A manta térmica é um componente usado em imóveis residenciais e comerciais. Muitas vezes, é aplicada em telhados e tem o objetivo de proteger o espaço interno contra o aumento de temperatura. Para aproveitar ao máximo essa possibilidade, é preciso reconhecer os diferentes tipos de manta térmica.

Feitos com materiais variados, também cumprem a função de formas específicas. Depois de explorar as características de cada opção, fica mais fácil entender qual é a melhor alternativa.

Para que não restem dúvidas, vamos ajudá-lo a conhecer os principais tipos de manta térmica. Confira!

Quais são os benefícios de usar esse produto?

Antes de explorar as possibilidades disponíveis, é interessante pensar nos pontos positivos associados a essa instalação. Com a escolha correta, o espaço só tem a ganhar. Veja quais são as maiores vantagens de recorrer aos tipos de manta térmica!

Isolamento da radiação

A radiação térmica é a principal vilã nos ambientes internos. As ondas eletromagnéticas enviadas pelo sol aumentam muito a temperatura de superfícies como as paredes e o teto. Como consequência, há um aquecimento no interior.

A manta térmica, por outro lado, ajuda a conter esse resultado. Por meio de uma atuação reflexiva, faz com que os raios se dispersem, o que evita a transferência do calor.

Diminuição da troca de calor entre ambientes

Outro ponto importante é que a manta térmica serve como isolante. Então, ela diminui ou até elimina a troca que acontece entre os ambientes interno e externo. Isso permite manter a temperatura do lado de dentro constante e agradável.

Essa vantagem é especialmente verdadeira quando é possível evitar todas as formas de transmissão de calor — convecção, condução e irradiação. O item funciona como acontece em uma garrafa térmica, já que impede as trocas indesejadas.

Redução do consumo de energia elétrica

Se o ambiente interno sofre menos com o aumento de temperatura, significa que é preciso usar o ar-condicionado ou os climatizadores com menor intensidade. Não apenas isso: durante os dias frios, os tipos de manta térmica ajudam a manter o calor na parte de dentro, o que diminui o uso de aquecedores.

Tudo isso leva a uma redução no consumo de energia elétrica. Além de aumentar a sustentabilidade, é um meio de diminuir os gastos.

Aumento do conforto térmico

Controlar a temperatura de um local é essencial para o bem-estar das pessoas. Afinal, valores muito elevados colocam em risco a saúde e causam diversos prejuízos e incômodos.

Com a instalação do produto adequado, o interior do imóvel permanece fresco e agradável. Com o conforto térmico, há uma experiência melhor, mais produtividade no trabalho e menos preocupações.

Quais são os tipos de manta térmica?

Para conquistar tais resultados, há diversos produtos disponíveis no mercado. Feitos com materiais e tecnologias diferentes, oferecem desempenhos que variam com cada necessidade. A seguir, mostraremos quais são os 5 principais tipos de manta térmica.

1. De lã ou fibra

A manta de lã aparece em rolos e tem uma instalação descomplicada. É feita de lã natural, de vidro ou até de material acrílico ou de rocha.

Embora seja uma solução já consolidada no mercado, serve para impedir apenas a condução. Além disso, pode sofrer com o contato com a umidade e perder a funcionalidade, dependendo do material. Apesar disso são excelentes isolantes acústicos quando são de alta densidade.

 

2. Em spray

A versão em spray consiste em uma pulverização de material isolante — normalmente, o poliuretano. Por ser um mau condutor térmico, ajuda a evitar essa forma de transmissão de calor.

É uma alternativa prática de ser aplicada, é resistente ao mofo e ainda evita infiltrações. No entanto, exige acesso direto ao teto e modifica a aparência da construção. Em residências, é algo potencialmente indesejado. Além disso, as espumas como o próprio nome já diz absorvem umidade, e podem acarretar em sobre-peso na estrutura. Para essa aplicação é extremamente recomendado um cálculo estrutural para não ocorrer problemas no futuro.

