Posts

É só começar o verão que todo mundo começa a se perguntar: “nossa, como eu deixo minha casa mais fresca?”. As altas temperaturas despertam reações corporais insuportáveis, não é mesmo? Começamos a transpirar demais, a respiração fica ofegante e a energia acaba.

Felizmente, há várias medidas que podemos tomar para amenizar o clima no interior do nosso lar e torná-lo agradável. Quer saber mais? Acompanhe!

Como deixar a casa mais fresca?

Há algumas medidas simples que podem ter um impacto significativo na redução dos seus problemas com o calor. Confira!

Evitar muitos elementos escuros

Já reparou que, quando você utiliza roupas pretas no calor, a sensação é muito pior? Isso não é só uma impressão sua, esse fenômeno está relacionado com a natureza da energia solar. Cada cor absorve determinadas faixas dos raios de luz e reflete outras. Por exemplo, o azul absorve o verde, o amarelo, o vermelho, o violeta, o laranja e o anil. No entanto, ele reflete o azul.

O branco, que é associado ao verão e a roupas frescas, tem a capacidade de devolver praticamente todos os raios de luz visível. Já o preto apresenta a propriedade de absorver toda a radiação da luz sem refleti-la, ou seja, esquenta muito mais os objetos sob os quais incide.

Por essa razão, ele é muito utilizado em sistemas de aquecimento e de energia solar. Afinal, aproveita o máximo do poder da radiação do sol. Entretanto, quando é aplicado nos ambientes domésticos, o resultado é bem negativo no verão, pois o clima interno realmente ficará muito mais quente.

Deve-se evitá-lo principalmente nas fachadas e nos telhados, onde ele entrará diretamente em contato com os raios de luz. Assim, acabam esquentando demais a construção e provocando dificuldades em atingir o conforto térmico.

Consequentemente, você precisará investir muito mais em sistemas de ar-condicionado ou em ventiladores. Isso pode provocar um problema muito sério na conta de luz, pois o consumo de eletricidade desses equipamentos é altíssimo.

Investir em plantas

Você já deve ter ouvido falar que a Amazônia é o pulmão do mundo, não é mesmo? Mas isso não é muito exato, pois, na verdade, ela funciona mais como o ar-condicionado do mundo. Os processos fisiológicos das plantas têm a capacidade de reduzir a temperatura ambiental, deixando mais amena. Você pode trazer esse efeito para dentro da sua casa.

Durante o dia, as plantas transpiram, ou seja, absorvem a água dos vasos e liberam por suas folhas. Esse processo absorve um pouco da energia do meio e a água ajuda a manter a temperatura mais estável. Além disso, a própria fotossíntese apresenta uma capacidade pequena de mitigar a radiação solar.

Já as árvores maiores também apresentam uma função adicional, sendo uma barreira física importante para impedir a incidência direta dos raios de luz nas casas. Com isso, reduz-se bastante o aquecimento das paredes, que são responsáveis por cerca de 40% da superfície das casas.

A decoração verde já é uma tendência no mundo inteiro e está sendo cada vez mais aplicada. Isso não é só nos cômodos internos, mas também nas fachadas e no telhado. Uma nova estratégia são os telhados verdes, que contam com uma camada de vegetação e terra, sustentada por outras de impermeabilizantes, isolantes térmicos, grades de escoamento etc. Desse modo, pode-se devolver para o meio ambiente quase toda a energia solar incidente sobre o teto.

Da mesma forma, as paredes verdes também são bem interessantes e funcionam de forma bem semelhante, com camadas de impermeabilizantes e isolantes. Porém, os tipos de planta e de terra utilizados precisam ser mais firmes para evitar a queda da estrutura.

Usar cortinas

Essa é uma das medidas mais antigas, mas não muito eficiente. Afinal, as janelas representam apenas 10% da absorção de calor por uma construção. Então, apesar de serem excelentes para reduzir a claridade, não fazem muito pelo calor.

No entanto, isso não significa que elas são inúteis. Elas apresentam uma função muito importante de evitar o aquecimento dos objetos próximos às janelas. Muitas vezes, equipamentos eletrônicos sensíveis à temperatura fica muito próximos da entrada de luz. Assim, podem se sobreaquecer e prejudicar os circuitos internos.

Também, são essenciais para evitar que os raios de sol agridam a nossa pele quando estamos deitados na cama ou no sofá. Para ter o máximo de efeitos, é interessante utilizar uma boa cortina blackout, ela apresenta uma superfície refletora capaz de devolver uma pequena parte da radiação de volta para o meio externo.

Preferir lâmpadas LED

As lâmpadas também são outra fonte muito comum de aquecimento. Durante o processo de conversão de eletricidade em luz, muita energia térmica é liberada em alguns equipamentos.

Entre todos os tipos de lâmpada, a pior de todas é a incandescente — aquela que deixa o ambiente amarelado. A temperatura do filamento interno pode ser superior à da superfície do sol. Então, imagine o que acontece quando a utilizamos nas nossas residências.

Em segundo lugar, estão as lâmpadas fluorescentes — também chamadas de brancas. Elas são mais eficientes na produção de luz e, por isso, liberam menos calor do que as incandescentes. Mesmo assim, ainda apresentam um bom potencial de aquecimento. Se você já tentou trocá-las com a mão depois de um tempo acesas, você provavelmente se queimou feio.

Por fim, temos a opção mais eficiente, o LED. Seu grande diferencial é utilizar um semicondutor, os mesmos que estão nos nossos computadores, para produzir luz. Eles são construídos com alta tecnologia de forma que uma pequena corrente elétrica já é capaz de produzir uma quantidade muito grande de luz. Tudo isso sem praticamente liberar energia térmica.

