No ramo industrial a gestão de pessoas no chão de fábrica é essencial. Principalmente para que as tarefas sejam executadas e sincronizadas de acordo com o que já está previamente descrito no planejamento. Seja em uma indústria de grande porte, seja de pequeno porte.

Toda empresa composta por equipes de trabalho necessita implementar uma boa gestão de pessoas para colher bons resultados. No âmbito industrial isso é ainda mais importante.

Entretanto, infelizmente muitos empregadores ainda não promovem a adequada gestão de pessoas em suas empresas. Isso porque geralmente desconhecem quais as principais medidas que viabilizam a aplicação desse processo.

Sendo assim, confira abaixo como fazer a gestão de pessoas no chão de fábrica e o porquê dela ser tão importante para a indústria.

Liderança na equipe

É inimaginável alcançar um padrão bom de gestão de pessoas em um ambiente de trabalho sem a presença de um líder conduzindo a equipe. Neste contexto, podemos destacar algumas vantagens quando há uma figura de liderança no chão de fábrica, como:

  • garantir que a equipe siga o padrão de produção, evitando assim que tenham distorções em uma mesma linha de fabricação;
  • aumentar as chances de produzir dentro do prazo, já que uma das funções de um líder é justamente a de gerir a evolução das tarefas e buscar alternativas para concluí-las em um menor tempo possível;
  • realizar os procedimentos operacionais compatíveis com os que estão no cronograma;
  • alinhar tarefas executadas por diferentes equipes e que precisam ser finalizadas em conjunto, reduzindo dessa forma as chances de atraso ou parada da produção.

Os pilares da gestão de pessoas

Antes de citar e explicar quais são as melhores formas para aplicar a gestão de pessoas no chão de fábrica, é interessante identificar alguns parâmetros considerados como pilares de um gerenciamento humano eficiente.

Motivação

Não importa qual é a profissão do colaborador no chão de fábrica, ninguém entrega uma boa produtividade sem estar motivado.

Neste contexto, como a motivação é diretamente proporcional à produtividade, cabe ao empregador buscar meios de motivar. Alguns exemplos são: oferecer salários em dia e compatíveis com o mercado, garantir o conforto e a segurança no trabalho. Este são os primeiros passos para que a sua equipe desempenhe as tarefas diárias de forma motivada.

Treinamento

É extremamente relevante uma equipe de trabalho ser composta por pessoas capacitadas e importantes para o processo de produção da empresa. Neste contexto, só é possível alcançar esse patamar por meio dos treinamentos e aperfeiçoamentos profissionais de cada colaborador. É importante entender e direcionar os treinamentos visando atender as demandas da empresa.

Sendo assim, quanto mais treinado um profissional é dentro da própria empresa, mais ele se sentirá valorizado e consequentemente motivado. Essa relação positiva fortalece os conceitos de uma gestão humana eficiente.

Trabalho em equipe

Mesmo sendo composta por várias equipes de diferentes ramos profissionais, uma empresa possui o mesmo objetivo para todos os colaboradores.

Desta forma, para colher bons resultados é fundamental que haja uma boa conexão entre as equipes. Isso pode promover relações interpessoais saudáveis e um ambiente de trabalho organizado.

Processo de comunicação

Um dos parâmetros mais importantes no procedimento de gestão de pessoas é a comunicação. Ela é a base para assegurar que as informações estão sendo direcionadas da maneira correta.

Portanto, seja qual for o foco do gerenciamento humano da empresa, o seu processo de comunicação precisa ser rápido e o menos burocrático possível.

Aplicação da gestão de pessoas

Há várias formas de aplicar os conceitos de gestão de pessoas no chão de fábrica, entretanto, é importante o líder da equipe saber identificar quais as medidas mais compatíveis com a realidade do ambiente de trabalho da empresa.

Melhorar o processo de comunicação

Como já mencionado, uma comunicação eficiente é imprescindível para a gestão de pessoas, e a sua melhoria pode ser alcançada por meio de:

  • uso de aplicativos e plataformas de comunicação, com intuito de agilizar a velocidade com que as informações chegam para as equipes;
  • facilitar o acesso de todos os colaboradores às informações referentes aos processos de produção;
  • viabilizar ferramentas para a difusão de informações, como: reuniões periódicas informativas, murais com recados importantes, utilização de recursos tecnológicos e entre outros.

Delegar tarefas

Não é possível tentar gerir uma equipe de trabalho sem que cada um saiba exatamente qual será a sua função. Ambientes de trabalho onde as obrigações não estão bem definidas, e consequentemente há dúvidas quanto a designação das atividades, são os mais propícios para ocorrer casos de atividades negligenciadas ou realizadas com duplicidade.