Além do poliuretano, existem também as tintas refletivas. Estas são boas refletoras de calor, e podem em alguns poucos casos resolver questões de impermeabilização. Ambas as soluções dependem da estrutura do telhado, e são das soluções mais caras do mercado.

3. De alumínio

A versão aluminizada aparece em forma de rolo e deve ser aplicada na estrutura do telhado. Por isso, é mais recomendada para imóveis que ainda estejam em construção.

Como ajuda na reflexão de raios, combate a irradiação, principalmente. Embora tenha uma aplicação fácil, exige a impermeabilização do telhado e não protege contra outras formas de transmissão de calor. Ademais, os foils (mantas aluminizadas) são mais recomendados para aprimorar na impermeabilização inferior de telhados do que necessariamente como isolamento térmico de qualidade.

Lembre-se sempre de consultar a especificação técnica destes produtos, pois em muitos casos essas mantas podem não ter a eficiência desejada.

4. Placa de espuma

A placa de espuma é feita com um material isolante, como o poliestireno. Deve ser instalada diretamente na laje para garantir o isolamento térmico. Como aparece em diversas densidades e tamanhos, atende a necessidades variadas.

Tem boa vida útil, mas apresenta foco apenas na transmissão por condução. Então, imóveis em áreas com grande incidência solar veem poucos resultados em isolamento térmico.

Acrescentando, as placas de EPS (isopor) são também frágeis tanto na instalação quanto à ação do tempo, amarelando e perdendo eficiência ao longo de sua vida útil.

5. Manta Térmica 3TC

O 3TC traz uma tecnologia exclusiva e que permite a proteção contra todos os tipos de transferência de calor. Por ser feito de poliestireno, o produto é isolante térmico e evita a condução. Além disso, é revestido com lâminas refletivas e barra 97% dos raios infravermelhos. Como controla a entrada de fluidos devido às camadas de materiais, ele consegue combater a convecção, sendo um ótimo aliado de climatizadores que dependem disso para serem eficientes.

Também tem boa durabilidade, fácil instalação, resistência à água e ao mofo e versatilidade. Para completar, ajuda a obter  atenuação acústica, sem se esquecer da sustentabilidade.

Trata-se de uma solução completa tanto para ambientes residenciais, quanto comerciais e industriais. O resultado vem na forma de um conforto térmico estendido, graças ao controle rígido de temperatura.

Como escolher a melhor alternativa?

Como mostramos, os diferentes tipos de manta térmica apresentam características bem distintas — da fabricação e instalação aos resultados. Portanto, para fazer uma boa escolha é preciso ter atenção aos produtos disponíveis.

Em alguns ambientes, pode ser necessário contar com a proteção contra apenas um tipo de transmissão de calor. No entanto, o melhor é recorrer a uma alternativa completa e que ajude a evitar os impactos de todos os processos. Além de tudo, é preciso pensar na durabilidade e na facilidade de instalação.

Escolher o 3TC, portanto, é algo que traz versatilidade para atender à maior parte das necessidades. Após a aplicação, será possível notar impactos positivos no controle de temperatura, de modo a atingir os objetivos com a construção.

Depois de conhecer os tipos de manta térmica, o recomendado é procurar soluções mais eficientes que métodos tradicionais. Ao mesmo tempo, não se esqueça das normas de segurança da construção civil para obter o resultado ideal.

Para fazer a melhor aquisição, solicite um orçamento ou mande uma mensagem no WhatsApp e veja como podemos ajudar!

Cuidar da temperatura do ambiente de trabalho é fundamental. Esse elemento está relacionado ao conforto, o que impacta diretamente o desempenho e o humor da equipe. Inclusive, é algo ligado a questões de ergonomia e bem-estar. Para conquistar esses resultados, é possível usar o isolamento térmico.

Apesar dos seus bons efeitos, muita gente ainda tem dúvida se o investimento realmente vale a pena. O melhor, então, é entendê-lo de maneira completa para verificar se a alternativa atende a certas expectativas.

A seguir, veja o que é o isolamento térmico e descubra se ele vale a pena.

Afinal, o que é o isolamento térmico?

O calor transfere-se de um ponto quente para o mais frio, até que as temperaturas atinjam o equilíbrio (fiquem iguais). A partir dessa mesma lógica, pense em uma fábrica: se, do lado de fora, a temperatura é de 30°C, enquanto no lado de dentro a temperatura é de 20°C, a tendência é que ambos os espaços atinjam 25°C.

No entanto, a menor elevação da temperatura dentro de um lugar como esse pode trazer desconforto às pessoas que ali estão. Afinal, um ambiente de trabalho inclui vários outros elementos, como máquinas, que também dissipam calor.

O isolamento térmico, por sua vez, busca deixar um espaço protegido contra a perda e absorção de temperatura. Guardadas as proporções, é como uma garrafa térmica.

Esse processo utiliza materiais que impedem ou diminuem a transferência de calor. Assim, ajudam a garantir o conforto térmico dentro do edifício, como um ambiente comercial, industrial ou residencial.

Quais são os benefícios?

Recorrer a um bom sistema de isolamento térmico traz vantagens de diversos tipos. Para os empreendimentos, com destaque, é possível obter resultados melhores em várias esferas. A seguir, entenda quais são os pontos positivos de realizar o investimento.

Garantia de economia

A eficiência energética é um aspecto essencial para qualquer empreendimento. Quando a energia elétrica é usada da melhor forma, há uma redução com os custos na conta de luz ao final do mês. Para a empresa, ter menos despesa significa ter melhores possibilidades de investimento. Afinal, a energia mais barata é a que não se utiliza.

Com o isolamento térmico, isso é favorecido, porque não é preciso usar um sistema de climatização tão intenso. Além disso, não há perdas da atmosfera climatizada, o que garante melhor desempenho e menor gasto de energia.

Aumento do conforto

A temperatura é um dos fatores mais importantes para o bem-estar. Se ela estiver muito alta ou baixa, é difícil permanecer no ambiente por muito tempo — especialmente em uma jornada de trabalho. Então, recorrer ao isolamento térmico é um jeito de ampliar o conforto.

Isso garante que as pessoas não tenham de lidar com os incômodos da temperatura e, ao final, trata-se de algo que ainda melhora a percepção sobre o local de trabalho.

Aumento da produtividade

Estar em um espaço agradável, em todos os sentidos, é importante para que as pessoas possam trabalhar melhor. Em relação ao conforto, um estudo já identificou que estar em um bom ambiente é determinante para a produtividade.

É verificável que ocorre o aumento de erros por parte das pessoas e do risco de acidentes por conta do desconforto. As instalações inadequadas propiciam a baixa concentração, o desânimo e alta sensação de incômodo.

Mas, ao cuidar das questões térmicas e, portanto, do bem-estar, é possível obter um bom desempenho da equipe. As pessoas conseguem focar nos seus resultados, sem se preocupar com sensações desagradáveis, como o calor em excesso.

Inclusive, há pesquisas que afirmam que o calor prejudica a performance cognitiva e que atuar na temperatura ideal ajuda a memória. Assim, é possível conquistar melhores resultados ao potencializar o desempenho.

Redução de problemas de saúde

A temperatura fora dos padrões adequados pode gerar várias condições nocivas à saúde. Além da desidratação, o excesso de calor pode motivar crises hipertensivas, quedas de pressão e outros quadros. Para o negócio, isso significa ter muitas licenças e afastamentos.

Por outro lado, com o cuidado com esse elemento, toda a equipe tem a saúde favorecida. É fácil desempenhar as funções com total segurança, sem que a gestão tenha de lidar com as consequências do absenteísmo.

Diminuição de problemas trabalhistas

De acordo com a Norma Regulamentadora 17 (NR-17), uma das determinações quanto à segurança e à saúde do trabalho é oferecer as condições adequadas de ergonomia. A ergonomia, portanto, é uma das obrigações de qualquer empregador. Com a temperatura incorreta, por outro lado, é muito mais difícil obter esse efeito.

Com o isolamento térmico, é possível adequar o espaço e garantir a climatização, ao usar o ar-condicionado conforme o necessário. Isso cria, acima de tudo, um ambiente de trabalho mais saudável. Assim, há uma redução nos processos e disputas trabalhistas, o que garante melhores resultados para o empreendimento.

Aumento da retenção de talentos

Você sabia que o clima organizacional é determinante para manter os profissionais no negócio? Além de contar com boas relações pessoais, as condições físicas devem ser adequadas.

Um ambiente sempre quente e abafado gera desmotivação, desconforto e problemas de saúde, como visto. Ao final, isso faz com que as pessoas procurem outros locais para trabalhar, o que leva a custos e dificuldades. Com o isolamento, por outro lado, o local é favorecido e há uma retenção ampliada de profissionais.

O investimento em isolamento térmico vale a pena?

Mesmo diante dos benefícios, é comum que haja dúvida se o investimento é, realmente, interessante. O fato é que qualquer empreendimento que deseja atingir novos resultados deve considerar essa possibilidade.

A economia em relação à conta de luz, por exemplo, faz com que o investimento tenha um retorno em pouco tempo. Depois que o gasto inicial é quitado, todos os recursos economizados podem ser utilizados pelo negócio para novos investimentos, por exemplo.

A melhoria em relação à equipe, entretanto, é especialmente vantajosa. Graças a esse aspecto, os profissionais se tornam mais engajados, comprometidos e produtivos. Além disso, a permanência maior desses profissionais na empresa gera resultados mais significativos.

Para completar, a responsabilidade social do empreendimento é favorecida. Ou seja, ele se posiciona com uma boa reputação no mercado — e todos esses aspectos contribuem positivamente para o seu desempenho.

O isolamento térmico é essencial para que uma empresa tenha resultados melhores. Quando é bem executado, garante mais produtividade e ótimo retorno, o que justifica o investimento nessa possibilidade.

Como esse investimento é realizado com materiais especiais, aproveite e veja se é melhor recorrer à telha sanduíche ou a uma manta térmica 3TC.

O controle de temperatura é essencial para muitos empreendimentos. Em primeiro lugar, existe a recomendação do Ministério do Trabalho e da Norma Regulamentadora 17. Como trata da ergonomia, o documento estabelece os níveis de calor e frio ideais. Seu cumprimento é obrigatório e ajuda a evitar processos trabalhistas.

Além disso, há empreendimentos que precisam cuidar da conservação de elementos. Frigoríficos, por exemplo, devem lutar conta o ganho de calor nas câmaras frias para não perderem os produtos. Em todos os casos, é essencial dispor dos mecanismos certos.

Mas, afinal, como realizar o controle de temperatura na empresa da forma adequada? A seguir, veja algumas dicas para conseguir colocar essa etapa em prática.

Utilização de equipamentos

Há muitas soluções eletrônicas que auxiliam os empreendimentos a acompanhar a temperatura de um determinado ambiente. A maior parte deles não ajuda a evitar que as mudanças aconteçam, mas oferecem uma visibilidade ampliada.

Nesse sentido, o controlador de temperatura é um dos mais importantes. Ele funciona como uma espécie de relógio, mas a informação que ele oferece é o quão quente ou frio está um determinado lugar ou objeto. Dependendo do caso, apresenta precisão de décimos, o que garante máximo acompanhamento.

Também é possível recorrer a chips de transmissão instantânea, termostatos e elementos do tipo. Eles ajudam a acompanhar o nível de calor ou frio de um ambiente e a verificar se tudo está dentro do esperado.

Há, ainda, os sistemas voltados para a mudança de temperatura — não só para o controle. Climatizadores e itens relacionados são opções utilizadas com frequência.

Os chillers, por exemplo, resfriam quantidades de água que “roubam” o calor do ar, de acordo com os parâmetros desejados. Já o rooftop é uma espécie de ar-condicionado, enquanto o fan coil é um tipo de ventilador de grande capacidade.

Todos esses elementos ajudam a dissipar calor do ambiente, o que garante um resultado muito mais confortável para vários pontos. No entanto, ainda assim é preciso se preocupar com o controle de temperatura para que ele fique em níveis adequados.

