Em todos os setores do comércio, o conforto ambiental é um dos principais pontos para a oferta de uma boa experiência do cliente. Nos supermercados, a relevância é ainda maior. Portanto, o isolamento térmico se torna imprescindível para atrair e fidelizar clientes.

Afinal, ao contrário de outros modelos de negócio, em que o cliente compra um produto rapidamente, os supermercados podem exigir que a pessoa passe um bom tempo dentro das instalações. Ademais, culturalmente, as famílias e os indivíduos veem as compras semanais e mensais como um passeio — uma atividade para ser aproveitada com várias pessoas da casa.

Então, houver determinados tipos de insatisfação, é praticamente certo que a pessoa não retornará. Esse é justamente o caso do desconforto causado pelo calor ou pelo excesso de barulho. Felizmente, com um sistema correto de isolamento, esses dois problemas podem ser solucionados simultaneamente. Quer entender melhor? Acompanhe!

Qual a importância do isolamento térmico e acústico?

Para compreender a relevância do isolamento termoacústico em supermercados, precisamos avaliar a estruturas construtivas mais comuns em que eles estão instalados. Afinal, ao contrário de projetos residenciais ou comerciais com instalações físicas menores, a maioria dos supermercados são instaladas em edifícios semelhantes à galpões.

Afinal, demandam pés direitos mais altos, uma larga superfície, sistemas de exaustão naturais ou artificiais, entre outras características. Para que esses projetos fiquem mais baratos, várias escolhas são feitas, como:

  • escolha de telhas metálicas e telhados pré-fabricados;
  • ausência de laje;
  • piso em concreto ou cerâmicas mais resistentes com foco no custo-benefício;
  • iluminação intensa e próxima dos clientes;
  • paredes de alvenaria simples, entre outros pontos.

Tudo isso vai impactar diretamente na eficiência termoacústica da construção, pois todos esses pontos acabam facilitando a transmissão de energia para dentro do espaço. Nesse sentido, o investimento em isolamento é uma excelente opção para compensar essas vulnerabilidades, que podem comprometer as operações e estratégias do negócio.

Experiência do cliente

Hoje em dia, a customer experience é a principal preocupação dos setores de varejo. Afinal, ela influencia diversos critérios de competitividade no mercado para os supermercados:

  • com a ampliação das vendas online, é preciso oferecer uma experiência incrível para o cliente dentro dos estabelecimentos, pois será esse o grande fator que o impulsionará a sair do conforto da sua casa para ir a um supermercado em vez de fazer as compras por um aplicativo;
  • a experiência do cliente é um processo cumulativo. Isso significa que ele não a avalia por critérios individuais, mas por todo o conjunto de sensações e emoções que sentiu na relação com o negócio. Nesse sentido, se o conforto térmico for ruim, ele poderá avaliar toda a experiência como negativa, mesmo que os demais pontos tenham sido impecáveis;
  • ao lado do atendimento ao cliente e o merchandising sensorial de degustação e experimentação de produtos, o ambiente interno é o principal fator que determina a satisfação final. Diversas pesquisas, como esta publicada em uma das principais revistas de varejo, mostram isso. Ou seja, mais do que uma suposição, é um dado objetivo.

Além disso, atente para o fato de que a memória sensorial é muito mais forte que a racional. Então, é muito mais provável que um cliente se lembre do incômodo que sentiu dentro das instalações do que dos preços. Então, quanto mais você investir, melhor será seu posicionamento na lista de escolhas que ele faz na hora de decidir qual loja frequentará.

Decisão de compra e faturamento

Já dentro do supermercado, seus clientes vão avaliar os produtos, escolher quais serão colocados no carrinho e pagar. Durante esse processo, ele pode incluir itens que não planejou adquirir inicialmente ou desistir daqueles que já colocou no carrinho. Essa é a jornada típica do seu consumidor dentro da loja.