Portanto, ao delegar tarefas com precisão, fica simples de realizar a gestão delas posteriormente. Até porque o líder da equipe saberá identificar com exatidão qual equipe/colaborador está responsável pelo trabalho, facilitando assim o gerenciamento humano.

Desenvolver uma política de feedback completa

Da mesma forma que um profissional quando erra é cobrado pela empresa, quando ela acerta é preciso parabenizá-lo. Neste contexto, é comum encontrar atualmente nas empresas uma política de feedback executada de forma incompleta, visto que apenas os erros e equívocos da equipe são considerados. Reforços positivos podem motivar e incentivar qualquer profissional.

Deste modo, é interessante inserir na política da empresa programas que gratificam a equipe caso ela apresente bom desempenho. Projetos de bonificações, por exemplo, podem valorizar o trabalho e, consequentemente, incentiva o profissional a produzir mais.

Dar espaço e visibilidade para os membros da equipe

A comunicação em uma empresa jamais deve ser unidirecional (empregador => colaborador), é muito importante que os profissionais do chão de fábrica tenham espaço para opinarem.

Uma vez que o processo de comunicação é bidirecional (empregador <=> colaborador), a equipe acaba demonstrando mais interesse em tentar melhorar o ambiente de trabalho e, consequentemente, se mostra mais disposta a alcançar os objetivos da empresa.

Portanto, após entender sobre como aplicar a gestão de pessoas no chão de fábrica, fica mais simples concluir que essa prática proporciona principalmente uma maior produtividade, desenvolvimento dos colaboradores e melhores ambientes de trabalho.

Vale lembrar ainda que esse processo é gradual e é alcançado com muito mais eficiência quando há um líder gerenciando a equipe de trabalho.

O conteúdo foi válido para você? Então assine a nossa newsletter e leia sobre outros temas industriais em geral.

São vários os fatores presentes em um ambiente de trabalho capazes de interferir na produtividade de uma equipe. Dentre esses parâmetros, é fundamental destacarmos as condições ergonômicas oferecidas pelo empregador, visto que, além de se relacionarem com o conforto ocupacional, também possuem ligações com a saúde e o humor da equipe de trabalho.

Infelizmente muitas empresas não dão a devida atenção para as condições ergonômicas disponibilizadas em suas dependências, fato este que é explicado pela falta de conhecimento sobre as várias vantagens ao assegurá-las.

Sendo assim, confira tudo sobre condições ergonômicas.

Conceito de ergonomia no trabalho

A palavra ergonomia remete ao estudo entre a relação ser humano/ambiente laboral. Em outras palavras, é uma análise detalhada sobre todos os elementos de um local que estão diretamente relacionados com o conforto, bem-estar e, acima de tudo, a segurança no trabalho de uma equipe.

Vale ressaltar ainda, que não importa o risco das tarefas a serem desempenhadas, todas elas necessitam de uma análise ergonômica adequada.

Relação entre ergonomia e produtividade da equipe

Esperar que uma equipe de trabalho entregue todo o seu potencial para uma empresa vai muito além de apenas garantir a contratação de excelentes profissionais.

Como exemplo prático, é impossível exigir bons resultados de desempenho de uma equipe que trabalha em um canteiro de obras sem os devidos Equipamentos de Proteção Individua – EPIs, ou de colaboradores que atuem em um escritório com baixa luminosidade e cadeiras desconfortáveis.

Sendo assim, é possível fazer uma associação direta entre a ergonomia e a produtividade de uma equipe, ou seja, quanto melhores as condições de trabalho que um empregador possa oferecer, sem dúvida, melhores serão os resultados de produtividade que a equipe em questão entregará.

Vantagens de um ambiente ergonômico

Podemos destacar as seguintes vantagens ao assegurar a ergonomia em uma empresa:

  • garantir a saúde e segurança do trabalho para todos os membros da empresa;
  • diminuir as chances de ocorrerem acidentes de trabalho, visto que todos os riscos serão previamente analisados e posteriormente traçadas medidas para que sejam neutralizados/reduzidos;
  • melhorar o humor da equipe de trabalho, uma vez que ela será valorizada e desempenhará todas as tarefas com conforto e segurança;
  • aumentar a produtividade dos colaboradores;
  • evitar lesões consequentes de esforços repetitivos, má postura e negligência dos EPIs;
  • possibilitar que atividades laborais sejam desempenhadas seguindo os parâmetros ideais de eficiência, visto que as condições de trabalho estão adequadas.

Normas regulamentadoras

Existem algumas normas regulamentadoras que especificam como que as condições de um determinado ambiente de trabalho precisam estar. Busca-se assegurar o conforto e a segurança da equipe.

Deste modo, os parâmetros que classificam as condições ergonômicas como satisfatórias ou inadequadas não são subjetivos. Isto é, são claramente determinados segundo algumas NRs.