Projeto arquitetônico

A forma como o espaço se apresenta também tem tudo a ver com a temperatura percebida e com o nível de acompanhamento obtido. Dependendo das escolhas, um ambiente sai prejudicado por causa das suas características construtivas. Por isso, um bom projeto arquitetônico é fundamental.

É preciso pensar, por exemplo, no posicionamento do local. Um frigorífico localizado em uma área de grande incidência solar não oferece os resultados esperados. Então, vale considerar mudá-lo dentro da planta ou mesmo criar barreiras de proteção para impedir o aumento de temperatura.

Também é necessário refletir sobre questões como o telhado, as paredes, a ventilação natural e até nos revestimentos. O grande problema é que essas decisões podem não estar disponíveis para um imóvel que já está erguido.

Em casos do tipo, é recomendado adaptar soluções aos espaços já existentes. Assim, é possível conquistar um controle de temperatura muito efetivo.

Uso de isolamento térmico

O isolamento térmico é um processo semelhante ao funcionamento de uma garrafa térmica. Ele conta com materiais que ajudam a evitar a absorção e a troca de calor entre dois ambientes. Então, é possível garantir maior controle do nível de temperatura em certo espaço.

Para empresas que precisam dar máxima atenção a esse aspecto, trata-se de uma solução conveniente. Com bons produtos de proteção, é possível evitar que o calor seja transmitido pelas três formas: condução, convecção e radiação. Assim, mesmo que esteja muito quente do lado de forma, o interior permanece agradável.

O contrário também acontece. Quando está mais frio na parte externa, é comum que o imóvel comercial perca calor. Em vários casos, a troca não é interessante. Então, o isolamento ajuda a evitar que esse caminho seja percorrido.

O melhor jeito de conquistar tais impactos é por meio da seleção de uma solução funcional. Normalmente, o uso de uma manta térmica e/ou de placas especiais garante o bom desempenho. A instalação tem que ser feita de maneira adequada e o ideal é optar por uma alternativa versátil, que se adapte a qualquer tipo de construção.

Dependendo do caso, trata-se de uma etapa que pode fazer parte do projeto arquitetônico. Do contrário, é possível realizar a aplicação e o isolamento com o ambiente já em uso e sem dificuldades.

Adoção de múltiplas soluções

O controle de temperatura de indústrias e empresas não tem que ser feito de uma só maneira. Na verdade, é até mais produtivo unir diversas alternativas em um projeto para obter o máximo desempenho.

Então, essas soluções podem — e devem — ser conjugadas para a conquista de um efeito melhor. O controlador de temperatura, por exemplo, ajuda a garantir uma avaliação sobre os números, de modo a mantê-los dentro da faixa esperada.

Já a climatização auxilia a vencer o nível elevado de calor. Com um bom projeto, é possível diminuir a temperatura do ambiente de um jeito consistente e que permite atingir os parâmetros específicos.

Por outro lado, o projeto arquitetônico reduz a necessidade de uso de equipamentos, já que explora o local da melhor maneira. Com tanto planejamento, fica fácil fugir de imprevistos e de cenários pouco desejáveis, como a flutuação da temperatura ao longo do tempo.

Para completar, o isolamento térmico garante a eficiência de todas as outras soluções. Não adianta ter um sistema de climatização robusto e sofrer com a transmissão de calor que vem do ambiente externo. Isso só aumenta a necessidade de potência, o que leva a um gasto muito maior de energia elétrica.

Com um bom recurso de isolamento, o espaço fica protegido contra a perda ou o ganho de calor da parte de fora. Com maior controle, basta usar os recursos necessários para chegar ao patamar desejado, o qual será mantido com facilidade.

O controle de temperatura em indústrias e empresas está ligado à qualidade e à segurança. Com essas soluções, é viável garantir que o espaço tenha as características adequadas para a execução dos diversos processos.

O que você pensa sobre essas possibilidades? Conte nos comentários e não deixe de participar!