicas que promovam a sustentabilidade e que não gerem impactos ambientais.

Portanto, agora que você já sabe o que é uma manta térmica de subcobertura para telhado, bem como a importância de garantir a sua instalação de forma correta, fica mais simples perceber o quão vantajosa essa aplicação é. Vale lembrar ainda que, além de benefícios financeiros, essa manta é capaz de proporcionar excelentes ganhos ergonômicos para um ambiente, como clima agradável e conforto acústico.

Está procurando por uma manta térmica? Entre em contato com a 3TC e conheça todas as vantagens em engenharia que podemos lhe oferecer!

O isolamento térmico para ar-condicionado é imprescindível para aproveitar o máximo da eficiência desses aparelhos. Sem essa solução, não há um aproveitamento completo de toda a potência do aparelho ou o efetivo controle da temperatura do ambiente.

Muitas vezes, por não contar com essa opção, é necessária a realização de diversos ajustes (deixando o equipamento em sua máxima potência, por exemplo). Tudo isso custa bastante, além de não ser muito sustentável para o meio ambiente.

O isolamento, por sua vez, é uma medida duradoura, simples e extremamente eficiente. Pensando no tema, preparamos este guia, com informações completas e relevantes sobre o tema. Continue a leitura para entender um pouco mais:

O que é isolamento térmico para ar condicionado?

Essa modalidade de isolamento tem como objetivo melhorar a vedação das estruturas do ar-condicionado, e evitar as trocas de calor nos trajetos dos ductos de ar. Com isso, é possível garantir que o máximo da potência nominal seja efetivamente entregue aos usuários.

Vedação das estruturas

Para a instalação de dutos e dos próprios aparelhos de ar-condicionado nas construções é necessário fazer aberturas nas paredes. Usualmente, elas não apresentam a vedação necessária para a entrega de uma eficiência otimizada.

Assim, é importante instalar materiais capazes de evitar a entrada e a saída de ar, pois essas trocas provocam o aquecimento do ambiente e fazem com que o motor dos equipamentos tenha de funcionar mais para manter a temperatura desejada pelo usuário.

O ideal é utilizar isolantes feitos com materiais flexíveis, impermeáveis e não porosos para essa tarefa. Assim, atinge-se a máxima vedação e bloqueio das trocas de calor.

Isolamento térmico dos aparelhos e dos dutos

Há vários fatores intrínsecos ao próprio mecanismo de funcionamento do ar-condicionado e do transporte do ar-refrigerado que podem impedir a entrega da máxima eficiência. As trocas de calor ocorrem constantemente entre os tubos que transportam o ar-refrigerado.

Assim, antes que cheguem ao destino final, podem ser aquecidos pelas estruturas e equipamentos do próprio edifício. Outro ponto importante é que o próprio aparelho produz bastante calor devido ao funcionamento dos motores. Para que ele não seja conduzido para as paredes da construção, é preciso fazer um bom isolamento.

Além disso, a irradiação do sol sobre os dutos e o próprio aparelho faz com que o trabalho do motor para o resfriamento do ar seja maior, dissipando parte da potência.

Isolamento térmico da construção

No entanto, uma medida importantíssima para quem deseja economizar com o projeto de ar-condicionado é instalar o isolamento térmico em todo o ambiente. Com um isolante eficiente, capaz de atuar sobre todos os processos de transmissão de calor, é possível conquistar temperaturas agradáveis mesmo sem o uso da ar-condicionado.

A redução dessas trocas com o ambiente externo permite uma maior estabilidade da temperatura interior, deixando-a muito mais amena. Isso vale tanto para quanto o clima lá fora estiver frio ou quente. Isso também tem um efeito sobre o trabalho dos equipamentos de resfriamento quando estão ligados. Afinal, ele é proporcionalmente maior a uma temperatura interna mais elevada.

Como funciona a transmissão de calor em um edifício?

Para compreender o papel do isolamento térmico para ar-condicionado é importante entender quais são os processos de transmissão de calor para uma construção. Eles são três e compreendê-los permite uma escolha mais consciente a respeito dos materiais e das técnicas utilizadas no projeto.

Condução

Ocorre quando dois corpos estão em contato físico um com o outro. O mais quente transfere energia ao mais frio, em uma tentativa de alcançar o equilíbrio térmico. Ele ocorre quando ambos os corpos atingem a mesma temperatura.

Ela é responsável por cerca de 10% do aquecimento de uma estrutura. A maioria dos isolantes térmicos agem apenas sobre a condução e, por isso, não apresentam uma eficiência interessante.

Irradiação

Ela acontece à distância, prescindindo do contato entre os dois corpos. Acontece por causa da emissão de energia calorífica (radiação infravermelha), a qual incide sobre um corpo e promove a agitação das partículas.

Mesmo não sendo tão intuitiva, ela influencia muito mais no aquecimento das estruturas. Por volta de 90% do calor é transferido por essa forma. No entanto, poucos isolantes buscam controlá-la.

Convecção

Ela existe devido ao movimento das massas de ar dentro e fora dos edifícios, o que influencia bastante na eficiência dos ares-condicionados. O ar mais frio é mais denso do que o ar mais quente. Em um mesmo ambiente, a diferença de temperatura de massas de ar ocorre naturalmente.

Os dutos e aparelhos são justamente instalados no alto da parede para permitir que o ar frio seja direcionado para o piso, onde as pessoas estão, enquanto o ar quente se move para o teto e é retirado pelo sistema de exaustão do edifício ou do próprio equipamento. Assim, há uma maior renovação do ar ambiente.

Quais são os materiais utilizados?

Os isolantes térmicos tradicionais não são capazes de atuar sobre os três processos de transmissão de energia calorífica. Normalmente, agem apenas sobre um dos seguintes fatores isoladamente:

Espumas

A espuma, por muitos anos, foi o material mais popular para o isolamento térmico da superfície. É comum que muitas pessoas associem o isolamento apenas a elas. No entanto, suas desvantagens afastaram muitas pessoas:

  • fragilidade — elas se deterioram facilmente com o estresse mecânico e químico, além de apresentarem mofo com mais facilidade;
  • segurança — há materiais, como o poliuretano, que produzem gases tóxicos quando inflamados;
  • manutenção — necessitam de uma maior frequência de trocas em comparação aos materiais mais modernos.

Foils

Os foils são folhas metálicas bem finas com o objetivo de refletir parte da radiação infravermelha de volta para o ambiente externo. Portanto, atuam apenas para o controle da irradiação, sem ação sobre a condução e a convecção. Por esse motivo, os locais de aplicação são bem limitados àqueles com uma exposição solar maior.

Além disso, são bem frágeis ao estresse mecânico, não se adaptam bem aos ambientes internos e não melhoram a vedação das estruturas. Este último ponto é essencial para os ares-condicionados.

Lã de rocha

Esse material é produzido pela fusão de pedras vulcânicas a altas temperaturas, sendo, então, submetidas a gradientes de pressão elevados. Como resultado, forma-se fios que podem ser estruturados na forma de lã.

Apesar de realmente serem bem eficientes no isolamento da condução, esse processo representa apenas 10% da transmissão de calor para as superfícies. Ademais, possuem desvantagens, como: permeabilidade, estética ruim e instalação difícil.

Lã de vidro

Ela é muito semelhante à lã de rocha, porém utiliza a sílica como matéria-prima. Também é utilizada para produção do vidro, o que trouxe o seu nome para que fosse mais facilmente identificável pelo consumidor. Apesar de mais barata, ainda apresenta as desvantagens importantes da lã de rocha.

Lã de PET

As lãs de PET são fabricadas com um polímero plástico, geralmente reciclado. Por isso, atraem muitas pessoas interessadas em sustentabilidade. No entanto, é preciso pensar de uma forma global. Como o material age apenas no controle da condução, como as demais lãs, não apresenta a eficiência máxima de isolamento. Portanto, não reduz tanto o consumo de energia elétrica pelos aparelhos de ar-condicionado.

Consequentemente, ao optar por ela, a pressão do consumo energético da sua estrutura de climatização sobre o meio ambiente ainda será significativa. Isso pode inibir os benefícios trazidos pela reciclagem.

3TC

Diferentemente dos isolantes térmicos anteriores, a 3TC foi produzida com a tecnologia de ponta da engenharia dos materiais. Por quê? Ela foi criada pela Agência Nacional da Aeronáutica e Espaço dos Estados Unidos da América, a famosa NASA, para proteger os astronautas durante as viagens especiais. É empregada tanto nos trajes quanto na proteção das estações.

Isso é necessário, pois a temperatura fora da Terra sofre variações intensas: pode ir de 50º celsius negativos durante a noite, enquanto ultrapassa 60º celsius nos momentos de máxima exposição solar. Desse modo, o isolante precisaria apresentar características suficientes para manter a temperatura corporal estável e o conforto.

Para isso, os engenheiros da NASA criam um material com as seguintes propriedades:

  • duas lâminas de polímero refletivos, que eram capazes de refletir mais de 97% da radiação infravermelho que incide sobre uma superfície;
  • um núcleo de poliestireno estendido, que é um isolante térmico com baixa condutância de calor, bloqueando grande parte da condução térmica;
  • essas três estruturas são colocadas em “sanduíche”, com as duas lâminas cobrindo todo EPS. Dessa forma, a estrutura apresenta capacidade de impermeabilização máxima e atua sobre a convecção. Tudo isso também potencializa o controle dos dois processos.

A 3TC utilizada no Brasil traz a mesma tecnologia da NASA e se torna o melhor isolamento disponível no mercado.

Como funciona o isolamento térmico para ar-condicionado?

Bloqueio da condução

Como vimos, o 3TC é o único isolante capaz de atuar sobre os três processos de condução calorífica e otimizar o isolamento térmico em todas as frentes.

No caso dos dutos de ar, o núcleo de poliestireno estendido do 3TC é um dos materiais mais eficientes para o bloqueio da condução. Seu material apresenta baixíssima condutância térmica, o que significa que ele é capaz de manter um bom isolamento mesmo em temperaturas mais altas.

Desse modo, os dutos de ar-condicionado se aquecem pelo contato com o ar ambiental, com estruturas da construção, equipamentos etc. Em um edifício com ar-condicionado central, isso é imprescindível para evitar que o ar se aqueça durante o trajeto para o destino final. No caso de indústrias e comércios, pode haver contato com áreas e equipamentos com intensa produção de calor, o que impede a entrega de um resfriamento eficiente.

Redução da irradiação

A radiação é invisível para nossos olhos e, por isso, não a associamos com o aquecimento de dutos. No entanto, ela está constantemente em ação. No caso dos dutos de cobre, muito usados em instalações de ar-condicionado, os raios infravermelhos têm a capacidade de provocar um intenso aquecimento devido à excelente condutância dos metais.

Por isso, é preciso investir em um isolante capaz de atuar sobre esse processo. O 3TC apresenta duas lâminas de polímeros refletivos, as quais bloqueiam mais de 96% da radiação incidente. Assim, toda a instalação fica protegida ao máximo.

Controle da convecção

Não podemos deixar de falar da convecção, a qual impede a eficiência térmica de uma construção devido ao constante fluxo de ar aquecido para as áreas internas.

Por isso, a vedação trazida por um bom isolante térmicos é essencial para garantir que o ambiente externo influencie o menos possível, permitindo a entrega otimizada da potência do ar-condicionado. O 3TC controla a convecção, funcionando como uma barreira de ar e vapor devido à impermeabilidade dos polímeros refletivos.

Quais as vantagens do isolamento térmico?

Economia de energia

Esse talvez seja o ponto que mais atraia as empresas que planejam a instalação de um sistema de isolamento auxiliar ao projeto de ar-condicionado. Isso ocorre porque a energia elétrica consumida é proporcional ao trabalho que o motor do aparelho tem de fazer.

O trabalho, por sua vez, depende de diversas variáveis, como:

  • aquecimento do ar durante o trabalho do ar-condicionado para os ambientes de destino. Isso faz com que o usuário ajuste a potência para as regulagens máximas, as quais consomem mais;
  • diferença entre a temperatura atual e a desejada. Por exemplo, se o ar-condicionado tiver de reduzir a temperatura de 30º para 24º celsius, ele precisará realizar o dobro de trabalho do que se tivesse de reduzir de 27º para os mesmos 24º celsius.

Tudo isso faz com que o isolamento térmico aplicado tanto na tubulação quanto na construção seja uma excelente alternativa para a redução de custos nas empresas e nas residências.

Menor demanda por novos equipamentos

Quanto melhor o sistema de isolamento, maior o rendimento da máquina de resfriamento. Consequentemente, uma mesma potência nominal de ar-condicionado será capaz de resfriar uma área maior ou lidar com maiores amplitudes de variação de temperatura.

Com isso, reduz-se a necessidade de redimensionar a infraestrutura de aparelhos a fim de manter a capacidade de resfriamento diante de um aumento da demanda causada por mudanças construtivas ou pela implementação de processos gerados de calor.

Sustentabilidade ambiental

Hoje em dia a preocupação com a exploração do meio ambiente está cada vez mais presente no comportamento dos consumidores. Então, profissionais e empresas de todas as áreas devem conhecer as soluções que trazem esse apelo.

Se você é arquiteto e está buscando um isolamento para os seus projetos, a 3TC permite que você associe o seu escritório à sustentabilidade. Se sua empresa é de qualquer outro ramo, instalar a 3TC fortalece o seu apelo à proteção ambiental. Da mesma forma, se está procurando melhorar a eficiência da sua residência para deixá-la mais sustentável, o isolamento térmico do ar-condicionado também cumpre essa função.

Prevenção de riscos à saúde

O ar-condicionado tem um impacto negativo sobre a saúde de muitas pessoas com problemas respiratórios. Durante seu funcionamento, ele retira grande parte da umidade do ar. Quanto maior for a potência utilizada e a quantidade de aparelhos ligados simultaneamente, mais seco o ar fica.

No entanto, quando você instala isolantes térmicos nas estruturas da construção, é possível amenizar o calor sem ar condicionado. Quando for necessário o seu funcionamento, será possível ligá-lo em uma potência menor e, assim, trazer uma maior qualidade do ar. Isso pode amenizar o efeito do clima seco nas alergias, rinites etc.

Temperatura estável

Mesmo com ar-condicionado, a temperatura interna pode ficar bastante instável. Afinal, a maioria dos aparelhos não apresenta uma regulação automática com termostatos. É preciso determinar manualmente a potência. Então, quando o clima muda lá fora, a temperatura do ar que sai pelos dutos também acompanha a tendência.

