Posts

Atualmente as edificações apresentam paredes e lajes menos espessas e com isso, em geral, um menor desempenho acústico. Além disso, em prédios e casas menores é muito frequente ouvir o barulho dos vizinhos. Já em ambientes comerciais ou industriais, o ruído pode prejudicar o rendimento no trabalho e, inclusive, provocar passivos trabalhistas por insalubridade ou problemas ergonômicos. Por isso, uma dúvida muito frequente de grande parte das pessoas é: como isolar o barulho da rua?

Esse assunto se tornou ainda mais importante agora que a maioria das pessoas mora perto de regiões movimentadas e em empresas de diversos portes. Afinal, o excesso de ruído atrapalha o descanso, o rendimento nos estudos e trabalho, como também eleva o nível de estresse e ansiedade — podendo colaborar para insônia e até mesmo gerar problemas auditivos.

Pensando na importância desse assunto, neste conteúdo vamos tratar a respeito de poluição sonora, seus malefícios, além de algumas opções e dicas práticas para solucionar ou reduzir esse problema. Então, não perca!

O que é poluição sonora e quais as principais causas?

A maior parte da população mundial mora em grandes centros urbanos e com isso o ruído é muito grande — seja por conta do trânsito, por conta das indústrias, comércios, colegas de trabalho ao telefone, fluxo de clientes em um escritório ou comércio, etc.

Entretanto, além do ruído constante, a poluição sonora está muito presente no dia a dia das pessoas, sendo potencializada pelos comportamentos inapropriados adotados no dia a dia. Inclusive, ao contrário do que se pensa, o silêncio não é capricho, e sim uma questão de saúde.

Afinal, a audição pode ser extremamente prejudicada permanentemente quando as pessoas são expostas de forma prolongada a sons que são superiores a 85 decibéis. Esse tipo de intensidade de som pode ser exemplificado pelo ruído de um liquidificador. Isso porque os sons a partir desse valor provocam a morte das células auditivas e esse processo não é reversível.

Enquanto isso, de acordo com a Organização Mundial da Saúde — OMS — uma conversa normal pode representar cerca de 60 decibéis de ruído e essa intensidade já é suficiente para proporcionar danos ao organismo e ao equilíbrio emocional. Por sua vez, o ruído de um aspirador de pó apresenta em média 75 decibéis, um secador de cabelo e uma buzina cerca de 100 decibéis.

Já em boates, bares e shows, o ruído médio é de 110 a 115 decibéis. Em festas e comemorações em que fogos de artifícios são soltos, o ruído médio é de 150 decibéis. Já o volume máximo do som do celular em um fone de ouvido tem um ruído médio de 105 decibéis.

Como se vê, frequentemente você está exposto a ruídos extremamente prejudiciais à sua audição e caso você trabalhe em indústrias ou com determinados equipamentos, pode estar ainda mais exposto.

Contudo, infelizmente o ruído é um vilão invisível e, por isso, em geral, não recebe a devida atenção e cuidado por parte das pessoas. Mesmo assim, os efeitos são presentes: falta de energia, cansaço, estresse, ansiedade, falta de concentração, irritabilidade e outros tipos de doenças.

Diante disso, criou-se leis e normas que estabelecem limites e horários para o ruído. Inclusive, atualmente a pena por pertubação do sossego alheio por meio de barulho pode gerar até três meses de prisão de acordo com a Lei de Contravenções Penais e até quatro anos de prisão de acordo com a Lei de Crimes Ambientais — quando a poluição sonora for em níveis prejudiciais à saúde.

Inclusive, por esse motivo existem diversos projetos de lei e inclusive especialistas desejam que exista um mapa de poluição sonora que seja visível para a população. Nesse mesmo sentido, a ABNT definiu na NBR 10152 o nível de ruído aceitável nos ambientes externos tanto durante o dia quanto durante a noite, para ambientes rurais, escolares, hospitalares, residenciais, comerciais, industriais, entre outros.

Quais os malefícios da poluição sonora?