Utilizar essências de limão ou eucalipto

Aqui, não temos um efeito físico, mas psicológico. Há determinadas essências que o nosso cérebro associa automaticamente com o frescor. Então, quando os sentimos, há um alívio da percepção do calor.

Em outras palavras, não é nossa pele que absorve menos radiação térmica, mas o nosso cérebro é “convidado” a se acalmar pelo estímulo das essências. No verão, você vai encontrar esse tipo de produto com facilidade nas lojas de departamento, móveis e de decoração.

Dar preferência a cores claras

Lembra das propriedades da luz que explicamos lá em cima? Então, aqui, o mecanismo é o mesmo. Quando mais clara uma cor é, mais corante branco ela recebeu. Consequentemente, ela tem uma capacidade maior de refletir a radiação da luz solar.

Se você acha as cores claras muito monótonas, há mais opções no mercado hoje em dia. É possível encontrar tanto os tons pastéis quanto as cores vivas (verde, amarelo e vermelho). Outra medida eficiente é pintar o telhado de branco. Isso reduz bem pouco o aquecimento da estrutura, mas, em conjunto com outras medidas, pode ser interessante.

Como solucionar problemas de calor em casa?

Até agora, falamos de medidas que amenizam o calor nas casas, mas nenhum efetivamente resolve o problema. Certamente, você deve aplicá-las sempre que for possível, mas também é imprescindível contar com uma ação que vai direto na raiz do problema — os isolantes térmicos.

Eles atuam sobre algumas das três seguintes formas de transmissão de calor:

  • condução — acontece quando dois corpos estão em contato direto um com o outro. Assim, as moléculas do mais quente agitam as do mais frio até atingir o equilíbrio térmico e ficarem na mesma temperatura. Exemplificando, quando o motor da geladeira esquenta parede, estamos falando da condução térmica;
  • irradiação — ela ocorre à distância e os objetos não precisam estar em contato para modificar a temperatura do outro. Além disso, a transmissão de energia por esse meio é constante, visto que não é interrompida quando é atingido o equilíbrio térmico. Esse é justamente o mecanismo do aquecimento do sol nas construções. Mesmo a milhões de quilômetros do nosso planeta, ele é capaz de elevar a temperatura a níveis altíssimos;
  • convecção — é o processo menos intuitivo de todos para o público leigo, mas acontece o tempo todo. O ar, quando aquecido, torna-se menos denso. Dentro dos cômodos, está acontecendo isso o tempo inteiro, pois o teto troca constantemente energia com o meio externo.

Nem todos os isolantes são capazes de agir sobre todos os processos, o que prejudica a sua eficiência. Ademais, o processo de instalação e manutenção de alguns podem torná-los inviáveis para um ambiente residencial. Com isso, você não economiza tanta energia elétrica, mas gasta muito no isolamento.

Para que você não enfrente esse problema, vamos falar dos principais materiais disponíveis no mercado. Assim, você pode escolher o melhor para a sua necessidade.

Foils de alumínio

Os foils de alumínio são lâminas metálicas com um lado adesivo. Desse modo, pode ser instalada diretamente sobre as estruturas da construção. Isso pode ser um grande problema, visto que não permite o descolamento sem danificar a superfícies.

Além disso, só agem sobre um processo de transmissão de calor, a radiação. Com isso, não isola suficientemente, apenas ameniza a situação. Também, não atua sobre o isolamento acústico, é muito desejado nos projetos residenciais.

Lã de carneiro

Esse foi um dos primeiros isolantes utilizados pelo homem. É excelente para as roupas, mas nas construções são muito ruins. Além de não evitarem a radiação de calor, eles são feitos de material facilmente degradável. Então, basta que surja um mofo ou uma infiltração que você terá de substituir todo o isolamento.

Lã de rocha

Para contornar os problemas das lãs animais, desenvolveu-se essa tecnologia. A partir dela, um mineral chamado de diábase é derretido em alta temperatura e submetido a diferenças enormes de pressão. Com isso, é possível obter o aspecto fibroso da lã, porém sem grande parte dos pontos negativos.

Muito mais resistente, ela não sofre a degradação devido à umidade. No entanto, também não é impermeável e pode acumular água entre seus fios. Por sua vez, apresenta a vantagem de ser um bom isolante acústico e ser altamente resistente ao fogo.

Lã de vidro

A lã de vidro passa por um processo de fabricação muito semelhante aos anteriores, mas a matéria-prima é a sílica — que também é a base do vidro. Por isso, a lã recebe esse nome, apesar de não ser feita diretamente desse último material.

As propriedades termoacústicas e físico-químicas são praticamente às mesmas da rocha. A principal diferença é a sua leveza, o que permite uma maior versatilidade nos projetos residenciais.

Lã de PET

Essa é última lã sobre a qual vamos falar. Ela é feita a partir do mesmo material do plástico, porém passa por um processo de aditivação com substâncias para melhorar a resistência ao fogo. Isso ameniza o problema, mas não o soluciona completamente. Como vantagem é a possibilidade de ela ser feita com material reciclado, tirando parte do plástico do meio ambiente.

Espumas de poliuretano

As espumas são o tipo de material isolante mais polêmico, visto que estão ligadas com vários incêndios ao redor do mundo. No Brasil, o caso mais famoso foi o da Boate Kiss, em que mais de 200 pessoas morreram. A espuma de poliuretano do estabelecimento não era aditivada e, portanto, era altamente combustível.