Não se esqueça de que o desconforto termoacústico desencadeia uma série de processos corporais que impactam nessa decisão de compra. Quanto maior ele for, maiores são as chances de esse fator reduzir o ticket médio — o qual avalia a média de valor que os clientes gastam no seu negócio.

Por quê? O excesso de sons, o calor e o frio são interpretados pelo cérebro como uma ameaça à própria sobrevivência. Assim, são desencadeados diversos fenômenos fisiológicos de um mecanismo conhecido como “Reação de Luta e Fuga”. Diversos hormônios são liberados para que:

  • a pessoa sinta uma urgência em se livrar daquele estímulo negativo;
  • vários fatores de proteção sejam ativados, como o suor, os tremores e a desconcentração, a fim de que a pessoa possa equilibrar novamente o funcionamento corporal;
  • desencadeamento da cascata de emoções negativas em que o próximo julgamento se torna “contaminado” pela sensação anterior e tenda a ser também negativo. Assim, um cliente com calor tem mais chances de achar que um produto é ruim, mesmo que, em situações normais, ele se interessasse;
  • a mente fica mais agitada e inquieta, o que faz com que ele varra todo o ambiente em busca de problemas. Consequentemente, pode desistir mais facilmente de um produto que já tinha colocado no carrinho;
  • tudo isso faz com que ele julgue também os outros pilares da experiência do cliente, como o atendimento, negativamente.

Como resultado, pode haver um comprometimento significativo do faturamento e da atração de novos clientes. Afinal, os supermercados dependem muito do marketing boca a boca espontâneo, em que um usuário fala para amigos e a família sobre os negócios que recomenda.

A proteção da infraestrutura de equipamentos

Ademais, os supermercados precisam de um ambiente muito mais estável e ameno no seu interior devido às próprias características das atividades:

  • os produtos alimentícios, mesmo os não-perecíveis, deterioram-se mais rápido com o excesso de calor e podem perder a qualidade;
  • alguns perecíveis podem ficar impossibilitados para consumo devido a apenas um tempo curto de exposição a temperaturas acima do recomendado;
  • os equipamentos de refrigeração realizam maior trabalho quando expostos a temperaturas maiores. Isso faz com que gastem mais energia, necessitem de manutenção com maior frequência ou não consigam executar sua função adequadamente;
  • os hipermercados que vendem produtos eletrônicos podem sofrer com a queima de peças do mostruário pela exposição a incidências solares.

Eficiência energética, economia operacional e sustentabilidade

Por fim, há a três pontos que estão interligados entre si. Com um bom isolamento térmico, ocorre uma cadeia de fatores que reduzem os custos que um supermercado tem com energia elétrica:

  • menor necessidade de equipamentos de ar-condicionado, que podem ultrapassar a proporção de 50% dos custos de energia no comércio;
  • como explicamos, quanto mais quente está o ambiente, maior é o trabalho dos equipamentos de refrigeração.

Isso é imprescindível, visto que os últimos levantamentos das associações de supermercados mostram que a conta de luz é a segunda maior despesa desse tipo de comércio.

Ela perde apenas para a folha de pagamento. Como veremos a seguir, o desconforto térmico provoca uma série de problemas de produtividade, satisfação e bem-estar dos funcionários. Por conseguinte, melhorar a climatização possivelmente têm impactos indiretos sobre os custos de manutenção dos recursos humanos. Assim toda a sua cadeia operacional colhe benefícios do isolamento termoacústico.

Além disso, essa economia não traz resultados apenas no fluxo de caixa. Sua empresa pode aproveitar essas medidas para conquistar uma imagem de sustentabilidade, a qual atrai cada vez mais clientes. A responsabilidade ambiental já faz parte dos valores do público médio, e não apenas de segmentos mais escolarizados.

Como uma das principais avaliações feitas, é a eficiência no uso de energia elétrica. Ao reduzir sua capacidade de ar-condicionado, você oferece uma medida que pode ser vista e sentida pelo cliente, fazendo-o acreditar ainda mais na sua mensagem sustentável.