O isolamento evita que a própria construção transmita energia calorífica para dentro ou fora do ambiente interno. Isso faz com que as variações sejam pequenas durante o dia.

Como é feito na prática?

Na prática, o isolamento térmico para ar-condicionado pode ocorrer em diferentes momentos.

Antes da execução do projeto principal da construção

Quando a construção ainda está sendo planejada, é possível elaborar um projeto de conforto térmico amplo, em que são previstas medidas para melhorar o isolamento de todas as estruturas do edifício. A partir disso, a capacidade de ar-condicionado pode ser dimensionada tendo em vista que haverá uma melhor eficiência térmica.

Todo a estrutura feita para esconder os dutos poderá receber uma cobertura interna de isolante térmico, complementando a proteção feita ao redor dos próprios dutos.

Como projeto complementar ao principal

Em alguns casos, o projeto principal dos edifícios já foi todo executado, faltando apenas os complementares — como pode ser a situação do isolamento térmico. Nesse sentido, durante o planejamento e a instalação do sistema de ar-condicionado, pode-se chamar uma empresa especializada em conforto térmico para fazer um projeto com a finalidade de melhorar a eficiência nos mais diversos aspectos, como:

  • instalar isolante em locais estratégicos, como as lajes, para reduzir o impacto da incidência do sol no aquecimento das estruturas;
  • vedar todas as aberturas utilizadas para a instalação do ar-condicionado e seus dutos;
  • isolar termicamente todo o trajeto dos dutos, entregando a máxima eficiência de resfriamento aos ambientes;
  • evitar que o próprio calor gerado pelos motores do ar-condicionado aqueça as estruturas da construção.

Em construções prontas e já utilizadas

Por fim, é possível instalar também o isolamento térmico em infraestruturas de ar-condicionado já prontos e utilizadas há pouco ou muito tempo. Muita gente pode achar que o isolamento é muito complicado de ser instalado quando tudo já está pronto. No entanto, um bom fornecedor pode executar um projeto incrível.

Com as mantas de 3TC, um material mais flexível, por exemplo, pode ser desnecessário quebrar paredes para a vedação e a cobertura dos dutos. Elas se adaptam ao espaço que tiver ali na estrutura atual. Caso seja necessária alguma adaptação, é possível fazer isso com o mínimo de intervenção na estrutura da construção.

Além disso, a instalação pode ser bem simples, por meio de colas, fixações ou amarrações. Assim, não há toda aquela sujeita e barulho que você deve imaginar sempre que pensa em qualquer obra. O 3TC também permite a pintura com a maioria das tintas disponíveis no mercado de forma que fica bem discreto na decoração quando os dutos estão expostos.

Como é feita a aplicação?

A instalação do isolamento térmico da 3TC pode ser executada por meio de diversas técnicas. Isso permite que ela se adapte às mais diversas aplicações. No entanto, a escolha depende do tipo de estrutura de isolante que será utilizado.

Mantas

As mantas apresentam uma espessura de 10 milímetros e são flexíveis. Desse modo, podem ser manipuladas para se adequar a curvas, arestas e dobras. Além disso, vedam bem as frestas dos locais onde são inseridas, além de são bem fáceis de armazenar durante a obra.

Placas

As placas são mais rígidas e apresentam espessuras variadas, de 10 a 100 milímetros. Assim, não interessantes naqueles casos em que não há necessidade de adaptação a ângulos e seja preciso manter maior estabilidade da forma. Também, podem ser fabricadas sob medida para as estruturas da obra.

Técnicas de instalação

A seguir, vamos apresentar as principais:

  • amarração — é feita por meio de fios, grampos ou arames resistentes. Essa técnica pode ser usada para fixar os tubos de isolante aos dutos do ar-condicionado;
  • encaixe — a pressão do peso ou da conformação das peças sobre as estruturas traz a fixação necessária;
  • colagem — são substâncias químicas que trazem a aderência de duas superfícies entre si;
  • pregagem — com pregos e parafusos especiais, as placas e as mantas são fixadas em uma estrutura de sustentação.

Há várias outras técnicas possíveis, e a escolha deve ser feita pelo profissional instalador para garantir o máximo sucesso da estratégia. A 3TC é muito versátil e se adapta a maioria delas.

Quais cuidados devem ser tomados?

A principal precaução é a escolha de um material adequado para os seus objetivos. Há muitos isolantes no mercado e nem todos eles entregam a mesma eficiência. Além disso, há várias funcionalidades auxiliares que podem complementar a sua estratégia, como:

  • isolamento acústico — evita a propagação de ruídos e barulhos. Um isolante térmico e acústico simultaneamente, por exemplo, pode reduzir o barulho provocado pelos motores dos aparelhos;
  • impermeabilidade — um material impermeável melhora a proteção das estruturas contra a umidade;
  • proteção contra incêndios — é preciso escolher um material que não seja inflamável ou combustível. Idealmente, ele deve auxiliar no retardo da propagação dos incêndios.

A empresa de fornecimento e de instalação deve ser confiável, apresentando um bom suporte ao cliente em todas as etapas. A 3TC apresenta todas essas vantagens e muitas outras. Assim, você conquistará um projeto otimizado de isolamento para ar-condicionado, o qual traz todos os benefícios e vantagens que falamos aqui.

Quer saber como a 3TC isolamento pode auxiliá-lo no seu projeto de isolamento termoacústico? Então, entre em contato com a gente!

Atualmente as edificações apresentam paredes e lajes menos espessas e com isso, em geral, um menor desempenho acústico. Além disso, em prédios e casas menores é muito frequente ouvir o barulho dos vizinhos. Já em ambientes comerciais ou industriais, o ruído pode prejudicar o rendimento no trabalho e, inclusive, provocar passivos trabalhistas por insalubridade ou problemas ergonômicos. Por isso, uma dúvida muito frequente de grande parte das pessoas é: como isolar o barulho da rua?

Esse assunto se tornou ainda mais importante agora que a maioria das pessoas mora perto de regiões movimentadas e em empresas de diversos portes. Afinal, o excesso de ruído atrapalha o descanso, o rendimento nos estudos e trabalho, como também eleva o nível de estresse e ansiedade — podendo colaborar para insônia e até mesmo gerar problemas auditivos.

Pensando na importância desse assunto, neste conteúdo vamos tratar a respeito de poluição sonora, seus malefícios, além de algumas opções e dicas práticas para solucionar ou reduzir esse problema. Então, não perca!

O que é poluição sonora e quais as principais causas?

A maior parte da população mundial mora em grandes centros urbanos e com isso o ruído é muito grande — seja por conta do trânsito, por conta das indústrias, comércios, colegas de trabalho ao telefone, fluxo de clientes em um escritório ou comércio, etc.

Entretanto, além do ruído constante, a poluição sonora está muito presente no dia a dia das pessoas, sendo potencializada pelos comportamentos inapropriados adotados no dia a dia. Inclusive, ao contrário do que se pensa, o silêncio não é capricho, e sim uma questão de saúde.

Afinal, a audição pode ser extremamente prejudicada permanentemente quando as pessoas são expostas de forma prolongada a sons que são superiores a 85 decibéis. Esse tipo de intensidade de som pode ser exemplificado pelo ruído de um liquidificador. Isso porque os sons a partir desse valor provocam a morte das células auditivas e esse processo não é reversível.