A poluição sonora proporciona diversos prejuízos para a saúde e bem-estar das pessoas, seja em ambientes profissionais ou residenciais.

Perturbação do sossego

Uma música pode ser extremamente agradável para uma pessoa, e pode causar um grande estresse e perturbação para um profissional que estava há algumas horas de plantão e precisa dormir. Ou então, para alguém que precisa de extrema concentração para trabalhar ou estudar.

A perturbação do sossego, inclusive, é algo tão sério que é um grande motivo de violência. Afinal, as pessoas quando privadas de sono e descanso, assim como de tranquilidade em seu ambiente de trabalho, se tornam mais agressivas e nervosas.

Lesão auditiva

Conforme citamos, a lesão auditiva pode ser irreversível quando ultrapassado um determinado número de decibéis, durante um determinado tempo. Ao contrário do que se pensa, basta ouvir com frequência o som em um volume alto, ou trabalhar próximo a equipamentos e ambientes barulhentos para que ocorra uma lesão severa.

Basta morar muito próximo a um aeroporto, ou a uma via de trânsito extremamente movimentada, ou então trabalhar com equipamentos que apresentam índices de ruído elevados como liquidificador, secador de cabelo ou uma britadeira.

Todos esses cenários exemplificados, que muitas vezes não consideramos arriscados ou negativos a saúde, podem agravar ou proporcionar uma lesão auditiva. Sendo assim, esse é um aspecto que requer grande cuidado e atenção, pois é um problema que pode ocorrer no dia a dia.

Insônia, ansiedade, depressão e estresse

Esses são problemas muito comuns em nossa sociedade, não importando a idade, ramo de atuação, poder aquisitivo ou região. Isso, porque os ruídos em níveis superiores ao permitido proporcionam desequilíbrio emocional.

E infelizmente, a maior parte das pessoas convive com ruídos excessivos diariamente pela maior parte do tempo, o que também é uma das explicações plausíveis para tantos problemas vivenciados na atualidade.

Que dicas práticas podem ajudar a reduzir os ruídos externos?

Os ruídos são tão impactantes que estão presentes em normas regulamentadoras como a NBR 15.575, NBR 10152 e até mesmo na legislação e em projetos de leis. Por exemplo, na NBR 15.575 foram estabelecidos índices mínimos quanto ao isolamento de paredes, pisos, coberturas e fachadas. Contudo, essa NBR só aborda os índices mínimos para edificações residenciais, enquanto a NBR 10152 aborda em diferentes ambientes.

Atualmente já existem diversas opções para reduzir os índices de ruído, tanto em edificações existentes como nas que estão sendo construídas, como:

Priorize materiais que auxiliam a barreira ao ruído

As portas e janelas anti ruído são uma excelente opção, assim como tapetes e cortinas de tecidos grossos também podem auxiliar a reduzir a entrada de som de uma forma mais simples e rápida — pois minimizam a propagação de som.

No caso das janelas, o ideal é que sejam de alumínio e vidro, com vidros duplos ou triplos. Já as portas, não devem ser ocas, pois quando são maciças auxiliam em uma melhor acústica para os ambientes.

Pode-se também utilizar painéis de madeira ou de gesso para proporcionam maior espessura para as paredes, atuando como uma barreira mais eficaz ao ruído. Inclusive, essa pode ser uma opção decorativa para os ambientes, além de extremamente útil.

Existem até opções com tapeçaria que são aplicadas na parede ou no piso a fim de melhorar o isolamento acústico. Um exemplo muito comum são os carpetes.

Atenção ao piso escolhido

A escolha do piso é muito importante e impactante no isolamento do ruído. Por exemplo, os pisos frios como cerâmicas e porcelanatos não proporcionam um bom isolamento acústico. Já os carpetes, pisos de madeira, mármores, granitos e pisos vinílicos apresentam melhores índices de isolamento.

Uma opção extremamente eficaz para o piso é aplicar uma manta acústica sobre a laje antes de instalar o piso escolhido. Inclusive, no caso dos pisos flutuantes — seja laminado ou de madeira — as mantas acústicas já costumam ser uma opção incluída no processo de instalação.