Norma Regulamentadora 15

Tratando das atividades e operações insalubres, a NR 15 tem como principal objetivo estabelecer padrões técnicos para classificar um ambiente ocupacional quanto ao grau de sua insalubridade. Seguir essa norma impacta diretamente na produtividade. Isso de dá por ela colocar limitações em cargas horárias, bem como relaciona-se com o bem estar do colaborador. Isto posto, vai depender de análises, medições e atividades que a própria NR regula e indica como fazer.

Além disso, essa norma prevê um adicional sobre o salário ― conforme as características do risco e a intensidade de exposição ―, para a equipe que desempenha tarefas nestes ambientes identificados como insalubres.

A NR 15 padroniza parâmetros para os seguintes locais de trabalho:

  • presença de ruídos intensos (sejam eles contínuos, sejam eles intermitentes);
  • limite de exposição ao calor;
  • limite de exposição ao frio;
  • exposição às radiações não ionizantes;
  • trabalho em ambientes com alterações na pressão;
  • atividades em áreas com umidade elevada;
  • presença de agentes químicos;
  • elevada concentração de agentes biológicos.

Norma Regulamentadora 18

a NR 18 é uma norma que detalha as condições ergonômicas adequadas para a indústria da construção. Segundo essa norma, é dever do empregador garantir algumas condições básicas em um canteiro de obras. São eles:

  • instalações sanitárias;
  • vestiários;
  • alojamentos;
  • local de refeições;
  • área de lazer;
  • ambulatório, quando se tratar de uma equipe de trabalho com 50 ou mais membros.

Por ser uma indústria com várias ramificações e englobar tarefas de diferentes naturezas, na construção civil, há várias possibilidades de um ambiente ser classificado como insalubre. Entretanto, a NR 18 detalha todas as atividades e as suas respectivas condições ergonômicas ideais.

4 dicas para melhorar a ergonomia no ambiente de trabalho

Uma vez que já sabemos o que é ergonomia, bem como as suas vantagens ao ser garantida em um local de trabalho, é interessante destacar algumas dicas que as viabilizam.

Deste modo, confira 4 orientações para melhorar a ergonomia. São elas:

1. Conheça sua equipe

Estreitar a relação empregador/equipe de trabalho é muito importante para que a comunicação interna seja feita de forma clara, rápida e sem burocracias.

Uma vez que essa comunicação é realizada com eficiência, a equipe se sente mais confortável para sugerir melhores condições ergonômicas quando necessário, viabilizando, dessa forma, ambientes de trabalho mais saudáveis e seguros.

2. Disponibilize todos os EPIs

Como vimos ao longo do conteúdo, a segurança no trabalho é extremamente importante para a garantia de ambientes ergonômicos.

Nesse contexto, vale destacar a importância de disponibilizar todos os Equipamentos de Proteção Individual – EPI para a equipe. Com pouco investimento é assegurando assim, além do conforto ao desempenhar tarefas de risco, locais de trabalho com chances reduzidas de ocorrerem acidentes. Menos acidentes impacta positivamente o passivo trabalhista e também a produtividade.

EPIs básicos

EPIs são os aliados nº 1 de empresas e funcionários para evitar acidentes de trabalho

3. Delimite tarefas

Ao delimitar tarefas, um colaborador vai saber exatamente o que deve saber fazer. Desta forma ele estará menos propício a se expor às atividades que contenham riscos para os quais ele não está protegido.

E para alcançar esse patamar de organização na empresa, é imprescindível que haja uma clara delimitação das tarefas, para que, dessa forma, cada equipe execute apenas o serviço que ela sabe que as condições ergonômicas estão favoráveis.

4. Realize avaliações de desempenho

Muitas vezes um baixo rendimento no trabalho está associado com condições ergonômicas precárias. Baixo rendimento afeta diretamente a produtividade da equipe como um todo. Portanto, é importantíssimo ficar atento a esse fator.

Por esse motivo, realizar avaliações de desempenho periodicamente ajudam a detectar baixos rendimentos de equipes. Uma das causas possíveis é da equipe não estar alocada em um ambiente ergonômico.

Portanto, após entender o conceito de condições ergonômicas e verificar todos os seus benefícios para a produtividade da equipe, é fácil perceber o quão importante esse parâmetro é para as atividades laborais.

Cabe lembrar ainda que a empresa que não garante aos seus colaboradores boas condições de trabalho está sujeita a multas e penalidades trabalhistas, conforme as NRs 15 e 18.

O conteúdo foi interessante para você? Então siga nossas páginas nas redes sociais e confira mais posts sobre ergonomia e segurança do trabalho em geral. Estamos no Facebook, Instagram e Linkedin.