Para isso, integre sua estratégia de isolamento a outros valores sustentáveis, como o uso de materiais recicláveis, duráveis e mais eficientes.

Melhor ambiente de trabalho

a ambientação é uma importante medida de cuidado com a sua força de trabalho. Todas as principais regras de ergonomia, como a Norma Regulamentadora nº17, estabelecem o controle de temperatura e de ruídos como um critério que os empregadores devem ter mais atenção. Caso elas não sejam seguidas, pode ocorrer a incidência de multas e indenizações por insalubridade.

Nesse sentido, confira algumas exigências da norma:

  • a temperatura deve ser mantida entre 23º e 26º celsius;
  • o nível de ruídos não deve ultrapassar 65 decibéis;
  • a avaliação de nível de conforto incluirá também fatores subjetivos, como relatos dos colaboradores.

No entanto, não é apenas uma questão de cumprir a legislação. Tudo isso impactará nos resultados do seu negócio:

  • funcionários insatisfeitos apresentam maiores chances de realizar um mau atendimento;
  • os fenômenos fisiológicos que explicamos acima reduzem a capacidade cognitiva global, como a atenção e a memória de trabalho, deixando-os mais propensos a erros;
  • consequentemente, a desconcentração ficará comprometida e será preciso mais tempo para que eles realizem uma mesma tarefa, provocando filas de caixa mais longas e demora para atender as demandas dos clientes;
  • o desconforto traz desmotivação, fazendo com que haja um menor engajamento com os objetivos do seu negócio e uma maior rotatividade de funcionários. Isso aumenta os custos com burocracias trabalhistas e treinamentos;
  • o estresse provocado pela Reação de Luta e Fuga libera hormônios, como o cortisol, que predispõe os indivíduos à depressão e à ansiedade. Então, haverá um maior risco de afastamentos por motivo de saúde e processos judiciais por doenças ocupacionais.

Portanto, sem investir em isolamento térmico, você economizará de um lado, mas perdendo muito mais do outro. Além disso, mais a frente, mostraremos que essa ação auxilia também na conquista de objetivos corporativos importantes, como redução de custos e de perdas.

Quais são os tipos de isolamento térmico e acústico?

Há vários tipos de isolamento térmico disponíveis no mercado, fabricados a partir de diferentes materiais e técnicas, que atuam sobre diferentes mecanismos de transmissão de calor e de som. Para que você possa comparar cada um deles, é importante que você saiba como a energia térmica e a acústica entram e saem de uma construção.

Transmissão térmica

O calor pode ser transmitido por três formas principais:

  • a condução — a qual ocorre quando dois objetos estão em contato físico em que aquele com maior temperatura aquece o de menor temperatura por meio da transmissão das vibrações de suas moléculas. É o que vemos no dia a dia constantemente quando encostamos em um objeto quente. Apesar de ser a principal preocupação do público na hora escolher um isolante, ele representa apenas 10% do fluxo de energia térmica em um edifício;
  • a irradiação — a qual é transmitida por ondas infravermelhas, aquelas que são vistas nos óculos de visão noturna. Elas não precisam de nenhum material para conduzir e, portanto, podem aquecer à distância. É o caso da energia que chega pelo sol e pelos motores. É a grande responsável pelo aquecimento das edificações, representando 90% do fluxo;
  • a convecção — ocorre devido ao movimento das massas de ar dentro de um ambiente fechado. Os gases sofrem uma variação constante de densidade devido à temperatura. Quanto mais quentes, mais “leves” eles ficam. Assim, são direcionados para o teto da edificação. Por sua vez, as mais frias ficam próximas ao solo. A movimentação dessas massas equilibra a temperatura e ventila o ambiente, contribuindo para a sensação de conforto térmico apesar de não ter impacto significativo para a transmissão de calor.

Portanto, um bom isolante deve apresentar propriedades que atuam nos três elementos. A maioria dos disponíveis no mercado amenizam apenas um deles, como veremos a seguir.

A transmissão acústica

No caso da acústica, os sons podem ser transmitidos pelo ar e pela vibração das estruturas de uma edificação. Por isso, é importante atentar para esses dois fatores, pois nem sempre um determinado material é eficiente para isolar ambos.

Por exemplo, o concreto é excelente para cortar as ondas que chega pelo ar. No entanto, vibram com muito facilidade diante de ondas mecânicas. Da mesma forma, os telhados metálicos podem gerar ruídos intensos com pequenos impactos, como os da chuva. Ambos materiais são muito utilizados nas edificações de supermercados.

Assim, reforçar essas estruturas com uma camada de isolante termoacústico com capacidade de absorver e dissipar impactos é fundamental. Uma opção bem interessante são aqueles isolantes que apresentam em sua composição o poliestireno expandido, que apresenta uma das maiores eficiências acústicas do mercado — como você pode conferir neste artigo do nosso blog.

Quais são os tipos de isolamento térmico e acústico?

Há vários materiais disponíveis no mercado, vamos falar sobre os principais deles a seguir.

O 3TC

Já que falamos que poucos isolantes são capazes de atuar em todos os processos de transmissão de energia de calor e de sons, vamos iniciar falando sobre um que bloqueia eficientemente todos eles — o 3TC.

Sua história de desenvolvimento já mostra seu alto potencial, visto que foi projetado pela NASA para servir de revestimento isolante nas roupas de astronautas e nas estações especiais. Por não ter uma atmosfera que traz mais equilíbrio térmico, a órbita terrestre está sujeita a amplas variações de temperatura, de dezenas de graus Celsius negativos sem a incidência solar a quase mais de 70º Celsius quando seus raios atingem em cheio as estações.

Assim, seria preciso desenvolver um material que permitisse a máxima redução da irradiação ao mesmo tempo em que facilitasse a circulação de ar dentro das estações e do traje (convenção) e evitasse a condução no contato com outros corpos. Assim, foi criada o 3TC, que uniu um dos melhores e mais resistentes isolantes da condução, o poliestireno estendido, a duas lâminas de polímero reflexivo com alta capacidade de mitigar a radiação infravermelha.

Além dessas características, o uso desses materiais trouxe vantagens adicionais, como alto potencial de isolamento acústico. O poliestireno dissipa ondas sonoras, evita a transmissão de vibração e amortece o impacto. Também, é um produto totalmente impermeável, auxiliando na vedação de superfícies e estruturas, além de ser resistente ao fogo.

Lã de vidro, de rocha e de PET

Todos os três apresentam um mecanismo muito semelhante, apesar de serem feitos com materiais diferentes. São pequenas redes de fio entrelaçado como a lã de ovelha, o que faz com que bastante ar seja armazenado em seu interior, os gases conduzem mal tanto o calor quanto o som. Além disso, as matérias-primas por si só apresentam estruturas moleculares que dificultam a passagem de calor.

Cada um deles apresentam uma vantagem em relação ao outro:

  • a lã de vidro é mais barata, mas menos resistente e ligeiramente menos eficiente do que a rocha;
  • a lã de rocha apresenta maior capacidade de isolamento acústico e durabilidade;
  • a lã de PET é feita com material reciclado, na maioria das vezes.

No entanto, agem apenas na redução da condução, o que reduz o potencial de melhorar o conforto térmico.

Espumas, sprays e outros polímeros plásticos

Os polímeros plásticos apresentam grande quantidade de ar armazenado em sua estrutura, além de serem péssimos condutores de calor por si só. Todos eles são capazes de bloquear apenas a condução, sendo menos eficientes do que outras tecnologias.

As espumas são fabricadas com materiais, como o poliuretano, sendo aplicadas na forma de placas ou tiras. Muitas vezes, não recebem o tratamento adequado para a segurança e, diante do contato com chamas, tornam-se inflamáveis e liberam gases tóxicos.

Os sprays também são feitos com poliuretano, mas na forma líquida e submetido a altas pressões. Quando o instalador aciona o mecanismo, ele se expande e forma uma camada que se cola ao material. Portanto, somente pode ser utilizada quando há um suporte superficial.

Foils

Ao contrário das duas opções anteriores, são materiais que atuam apenas sobre a irradiação. São lâminas reflexivas que devolvem a energia térmica para o meio ambiente. Por esse motivo, não são usadas em ambientes internos e ficam praticamente restritas ao uso externo em telhados e lajes.

Ademais, isso também impede que eles atuem sobre o isolamento acústico, sendo necessário associá-los a outros materiais para esse fim.

Como escolher um isolamento adequado para o seu supermercado?

Nesses casos, é importantíssimo avaliar algumas características do seu modelo de negócio que garantem a otimização do seu investimento.

O isolante deve ser térmico e acústico simultaneamente

Visto que tanto o conforto térmico e acústico fazem parte da experiência do cliente e da ergonomia no ambiente de trabalho, não faz sentido escolher materiais que não isolam ambos ao mesmo tempo. Você terá trabalhos custos redobrados, uma vez que, com o tempo, perceberá que ambos são importantes para sua estratégia corporativa.

Ele deve oferecer proteção contra o fogo

Há várias normas que proíbem o uso de determinados isolantes combustíveis ou inflamáveis em ambientes com circulação de pessoas. Para conquistar certificações e alvarás de segurança, é importante verificar o comportamento ao fogo de determinado material. Além de incombustível e ininflamável, ele também deve oferecer certo nível de bloqueio das chamas.

Ele precisa ser versátil

Devem vir em vários modelos diferentes, como mantas maleáveis, placas de diferentes espessuras e tubos. Com isso, você garante que eles podem ser utilizados em todas as estruturas do seu supermercado, como os tubos de ventilação, o telhado, as paredes, o piso, os forros de gesso, entre outros. Ademais, deve ser capaz de se conformar para superar os frequentes obstáculos de um supermercado, como as prateleiras sem causar muitos transtornos para a instalação.

Por que contar com a 3TC?

Além do material de excelência, a 3TC Isolamento é uma empresa especializada em sua instalação. Temos as melhores técnicas e profissionais do mercado quando o assunto é isolamento termoacústico.

Facilidade de instalação

Somos capazes de instalar o 3TC por diversas técnicas diferentes, como:

  • colagem;
  • fixação por pressão;
  • pregagem;
  • encaixe;
  • amarração.

Diante disso, verificamos todas as características das instalações do cliente e elaboramos um projeto de instalação com a melhor técnica para cada estrutura. Por exemplo, é possível proteger e passar por prateleiras de estoque existentes, instalações elétricas, equipamentos e mobiliário.

Assim, é possível fazer um processo simples e econômico com mínima produção de resíduos e intervenção no seu cotidiano de operações.

Maior agilidade

Essa vantagem, aliada à altíssima capacitação técnica dos nossos colaboradores, faz com que a instalação seja feita muito mais rapidamente em comparação aos nossos concorrentes. Planejamos sempre fazer o máximo de atividades a distância por meio do desenvolvimento de peças pré-moldadas. Isso evita o excesso de cortes e adaptações da peça no seu supermercado, o que atrapalha os seus clientes com sons estressantes e ainda produz muito lixo.

Portanto, apesar de serem desafiadores, os projetos de isolamento térmico e acústico trazem bastantes benefícios para seu supermercado. Quando você contrata uma empresa de alta qualidade, você terá os melhores materiais e serviços. Ela não se limitará a instalar, mas contribuirá para o planejamento e o suporte da estratégia. É justamente isso que fazemos aqui na 3TC.

Ficou interessado no 3TC e na nossa proposta de serviço? Então, não deixe de entrar em contato com a gente neste link!

2 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *