3TC Isolamento

Guia completo da construção de silos para grãos

A construção de silos para grãos garante o armazenamento adequado da safra e da ração fermentada destinada a alimentação do rebanho, a silagem.

Guardar sementes, grãos e a alimentação dos animais de maneira correta garante a durabilidade desses produtos e, é claro, a rentabilidade do produtor.

Os silos podem ser grandes ou pequenos. Os maiores permitem o armazenamento de diferentes produtos, no entanto dificultam a carga e a descarga dos grãos e sementes. Os menores são mais fáceis de limpar e quando construídos ao lado de outras estruturas, devem guardar espaço para circulação de veículos, pessoas e animais.

Além disso, os silos podem ser elevados ou subterrâneos – ambos precisam ser impermeabilizados para aumentar a sua resistência e durabilidade.

Quer saber mais sobre o assunto? A seguir explicaremos melhor outras características que você deve observar na construção de silos para grãos. Vamos lá? Acompanhe!

Guia para a construção de silos para grãos

O que é um silo?

Como você sabe, silos são estruturas usadas no armazenamento da safra. Permitem que os grãos sejam guardados em seu estado natural, sem a necessidade de barris ou sacos.

Essas construções são fundamentais para a otimização e para a comercialização da colheita, o que garante a lucratividade da empresa agrícola e a continuidade do negócio. Os silos mantêm a qualidade do produto armazenado, permitindo que seja vendido durante todo o ano, e são fáceis de carregar e descarregar.

Outra função do silo é o armazenamento de forragem destinada a alimentação do rebanho. Também é possível construir essas estruturas para o armazenamento de biomassa, protegendo-a da chuva, do calor excessivo e da umidade do solo. Nesse caso o silo precisa ser bem ventilado e fácil de drenar.

Classificação dos silos

Ao escolher o silo ideal para a sua propriedade é preciso observar os recursos que você deseja investir e os materiais disponíveis próximos a propriedade. Também é importante observar o tamanho da fazenda.

De acordo com um artigo científico publicado sobre o assunto, os silos podem ser destinados ao armazenamento de sementes e cereais ou forragens verdes. Em geral, são de alvenaria, cimento ou de material metálico. Também podem ser construídos com madeira, nesse caso a estrutura pode ser simples ou dupla.

A construção de silos para grãos exige cálculos estruturais precisos para garantir a sua resistência e durabilidade. Os mais comuns são os elevados, mas também podem ser subterrâneos. A estrutura precisa ser revestida, o que garante que a umidade não estrague a safra. Caso seja construído em uma encosta, o ideal é que seja de alvenaria.

Silos usados para o armazenamento de forragens podem ser cilíndricos ou poligonais. Já os usados para o armazenamento de grãos podem ter formatos variados. Caso sejam subterrâneos, no entanto, podem ter secção circular ou trapezoidal.

Vantagens e desvantagens de cada tipo de silo

Silos elevados

Os silos elevados são mais caros que os subterrâneos, no entanto, são mais resistentes e duráveis. Os de alvenaria exigem pouca manutenção, já os silos de madeira ou metal devem ser lavados e pintados com certa frequência para que a sua estrutura permaneça íntegra.

Para se manter livre da água da chuva devem contar com um telhado, o que evitará que parte dos produtos armazenados se estrague devido à umidade e ao calor.

Construções de madeira são mais baratas, no entanto, estão sujeitas a incêndios e ao ataque de roedores. Além disso, precisam ser impermeabilizadas com frequência. Os silos elevados mais duráveis e resistentes são os de alvenaria, que apresentam estrutura de tijolo e cintas de concreto armado.

Silos subterrâneos

Os silos subterrâneos precisam ser revestidos e impermeabilizados para resistir as mudanças climáticas e manter as sementes longe da umidade. Podem ser construídos em encostas e em terrenos pouco rochosos. Nesse tipo de estrutura, a carga é mais ágil e a descarga mais dispendiosa.

Silos elevados dificultam a carga, no entanto, facilitam a descarga de semente e grãos.

Capacidade

Para calcular a capacidade dos silos destinados à forragem para a alimentação de vacas leiteiras devemos estabelecer um consumo diários de 8 a 10 kg por cabeça. Esse número inclui as perdas que ocorrem no transporte e no abastecimento das baias.

Assim, para alimentar o rebanho durante três meses é necessário de 1200 a 1500 kg de forragem. Depois de ensilada e adensada, o alimento pesa entre 600 a 700 kg. Assim, temos:

1200 a 1500 V = ~ 2m3, para 150 dias. 600 a 700

O resultado é aproximado, já que a densidade da forragem pode variar de acordo com o adensamento e com o acondicionamento. Como esse valor pode variar de 0,2 a 1% do total – é importante analisar cada caso com cuidado.

O volume, portanto, deve ser calculado de acordo com o tamanho do rebanho e deve observar o período em que a alimentação será utilizada. Na construção de silos para grãos cilíndricos, temos:

V = p x r x 2h, onde r representa o raio e h a altura do silo. Caso a estrutura seja circular subterrânea a altura média é de 3m e a largura de 2m. Já em um silo elevado cilíndrico, a altura corresponde a 3 vezes a largura.