Enquanto isso, de acordo com a Organização Mundial da Saúde — OMS — uma conversa normal pode representar cerca de 60 decibéis de ruído e essa intensidade já é suficiente para proporcionar danos ao organismo e ao equilíbrio emocional. Por sua vez, o ruído de um aspirador de pó apresenta em média 75 decibéis, um secador de cabelo e uma buzina cerca de 100 decibéis.

Já em boates, bares e shows, o ruído médio é de 110 a 115 decibéis. Em festas e comemorações em que fogos de artifícios são soltos, o ruído médio é de 150 decibéis. Já o volume máximo do som do celular em um fone de ouvido tem um ruído médio de 105 decibéis.

Como se vê, frequentemente você está exposto a ruídos extremamente prejudiciais à sua audição e caso você trabalhe em indústrias ou com determinados equipamentos, pode estar ainda mais exposto.

Contudo, infelizmente o ruído é um vilão invisível e, por isso, em geral, não recebe a devida atenção e cuidado por parte das pessoas. Mesmo assim, os efeitos são presentes: falta de energia, cansaço, estresse, ansiedade, falta de concentração, irritabilidade e outros tipos de doenças.

Diante disso, criou-se leis e normas que estabelecem limites e horários para o ruído. Inclusive, atualmente a pena por pertubação do sossego alheio por meio de barulho pode gerar até três meses de prisão de acordo com a Lei de Contravenções Penais e até quatro anos de prisão de acordo com a Lei de Crimes Ambientais — quando a poluição sonora for em níveis prejudiciais à saúde.

Inclusive, por esse motivo existem diversos projetos de lei e inclusive especialistas desejam que exista um mapa de poluição sonora que seja visível para a população. Nesse mesmo sentido, a ABNT definiu na NBR 10152 o nível de ruído aceitável nos ambientes externos tanto durante o dia quanto durante a noite, para ambientes rurais, escolares, hospitalares, residenciais, comerciais, industriais, entre outros.

Quais os malefícios da poluição sonora?

A poluição sonora proporciona diversos prejuízos para a saúde e bem-estar das pessoas, seja em ambientes profissionais ou residenciais.

Perturbação do sossego

Uma música pode ser extremamente agradável para uma pessoa, e pode causar um grande estresse e perturbação para um profissional que estava há algumas horas de plantão e precisa dormir. Ou então, para alguém que precisa de extrema concentração para trabalhar ou estudar.

A perturbação do sossego, inclusive, é algo tão sério que é um grande motivo de violência. Afinal, as pessoas quando privadas de sono e descanso, assim como de tranquilidade em seu ambiente de trabalho, se tornam mais agressivas e nervosas.

Lesão auditiva

Conforme citamos, a lesão auditiva pode ser irreversível quando ultrapassado um determinado número de decibéis, durante um determinado tempo. Ao contrário do que se pensa, basta ouvir com frequência o som em um volume alto, ou trabalhar próximo a equipamentos e ambientes barulhentos para que ocorra uma lesão severa.

Basta morar muito próximo a um aeroporto, ou a uma via de trânsito extremamente movimentada, ou então trabalhar com equipamentos que apresentam índices de ruído elevados como liquidificador, secador de cabelo ou uma britadeira.

Todos esses cenários exemplificados, que muitas vezes não consideramos arriscados ou negativos a saúde, podem agravar ou proporcionar uma lesão auditiva. Sendo assim, esse é um aspecto que requer grande cuidado e atenção, pois é um problema que pode ocorrer no dia a dia.

Insônia, ansiedade, depressão e estresse

Esses são problemas muito comuns em nossa sociedade, não importando a idade, ramo de atuação, poder aquisitivo ou região. Isso, porque os ruídos em níveis superiores ao permitido proporcionam desequilíbrio emocional.

E infelizmente, a maior parte das pessoas convive com ruídos excessivos diariamente pela maior parte do tempo, o que também é uma das explicações plausíveis para tantos problemas vivenciados na atualidade.

Que dicas práticas podem ajudar a reduzir os ruídos externos?

Os ruídos são tão impactantes que estão presentes em normas regulamentadoras como a NBR 15.575, NBR 10152 e até mesmo na legislação e em projetos de leis. Por exemplo, na NBR 15.575 foram estabelecidos índices mínimos quanto ao isolamento de paredes, pisos, coberturas e fachadas. Contudo, essa NBR só aborda os índices mínimos para edificações residenciais, enquanto a NBR 10152 aborda em diferentes ambientes.

Atualmente já existem diversas opções para reduzir os índices de ruído, tanto em edificações existentes como nas que estão sendo construídas, como:

Priorize materiais que auxiliam a barreira ao ruído

As portas e janelas anti ruído são uma excelente opção, assim como tapetes e cortinas de tecidos grossos também podem auxiliar a reduzir a entrada de som de uma forma mais simples e rápida — pois minimizam a propagação de som.

No caso das janelas, o ideal é que sejam de alumínio e vidro, com vidros duplos ou triplos. Já as portas, não devem ser ocas, pois quando são maciças auxiliam em uma melhor acústica para os ambientes.

Pode-se também utilizar painéis de madeira ou de gesso para proporcionam maior espessura para as paredes, atuando como uma barreira mais eficaz ao ruído. Inclusive, essa pode ser uma opção decorativa para os ambientes, além de extremamente útil.

Existem até opções com tapeçaria que são aplicadas na parede ou no piso a fim de melhorar o isolamento acústico. Um exemplo muito comum são os carpetes.

Atenção ao piso escolhido

A escolha do piso é muito importante e impactante no isolamento do ruído. Por exemplo, os pisos frios como cerâmicas e porcelanatos não proporcionam um bom isolamento acústico. Já os carpetes, pisos de madeira, mármores, granitos e pisos vinílicos apresentam melhores índices de isolamento.

Uma opção extremamente eficaz para o piso é aplicar uma manta acústica sobre a laje antes de instalar o piso escolhido. Inclusive, no caso dos pisos flutuantes — seja laminado ou de madeira — as mantas acústicas já costumam ser uma opção incluída no processo de instalação.

Entretanto, existem também opções de mantas próprias para os pisos frios do tipo cerâmicos ou porcelanatos. A cortiça aglomerada é um exemplo. Conforme já citamos, em casos em que deseja-se descartar a possibilidade de uma reforma ou a instalação de carpetes, pode-se optar por tapetes grossos e/ou felpudos.

Atente para a escolha do forro e do telhado

Já quando o assunto é telhado e forro, um erro muito comum é encontrar edificações que só apresentam telhado, descartando a laje ou o forro. Nesses casos, o ideal é instalar um forro e uma manta acústica, minimizando a passagem de som. Outra opção é utilizar forros de gesso ou madeira, que apresentam também um bom isolamento acústico por si só.

Caso seja desejado realizar o isolamento acústico mesmo com a existência prévia de uma laje no local, uma solução eficaz é aplicar revestimentos acústicos também. Existem também os de fibra mineral, assim como vários outros modelos.

Outro fator impactante é também a escolha da telha. Algumas telhas metálicas ou de fibrocimento, quando não fabricadas ou combinadas com isolamento promovem muito ruído. Sendo assim, a melhor opção são as telhas cerâmicas ou então as metálicas, ou de fibrocimento com manta para isolamento.

Invista em paisagismo como uma barreira de isolamento

A vegetação é uma excelente barreira ao ruído, além de melhorar a qualidade do ar. Quanto mais densa e em alturas variadas, melhor será a barreira acústica proporcionada pela vegetação.

Uma opção simples é colocar grama no terreno, criando níveis diferentes. Também pode-se fazer uma parede verde, conhecida como jardim vertical. Inclusive, o jardim vertical pode ser feito em diversos locais, mesmo com a ausência de um grande espaço.

Para criar uma barreira acústica por meio de paisagismo é importante escolher estruturas metálicas adequadas, podendo ser perfis para sustentação. Depois, o ideal é contar com placas de plástico e colocá-las na lateral. A fibra de coco também é uma aliada para montar uma parede verde e por fim, escolher as diversas plantas.

Essa opção, além de ser uma barreira que reduz o ruído, também reduz a concentração de gás carbônico e a necessidade de pinturas constantes nos muros e paredes.

Invista em isolamento acústico

O isolamento acústico é obtido por meio de materiais que são eficientes em bloquear o som e a passagem de ruído entre ambientes. Sendo assim, esse tipo de sistema isola ou reduz significativamente o barulho externo a um ambiente ou edificação, proporcionando maior conforto, qualidade de vida, bem-estar e, inclusive, saúde.

O isolamento pode ser a ruídos aéreos ou aos ruídos de impacto. Sendo assim, é importante compreender quais são os principais tipos de ruído que mais impactam a fim de optar por sistemas de isolamento que sejam mais eficientes.

Alguns exemplos de ruídos aéreos são os causados por vozes, construções, fábricas, música, trânsito, aviões, equipamentos, entre outras. Em geral, esses são isolados por meio de barreiras como paredes, janelas, portas e divisórias.

Já os ruídos de impacto são transmitidos pela estrutura, uma vez que o impacto gera uma vibração que caminha por meio das paredes, tetos, chegando até a pessoa que o ouve. Para esse tipo de impacto — que pode ser causado tanto por passos, como por outros tipos de ações ou equipamentos que geram impacto — o ideal é investir em sistemas de amortecimento como os pisos flutuantes.

Sendo assim, nesse tipo de ruído, o uso de forros não é tão eficaz, porque anula ou reduz a passagem de vibração por meio do teto, porém não inibe a transmissão por meio das paredes.

Escolha um sistema de isolamento eficaz e com bom custo-benefício

Após analisar a fonte principal de ruído é possível identificar quais soluções de isolamento acústico serão mais eficientes, conforme exemplificado acima. Também é importante levar em consideração qual o tipo de edificação, se já é construída ou não — a fim de escolher um sistema de isolamento que além de eficiente, seja eficaz.

Existem diversas opções para o isolamento acústico, como:

  • lãs de isolamento — que podem ser do tipo PET, de vidro ou de rocha basáltica. Elas, em geral são usadas para preencher vãos em paredes e tetos, principalmente quando utiliza-se placas de gesso no processo construtivo — entretanto, demandam um espaço “vazio”, ou seja, para o ar — dificultando a utilização em alguns casos. Por isso, são muito empregadas em teatros, auditórios, salas de reunião ou de videoconferência ou em construções a seco;
  • espuma acústica — esse é um material que apresenta diversas espessuras, cores e geometrias, podendo ser feitas em lã de PET ou poliuretano. Ela pode ser aplicada sobre paredes e lajes, porém, não permite um acabamento discreto;
  • materiais absorventes como madeira, gesso, fibras minerais — que podem ser usados como painéis e forros que absorvem as ondas sonoras, reduzindo o ruído;
  • paredes duplas — essa é uma técnica que consiste em deixar um espaço com ar entre duas paredes, assim a onda sonora ficará detida nesta câmara de ar, dificultando a propagação de som;
  • mantas térmicas e acústicas — esse é um material que além de promover um excelente isolamento térmico, reduzindo as despesas com refrigeração, também promovem um significativo isolamento acústico. Por isso, são uma opção largamente escolhida, afinal, apresenta um excelente custo-benefício.

Como a manta térmica pode ajudar no isolamento acústico e quais seus benefícios?

Existem variados sistemas de isolamento acústico, porém a manta térmica é um dos mais eficientes, sendo recomendada para diversos ambientes e locais. Ela é uma solução que proporciona melhoria do isolamento térmico e acústico de uma edificação ou ambiente, com qualidade e garantia de resultado.

Esse sistema de isolamento é usado tanto em ambientes comerciais, industriais como nos residenciais. As mantas térmicas são fabricadas com revestimento aluminizado e esse material protege da radiação solar e das três formas de transferência de calor — radiação, convecção e condução.

Além disso, também auxilia no isolamento de ruídos e apresenta uma aplicação extremamente fácil. As mantas térmicas também proporcionam maior proteção e durabilidade tanto ao sistema de cobertura como ao imóvel.

Para a instalação correta, é necessário considerar o tipo de telhado, uma vez que uns oferecem fácil acesso e outros não — tanto pelo material, como pela estrutura.

A manta térmica é instalada principalmente nos telhados, podendo ser colocada nas lajes e pisos. O processo de instalação consiste em cobrir toda a região que deseja-se isolar. No caso dos telhados, a manta é aplicada abaixo das telhas como uma subcobertura.

Existem casos em que a manta é aplicada no corpo da estrutura, visando garantir o posicionamento adequado das telhas. Já na instalação em lajes superiores é criada uma camada de proteção.

Com esse material é possível reduzir a troca e transferência de calor nos ambientes — mantendo uma temperatura interna mais agradável, porém, também é possível diminuir a entrada e saída de ondas sonoras, proporcionando isolamento de ruídos e maior conforto acústico — uma vez que essa se comporta como uma barreira.

O conforto acústico obtido por meio de mantas é proporcionado por meio do isolamento de lajes e pisos — não importando se são ambientes comerciais ou residenciais. Com isso, os ruídos externos ou de outros ambientes são atenuados.

Quais os principais benefícios do isolamento acústico?

Já falamos dos malefícios, dos impactos e até mesmo dos benefícios do isolamento acústico realizado por meio de mantas. Contudo, podemos citar alguns benefícios que são extremamente impactantes e justificam o investimento nesse tipo de sistema, como:

Maior privacidade

Como o isolamento acústico impede ou reduz que a voz seja ouvida em um outro ambiente, proporciona maior privacidade durante reuniões, em ambientes comerciais e principalmente nos residenciais.

Assim, tanto negociações como conversas passam a ter sua particularidade respeitada, e as pessoas passam a ter também sua intimidade preservada — principalmente nos ambientes familiares. Essa é uma vantagem que impacta positivamente tanto os pais, como também os filhos.

Maior conforto

Não importa se é em um ambiente residencial, comercial ou industrial — independentemente do lugar, as pessoas gostam de conseguir fazer suas atividades com a devida comodidade e sossego.

Não é atoa que um ambiente de trabalho que é completamente agitado o dia inteiro proporciona doenças ocupacionais, sendo totalmente negativo aos colaboradores.

Da mesma forma, em uma residência, poder ler, estudar, descansar ou passar um momento em família sem ruídos excessivos é extremamente importante para obter momentos de qualidade. Essa realidade positiva se torna possível por meio da adoção de um sistema de isolamento acústico.

Melhoria da qualidade de vida

A exposição prolongada e excessiva a ruídos pode provocar declínio das capacidades cognitivas, reduzindo a capacidade de comunicação, leitura, aprendizado, compreensão, raciocínio, resolução de problemas, memória, entre outros aspectos.

Na vida profissional, por si só, a redução dessas capacidades compromete significativamente o trabalho realizado e o desempenho. Entretanto, essa situação também é extremamente prejudicial nos ambientes familiares, principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento de crianças e adolescentes.

Sendo assim, ambientes com isolamento acústico promovem pessoas com melhor desempenho, produtividade e bem estar. Isso, impacta diretamente na qualidade de vida, afinal, boas decisões e dias produtivos são extremamente importantes.

Prevenção e redução de doenças

A poluição sonora auxilia a piora de distúrbios do sono e inclusive eleva o estresse, ansiedade, falta de concentração, depressão e outros problemas extremamente sérios e vivenciados na atualidade. A redução do ruído é extremamente positivo para promover ambientes mais saudáveis emocionalmente.

Redução de problemas e distúrbios relacionados à audição

Os problemas auditivos são cada vez mais frequentes e inclusive, existe e uma previsão de que 1,3 bilhão de pessoas terão uma redução significativa em sua capacidade auditiva no decorrer da vida. A Organização Mundial de Saúde indica que isso ocorrerá por que cerca de 10% da população no mundo convive com uma longa exposição a níveis inadequados de ruídos.

Por que escolher o material 3TC?

O material 3TC de isolamento alinha o isolamento acústico com o térmico, sendo, por isso, uma solução extremamente versátil e viável, pois além de apresentar um excelente custo benefício e tecnologia avançada, também é de fácil instalação. O sistema 3TC permite a aplicação em diversas estruturas como:

  • paredes,
  • tetos;
  • forros;
  • telhas;
  • telhados;
  • objetos e equipamentos;
  • pisos.

O sistema 3TC permite a aplicação sem a retirada de telhas, uma vez que esse sistema pode ser aplicado diretamente nas terças. Por isso, pode ser aplicada em locais que estão em funcionamento, não demandando que a produção ou trabalho seja parado.

A manta de isolamento térmico e acústico da 3TC, além da qualidade, camada dupla de faces metálicas refletivas com isopor no meio e fácil aplicação mesmo após a construção, também apresenta elevada durabilidade.

Agora que você já sabe como isolar o barulho da rua, a importância e impacto positivo da redução de ruídos na qualidade de vida, bem e estar e saúde, entre em contato com a 3TC e descubra como colher esses benefícios em seu a dia a dia com as soluções acústicas e extremamente tecnológicas da 3TC.

Com a ideia de incentivar a sustentabilidade, alguns municípios criaram projetos de preservação ambiental considerando a provável redução do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) para aqueles que praticam ações benéficas ao meio ambiente e conseguem comprová-las, sendo que um desses incentivos é o IPTU Verde.

Esse programa foi implantado para tornar a ideia em realidade, é um exemplo de decisão que incentiva novos empreendimentos imobiliários residenciais, comerciais, ou institucionais a realizarem ações e práticas de sustentabilidade na construção civil, por exemplo, a gestão de resíduos e a redução do consumo de água.

Quer entender melhor o programa IPTU Verde e suas vantagens? Continue com a leitura!

Construção sustentável

A construção civil é, sem sombra de dúvida, o maior gerador de resíduos, como também é o setor da economia que mais utiliza recursos naturais e energia. Portanto, seu impacto no meio ambiente é consideravelmente alto. Para mudar essa imagem, os novos empreendimentos já são pensados com o conceito de sustentabilidade. Seus principais benefícios são:

  • redução nos custos de operação;
  • valorização do imóvel;
  • surgimento de novas oportunidades de negócios;
  • redução no desperdício;
  • menos deslocamentos, menos emissões de CO2.

A adoção de práticas sustentáveis durante a jornada construtiva passa pela redução de resíduos gerados, menor desperdício de materiais e diminuição no consumo de energia, água e outros recursos naturais. Tudo isso constitui em grandes vantagens tanto para o construtor como também para o morador da edificação.

Pensando em como reduzir esses impactos ambientais provocados pela construção civil surge o programa de IPTU Verde. Tendo como estímulo, descontos de 5% a 10% para novas construções ou para reformas que implementem soluções sustentáveis.

O programa IPTU Verde

O programa consiste na aplicação de um percentual de desconto sobre o valor do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) para os novos empreendimentos que adotam medidas sustentáveis que visam a preservação, proteção ou regeneração do meio ambiente. O desconto é gradativo e cumulativo, sendo que para cada regra é concedido um percentual de desconto.

No entanto, quanto mais soluções forem utilizadas, maior será de desconto no IPTU. Entretanto, ele não é igual para todas as ações, quanto maior for a relevância para a cidade, maior será sua pontuação. Por isso, têm cidades em que os contribuintes obtêm até 100 pontos em uma determinação ação e o desconto no imposto também é maior.

Objetivos do IPTU Verde

O IPTU Verde ou Ecológico, tem como objetivo reduzir a taxa de contribuição para aqueles que adotam ações e práticas consideradas sustentáveis em seus empreendimentos. O tripé da sustentabilidade também é aplicado e, nada mais justo do que incentivar a sociedade por meio de seus imóveis.

Por isso, cada cidade tem a liberdade de aderir ou não ao programa IPTU Verde como também de estabelecer a forma como será aplicada. Infelizmente, com as dificuldades de receitas das prefeituras, as iniciativas ainda são muito tímidas e em poucas localidades.

Equilibrar o meio ambiente e meio urbano é uma meta fundamental para preservar não somente recursos naturais, mas também a qualidade da vida humana. Afinal, ambos os espaços estão diretamente relacionados.

Principais contribuições para sustentabilidade das cidades

A edificação sustentável começa desde sua concepção, ou seja, na planta. Sua materialização gera inovações para seus moradores e contribuem para o meio ambiente como também em um melhor aproveitamento dos recursos naturais.

É importante lembrar que as ações, além de desconto para seus moradores, trazem melhorias para a vida do cidadão e para toda a cidade. A seguir, apresentaremos algumas contribuições que são pontuadas onde a implantação do IPTU Verde já foi aprovada e as vantagens em sua aplicação.

Aquecimento solar

O maior benefício da utilização do sistema de aquecimento solar é o alto índice de economia de energia. Confira outros benefícios:

  • utilização de energia renovável;
  • sem impacto ambiental;
  • preservação do meio ambiente;
  • redução da utilização do chuveiro elétrico (alto consumo energético);
  • economia na conta de energia

Além dos benefícios diretos que um usuário pode ter, quem utiliza o aquecimento solar contribui fortemente para a diminuição da demanda de outros sistemas, como as hidrelétricas e termelétricas, colaborando assim com a preservação do meio ambiente.

Calçadas ecológicas

A calçada ecológica consiste em evitar a impermeabilização dos passeios públicos e privados. Isso é feito por meio da implantação de material permeável, como os concregramas, intertravados e faixas de gramados ou jardins, juntamente de uma arborização adequada no calçamento.

Essas medidas melhoram a drenagem da cidade, evitando assim as inundações e ainda diminuem o hábito de varrer as calçadas com a mangueira.

