COP 27: entenda o que é e sua importância para o meio ambiente 

COP 27: entenda o que é e sua importância para o meio ambiente 
calendar_month14/11/2022 view_list

Você conhece a importância da COP 27?

Os últimos 8 anos foram os mais quentes da história do planeta. Assim, planejar ações vai muito além de nós como cidadãos fazermos nossas obrigações na hora de cuidar de onde vivemos. 

Para isso, foi criada a COP em 1995 que teve como objetivo unir vários países para discutir as questões climáticas.

O Brasil é o 4º emissor global de gases do efeito estufa, com mais de dois terços das emissões vindas do desmatamento. Ou seja, o Brasil tem responsabilidade na hora de pensar soluções mais sustentáveis. 

Explicando de maneira simples, sustentabilidade significa suprir as necessidades atuais da sociedade sem prejudicar a sobrevivência das gerações futuras.

Em outras palavras, o conceito engloba ações que visam reduzir os impactos negativos da atividade humana no meio ambiente.

Neste conteúdo vamos explicar um pouco mais sobre a COP e sua edição 27.

O que é a COP 27?

Traduzindo do inglês COP é a conferência das nações unidas sobre mudanças climáticas, sendo o evento mais importante sobre o tema, unindo governos de mais de 200 países para discutir ações efetivas para conter o aquecimento global e as mudanças climáticas.

Em 1995 aconteceu a primeira COP, em Berlim, na Alemanha, e o Brasil participou ativamente de todas as reuniões. 

O número 27 indica o ano de edição do evento que este ano acontece no Egito.

O evento foi marcado pela incerteza quanto ao significado do que cada um dos países deveria fazer para combater as emissões de Gases de Efeito de Estufa (GEE).

Esta COP resultou em um mandato que estabeleceu um período de dois anos de análise e fase de avaliação.

Esta fase, por sua vez, resultou em um catálogo de instrumentos, a partir do qual os países membros podiam escolher e, assim, compor um conjunto de iniciativas correspondentes às suas necessidades.

Confira o histórico dos primeiros locais que foram feitos a COP. 

  • COP1 Berlim – 1995
  • COP2 Genebra – 1996
  • COP3 Kyoto – 1997
  • COP4 Buenos Aires – 1998
  • COP5 Bonn – 1999
  • COP6 La Haya – 2000
  • COP-6 bis Bonn 2001
  • COP7 Marraqueche – 2001
  • COP8 Delhi – 2002
  • COP9 Milão – 2003
  • COP10 Buenos Aires – 2004
  • COP11/CMP1 Montreal – 2005
  • COP12/CMP2 Nairobi – 2006

Qual a importância da COP?

A COP tem como objetivo responsabilizar os países sobre os efeitos que nossa produção e de todos os países podem prejudicar o meio ambiente e tentar brecar ou diminuir os danos já causados. Muitos são irreversíveis, mas é importante estar ligado e fazendo projetos para minimizar o prejuízo com o nosso planeta. 

A COP sempre traz dados sobre o aumento da mudança climática em relação ao desmatamento do meio ambiente. 

Diversas ações e acordos são firmados nesses encontros, como é o caso do Acordo de Paris, firmado na COP21, em 2015. Na edição de 2015, 191 países se comprometeram a reduzir os gases responsáveis pelo efeito estufa para limitar o aumento da temperatura da Terra de 1,1 graus para 2 graus até o final do século, com esforços para chegar a no máximo 1,5 graus.

Como ocorreu a COP 26?

A COP 26 aconteceu em Glasgow, na Escócia, entre os dias 31 de outubro e 12 de novembro de 2021. Ela veio principalmente para tentar guiar os países para os objetivos definidos no Acordo de Paris, na qual os países se comprometeram a limitar o aquecimento global. 

Além disso, também foi discutida a utilização de energia pelos países e o processo de transição energética, que busca aumentar o uso de fontes que prejudiquem menos o Planeta Terra. Esse tema é de extrema relevância pois a utilização de fontes não renováveis pode levar o planeta a um colapso.

Outro ponto levantado foi a utilização de gases como o dióxido de carbono, normalmente emitido pela circulação de veículos de transportes ou por indústrias. Além da emissão de metano, que contribui para o efeito estufa.

Assim, como resultado das discussões, foram estabelecidos os seguintes acordos:

  • investir R$ 100 bilhões para a transição energética;
  • analisar sobre a absorção de carbono e redução do impacto no clima;
  • financiar as nações que foram prejudicadas;
  • estabelecer formas de países adquirirem créditos de carbono.
  • Outros pontos relevantes foram o aumento da proteção dos recursos naturais, aumentar o transporte elétrico e diminuir os combustíveis fósseis e a utilização de energias renováveis.