Caso o perfil seja trapezoidal, basta desconsiderar uma das dimensões e deduzir a outra. Assim, em todos esses casos, ao calcular o comprimento é possível descobrir o volume.

Por exemplo, para alimentar um rebanho de 60 animais, durante 3 meses, utilizando-se 20m³ de forragem, temos a seguinte capacidade de armazenamento ( considerando um silo cilíndrico):

V=120m3 — r 2 h, Considerando r = 2m, v = 120 e h = 10m, temos v=16m³.

Características importantes

A impermeabilidade também é um fator que deve ser observado com cuidado na construção de silos de grãos, uma vez que a estrutura deve evitar que a água entre em contato com o material armazenado. A construção também ser vedada para que o ar não entre pelas laterais ou por baixo.

No entanto, o ar proveniente do telhado pode adentrar a estrutura e entrar em contato com as sementes. A construção deve ser vedada para evitar que roedores comam a forragem. Além disso, o material utilizado não deve ser comburente, para que em caso de incêndio, as chamas não se alastrem. Além disso, a estrutura deve permitir a fácil conservação.

Foto: bengaws.com

Partes essenciais do silo

Fundações e alicerces

Em terrenos firmes, o alicerce deve ter, pelo menos, 2m de profundidade e não há necessidade de preparar o terreno para a construção. A sapata deve ser de concreto armado, com espessura mínima de 30mm.

Caso o terreno seja muito arenoso, há a necessidade de estaquear a construção. Nesse caso, as estacas podem ser de concreto ou de madeira, que devem ser tratadas para evitar o ataque de cupins, fungos e bactérias.

Piso

O piso deve ser de concreto liso e impermeável. Além disso, deve facilitar o escoamento da água da chuva e da lavagem, o que exige uma inclinação mínima de 15º.

Cava

A cava garante a estabilidade, por isso é importante observá-la na construção de silos para grãos. No entanto, o fundo da cava não deve ficar a mais de 2m abaixo do nível do terreno para não dificultar a remoção das sementes e dos grãos.

Impermeabilização

As paredes internas, externas, o piso e as cavas devem ser impermeabilizados para evitar que as chuvas ou o vento estraguem os grãos. A cava deve ser tratada em ambas as faces.

O terreno também deve ser impermeabilizado antes do início da construção. Os silos internos devem receber tratamento em ambas as faces, nesse caso, as paredes devem ser revestidas com areia, cimento e impermeabilizante. Em seguida, as paredes devem ser pintadas. Também é possível usar uma mistura de asfalto e gasolina, em partes iguais, para essa finalidade.

Parede

Paredes de alvenaria devem ser construídas com dois tijolos de espessura na parte inferior, reduzindo-se para 11/2 tijolo no corpo. A parte superior deve ter 1 tijolo de espessura. Esses tijolos devem ser assentados com argamassa, cimento e areia.

Na construção de silos para grãos de alvenaria mista, o alicerce deve ter a espessura de 11/2 tijolo. O restante da construção deve ter a espessura de 1 tijolo. Projetos de concreto armado devem exibir superfícies que variam de 7 a 15cm.

Já os silos de madeira devem ser superfícies revestidas por estuque, tela metálica ou tarugos. O ideal é que as paredes sejam duplas. Os silos metálicos podem ser montados com chapas simples.

Estrutura e reforços

Na construção de silos para grãos de alvenaria, a fundação deve ser de tijolos e concreto. Nos projetos de alvenaria mista, a estrutura deve ser reforçada por pilares e cintas de concreto armado.

Já as construções de madeira ou de chapas de metal devem exibir cintas metálicas ajustadas com parafusos especiais. Nos silos de madeira, as cintas podem ser substituídas por pares de tirantes ajustados com parafusos, porcas e arruelas.

Contraventamento

Na construção de silos para grãos de madeira ou de metal o contraventamento impede que o silo se deforme. Essas estruturas ligam as partes opostas da construção, formando triângulos que reforçam a estrutura.

Telhado

Pode ser de madeira, cerâmica, de zinco ou de fibrocimento. Silos de alvenaria podem ter telhados de concreto armado.

Todas essas coberturas devem contar com um sótão ou alçapão para permitir a acesso dos operários ao interior do silo. Quando fechada, a estrutura deve evitar que a água penetre no interior. O telhado deve contar com frestas de ventilação que permitam a entrada do ar.

Esgoto

O ralo do silo deve ser ligado a rede de esgoto, permitindo a saída da água da chuva e da limpeza. Os canos de saída devem ser construídos com manilhas de barro, canaletas de tijolos ou tubos metálicos.

Escada

A construção de silos para grãos circulares ou subterrâneos deve contar com uma escada fixa para garantir o fácil acesso dos operários.

Conservação e preservação

Antes do início da carga, toda a estrutura deve ser lavada e desinfectada. Silos metálicos devem ser repintados a cada 3 anos.

Paredes de madeira devem ser previamente tratadas para evitar que apodreçam ou sofram ataques de cupins. Esse tratamento deve ser feito com soluções industriais apropriadas que não contaminem o produto armazenado na construção, como a solução de cal com arseniato de cálcio ou o sulfato de cobre.

Foto: homes.com.br

Carga e descarga

Carga

Em silos de até 4m de altura, a carga é feita com auxílio de escadas ou rampas de acesso. Estruturas maiores exigem  elevadores ou esteiras movidas a motor elétrico. Esses silos devem contar, ainda, com ventiladores que podem ser combinados com máquinas para picar a forragem. Nesse caso, o material deve ser acamado e arrumado por um operário.

Para completar a carga do silo é preciso esperar que o volume diminua, o que ocorre devido ao desprendimento de gazes. Após esse processo, completa-se, então, a carga. Quando a carga é feita com o auxílio de máquinas, começa-se pela janela de baixo, para economizar energia.

Descarga

Nos silos elevados a descarga é feita pelas janelas ou pelas caixas, com abertura de 60 x 60cm. Essas estruturas devem ser vedadas com madeira ou com uma chapa metálica.

Nos silos subterrâneos, a descarga é feita com o auxílio de caixas, cordas e carretilhas. As janelas e caixas devem ser vedadas com borracha ou com outro material adequado para evitar que a umidade penetre no silo.

O formato das caixas pode ser circular, semi-circular ou retangular. Nesse caso, os lados devem medir entre 60 e 70cm e deve ser altura mínima de 2m. Pode ser de madeira, fibrocimento ou concreto e exibir superfícies lisas, para não prender a forragem. Caso a estrutura seja de madeira, os pregos devem ser colocados pelo lado de dentro.

Silos grandes vs pequenos

Silos pequenos facilitam a carga e a descarga. Também facilitam o corte e a distribuição de forragem. Assim, o ideal é construir mais de um silo pequeno em vez de um grande.

Caso os silos sejam construídos em série, é importante observar o espaço de circulação de veículos, pessoas e animais. Devem ser construídos em terrenos secos e pouco arenosos e próximos do rebanho. O ideal é que sejam construídos como um anexo dos estábulos ou das cavalariças.

Conheça o 3TC

Para garantir a qualidade dos grãos e das sementes, os silos devem ter uma temperatura ideal. De fato, o calor e a umidade excessivos afetam a qualidade da produção, uma vez que promovem o aquecimento da massa e a sua deterioração.

No entanto, se a umidade no interior do silo for muito baixa, os grãos podem quebrar ou trincar, o que diminui a qualidade do produto. Assim, a umidade deve ser mantida em torno de 13%.

3TC Isolamento na UBS da Sementes Primeira em São Gabriel do Oeste, MS.

Entretanto, se a umidade dos grãos ficar muito baixa, haverá maior facilidade de ocorrerem danos mecânicos, como grãos quebrados ou trincados, o que diminui o valor do produto. Assim sendo, a média recomendada de umidade é de 13%.

Isso significa que a construção de silos para grãos deve contar com um isolante, capaz de manter a umidade e a temperatura adequadas durante todo o ano.

O 3TC é um isolante térmico inovador que elimina as 3 formas de transmissão de calor: a condução, a convecção e a radiação. A condução térmica ocorre quando o calor é transmitido por materiais e fluidos, a convecção por meio do ar ou do vapor e a radiação, por raios infravermelhos.

A maioria dos isolantes térmicos elimina apelas a condução, que corresponde a apenas 10% da perda de calor de um ambiente. Os outros 90% de perda faz com que o silo se aqueça de maneira exagerada, ou perda calor de forma excessiva nos dias mais frios do ano.

O 3TC é feito de poliestireno expandido (EPS), material muito eficiente quando o assunto é isolamento térmico e muito usado em projetos de casas e indústrias. Além disso, o material apresenta superfícies reflexivas, que barram os raios infravermelhos e a radiação térmica.

O material veda totalmente o silo e outras construções agrícolas, impedindo a entrada de vapores e dificultando a transmissão de calor por convecção. O 3TC também pode ser usado em projetos residenciais e comerciais.

Esse ótimo desempenho, no entanto, não implica em aumento dos gastos – como o 3TC é menos volumoso que os revestimentos térmicos tradicionais, o tempo de construção é reduzido, assim como o custo do transporte. O revestimento 3TC também reduz as contas de energia em até 35%, uma vez que diminui a necessidade de usar ar-condicionado e aquecedores para garantir que a temperatura do silo permaneça ideal para o armazenamento.

Além disso, o é rápido e fácil de instalar. O material pode se fixado por pressão, colado, amarrado, encaixado ou pregado as superfícies do silo, o que garante um baixo volume de resíduos. A técnica escolhida depende das caraterísticas da construção e da escolha do proprietário.

Portanto, apesar de serem desafiadores, os projetos de isolamento térmico para silos garantem a qualidade ideal dos produtos armazenados.

Agora que você já sabe o que observar na construção de silos para grãos, que tal descobrir como a temperatura influencia na germinação e no vigor das sementes?

Sair da versão mobile