Captação de água da chuva e sua utilização

São vários os benefícios, além do meio ambiente, com a captação, sua conta de água pode diminuir em até 55% no final do mês. Lembrando que a água recolhida é para serviços que utilizam um grande volume, como descarga de vasos sanitários, limpar a casa, o carro, regar o jardim e outras atividades que a água potável pode ser dispensada. Outros benefícios importantes são:

  • diminuição no alto volume de água que vai para as redes pluviais durante as fortes chuvas, evitando assim, alagamentos e enchentes;
  • redução na utilização da água potável, que já está escassa no mundo;
  • diminuição da escassez de recursos hídricos, além de trazer economia para o bolso do consumidor;
  • instalação versátil, pois pode ser colocada em qualquer ambiente (rural ou urbano, casa ou apartamento);
  • auxilia em tempos de crise hídrica e é utilizada até em áreas do sertão nordestino como forma de combate às secas;

Coleta seletiva de lixo

A coleta seletiva tem como objetivo reduzir o lixo produzido pelas cidades, dando uma destinação mais nobre e assim, reprimir o impacto ambiental com o reaproveitamento ou descarte adequado.

Também evita a proliferação de doenças, economia no consumo de água e luz, reduz os gastos com a limpeza urbana e ainda colabora com a geração de emprego e renda por meio da comercialização dos recicláveis. A seguir, alguns benefícios da coleta seletiva:

  • limita a extração dos recursos naturais;
  • reduz a poluição do solo, água e do ar;
  • reciclagem de materiais;
  • prevenção de enchentes;
  • minimiza os custos da produção, com o aproveitamento de recicláveis;
  • diminui o desperdício;
  • formação de cooperativas fortes.

Portanto, a coleta seletiva é fundamental para o desenvolvimento sustentável do nosso planeta.

Energia fotovoltaica

Diferentemente de outros lugares, o Brasil tem bons índices de irradiação solar e seu uso é uma das atitudes mais promissoras na luta contra a degradação do meio ambiente, pois ela é renovável e limpa. As cidades são responsáveis por mais de 70% do consumo mundial de energia elétrica e do lançamento de gases do efeito estufa.

A energia solar é a mais eficiente entre os tipos renováveis, podendo ser utilizada facilmente em diversas partes de uma edificação:

  • iluminação de garagens;
  • postes solares para iluminação externa;
  • tomadas para abastecer carros elétricos;
  • fornecer energia para imóveis.

Além disso, a perda de carga na energia é muito baixa, pois o sistema tem sua instalação muito próxima ao seu ponto de utilização.

Lâmpadas de LED

Na iluminação pública o uso de lâmpadas LED, representa uma economia de energia de mais de 80% para as prefeituras. Os principais benefícios são: a eficiência energética e a redução de emissões de carbono. A iluminação pública é responsável por mais de 15% do consumo das cidades.

Manutenção das áreas permeáveis

Cada município tem seu Código de Obras, mas, de modo geral, todos contemplam a necessidade de se manter uma taxa mínima de permeabilidade do solo. Essa ação visa reduzir o volume de água decorrente de fortes chuvas para a rede de água pluvial, ou o agravamento das enchentes.

Além da drenagem, também buscam minimizar as elevadas temperaturas em alguns pontos da cidade, como as ilhas de calor. Esse fenômeno é causado pela alta concentração de concreto e asfalto ou pela concentração de poluição que não deixa o calor dispersar.

Com a criação de jardins, plantio de mudas ou com a instalação de pisos permeáveis, se promove a recarga do lençol freático como também a diminuição ou eliminação das ilhas de calor.

Controle dos resíduos da construção civil

A construção civil é uma grande geradora de lixo, portanto, o aproveitamento dos resíduos também contribui para a redução dos riscos de assoreamentos dos rios, contaminação de mananciais e o acúmulo de entulhos, sendo que todos esses fatores estão relacionados à proliferação de vetores de várias doenças.

Entre as formas de aproveitamento, tem a produção de pedrisco, britas e areia a partir de entulhos de construção civil, que preservam o ambiente e contribuem para produção de construções de moradias de baixo custo.

Telhado verde

Reduz o gasto com a energia e colabora com climatização de ambiente. Dessa forma, a conveniência da utilização de ar-condicionado é reduzida. O telhado verde permite que as espécies vegetais se reproduzam na área urbana, atraindo insetos e pássaros e isso amplia a biodiversidade.

As cidades representam um grande produtor de gases de efeito estufa. Em compensação, as plantas do telhado verde auxiliarão a absorção do gás carbônico para a realização do processo de fotossíntese. Já a infiltração da água da chuva pela cobertura vegetal contribui de modo a reprimir a sobrecarga das redes pluviais.

Além da opção do telhado verde que tem os benefícios acima é importante utilizar de manta térmica. Isto porque a eficiência no controle da temperatura interna utilizando esse tipo de isolamento térmico é bem superior ao telhado verde.

As vantagens do IPTU Verde

De maneira geral, o IPTU Verde incentiva o cidadão a adotar hábitos sustentáveis, oferecendo, em contrapartida, descontos nas alíquotas do imposto. No entanto, cada município tem suas regras, procedimentos e percentuais de abatimento. Ao participar do programa, você tem outras compensações. Confira alguma dessas vantagens.

Dedução no imposto

A dedução no IPTU é o principal estímulo para a adesão desse programa. Analisando como esse desconto, em médio e longo prazo, pode influenciar o seu orçamento, não é surpresa que muitos ficam interessados nesse programa. Logo, o cidadão realizará um investimento que beneficia toda a sociedade, nada mais justo do que compensá-lo por isso.

Diminuição das despesas gerais

Além do desconto no imposto, tem todos os benefícios de uma residência ecologicamente correta. Economia de água e energia, por exemplo, sempre tem um efeito positivo no seu orçamento ao longo do tempo. Principalmente para quem busca melhorar as próprias despesas.

Marketing verde

As empresas e os empreiteiros que praticam as ações para assegurar o IPTU Verde, além do desconto no valor da alíquota do imposto, lucram com o destaque e com a publicidade das ações ecologicamente corretas.

Redução dos efeitos da ilha de calor

Ilha de calor é um episódio muito recorrente nos centros urbanos muito adensados, em que a falta de vegetação, impermeabilização do solo e a quantidade de asfalto e concreto produz uma zona de temperatura muito alta. É prejudicial para a saúde e para o conforto da população que ali reside ou trabalha.

Conservação dos recursos naturais hídricos

A água é o bem mais valioso para a humanidade, pois sem ela não há vida. Apesar disso, a taxa de desperdício é muito alta. Para a manutenção dos recursos é preciso aplicar os três Rs: reduzir, reutilizar e reciclar.

Por isso, o IPTU Verde é uma política pública transformadora que incentiva investidores e proprietários a adotarem soluções sustentáveis nos seus empreendimentos e a cidade também é beneficiada com a prática dessas ações.

Ações de como se adequar

No decreto 29.100/2017 do IPTU Verde, no Anexo I são listadas 37 práticas e ações para uma edificação pleitear a certificação perante o órgão responsável na prefeitura do município. Então, vejamos algumas.

Equipamentos economizadores

A utilização de arejador e restritor de pressão nas torneiras e chuveiros proporcionam economia no consumo de água potável e evita também o desperdício.

Vaso sanitário com caixa acoplada com duplo acionamento

O sistema com duplo acionamento permite controlar a quantidade de água que é utilizada a cada descarga.

Medição individualizada nas edificações multifamiliares, comerciais, mistas

Com a medição individualizada, cada morador paga o seu próprio consumo e passa a conhecer seu padrão de utilização, sendo que isso evita o desperdício de água potável.

Sistema de reuso de água de máquina de lavar roupa

O recolhimento da água proveniente do esgotamento da máquina de lavar, após passar por tratamento, pode ser reutilizada na limpeza de garagens, rega de jardins como também abastecer os vasos sanitários.

Sistema de aproveitamento da água da chuva

Consiste no recolhimento da água dos telhados por meio de calhas, dos ralos das varandas e direcioná-las para um reservatório para uso em lavagens de passeio, garagens, regas de jardim, também pode ser reutilizada para abastecer os vasos sanitários.

Telhado verde

Sua instalação oferece vários benefícios, veja alguns:

  • minimiza o calor, proporcionando maior conforto térmico;
  • retém a água da chuva para o sistema de reuso;
  • garante o isolamento acústico, diminui os barulhos externos;
  • atua como isolamento térmico residencial;
  • preserva o telhado contra intempéries, reduz a necessidade de manutenção.
  • auxilia na filtragem do ar, ameniza, um pouco a poluição;
  • regula a umidade do ar ao redor do edifício;

Diminuição da temperatura interna

Na impossibilidade de instalação do telhado verde, uma boa opção é a utilização de manta térmica para o telhado. Esses produtos são isolantes e deixam o ambiente com uma temperatura mais agradável. No mercado há vários tipos de manta térmica para utilizar no telhado e, assim a redução no uso do ar-condicionado se faz presente, principalmente na conta de energia no final do mês.

Aproveitamento da água proveniente da condensação do ar-condicionado

Após o recolhimento por tubulações que vão até o reservatório de águas servidas, pode ser reaproveitada para regar plantas e limpeza de garagens e passeios.

Sistema de aquecimento de água

A utilização dos sistemas de produção de água quente solar, promove uma economia substancial ao sistema elétrico, tanto da edificação como do município. Pois, o consumo de energia de cada chuveiro é muito alto. Promove também, economia para a construtora, pois os cabos elétricos podem ser dimensionados com bitolas menores e, mais baratos.

Tubulação de água quente com isolamento térmico

Para não haver perda de calor, a tubulação de água quente deve ter isolação em todo o seu trajeto, desde o boiler até o ponto de atendimento.

Utilização de sensor de presença para comando de iluminação de áreas comuns

Para evitar o uso desnecessário da iluminação, principalmente em garagens e corredores, utilizar o sensor de presença para o controle.

Implantação de sistema de energia fotovoltaica

Esse é um sistema de produção de energia pelo sol e armazenada em baterias para ser utilizada e o excedente da produção é injetado na rede da concessionária local.

Pavimentação permeável do passeio

O passeio ou calçada, pode utilizar pavimentação drenante, permitindo que um mínimo de 60% de sua área seja permeável.

Piso permeável, mínimo de 80% de permeabilidade

Revestir o piso de áreas de estacionamento e pátios de manobras com pisos drenantes, pois isso evita enchentes e alagamentos.

Instalar caixa de retardo para águas pluviais

A caixa de retardo, como o próprio nome diz, retarda o lançamento da água pluvial na rede pública. Afinal, dependendo do volume, isso pode provocar os alagamentos e enchentes. Assim, atrasando o seu lançamento, essas situações são minimizadas ou, até mesmo, eliminadas.

São várias as ações e práticas que podem ser adotadas, sendo que todas têm a intenção de reduzir ou amenizar seus efeitos. Vale lembrar que, para cada prática ou ação que for incorporada ao empreendimento corresponde a uma pontuação, de 2 até 100 pontos.

Portanto, para atingir a maior porcentagem de desconto, integre o máximo de ações no seu projeto de construção ou reforma.

Cidades que já implantaram o IPTU Verde

Quanto ao processo para a solicitação do benefício, o contribuinte interessado deve dar entrada com o pedido no órgão responsável, que analisará e dará aval ou não para a incidência do IPTU Verde. Algumas cidades já incorporaram o benefício, portanto, a população pode, conforme a legislação municipal, fazer jus ao desconto. Veja:

  • Araraquara-SP;
  • Americana-SP;
  • Barretos-SP;
  • Camboriú-PR;
  • Campos do Jordão-SP;
  • Colatina-ES;
  • Curitiba-PR;
  • Goiânia-GO;
  • Guarulhos-SP;
  • Ipatinga-MG;
  • Maringá-PR;
  • Manaus-AM;
  • Rio de Janeiro-RJ;
  • Salvador-BA;
  • São Carlos-SP;
  • São Vicente-SP;
  • São Bernardo do Campo-SP;
  • Seropédica-RJ;
  • Tietê-SP.

A certificação IPTU Verde e como ela funciona

A adesão ao programa é opcional, no entanto, para obter a certificação é preciso seguir o que estabelece o Anexo I do decreto 29.100 (Salvador-BA). Portanto, é aplicável aos novos empreendimentos como também às ampliações e reformas nas edificações existentes.

A certificação é alcançada quando o empreendimento adotar ações e práticas constantes no Anexo I (ver item 5), cada ação corresponde a uma pontuação.

  • bronze — mínimo de 50 pontos, desconto de 5%;
  • prata — mínimo de 70 pontos, desconto de 7%;
  • ouro — mínimo 100 pontos, desconto de 10%.

No caso de descumprimento das ações e práticas sustentáveis que justificaram a liberação da certificação, ela será cancelada, como também todos os benefícios. Portanto, a anulação se estende a todas as unidades da edificação, mesmo que apenas uma tenha sido a causadora do cancelamento. Pois, a certificação é dada ao empreendimento como um todo e não para cada unidade.

Requisitos para obtenção da certificação

Primeiramente é feito o pré-certificação, quando deverá ser apresentado com o processo de construção, ampliação ou reforma, o projeto com as modificações como também a substituição de projetos. Deverão ser acompanhados dos seguintes documentos:

  • formulários constantes dos Anexos I e II;
  • projeto arquitetônico e o memorial descritivo;
  • apresentar controle de qualidade da água;
  • plano de gerenciamento dos resíduos sólidos.

O requerimento será analisado no prazo de 60 dias pelo órgão licenciador. Vale lembrar que, o empreendimento não pode ter nenhuma pendência relativa a licenciamentos ou fiscalização ambiental, sendo necessário a apresentação de declaração do órgão responsável.

Concessão da certificação

Quanto à solicitação do alvará de habite-se, será verificado se as ações e as práticas de sustentabilidade declaradas foram efetivamente cumpridas. Após isso, será emitida a certificação IPTU Verde. No entanto, a emissão fica condicionada à apresentação:

  • certidão negativa de débitos imobiliários;
  • inexistência de registro no cadastro de informações municipais.

Fica registrado no habite-se que a edificação foi construída de acordo com a certificação IPTU Verde, que tem validade de três anos, podendo ser renovado para mais três anos enquanto for do interesse do requerente.

Além de estimular o uso inteligente da água e de outros recursos, garantindo assim a continuidade e o bem-estar das futuras gerações, o IPTU Verde joga luz sobre um até então desconhecida função social da propriedade particular. Atribuição ligada à construção de uma nova consciência sobre a estabilidade saudável do meio ambiente.

Com tudo que vimos, o IPTU Verde será o propulsor do desenvolvimento sustentável para as cidades nos próximos anos. Afinal, a população está cada vez mais exigente em relação à proteção do planeta.

Falando em construção sustentável, uma das preocupações é se o ambiente será arejado e confortável. Para entender mais sobre o assunto, confira o nosso guia sobre conforto térmico nas edificações e entenda como promovê-lo.