Posts

Pesquisadores da Holanda desenvolveram um concreto que consegue consertar suas próprias rachaduras

Na 3TC Isolamento valorizamos a inovação e desenvolvimento de novas tecnologias, principalmente as que trazem sustentabilidade e solução para problemas existentes na construção civil. Essa semana começaremos uma série de postagens apresentando novas tecnologias que estão em desenvolvimento pelo mundo e que podem em breve compor a construção civil aqui mesmo no Brasil. O 3TC mesmo é uma tecnologia nova, está apenas há 2 anos e meio em atividade fabril no país, e por isso valorizamos e gostamos de conhecer novas tecnologias, e, quem sabe, um dia sermos os responsáveis pela homologação delas em território nacional. Nessa semana falaremos do BioConcreto, uma tecnologia muito promissora.

Pesquisadores da Universidade Técnica de Delft, na Holanda, desenvolveram um composto de concreto que pode preencher falhas, rachaduras e fissuras usando bactérias especiais. O concreto é o material da construção civil mais utilizado no mundo todo, extremamente importante em obras de pequena ou larga escala, mas é propenso a rachaduras. Dessa forma ele precisa ser reforçado com aço e, em alguns casos, fixado ou substituído quando as rachaduras comprometem a estrutura. O projeto é liderado por dois pesquisadores: Henk Jonkers, um microbiologista e Eric Schlangen, especializado em desenvolvimento de concreto. Eles vêm trabalhando há vários anos nessa tecnologia de concreto que consegue se auto reparar, tentando abordar esse problema de maneira sustentável.

Durante o teste foram misturadas bactérias em uma pasta de cimento e após um mês eles encontraram os esporos de três bactérias específicas ainda estavam viáveis. Os pesquisadores então adicionaram uma bactéria inofensiva conhecida como Bacillus genus ao concreto que permaneceu dormente até entrar em contato com a água. As bactérias usaram os nutrientes que os pesquisadores incorporaram no cimento (lactato de cálcio – um componente do leite).

De acordo com o Dr. Jonkers: “No laboratório temos sido capazes de mostrar a cicatrização de fissuras com uma largura de 0,5 mm e agora estamos aumentando a nossa capacidade. Precisamos de uma quantidade significativa do agente de auto repara para começar a fazer testes ao ar livre, em diferentes construções, diferentes tipos de concreto para ver se este conceito realmente funcionará na prática” afirmou o pesquisador. Assista o vídeo com os pesquisadores explicando a tecnologia:

O principal desafio do projeto concreto de auto reparo é assegurar que o as bactérias possam sobreviver ao processo de mistura. Para isso, os pesquisadores tiveram que revestir as partículas do agente de cura, que ainda é um processo caro mas esperam que nos próximos 6 meses o custo disso seja reduzido drasticamente. Após esse tempo uma nova série de testes deve começar – desta vez fora do laboratório e em condições reais. Mais informações sobre o projeto podem ser encontradas no site da Universidade Técnica de Delft.

Encontrar informação de qualidade sobre determinado assunto nem sempre é fácil, mesmo com a internet. Foi o que fez com que engenheiros civis começassem seus próprios blogs.

Criar conteúdos relevantes, disponibilizar informações difíceis de serem encontradas em outros sites e vontade de mostrar seus conhecimentos são alguns motivos que profissionais encontram para começar blogs sobre suas profissões. Um dos nichos crescentes são blogs sobre engenharia e, no caso desse 3 dicas, sobre a Engenharia Civil, área que acompanha todas as etapas de uma construção ou reforma.

O acompanhamento profissional durante uma construção é essencial e são os engenheiros civis que vão projetar, gerenciar e executar a obra para que tudo ocorra de forma regulamentada e segura.

Se você tem dúvidas sobre a área, é um estudante ou interessado no assunto, selecionamos 3 blogs que vão te informar melhor sobre esse campo de conhecimento.

 

Engenheiro No Canteiro

O blog Engenheiro no Canteiro foi criado pelos engenheiros civis Antônio Jorge Abrahão Júnior, Fábio Karklis Diniz e Giuliano Tognetti no início de 2015 com o objetivo de divulgar conhecimento técnico confiável e bem explicado sobre a área. Dessa forma, o blog disponibiliza notícias de qualidade sobre construção civil, com dicas fáceis, respostas para dúvidas do dia a dia.

Incluindo um glossário sobre termos técnicos, informações sobre materiais de construção, revestimentos, instalações, vistorias, dentre outros, o Engenheiro No Canteiro também possui um canal no Youtube com vídeos sobre o curso, o mercado de trabalho e outros aspectos importantes da Engenharia Civil.

 

Engenharia Civil Diária

Idealizado pela engenheira civil Alessandra Rodrigues, o blog Engenharia Civil Diária, como o próprio nome fala, tem o objetivo de mostrar um pouco da vida diária desses profissionais. Mostrando que mulher também entende e muito de engenharia, os posts trazem notícias sobre construções, novas tecnologias, curiosidades com uma linguagem prática e rápida.

Desde 2015 o blog traz posts desde como fazer um cronograma para uma obra até fatos históricos sobre a Engenharia Civil e edificações famosas. Nas abas também é possível encontrar o conteúdo dividido por tópicos, incluindo uma sessão “Pergunte ao engenheiro!”. Para acompanhar tudo, basta assinar a newsletter e o Facebook do Engenharia Civil Diária.

 

O Engenheiro Civil

Ao procurar um canal que oferecesse conteúdos sobre construção civil com qualidade, simples e objetivos, os engenheiros Felipe Genovez e Leandro Tersariol, perceberam que não havia muitas opções disponíveis na internet. Resolveram então criar O Engenheiro Civil, blog que compila as últimas novidades na área de construção no Brasil e mundo.

Voltado para estudantes e profissionais da área, O Engenheiro Civil ainda tem poucos posts, mas traz conteúdos ilustrados e divididos em tópicos bem explicativos sobre construções e áreas correlatas.

Além desses sites, é possível encontrar muito conteúdo em blogs já desativados como o Blog da Engenharia Civil e em blogs feitos por alunos de faculdades, como o Blog do PET-Civil da UFJF e o Civilização Engenheira da UFC.

Gostou das sugestões? Se você também tem algum blog sobre Engenharia Civil para indicar ou quer começar o seu, conta pra gente no nosso Facebook. Aproveita também pra conferir os outros posts 3 dicas que já fizemos.

Brasil fica em 4º Lugar, demonstrando crescimento das construções sustentáveis no país.

A U.S. Green Building Council (USGBC) anunciou que o Brasil está em quarto lugar na lista dos 10 principais países para a certificação LEED, o sistema de classificação de construções sustentáveis mais amplamente usado e reconhecido do mundo. A lista com os 10 maiores destaca países de fora dos EUA que estão fazendo esforços significativos em transformação, construção e design de edificações sustentável, ilustrando a demanda internacional cada vez mais crescente por construções sustentáveis LEED. O anúncio vem em um momento de foco internacional ampliado em mitigação de mudanças climáticas como prévia às negociações sobre o clima COP21 das Nações Unidas, em dezembro deste ano.

O 3TC é uma tecnologia que já foi responsável pela eficiência energética em diversas construções pelo mundo que possuem a certificação do USGBC. A VA Corp, empresa que patenteou e gerencia esta tecnologia no Brasil, está empenhada a melhorar a cultura da construção civil relacionada ao isolamento térmico e eficiência energética no Brasil.

“Ao manter uma sólida posição de liderança nos movimentos de sustentabilidade ambiental e construções sustentáveis com base no uso ampliado de LEED, o Brasil está mostrando ao mundo que é possível buscar o crescimento econômico e desenvolvimento sem sacrificar um comprometimento com a proteção do planeta que nós compartilhamos”, declarou Rick Fedrizzi, CEO e fundador da USGBC. “Como uma das forças econômicas em alta no novo século, o movimento de sustentabilidade brasileiro está ajudando a demarcar um caminho novo, mais igualitário e responsável frente ao progresso social e econômico.”

O Brasil é um dos três países do BRIC a entrar na lista dos 10 principais países em 2015, e seu mercado substancial e em crescimento para construções sustentáveis demonstram que uma das forças econômicas emergentes mais importantes da comunidade internacional está buscando ativamente meios para garantir que seu crescimento econômico é sustentável e responsável. O Brasil também chegou às manchetes internacionais no ano passado quando creditou-se por ter a maior queda em emissões de gases do efeito estufa do mundo com base em seus esforços bem-sucedidos para combater o desflorestamento. O surgimento do Brasil como um país de ponta no movimento de sustentabilidade tem o potencial de despertar o crescimento no mercado para a certificação LEED na América Central e do Sul devido à posição do Brasil como modelo político e econômico regional aos seus países vizinhos.

Os 10 países que compõem a lista para 2015 são geográfica e culturalmente diversificados, representando sete das 20 maiores economias do mundo por nação, de acordo com seu produto interno bruto (PIB) (China, Alemanha, Brasil, Índia, Canadá, Coreia do Sul e Turquia), bem como seis dos 11 maiores emissores de gases estufa (China, Índia, Alemanha, Coreia do Sul, Canadá e Brasil).

A análise usada para desenvolver a lista classifica os países em termos de metros quadrados brutos (GSM) e número de projetos LEED até o momento. Os espaços certificados com LEED usam menos energia e recursos de água, economizam dinheiro para as famílias, empresas e contribuintes, reduzem as emissões de carbono e criam um ambiente mais saudável para residentes, funcionários e a comunidade como um todo. Os Estados Unidos, local de nascimento do LEED, não estão incluídos nessa lista, mas continuam sendo o maior mercado do mundo para o LEED. Os EUA são a maior economia do mundo por PIB, bem como o segundo maior emissor de gases do efeito estufa do mundo.

A classificação completa é a seguinte:

  1. Canadá
  2. China
  3. Índia
  4. Brasil
  5. República da Coreia
  6. Alemanha
  7. Taiwan
  8. Emirados Árabes Unidos
  9. Turquia
  10. Suíça

Os EUA não estão oficialmente nomeados nesta lista, mas permanecem como o maior mercado do mundo para construções sustentáveis.