Entretanto, existem também opções de mantas próprias para os pisos frios do tipo cerâmicos ou porcelanatos. A cortiça aglomerada é um exemplo. Conforme já citamos, em casos em que deseja-se descartar a possibilidade de uma reforma ou a instalação de carpetes, pode-se optar por tapetes grossos e/ou felpudos.

Atente para a escolha do forro e do telhado

Já quando o assunto é telhado e forro, um erro muito comum é encontrar edificações que só apresentam telhado, descartando a laje ou o forro. Nesses casos, o ideal é instalar um forro e uma manta acústica, minimizando a passagem de som. Outra opção é utilizar forros de gesso ou madeira, que apresentam também um bom isolamento acústico por si só.

Caso seja desejado realizar o isolamento acústico mesmo com a existência prévia de uma laje no local, uma solução eficaz é aplicar revestimentos acústicos também. Existem também os de fibra mineral, assim como vários outros modelos.

Outro fator impactante é também a escolha da telha. Algumas telhas metálicas ou de fibrocimento, quando não fabricadas ou combinadas com isolamento promovem muito ruído. Sendo assim, a melhor opção são as telhas cerâmicas ou então as metálicas, ou de fibrocimento com manta para isolamento.

Invista em paisagismo como uma barreira de isolamento

A vegetação é uma excelente barreira ao ruído, além de melhorar a qualidade do ar. Quanto mais densa e em alturas variadas, melhor será a barreira acústica proporcionada pela vegetação.

Uma opção simples é colocar grama no terreno, criando níveis diferentes. Também pode-se fazer uma parede verde, conhecida como jardim vertical. Inclusive, o jardim vertical pode ser feito em diversos locais, mesmo com a ausência de um grande espaço.

Para criar uma barreira acústica por meio de paisagismo é importante escolher estruturas metálicas adequadas, podendo ser perfis para sustentação. Depois, o ideal é contar com placas de plástico e colocá-las na lateral. A fibra de coco também é uma aliada para montar uma parede verde e por fim, escolher as diversas plantas.

Essa opção, além de ser uma barreira que reduz o ruído, também reduz a concentração de gás carbônico e a necessidade de pinturas constantes nos muros e paredes.

Invista em isolamento acústico

O isolamento acústico é obtido por meio de materiais que são eficientes em bloquear o som e a passagem de ruído entre ambientes. Sendo assim, esse tipo de sistema isola ou reduz significativamente o barulho externo a um ambiente ou edificação, proporcionando maior conforto, qualidade de vida, bem-estar e, inclusive, saúde.

O isolamento pode ser a ruídos aéreos ou aos ruídos de impacto. Sendo assim, é importante compreender quais são os principais tipos de ruído que mais impactam a fim de optar por sistemas de isolamento que sejam mais eficientes.

Alguns exemplos de ruídos aéreos são os causados por vozes, construções, fábricas, música, trânsito, aviões, equipamentos, entre outras. Em geral, esses são isolados por meio de barreiras como paredes, janelas, portas e divisórias.

Já os ruídos de impacto são transmitidos pela estrutura, uma vez que o impacto gera uma vibração que caminha por meio das paredes, tetos, chegando até a pessoa que o ouve. Para esse tipo de impacto — que pode ser causado tanto por passos, como por outros tipos de ações ou equipamentos que geram impacto — o ideal é investir em sistemas de amortecimento como os pisos flutuantes.

Sendo assim, nesse tipo de ruído, o uso de forros não é tão eficaz, porque anula ou reduz a passagem de vibração por meio do teto, porém não inibe a transmissão por meio das paredes.

Escolha um sistema de isolamento eficaz e com bom custo-benefício

Após analisar a fonte principal de ruído é possível identificar quais soluções de isolamento acústico serão mais eficientes, conforme exemplificado acima. Também é importante levar em consideração qual o tipo de edificação, se já é construída ou não — a fim de escolher um sistema de isolamento que além de eficiente, seja eficaz.

Existem diversas opções para o isolamento acústico, como:

  • lãs de isolamento — que podem ser do tipo PET, de vidro ou de rocha basáltica. Elas, em geral são usadas para preencher vãos em paredes e tetos, principalmente quando utiliza-se placas de gesso no processo construtivo — entretanto, demandam um espaço “vazio”, ou seja, para o ar — dificultando a utilização em alguns casos. Por isso, são muito empregadas em teatros, auditórios, salas de reunião ou de videoconferência ou em construções a seco;
  • espuma acústica — esse é um material que apresenta diversas espessuras, cores e geometrias, podendo ser feitas em lã de PET ou poliuretano. Ela pode ser aplicada sobre paredes e lajes, porém, não permite um acabamento discreto;
  • materiais absorventes como madeira, gesso, fibras minerais — que podem ser usados como painéis e forros que absorvem as ondas sonoras, reduzindo o ruído;
  • paredes duplas — essa é uma técnica que consiste em deixar um espaço com ar entre duas paredes, assim a onda sonora ficará detida nesta câmara de ar, dificultando a propagação de som;
  • mantas térmicas e acústicas — esse é um material que além de promover um excelente isolamento térmico, reduzindo as despesas com refrigeração, também promovem um significativo isolamento acústico. Por isso, são uma opção largamente escolhida, afinal, apresenta um excelente custo-benefício.

Como a manta térmica pode ajudar no isolamento acústico e quais seus benefícios?

Existem variados sistemas de isolamento acústico, porém a manta térmica é um dos mais eficientes, sendo recomendada para diversos ambientes e locais. Ela é uma solução que proporciona melhoria do isolamento térmico e acústico de uma edificação ou ambiente, com qualidade e garantia de resultado.

Esse sistema de isolamento é usado tanto em ambientes comerciais, industriais como nos residenciais. As mantas térmicas são fabricadas com revestimento aluminizado e esse material protege da radiação solar e das três formas de transferência de calor — radiação, convecção e condução.

Além disso, também auxilia no isolamento de ruídos e apresenta uma aplicação extremamente fácil. As mantas térmicas também proporcionam maior proteção e durabilidade tanto ao sistema de cobertura como ao imóvel.

Para a instalação correta, é necessário considerar o tipo de telhado, uma vez que uns oferecem fácil acesso e outros não — tanto pelo material, como pela estrutura.

A manta térmica é instalada principalmente nos telhados, podendo ser colocada nas lajes e pisos. O processo de instalação consiste em cobrir toda a região que deseja-se isolar. No caso dos telhados, a manta é aplicada abaixo das telhas como uma subcobertura.

Existem casos em que a manta é aplicada no corpo da estrutura, visando garantir o posicionamento adequado das telhas. Já na instalação em lajes superiores é criada uma camada de proteção.

Com esse material é possível reduzir a troca e transferência de calor nos ambientes — mantendo uma temperatura interna mais agradável, porém, também é possível diminuir a entrada e saída de ondas sonoras, proporcionando isolamento de ruídos e maior conforto acústico — uma vez que essa se comporta como uma barreira.

O conforto acústico obtido por meio de mantas é proporcionado por meio do isolamento de lajes e pisos — não importando se são ambientes comerciais ou residenciais. Com isso, os ruídos externos ou de outros ambientes são atenuados.

Quais os principais benefícios do isolamento acústico?

Já falamos dos malefícios, dos impactos e até mesmo dos benefícios do isolamento acústico realizado por meio de mantas. Contudo, podemos citar alguns benefícios que são extremamente impactantes e justificam o investimento nesse tipo de sistema, como:

Maior privacidade

Como o isolamento acústico impede ou reduz que a voz seja ouvida em um outro ambiente, proporciona maior privacidade durante reuniões, em ambientes comerciais e principalmente nos residenciais.

Assim, tanto negociações como conversas passam a ter sua particularidade respeitada, e as pessoas passam a ter também sua intimidade preservada — principalmente nos ambientes familiares. Essa é uma vantagem que impacta positivamente tanto os pais, como também os filhos.

Maior conforto

Não importa se é em um ambiente residencial, comercial ou industrial — independentemente do lugar, as pessoas gostam de conseguir fazer suas atividades com a devida comodidade e sossego.

Não é atoa que um ambiente de trabalho que é completamente agitado o dia inteiro proporciona doenças ocupacionais, sendo totalmente negativo aos colaboradores.

Da mesma forma, em uma residência, poder ler, estudar, descansar ou passar um momento em família sem ruídos excessivos é extremamente importante para obter momentos de qualidade. Essa realidade positiva se torna possível por meio da adoção de um sistema de isolamento acústico.

Melhoria da qualidade de vida

A exposição prolongada e excessiva a ruídos pode provocar declínio das capacidades cognitivas, reduzindo a capacidade de comunicação, leitura, aprendizado, compreensão, raciocínio, resolução de problemas, memória, entre outros aspectos.

Na vida profissional, por si só, a redução dessas capacidades compromete significativamente o trabalho realizado e o desempenho. Entretanto, essa situação também é extremamente prejudicial nos ambientes familiares, principalmente no que diz respeito ao desenvolvimento de crianças e adolescentes.

Sendo assim, ambientes com isolamento acústico promovem pessoas com melhor desempenho, produtividade e bem estar. Isso, impacta diretamente na qualidade de vida, afinal, boas decisões e dias produtivos são extremamente importantes.

Prevenção e redução de doenças

A poluição sonora auxilia a piora de distúrbios do sono e inclusive eleva o estresse, ansiedade, falta de concentração, depressão e outros problemas extremamente sérios e vivenciados na atualidade. A redução do ruído é extremamente positivo para promover ambientes mais saudáveis emocionalmente.

Redução de problemas e distúrbios relacionados à audição

Os problemas auditivos são cada vez mais frequentes e inclusive, existe e uma previsão de que 1,3 bilhão de pessoas terão uma redução significativa em sua capacidade auditiva no decorrer da vida. A Organização Mundial de Saúde indica que isso ocorrerá por que cerca de 10% da população no mundo convive com uma longa exposição a níveis inadequados de ruídos.

Por que escolher o material 3TC?

O material 3TC de isolamento alinha o isolamento acústico com o térmico, sendo, por isso, uma solução extremamente versátil e viável, pois além de apresentar um excelente custo benefício e tecnologia avançada, também é de fácil instalação. O sistema 3TC permite a aplicação em diversas estruturas como:

  • paredes,
  • tetos;
  • forros;
  • telhas;
  • telhados;
  • objetos e equipamentos;
  • pisos.

O sistema 3TC permite a aplicação sem a retirada de telhas, uma vez que esse sistema pode ser aplicado diretamente nas terças. Por isso, pode ser aplicada em locais que estão em funcionamento, não demandando que a produção ou trabalho seja parado.

A manta de isolamento térmico e acústico da 3TC, além da qualidade, camada dupla de faces metálicas refletivas com isopor no meio e fácil aplicação mesmo após a construção, também apresenta elevada durabilidade.

Agora que você já sabe como isolar o barulho da rua, a importância e impacto positivo da redução de ruídos na qualidade de vida, bem e estar e saúde, entre em contato com a 3TC e descubra como colher esses benefícios em seu a dia a dia com as soluções acústicas e extremamente tecnológicas da 3TC.

O isolamento é uma etapa importante na construção. Ele protege os ambientes e pode, até mesmo, aumentar o conforto das pessoas. Entre as soluções disponíveis, vale a pena conhecer o que é espuma expansiva.

Essa possibilidade oferece algumas vantagens para diversos casos, desde que seja aplicada corretamente. Além disso, é interessante descobrir qual é a solução exclusiva que traz todos esses benefícios e vários outros.

Na sequência, veja o que é espuma expansiva e entenda qual é o papel do produto na construção!

O que é espuma expansiva?

Esse produto é um polímero líquido que assume o estado sólido após passar pelo chamado processo de cura. Normalmente, a espuma expansiva é feita de poliuretano, só que em forma diferente.

Assim que ela é aplicada no local desejado, começa a passar por uma expansão de volume. Esse crescimento pode chegar a 300% do valor inicial e se mantém com o uso, ao longo do tempo.

Quando já está curada, ou seja, já está em sua forma definitiva, pode ser cortada, lixada e receber diversos tipos de acabamento.

Qual é a função desse produto?

Agora que você já sabe o que é espuma expansiva, é indispensável entender qual é a função desse material. Prioritariamente, ele é utilizado para realizar o preenchimento de elementos construtivos. A espuma pode servir para encher janelas e portas, por exemplo.

Por causa do seu “mecanismo” de funcionamento, é adequada para efetuar a vedação de espaços — mesmo de locais complexos, já que ela é capaz de se adaptar para preencher todo o espaço.

Portanto, serve tanto para ocupar espaços vazios e dar estruturação e fixação a alguns componentes construtivos (como portas) quanto para fechar frestas e outras aberturas específicas.

Como é feita a aplicação da espuma?

A aplicação da espuma expansiva começa com uma superfície totalmente limpa. É preciso retirar poeira, óleos e quaisquer sujeiras. Não é necessário que o local esteja nivelado (pois ela se adapta), mas a superfície deve favorecer a aderência.

Ao contrário de outros produtos, ela exige que a área esteja levemente úmida. Isso ajuda a manter o item no lugar e facilita a “cura”, para que tudo fique fixo conforme o desejado com seu uso.

Normalmente, o produto vem em spray e é comum que ele só possa ser usado na primeira vez, pelo funcionamento da válvula. A aplicação pode ser manual ou com máquina específica, mas a lata deve estar sempre virada para baixo. Após sacudir o suficiente, é só cortar o bico e pressionar o mecanismo.

Uma vez que a espuma expansiva esteja aplicada, é preciso aguardar cerca de 24 horas. As primeiras aparas podem ser feitas após 2 horas, mas o indicado é esperar um dia para chegar à etapa final.

Quais são as vantagens da espuma expansiva?

O uso desse produto se justifica por algumas vantagens que ele oferece. Então, tão importante quanto saber o que é espuma expansiva é entender o que torna esse material tão interessante. A seguir, veja quais são alguns dos maiores benefícios de selecioná-lo para um projeto.

Aplicação rápida

No geral, a aplicação da espuma é bem rápida e ocorre em questão de minutos. Isso é importante para garantir maior velocidade e produtividade ao projeto, inclusive diminuindo os custos.

Vedação de ambientes

Outro ponto interessante é que a espuma é eficiente para vedar ambientes. Trata-se de uma alternativa adequada para impedir a passagem de chuva ou vento, por exemplo. Embora não seja esse seu propósito, também pode ajudar no isolamento acústico, quando associada a outras soluções.

Boa resistência

Apesar de ser um “líquido” que se transforma em sólido, podemos dizer que o produto apresenta boa resistência. Depois que se expande, a espuma consegue suportar bem a pressão, assim como impactos e intempéries. Com isso, a necessidade de manutenção e de novos gastos é reduzida.

Como a 3TC pode ajudar?

Depois de descobrir o que é espuma expansiva, você notou que ela serve para vedar e até para isolar ambientes. No entanto, é possível ter ainda mais eficiência nos projetos — e vale a pena contar com a 3TC para isso.

A empresa oferece uma solução exclusiva para garantir o isolamento térmico e acústico dos ambientes, com resultados superiores a outros elementos. A seguir, veja quais são os destaques do que apresentamos!

Tecnologia diferenciada

A tecnologia usada na solução 3TC é exclusiva e altamente eficiente. Utilizamos polímeros refletivos e poliestireno expandido (como na espuma). Com isso, conseguimos impedir as três formas de transferência de calor: convecção, condução e radiação.

Isso aumenta o conforto térmico de maneira considerável, favorece a eficiência energética e também ajuda a garantir isolamento acústico. Trata-se de um produto versátil, eficiente e resistente.

O item é disponibilizado na forma de mantas ou placas, então pode ser instalado em construções já finalizadas. Com a adaptação adequada a cada espaço, permite evitar o mofo, a passagem de água e a entrada de insetos — tudo graças à atuação exclusiva.

Preço acessível

Apesar disso, tanta qualidade não tem um valor exorbitante. Na verdade, a solução que disponibilizamos tem um preço acessível e ótimo custo-benefício. Se, depois de saber o que é espuma expansiva, você se interessou, saiba que nossa alternativa é bem em conta.

A instalação também é fácil, não demora muito e não gera gastos excessivos. Portanto, o produto tem um custo atraente, especialmente em relação às vantagens exclusivas que oferece.

Atendimento altamente consultivo

Desde o seu primeiro contato, você terá a oportunidade de conversar com especialistas na solução, capacitados para dar indicações adequadas. Com isso, há como saber de quanto produto precisará e quais são as recomendações específicas.

Para melhorar, a instalação é igualmente qualificada e garante um ótimo desempenho. Assim, há a certeza de que a manta ou placa isolante de 3TC atenderá às suas necessidades de forma completa.

Depois de saber o que é espuma expansiva, você notou que esse é um produto adequado para a vedação de certas áreas, com baixo custo e alta eficiência. Quando falamos em isolamento, entretanto, é preciso pensar em algo ainda mais completo.

Por isso, fale com um de nossos especialistas na 3TC e conheça a solução exclusiva que oferecemos!

A proteção à segurança e à saúde do trabalhador é obrigatória para todos os empregadores. Por isso, é preciso mapear os riscos existentes no ambiente de trabalho e definir formas de reduzi-los ou eliminá-los. Entre os fatores, está o ruído ocupacional.

De forma simples, ele corresponde a qualquer som indesejável que acontece no local de trabalho, durante a jornada. O problema é que a exposição prolongada e/ou a níveis muito elevados prejudica a saúde e pode levar à perda de audição por parte do colaborador. Além disso, afeta a comunicação, diminui a produtividade e pode gerar outros problemas de saúde relacionados.

Pensando nesse assunto, elaboramos um artigo com todas as informações necessárias sobre o ruído ocupacional e seus riscos para os colaboradores. Confira!

Quais são as normas trabalhistas aplicáveis ao assunto?

Como a segurança do trabalho é uma obrigação do empregador, há normas que estabelecem atuação sobre diversos assuntos. Quando falamos de ruído ocupacional a Norma Regulamentadora 15 (NR-15) é a mais importante. Ela trata de atividades e operações insalubres e inclui a tolerância aos ruídos.

A NR-17 é igualmente relevante, pois envolve a ergonomia no ambiente de trabalho, o que está ligado ao bem-estar dos colaboradores. Já a NR-6 fala sobre o uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI), que também estão ligados ao ruído ocupacional.

Outra forma de saber como proceder é seguir a Norma de Higiene Ocupacional (NHO-01), definida pelo Fundacentro. Ela aborda a avaliação de riscos e de exposição e estipula a melhor maneira de agir.

Já a NBR 10152 demonstra como medir os níveis de ruídos e qual é a tolerância para diversos ambientes. Com isso, é possível obter o chamado conforto acústico.

Há outras normas e regulamentações, de acordo com o setor ou com o nível de qualidade pretendido. Portanto, é crucial considerar as orientações para atender a todas as demandas da lei e garantir uma atuação consistente e de qualidade.

Quais são os limites de decibéis? Por que são importantes?

Antes de entender os limites, vale conhecer os tipos de ruído ocupacional. O ruído de impacto é aquele que dura apenas alguns segundos e acontece como fruto de uma ação específica, como o contato de uma ferramenta com uma superfície.

Já o ruído contínuo ou intermitente tem uma duração prolongada. Ele é o que apresenta maior risco, pois causa danos progressivos à audição e à saúde dos colaboradores. Pensando nisso, há limites de decibéis (dB), em relação ao tempo de exposição. Veja quais são as regras:

  • 85 dB: 8 horas;
  • 86 dB: 7 horas;
  • 87 dB: 6 horas;
  • 88 dB: 5 horas;
  • 89 dB: 4 horas e 30 minutos;
  • 90 dB: 4 horas;
  • 91 dB: 3 horas e 30 minutos;
  • 92 dB: 3 horas;
  • 93 dB: 2 horas e 40 minutos;
  • 94 dB: 2 horas e 15 minutos;
  • 95 dB: 2 horas;
  • 96 dB: 1 hora e 45 minutos;
  • 98 dB: 1 hora e 15 minutos;
  • 100 dB: 1 hora;
  • 102 dB: 45 minutos;
  • 104 dB: 35 minutos;
  • 105 dB: 30 minutos;
  • 106 dB: 25 minutos;
  • 108 dB: 20 minutos;
  • 110 dB: 15 minutos;
  • 112 dB: 10 minutos;
  • 114 dB: 8 minutos;
  • 115 dB: 7 minutos.

Não é permitida a exposição acima de 115 dB, por nenhum período, se o trabalhador não estiver protegido. Por isso, recomendamos fazer a medição com aparelhos adequados, que poderão indicar processos ou aparelhos que não atendem às especificações.

Como reduzir o ruído ocupacional?

A boa notícia é que há como diminuir o ruído ocupacional e, assim, aliviar os riscos de segurança associados. Com medidas estratégicas, será possível conquistar resultados melhores e um ambiente saudável para os colaboradores. A seguir, apresentamos dicas essenciais para ter o melhor resultado. Confira!

Utilize maquinário moderno e com a manutenção em dia

As máquinas e os aparelhos eletrônicos são grandes responsáveis pelos ruídos. Quanto maior o porte e/ou mais a quantidade, mais intensos serão os impactos sobre a audição.

Para reduzir essas consequências, uma das orientações é utilizar equipamentos modernos e com tecnologia inovadora. Na maioria das vezes, eles contam com recursos de alívio sobre vibrações e ruídos, o que garante uma atuação dentro das regras.

Além do mais, é preciso ter cuidado com a manutenção. A falta de lubrificação ou o desalinhamento de componentes podem ser vilões causadores de ruído ocupacional. Por isso, vale garantir que todos os elementos estejam otimizados.

Forneça EPIs de qualidade

Outro ponto importante envolve fornecer EPIs para os colaboradores — especialmente, para aqueles que atuam em um ambiente com um volume maior de decibéis. Embora essa seja uma obrigação prevista pela lei, considere se isso tem sido adotado em seu negócio.

Principalmente, é essencial que o EPI seja de alta qualidade. Um protetor auricular, por exemplo, deve ser eficiente para reduzir ou mesmo isolar os ruídos, dependendo do modelo.

Além disso, indicamos conscientizar os colaboradores sobre a importância do uso adequado. Assim, todas as pessoas passam a aproveitar os equipamentos de proteção da melhor maneira.

Instale um isolamento acústico

Além de medidas paliativas, é interessante pensar em alternativas definitivas. Nesse caso, vale a pena recorrer ao isolamento acústico. Ele é especialmente relevante para certas áreas, como escritórios próximos à linha de produção ou locais cercados por ruídos intensos.

O ideal apostar em mantas ou placas acústicas, que são responsáveis por criar uma “barreira” que evita a propagação das ondas sonoras. O melhor de tudo é que uma boa solução ajudará a resolver outros problemas.

Com o 3TC, por exemplo, o isolamento acústico é associado ao isolamento térmico. O produto é eficiente em evitar as três formas de transferência de calor e ainda ajuda a diminuir o impacto do ruído ocupacional. De fácil instalação e com ótimo custo-benefício, é essencial para garantir conforto térmico e acústico.

O ruído ocupacional afeta a saúde dos trabalhadores e deve ser reduzido por meio das medidas certas. Com os cuidados recomendados, é possível melhorar a segurança do trabalho, além de atender a exigências legais e aliviar os custos em médio e longo prazo.

Se quiser conferir mais dicas para a sua empresa e conhecer boas soluções, curta nossa página no Facebook e nos siga no Instagram!