Assim, quando ocorreu o curto-circuito, o fogo logo se alastrou rapidamente ao utilizar a espuma como “alimento”. Por essa razão, é preciso se certificar sempre se a espuma de poliuretano para o isolamento apresenta o certificado de proteção contra os incêndios.

Mesmo a opção mais segura não é muito vantajosa. A espuma é muito porosa e, assim, acumula umidade. Com o tempo, infesta-se de mofo e de ácaros, deixando o ambiente insalubre. Ademais, é extremamente frágil, qualquer atrito pode romper a estrutura.

Poliestireno e EPS

O poliestireno é o bom e velho isopor — que é um material eficiente, mas perigoso para o isolamento por ser inflamável. Por essa razão, foram desenvolvidos diversos processos industriais para torná-lo muito resistente ao fogo. O melhor desses processos é a expansão físico-química, que gera o EPS.

Ele apresenta vantagens muito interessantes para um bom isolamento térmico. Primeiramente, é inerte, ou seja, não interage com a água e nem produz gases potencialmente tóxicos. Também, é completamente impermeável, contribuindo com uma barreira a mais para o combate às infiltrações.

Ademais, são isolantes termoacústicos de altíssima eficiência, bloqueando grande parte da condução de calor — apesar de muito ineficiente em bloquear a radiação. Por fim, são muito leves, o que facilita o transporte e a instalação. A principal desvantagem é a fragilidade ao atrito, a qual pode ser compensada com um reforço na estrutura.

3TC

Até agora, vimos materiais que atuam somente em um dos processos de transmissão de energia calorífica. Com isso, apresentam uma eficácia muito limitada para o isolamento termoacústico.

Pensando nisso, a NASA, — agência de viagens especiais americanas — estudou cada um dos materiais para encontrar uma opção mais completa. Afinal, no Espaço, os astronautas se submetem diretamente à radiação solar.

Assim, surgiu o 3TC. Ele busca combinar o alto poder reflexivo das lâminas metálicas com a enorme capacidade anticondutiva do EPS. Assim, ao juntar os melhores materiais para evitar cada processo de transmissão, foi possível obter o melhor tipo de isolamento térmico do mercado.

Por essa razão, a nossa empresa desenvolveu os melhores processos de produção e distribuição do 3TC para todo o Brasil. Nas nossas placas e mantas, não utilizamos apenas uma camada de lâmina refletiva, mas duas. Com isso, aumenta-se a capacidade de combater a radiação e também a resistência das placas.

Desse modo, concretizamos nossa missão de levar economia e sustentabilidade por meio de um material acessível ao público geral. Nem toda alta tecnologia precisa ser cara e a 3TC Isolamentos está aí para mostrar isso.

Quais são os benefícios de uma manta térmica 3TC?

Agora que já explicamos como funcionam os materiais que compõe a manta 3TC, ficará mais fácil para você entender alguns de seus benefícios nos projetos residenciais.

Alto poder de isolamento térmico

As lâminas duplas do 3TC são capazes de refletir 90% da energia calorífica oriunda da irradiação de calor. Desse modo, os raios de solta não conseguem atingir à estrutura da construção e esquentá-la. Já o EPS apresenta uma estrutura molecular muito rígida, que não permite a condução eficiente de calor de uma face à outra do isolante. Consequentemente, temperaturas muito mais amenas são atingidas no interior.

Isso tem um impacto muito positivo na economia de energia. Grande parte do consumo de eletricidade nas residências é causada pelo uso de ares-condicionados durante o verão. Com o 3TC, você aumenta a eficiência deles por diversos processos:

  • reduz-se a troca de calor entre o meio externo e o interno pelo teto e pelas paredes;
  • exige-se menos trabalho do motor do aparelho, que poderá trabalhar em menos potências;
  • isola-se toda a tubulação de transporte de ar, permitindo que o ar chegue ao ambiente na mesma temperatura que saiu do ar-condicionado.

Portanto, é uma solução térmica muito menor do que as demais que apresentamos anteriormente.

Alta eficiência de isolamento acústico

Por causa dessas propriedades moleculares, o EPS também é um excelente isolante acústico. Isso é essencial para o ambiente residencial, pois ninguém quer ficar incomodado com os barulhos dos carros nas ruas e das conversas dos transeuntes.

Outra demanda importante é a privacidade. Quando o 3TC é aplicado nas paredes, das divisórias e nos drywalls, você poderá ter a tranquilidade de que nenhuma das suas conversas serão ouvidas por outros moradores.

Impermeabilidade

Grande parte dos isolantes tradicionais são altamente permeáveis. Isso é muito ruim para as construções, visto que, em vez de a água escoar lateralmente, ela fica acumulada na manta. Isso predispõe às infiltrações, ao mofo nas paredes e no próprio isolante, entre outros problemas importantes.

Já o 3TC é altamente impermeável e auxilia as estruturas da construção a escoar a água. Desse modo, você está prevenindo diversos problemas danos provocados pela umidade.

Resistência física

As lâminas metálicas deixam o 3TC bastante resistente aos atritos, riscos e cortes. Dessa forma, você pode aplicá-lo com segurança em regiões com alto trânsito de objetos e pessoas, como as garagens.

Resistência ao fogo

A resistência ao fogo é um dos critérios mais importantes para avaliar em um isolante térmico. Afinal, especialmente no caso dos polímeros orgânicos, há um receio muito grande de que eles sirvam de combustível durante os incêndios.

Apesar de pertencer a esse grupo de materiais, o 3TC é fabricado com um núcleo de EPS tipo F, o qual é comprovadamente antichamas. Inclusive, o 3TC Isolamento possui laudo do IPT, assegurando sua classificação A-II, o que lhe torna 100% adequado à instalação em qualquer tipo de ambiente. Com isso, você garante a conformidade total às regras do corpo de bombeiros e da prefeitura.

Durabilidade

Com toda essa engenharia de ponta, o 3TC é um produto feito para durar. Ou seja, não é um daqueles isolantes que você terá de trocar em 4 ou 5 anos, mas um que vai acompanhar toda a vida útil da sua construção.

Ele é tão confiável que as transportadoras de cargas em caminhões contratam a 3TC isolamentos para fazer o revestimento térmico dos baús. Lá, certamente, as mantas e as placas sofrerão os mais diversos tipos de atrito e de impacto. Por isso, garantimos a sua satisfação sem medo de errar.

Facilidade de instalação

O 3TC é um dos poucos isolantes que podem ser instalados com praticamente todos os métodos de fixação:

  • a superfície metálica pode ser colada com várias substâncias diferentes, como a cola contato, a cola PU, a cola branca, a cola madeira, entre outras;
  • também pode ser furada e pregada com parafusos. Por meios de expansores próprios, as mantas e as placas ganham mais firmeza sem nenhum tipo de dano;
  • é possível fixá-las por pressão nas vigas do telhado, entre as lâminas do drywall, abaixo dos laminados etc.

Ou seja, não importa o local onde você deseja instalar, nós conseguimos fazer essa tarefa com segurança e eficiência. Ao contrário de outros fornecedores, você não vai precisar ligar daqui um tempo pedindo para consertar uma peça solta.

Vedação

Por fim, temos a vedação — que é a capacidade de um material se conformar entre as frestas e impedir que resíduos, insetos e líquidos passem pelo espaço vazio. A manta 3TC é extremamente maleável e fácil de manipular.

Portanto, com a 3TC Isolamentos, o cliente vai ter um serviço completo e atencioso com a instalação do melhor isolante do mercado. Então, se no calor intenso deste verão, você estava se perguntando como deixar a casa mais fresca, agora tem a solução ideal. Com essa tecnologia aeroespacial, nunca mais vai haver uma reclamação de desconforto térmico dentro das suas paredes.

Quer saber mais como podemos ajudá-lo no seu projeto residencial? Então, entre em contato com a 3TC! Ouviremos atentamente cada especificação e buscaremos explicar tudo sobre como nossas soluções vão ajudar! Também, tiraremos qualquer dúvida sobre instalação, entrega e pagamento!

Na busca de melhor qualidade de vida e privacidade, isolamento acústico é muito importante. É comum as pessoas procurarem soluções para impedir que certos ruídos e barulhos externos entrem em seu ambiente domiciliar. Para que isso ocorra, existem muitas soluções no mercado, sendo por isso fundamental conhecê-las para poder escolher o melhor material para isolamento acústico.

Afinal, esse composto possui a capacidade de impedir que o som passe por ele. Logo não vai deixar ruídos entrarem ou saírem de determinado ambiente. Além disso, algumas das soluções usadas para esse fim também apresentam propriedade de isolamento térmico. Isso também garante maior eficiência energética.

Não é por acaso que o isolamento acústico se tornou uma necessidade para certos estabelecimentos comerciais e industriais. Por isso, para que você possa escolher aquele que melhor atenderá as suas necessidades, fizemos uma lista com os quatro principais tipos de materiais. Tenha uma boa leitura!

Por que é importante escolher corretamente o material para isolante acústico?

Conceitualmente, conforme já explicamos, a capacidade de isolamento acústico se baseia na possibilidade de que determinado material tem de impedir que o som passe por ele. Normalmente, esse tipo de composto apresenta grande densidade e serve como uma barreira física, a qual dificulta a passagem do som.

Como cada material tem características próprias, eles não apresentam a mesma capacidade de isolamento acústico. Além disso, são poucos componentes que também conseguem isolar termicamente o ambiente. Sendo assim, é preciso entender qual é o tipo de problema que se deseja resolver para poder escolher a solução mais adequada e de melhor custo-benefício.

Por isso, é tão importante conhecer os diferentes materiais existentes no mercado. Afinal, para evitar futuras complicações e desperdícios, é fundamental escolher uma solução que consiga atender às necessidades dos usuários da edificação.

Quais são os principais materiais?

Atualmente, é possível encontrar no mercado grande variedade de materiais que proporcionam isolamento acústico, sendo que os principais são:

1. Espumas acústicas

Muito utilizadas no tratamento acústico de estúdios de gravação — é comum que esse composto faça parte da decoração desses espaços —, as espumas acústicas são um material barato que têm como principal função melhorar a emissão e a qualidade do som. Para isso, ela absorve e reduz a reflexão do som interno de um ambiente, de modo a eliminar o eco, deixando-o mais seco.

Apesar desse material ser muito utilizado na indústria musical, ele não tem capacidade de isolamento acústico. Caso haja o desejo de atenuar o som, é preciso utilizar as espumas acústicas com outros materiais. Também é comum que esse material receba tratamento especial com aditivos para que consiga retardar o tempo de propagação de chamas e reduzir a emissão de fumaça tóxica caso ocorra um incêndio.

2. Lã de vidro

Comercializada em rolo ou em painéis, a lã de vidro é uma fibra mineral produzida a partir do aquecimento a altas temperaturas da sílica e do sódio. Apresenta fácil instalação, pode ser fixada com facilidade nas paredes, bastando apenas utilizar buchas, parafusos ou velcro.

Além disso, devido ao índice de absorção acústica e sua baixa condutibilidade térmica, esse material tem o seu uso recomendado para isolar termicamente e fazer o tratamento acústico de um ambiente.

Apesar de ser resistente ao fogo, de modo a não propagar chamas, a lã de vidro não suporta incêndios de grande magnitude, os quais proporcionam temperaturas superiores a 800ºC.

Outra característica importante desse material é a sua longa vida útil, pois não sofre deterioração. Pode ser aplicado em paredes, pisos e tetos.

3. Lã de rocha

Produzida a partir do superaquecimento de materiais derivados de rochas basálticas, a lã de rocha é um composto muito utilizado nos isolamentos acústicos de ambientes. Bastante versátil, ela pode ser utilizada em paredes duplas de drywall ou de alvenaria, em pisos flutuantes, coberturas e forros.

Não pode ser usada de maneira exposta, uma vez que gera um pó que causa irritação e coceira nos usuários de uma edificação.

Além de apresentar elevado índice de absorção acústica, a lã de vidro proporciona ótimo isolamento térmico, o qual possibilita um local com temperatura ambiente agradável em todas as estações do ano.

Por não se degradar com o passar do tempo, outra vantagem é a sua elevada vida útil, porque também não necessita de manutenção constante.

3. 3TC isolamento

Inspirado no funcionamento dos trajes de astronautas e das garrafas térmicas — os quais conseguem controlar a temperatura em situações de calor e frio — o 3TC isolamento é um isolante que foi desenvolvido para combater as três formas de transferência de calor. Afinal, a temperatura ambiente é influenciada pela condução, pela radiação e pela convecção.

Apesar de ser amplamente conhecidos, os isolantes tradicionais combatem apenas 10% da transferência de calor proveniente da radiação. O 3TC utiliza o poliestireno expandido (EPS) para atuar contra a condução térmica, além de possuir duas lâminas de um polímero refletivo que impede a entrada de 97% da radiação térmica.

Para combater a convecção, o produto apresenta uma cobertura contínua, flexível e impermeável, que veda o espaço isolado e impede a entrada de vapores que causarão esse fenômeno. Assim, ao atuar nessas três frentes, o 3TC é um produto isolante de alta performance.

Além da capacidade de isolamento térmico, o 3TC apresenta possibilidade de atenuação acústica. Dessa forma, em muitos casos, o 3TC pode ser um ótimo material para isolamento acústico.

Atualmente, o produto é encontrado em placas ou rolos. Em alguns casos pode ser feito em medidas personalizadas que garantem a diminuição do desperdício e do custo do frete. Por tudo isso, esse material é, sem nenhuma dúvida, a opção de melhor custo-benefício do mercado.

Por que escolher o 3TC?

Como é possível perceber, o 3TC é um produto de alta performance, que apresenta ótimo custo-benefício. Por combater as 3 formas de transferência de calor, ele consegue ser mais eficiente que as demais opções de isolamento existentes no mercado. Além disso, o produto apresenta excelente capacidade de absorção acústica.

Outra vantagem do produto é sua vida útil. Além de apresentar custo de manutenção reduzido, pois não quebra, não racha nem se danifica com facilidade. Para garantir mais segurança e saúde aos usuários de uma edificação, o 3TC é imune a mofos. Sua composição também impede o surgimento de formigas e não propaga chamas (Classe II-A).

Diante de todas essas vantagens, o 3TC surge como excelente opção de material para isolamento acústico. Isso por ser capaz de conciliar tecnologia, eficiência e custo-benefício, tudo em um só produto.

Caso você tenha se interessado pelo nosso produto e queira saber mais sobre ele, que tal entrar em contato conosco? A nossa equipe terá o prazer em atendê-lo e solucionar todas as suas possíveis dúvidas.

A compra e instalação de um aparelho de ar condicionado já foi considerada artigo de luxo, um eletrodoméstico para poucos. Recentemente, com o aumento da temperatura global, e o calor absurdo que vem fazendo, cada vez mais pessoas incluem um ar condicionado como indispensável. Ainda mais para pessoas que vivem nas regiões mais quentes do país e empresas que precisam da instalação do mesmo para o controle da temperatura. O crescimento da utilização de aparelhos climatizadores causa um impacto no consumo de energia, e o impacto na conta de luz é tão certa quando o conforto térmico proporcionado por este eletrodoméstico: o mais pesquisado e almejado nas épocas de calor.  Investir em um aparelho de ar condicionado é uma decisão a ser tomada com muita cautela. Além do custo do aparelho, é preciso considerar alguns fatores, dentre eles:

  • o custo da instalação
  • custo de manutenção
  • potência adequada
  • consumo de energia elétrica

O fator consumo de energia elétrica talvez seja o mais custoso, pois o custo da energia só aumenta a cada ano. Por isso compilamos nesse post algumas informações importantes. Antes de comprar um ar condicionado, saiba quais as dúvidas mais comuns e as respostas para estes problemas. Veja abaixo as dúvidas mais frequentes de quem quer comprar um ar condicionado, e se informe para não cair em pegadinhas!

O que é um ar-condicionado?

O condicionamento do ar é um sistema que refrigera ou esquenta ambientes fechados, podendo até melhorar a qualidade do ar, umidade e circulação com a opção do controle da temperatura desejada para o ambiente.

O ar condicionado tem como principal objetivo deixar ambientes em temperaturas agradáveis criando uma sensação de conforto térmico. Hoje um aparelho de ar condicionado pode até possuir função de refrigeração, aquecimento, ventilação, umidificação, desumidificação, e até mesmo filtro que retêm bactérias, ácaros e vírus da “gripe suína”, o H1N1.

Como funciona um ar condicionado?

O princípio de funcionamento dos condicionadores de ar, nada mais é do que a troca de temperatura do ambiente, através da passagem de ar pela serpentina do evaporador que por contato sofre queda ou aumento de temperatura, dependendo do ciclo utilizado, baixando a umidade relativa do ar.

Quando alcançado a temperatura desejada se faz uma leitura através de um sensor (termostato) localizado no evaporador, que este, por sua vez, desliga o compressor, fazendo com que o equipamento mantenha a temperatura. Variações na temperatura estipulada aciona-se novamente o compressor que é responsável pela circulação do gás refrigerante dentro do sistema.

Quais as funções de um aparelho de ar condicionado?

Nem sempre todos os condicionadores de ar possuem as mesmas funções. Existem diversos tipos de sistemas, onde cada um possui uma tecnologia ou uma característica diferente, dentre estas estão:

  • refrigeração
  • aquecimento
  • desumidificação
  • umidificação
  • ventilação
  • filtragem
  • automação

Quais os modelos de aparelhos de ar condicionado?

Existem aparelhos indicados para uso industrial ou residencial, dependendo do tamanho do espaço, e das peculiaridades do ambiente. São elas: utilização de isolamento térmico, número de máquinas/eletrodomésticos, tamanho do ambiente, número de ocupantes. Estes são alguns dos fatores necessários para o cálculo de potência que falaremos a seguir.

A linha industrial são produtos que necessariamente precisam de um projeto e especificações. Precisam ser realizados por engenheiros capacitados, com sistema de distribuição central, afim de climatizar todo um ambiente. Alguns sistemas possuem controle por quarto ou compartimentação do local, e alguns possuem sistema inteligente. Esta linha é a mais indicada para shoppings, galpões climatizados, prédios comercias, obras de grande porte.

Na linha residencial você encontrará produtos da categoria janela, Split ou VRF. Estes são aparelhos que comportam e se adaptam na climatização de apenas um cômodo. Nestes casos o cálculo de potência é feito apenas para aquele local. Este tipo de ar condicionado é indicado para aqueles que querem climatizar uma sala de escritório, um quarto/cômodo em uma casa. Ou seja, para a utilização em ambientes pequenos.

Como escolher a potência do seu ar-condicionado?

Existem várias maneiras diferente de se calcular a potência correta de um aparelho de ar condicionado, e deve-se levar em conta diversos fatores, como número de ocupantes, tamanho do ambiente, número de aparelhos eletrônicos, utilização de isolantes térmicos. Caso queira calcular a potência, temos uma calculadora de BTUs para você comprar o tamanho adequado, sem gastar energia extra, nem ficar insatisfeito com o resultado, e também um post explicando o que significa BTU, e como ele influencia diretamente na compra do aparelho de ar condicionado.

Qual a diferença entre o condicionador de janela e ar Split?

O condicionador de janela são os aparelhos compactos, produtos com o corpo único, que pode ser instalado na parede ou na janela, hoje estes produtos estão com tecnologias que possibilitam um baixo consumo de energia. Em contrapartida, eles não são tão silenciosos quanto a linha Split. O evaporador e o condensador ficam juntos dentro do mesmo gabinete. Possui algumas restrições para instalação em determinados edifícios ou residências, como por exemplo, alteração da fachada.

Já o sistema Split é dividido em duas ou mais unidades. Uma unidade externa (condensadora) e uma ou mais unidade internas (evaporadora). A ideia deste produto é diminuir o nível do ruído do aparelho dentro do ambiente, pois o compressor, que é o item com maior nível de ruído, fica na unidade externa (condensadora). A união entre as unidades é feita através de uma tubulação frigorífica, utilizando cobre ou alumínio, revestidos de isolamento térmico. A unidade externa, ou condensadora, é destinada para a mudança do estado do gás para líquido, instalada externamente em local de fácil acesso com distância pré-definida pelo fabricante do equipamento. A unidade interna, ou evaporadora, é destinado ao resfriamento do ar no local a ser condicionado. Podem ser instaladas em paredes, piso, sob o forro, semi-embutida (CASSETE) no forro e embutidas no forro (DUTO).

Qual a capacidade (BTU/hora) ideal do aparelho de ar condicionado?

A potência do ar condicionado é medida através de BTU/hora, que significa, uma unidade de potência: BTU (British Thermal Unit = Unidade Térmica Britânica). Caso queira saber mais, fizemos um post dedicado a essa sigla, para você entender melhor.

Para escolher um ar-condicionado é preciso considerar o tamanho do ambiente, o seu isolamento, a sua exposição ao sol ou sombra, a quantidade de eletrônicos no ambiente e o número de pessoas que frequentarão o lugar. Outro dado importante para sua eficiência é o local onde está instalado. O ideal são paredes voltadas para o leste ou sul, onde a incidência solar não é tão forte. Caso não seja possível evitar raios solares, instale uma proteção para evitar a incidência diretamente no aparelho.

Como mencionado anteriormente, utilize nossa calculadora de BTU para ter uma estimativa precisa.

O que é tecnologia inverter?

Primeiramente você deve saber sobre a tecnologia Inverter é sua eficiência no consumo de energia. Essa tecnologia já existe há alguns anos para modelos de ar condicionado split, e o processo de economia é baseado no melhor aproveitamento da energia, sem picos e muitos desperdícios. Afinal, a energia mais barata é a que não se usa.

A tecnologia Inverter garante um aparelho econômico, durável e principalmente silencioso que refrigera o ambiente de forma constante ao controlar a velocidade do compressor. Por não ficar ligando e desligando como modelos comuns, ele acaba deteriorando menos o motor, reduzindo assim a emissão de ruídos.

Explicando melhor, a tecnologia faz com que o compressor fique sempre ativo. Desta forma não ocorrem picos de voltagem como acontece em aparelhos comuns. O nome da tecnologia, assim como com o 3TC Isolamento, indica o que acontece tecnicamente: ele inverte a frequência que controla a velocidade de compressão do ar.

Desta forma quanto menos calor precisar ser retirado do ambiente, menor será a velocidade do compressor, economizando energia. Para compreender melhor, essa tecnologia pode gerar até 60% de economia se comparada a um aparelho de mesma potência, num mesmo ambiente.

A tecnologia inverter está integrada na unidade exterior. Uma unidade inverter aumentará gradualmente a sua capacidade consoante à capacidade adequada a divisão que se pretende esfriar ou aquecer. Uma unidade não-inverter funcionará no máximo do seu poder todo o tempo, ou seja, há um consumo maior de energia.

Como e quando dar manutenção no seu aparelho de ar condicionado?

A manutenção de aparelhos de ar-condicionado é uma parte importante em garantir a durabilidade de seu aparelho e a qualidade do ar que respira.  A manutenção preventiva do ar-condicionado – prática que vai além da limpeza dos filtros feita a cada quinze dias, deve ser realizada no mínimo uma vez por ano. A manutenção irá prevenir panes, melhorar a qualidade do ar, aumentar a vida útil do aparelho e a eficiência também.

Alguns dos procedimentos de limpeza podem ser feitos pelo dono. Contudo alguns procedimentos são mais complexos, e é mais recomendado a contratação de um profissional. A limpeza dos filtros, já mencionada anteriormente, pode ser feita por você mesmo. Primeiramente, é importante conferir o manual do aparelho para saber como remover e recolocar as partes do ar-condicionado. Além disso, seguindo os passos abaixo é possível dar uma manutenção primária:

  • desligue o ar-condicionado e o retire da tomada;
  • retire o painel frontal do aparelho e o limpe com um pano umedecido;
  • retire também os filtros e os limpe com água morna e detergente ou passe o aspirador;
  • deixe o painel e os filtros secarem na sombra para só então recolocá-los no ar-condicionado.

Limpeza Completa

Para a limpeza completa, o aparelho é totalmente desmontado. Portanto recomenda-se contratar um técnico profissional e autorizado. Nessa manutenção, o aparelho é completamente higienizado com produtos específicos para sua limpeza, o que assim garante sua durabilidade. Vale apontar que a manutenção deve ser feita anualmente para ambientes com pouco uso. Em escritórios e outros ambientes que utilizem o aparelho com frequência, a recomendação é que se faça a manutenção de 6 em 6 meses. Acima de tudo essa manutenção irá promover um ar limpo e climatizado para o ambiente em questão.

 

*Esta publicação foi realizada com a consultoria do Engenheiro João Vítor Mosqueira Moura – CREA-MG 208551/D

Quando se fala em revestimento de teto, certamente o forro de gesso é um dos primeiros a ser considerado por clientes e profissionais. Afinal ele é considerado versátil e pode ser utilizado de várias formas. Dentre elas, o gesso pode ser utilizado como forro, mas também como rebaixamento de teto. Sabe-se que é um dos materiais mais utilizados em reformas residenciais, comerciais e industriais.

Primeiramente, vamos entender tecnicamente este material. O gesso é um aglomerante simples, constituído basicamente de sulfatos mais ou menos hidratados e de anidros de cálcio, obtido pela calcificação da gipsita. Além disso, tem como propriedades pega e endurecimento rápido, boa aderência. Dentre os acabamentos possui bom isolamento térmico e acústico, é resistente ao fogo, e tem estabilidade volumétrica em local seco e superfície lisa.

Sanca de gesso

Tipos de forro de gesso

Em se tratando de forros, dois tipos são comumente utilizados no Brasil: o tradicional e o acartonado. O primeiro é constituído por placas moldadas de gesso no tamanho de 60 x 60 cm, com encaixes do tipo macho e fêmea. As placas são fixadas no teto com arames galvanizados de conformidade com a especificação da obra.

Ademais, o gesso acartonado é composto de papel cartão e gesso, são placas maiores e mais finas. A instalação ocorre por três sistemas: o estruturado, o aramado e o removível. O estruturado é o mais utilizado, consiste em pendurais rígidos reguláveis e canaletas metálicas galvanizado. Segundo, o aramado é composto de pendurais de arame galvanizado, com peças metálicas zincadas tipo “H”. Geralmente utilizado em locais menores e forros mais econômicos. Já o removível tem como principal característica a possibilidade de visitação de equipamentos instalados na parte superior. É estruturado com pendurais de arame galvanizado, perfis de aço galvanizado com pintura eletrostática.

Teto rebaixado de gesso

Vantagens e desvantagens do forro de gesso

De uma forma geral, os forros e rebaixamento de gesso tem um forte apelo estético. Além disso são muito usados para embutir iluminação ou disfarçar vigas indesejáveis. Em segundo lugar ele possui boas propriedades térmicas e acústicas e sua flexibilidade possibilita a criação de diversas formas. Uma das grandes desvantagens é a baixa resistência à umidade, não podem ser instalados em áreas externas, e a utilização em áreas úmidas deve ser bem avaliada.

Porém, cada tipo de forro, o tradicional e o acartonado, possuem características distintas e cabe avaliar qual é o mais adequado para cada situação. Abaixo, reunimos os prós e contra de cada tipo de forro de gesso.

Forro de Gesso Tradicional

Vantagens: ele ainda é mais barato que o gesso acartonado; porém é mais resistente à umidade e apropriado para ambientes menores.

Desvantagens: é mais sensível aos efeitos da variação térmica, podendo estalar ou trincar com facilidade. O processo de instalação produz muita sujeira. Possibilidade de surgir manchas amareladas e ataque de fungos. É mais pesado que o acartonado e demanda mão de obra especializada. Se precisar de manutenção, o forro tem que ser destruído.

Forro de Gesso Acartonado

Vantagens: Facilidade de instalação; produz menos sujeira que o tradicional. Ademais, a manutenção é simples, se precisar remover alguma placa é possível remendar; possui menor peso; menos sujeito a manchas; há chapas que podem ser curvadas.

Desvantagens: mais oneroso que o tradicional, baixa resistência à umidade; necessita de mão de obra qualificada.

3TC Isolamento e os forros de gesso

Anteriormente vimos que o gesso é um material que responde bem térmica e acusticamente e essa propriedade pode ser otimizada com a utilização do nosso produto. A instalação do 3TC acima do forro como manta térmica é muito simples, veja só: ele ficará por cima do forro, podendo ser parafusado em montantes metálicos. Em relação aos sistemas de instalação dos forros de gesso acartonado, os tirantes podem atravessar o 3TC, não havendo nenhum prejuízo em relação à eficiência do produto.

Sem dúvida, os forros e rebaixamentos de gesso agregam um valor estético considerável à obra, resultando em ambientes belos e aconchegantes. E então, qual o melhor forro para sua obra? Compartilhe com a gente!

 

Como o objetivo da 3TC é reduzir a demanda de energia e fazer mais com menos, compilamos as melhores dicas da cartilha da Cemig sobre eficiência energética.

Depois de ler nosso post sobre 3 dicas de como economizar energia em casa, em que ressaltamos a importância da eficiência energética e de comparar os aparelhos eletrônicos de acordo com ela, separamos algumas dicas da cartilha da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) para que você continue a reduzir gastos e ter uma conta de luz baixa. Realizada pelo Setor de Eficiência Energética da Superintendência de Desenvolvimento de Belo Horizonte, a cartilha traz 75 dicas divididas em equipamentos usados todos os dia em casa como computadores geladeiras, chuveiro, TV, entre outros.

Você vai perceber que mudanças de hábito simples e uma maior atenção aos eletrodomésticos geram sim economia e diferença na conta. Como todo mundo gosta de economizar, nesse post você confere as melhores dicas da publicação da Cemig sobre eficiência energética:

Procure a orientação de um profissional

Sempre destacamos que é essencial contar com uma orientação profissional ao realizar um projeto ou construção. Ao fazer as instalações elétricas, por exemplo, é necessário consultar um técnico especializado para que ele dimensione e proteja os fios de forma correta.

A instalação do ar condicionado também deve ser orientada para que a potência seja calculada de acordo com os BTU’s e o aparelho seja colocado no lugar mais adequado, evitando gastos de energia desnecessários. Outro eletrodoméstico que depende da localização correta para um bom funcionamento é a geladeira. Ela deve ser instalada longe de fontes de calor ou da exposição ao sol, com distância mínima de 15 cm de outras superfícies.

Aproveite os recursos naturais

Iluminação natural, temperatura local e o vento não devem ser ignorados. Por isso, esses fatores devem ser considerados ao projetar os ambientes, com o objetivo de aproveitá-los ao máximo antes de ligar uma luz, ventilador ou o ar condicionado. O uso de cores claras nas paredes, por exemplo, evita a necessidade de lâmpadas de maior potência, que consomem mais energia.

Quando for tomar banho e não estiver frio, deixe o chuveiro na posição “verão” e desligue o registro para ensaboar. Se possível, também instale aquecedores solares. Além de mais econômicos, eles ajudam a preservar o meio ambiente.

Compre modelos com o Selo Procel A

Seja microondas, máquina de lavar, ar condicionado, geladeira e até lâmpadas, antes de comprar qualquer aparelho é importante comparar os modelos com o Selo Procel de Economia de Energia. Esse selo compara os aparelhos de cada categoria, identificando qual os melhores em eficiência energética de acordo com o consumo de kWh.

Além disso, a eficiência energética também é indicada pela letra A, de uma escala que vai de A até G. Os modelos indicados com A consomem menos energia e possuem maior eficiência de funcionamento.

Priorize a segurança

Não adianta seguir todas as dicas e ignorar ou economizar justamente com a segurança. Para isso, é indispensável sempre ler o manual de instruções dos equipamentos e, como já falamos, contratar um profissional quando necessário. Isso evita dor de cabeça e gastos desnecessários com um possível estrago dos eletrônicos.

A utilização de Benjamim ou T deve ser evitada, pois o acúmulo de aparelhos na mesma tomada pode causar aquecimento e até mesmo provocar um curto-circuito. O mesmo vale para emendas, que inclusive podem aumentar o consumo de energia.

Manter os quadros de energia à vista e onde todos da casa saibam localizar também é algo básico e que ajuda caso haja qualquer emergência.

Além dessas informações, é sempre bom lembrar de desconectar aparelhos sem uso da tomada. Para conferir todas as 75 dicas é só acessar a cartilha completa disponível no site da Cemig.

Aproveite e também siga a 3TC no Facebook para não perder nenhum conteúdo do nosso blog.