O que esperar da COP 27? 

A informação é que os últimos 8 anos estão prestes a se tornar os mais quentes registrados na história. Todo o prejuízo ambiental, econômico e social tem uma explicação muito clara, estamos ano a ano aumentando a concentração de gases efeito estufa e o acúmulo de calor. 

Temos um caso atípico, pois além da presença do atual presidente  Jair Messias Bolsonaro, o presidente eleito nas últimas eleições, Luiz Inácio Lula da Silva, já está com presença confirmada no evento.

Os governadores de estado da amazônia, também terão um estande próprio. Pelo menos 5 governadores confirmaram a ida ao evento. Terá a presença de ONGs brasileiras também debatendo sobre demarcações de terras. 

Qual o papel da sustentabilidade para a COP 27?

A sustentabilidade é uma pauta de extrema importância e um compromisso da COP 27. A importância de buscarmos alternativas mais sustentáveis é urgente. 

Além de ser capaz de melhorar a economia, já que recursos limpos, principalmente de produção de energia, geralmente são capazes de reduzir em grandes escalas os custos dessa geração, fontes sustentáveis também preservam outros recursos, o meio ambiente e, ainda, evitam grandes desastres naturais, principal pauta dessa organização. 

Nos últimos anos, desenvolveram-se muitos produtos sustentáveis para atender a demandas de várias áreas comerciais. Assim, dentre as práticas de sustentabilidade adotadas pelas marcas que produzem esse tipo de item, podemos destacar:

  • Apoio a preservação de ecossistemas;
  • Reflorestamento de áreas desmatadas;
  • Investimento em organizações não governamentais (ONGs) que protegem o meio ambiente;
  • Produtos que geram renda para pequenos fornecedores, produtores e comunidades de baixa renda.

Se quiser entender melhor sobre: PRODUTOS SUSTENTÁVEIS: CONHEÇA ALGUNS E OS MOTIVOS PARA UTILIZAR.

Leia mais conteúdos da 3TC Isolamento

A 3TC tem como objetivo cada vez mais utilizar tecnologias eficientes sem prejudicar o meio ambiente e temos como foco conscientizar nossos clientes sobre a importância dessa pauta em nosso dia a dia. 

Para conhecer melhor nossa empresa, temos conteúdos importantes de como viver de maneira mais sustentável. 

2 Comentários

  1. Bom dia!
    É preciso ter cuidado nas matérias, quanto a afirmações sem comprovação. Curitiba, por exemplo, não tem lei municipal quanto ao IPTU Verde. Já foi tentando, mas não passou na Câmara Municipal, inclusive o atual prefeito ser contra o mesmo.
    att
    Eloy Casagrande

    1. Eloy, como vai tudo bem? Muito obrigado pelo seu comentário. Gostamos muito quando os nossos conteúdos tem comentários como o seu, inclusive para sempre buscarmos colocar informações referenciadas e corretas. No caso da postagem sobre o IPTU verde, baseamos a informação no projeto de lei deste link: https://leismunicipais.com.br/a/pr/c/curitiba/lei-ordinaria/2015/1478/14771/lei-ordinaria-n-14771-2015-dispoe-sobre-a-revisao-do-plano-diretor-de-curitiba-de-acordo-com-o-disposto-no-art-40-3-do-estatuto-da-cidade-para-orientacao-e-controle-do-desenvolvimento-integrado-do-municipio?q=14.771

      Na revisão do plano diretor de 2015 no artigo 65 tem a seguinte disposição:

      ART 65: O Município estabelecerá incentivos referente ao IPTU cujos proprietários de imóveis adotem ações e práticas de conservação e preservação do meio ambiente.

      § 1º Para fins deste artigo, entendem-se como práticas de conservação e preservação do meio ambiente em imóveis a adoção das seguintes iniciativas:

      a) sistema de captação com reuso da água da chuva;
      b) sistema de energia solar;
      c) construções com material sustentável;
      d) utilização de energia passiva;
      e) sistema de utilização de energia eólica;
      f) telhado e/ou parede verde.

      Caso tenha informações sobre a validade dessa lei e queira compartilhar conosco, estamos sempre abertos a saber mais sobre as legislações que influenciam a sustentabilidade nas cidades e como está sendo incentivado esse tipo de projeto e iniciativa.

      Muito Obrigado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *