A NBR 10152 estabelece a intensidade sonora máxima que pode ser suportada pelos ocupantes de um determinado espaço urbano. Em outras palavras, essa norma técnica regulamenta os níveis de ruído que interferem no conforto acústico dos moradores de determinado ambiente.

Além de regulamentar a intensidade sonora, a NRB 10152 determina quais ajustes devem ser feitos para minimizar os ruídos externos ou internos e normatiza o padrão saudável para a saúde física e mental de todos, de modo a garantir um melhor conforto acústico.

A NBR 10152 trata de questões acústicas, a área da física que estuda os fenômenos relacionados ao som e a sua propagação. Conhecer essa disciplina a fundo é fundamental para projetar espaços confortáveis e que garantam o bem-estar dos ocupantes, seja o ambiente residencial ou voltado para atividades profissionais.

A seguir, explicaremos melhor a NRB 10152 e seus principais conceitos. Vamos lá? Acompanhe!

O que é a NBR 10152?

O crescimento populacional e o aumento das construções mal planejadas no espaço urbano acarretaram a piora na qualidade de vida dos moradores devido ao aumento da poluição sonora.

Os ruídos são gerados, em grande parte, pelo trânsito, pela circulação de pessoas em escolas e centros comerciais e pela ocorrência de grandes construções.

Essa poluição, isoladamente ou combinada, pode gerar sérios danos a saúde da população como distúrbios do sono, estresse, irritabilidade, depressão e ansiedade. Pode ainda gerar problemas circulatórios e pressão alta.

A normatização das atividades sonoras é fundamental para garantir o bem-estar, a saúde física, a saúde mental e o bom convívio social de toda uma comunidade.

A NBR 10152 regulamenta os níveis de ruído compatíveis com o conforto acústico dos ocupantes de um determinado espaço. Segundo essa norma, cada ambiente deve observar um determinado nível de ruído.

De fato, uma sala de aula, por exemplo, deve observar uma intensidade sonora muito diferente de um hospital ou de um ginásio olímpico. Escritórios, shoppings, aeroportos e terminais rodoviários também são espaços que devem ser construídos conforme as especificações da NBR 10152.

 

 

Quais são os principais pontos abordados pela NBR 10152?

A NBR 10152 passou por uma atualização para melhor adequá-la as necessidades das construções atuais. Contudo, o foco da norma continua o mesmo: padronizar os ambientes do ponto de vista acústico e garantir o bem-estar dos habitantes.

Além disso, a norma especifica o nível de ruído recomendado segundo o tipo e uso de cada construção. Também fornece parâmetros que devem ser seguidos para medir o ruído de um ambiente quanto ao tempo, descritores de níveis sonoros e posicionamento de microfones e outros equipamentos de captação do som.

Qual é a importância da NBR 10152?

Engenheiros e arquitetos devem conhecer o desempenho acústico dos materiais utilizados em um projeto de construção ou reforma. Além disso, é importante saber como elementos construtivos como ar-condicionado, parede divisórias e postes de iluminação interagem uns com ou outros.

De fato, um projeto deve ter a participação de um especialista em acústica na fase de concepção para garantir que o layout favoreça o conforto acústico dos moradores e atenda as especificações das normas vigentes.

O projeto acústico visa ainda aliar soluções técnicas com a parte estética da edificação de modo que os clientes possam saber quais são os melhores materiais para cada cômodo da casa. Claro, também determina como os telhados devem ser construídos.

Assim, será possível adquirir produtos inovadores e de alto desempenho, que tornarão o espaço mais confortável do ponto de vista acústico e favoreçam a comunicação. Claro, essas escolhas devem ser compatíveis com o design, ventilação e com os requisitos de segurança de cada projeto. Daí a importância da NBR 10152.

Quais são os problemas causados pelo excesso de ruído?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a audição humana suporta bem ruídos de até 50 decibéis (dB) e grande parte da população não percebe ruídos mais baixos que 30 dB.

Já os ruídos acima de 65 dB causam irritabilidade, estresse e dificultam a comunicação. Quando a medição ultrapassa 85 dB, os usuários podem sofrer danos neurológicos e psicológicos como cefaleia e insônia. O excesso de barulho pode levar ainda a problemas de audição.

A exposição excessiva a barulhos intensos pode causar problemas como fadiga, ansiedade, irritabilidade e estresse. A exposição prolongada a esses ruídos pode levar a perda de audição, que pode ser temporária ou definitiva.

Claro, os danos variam de pessoa para pessoa e conforme o tempo de exposição. Dores de cabeça e zumbido no ouvido, em geral, são problemas temporários. Já a perda auditiva e o aumento da pressão sanguínea podem ser irreversíveis e muitas vezes podem não ser notados no momento em que ocorrem.

Por outro lado, um ambiente onde não há ruídos pode se tornar monótono, deixando as pessoas sonolentas e desanimadas. No entanto, isso dependerá do tempo de exposição e do espaço em análise, visto que muitas pessoas preferem dormir em espaços totalmente silenciosos ou com um nível de ruído muito baixo.

Como minimizar o ruído dos ambientes?

Entenda tudo sobre a NBR 10152, que normatiza o conforto acústico

A aplicação de materiais de de atenuação acústica, como o 3TC, nas construções garante o conforto e o bem-estar dos moradores.  Além de evitar a interferência do ruído, o material elimina o desconforto térmico proporcionando ambientes perfeitos para o trabalho, estudo, descanso e, é claro, para o lazer.

Desenvolvido com tecnologia da Nasa, o 3TC lida com as três formas de calor: a condução que ocorre quando o calor de propaga por diferentes materiais, a convecção, que é a transmissão pela atmosfera e a radiação, oriunda dos raios infravermelhos.

Fabricado com poliestireno expandido (EPS) e duas lâminas de polímero reflexivo, o material barra até 97% dos raios ultravioleta do sol, e forma uma cobertura flexível, resistente à umidade e contínua que favorece a vedação do ambiente.

O desempenho superior do material não significa aumento de custos. A eficiência térmica proporciona maior conforto aos moradores, o que se reflete em contas de energia mais baratas devido à redução do uso do ar-condicionado e aquecedores elétricos. Além disso, o 3TC é muito menos volumoso que isolamentos tradicionais, o que elimina a necessidade de construções adicionais.

E você? Gostou do conteúdo? Quer conhecer outras normas referentes ao conforto térmico? Então, assine a nossa newsletter e receba os nossos artigos em primeira mão!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *