Posts

Quando se fala em revestimento de teto, o forro de gesso é provavelmente um dos primeiros a ser avaliado como acabamento. Afinal ele é considerado versátil e pode ser utilizado como forro e também como rebaixamento de tetos, eventualmente sendo muito usado em projetos de reforma.

O gesso é um aglomerante simples, constituído basicamente de sulfatos mais ou menos hidratados e de anidros de cálcio, obtido pela calcificação da gipsita. Tem como propriedades pega e endurecimento rápido, boa aderência. Dentre os acabamentos possui bom isolamento térmico e acústico, é resistente ao fogo, e tem estabilidade volumétrica em local seco e superfície lisa.

Tipos de forro de gesso

Em se tratando de forros, dois tipos são comumente utilizados no Brasil: o tradicional e o acartonado. O primeiro é constituído por placas moldadas de gesso no tamanho de 60 x 60 cm, com encaixes do tipo macho e fêmea. As placas são fixadas no teto com arames galvanizados de conformidade com a especificação da obra.

Ademais, o gesso acartonado é composto de papel cartão e gesso, são placas maiores e mais finas. A instalação ocorre por três sistemas: o estruturado, o aramado e o removível. O estruturado é o mais utilizado, consiste em pendurais rígidos reguláveis e canaletas metálicas galvanizado. O aramado é composto de pendurais de arame galvanizado, com peças metálicas zincadas tipo “H”. Geralmente utilizado em locais menores e forros mais econômicos. Já o removível tem como principal característica a possibilidade de visitação de equipamentos instalados na parte superior. É estruturado com pendurais de arame galvanizado, perfis de aço galvanizado com pintura eletrostática.

Vantagens e desvantagens do forro de gesso

De uma forma geral, os forros e rebaixamento de gesso tem um forte apelo estético. Além disso são muito usados para embutir iluminação ou disfarçar vigas indesejáveis. Em segundo lugar ele possui boas propriedades térmicas e acústicas e sua flexibilidade possibilita a criação de diversas formas. Uma das grandes desvantagens é a baixa resistência à umidade, não podem ser instalados em áreas externas, e a utilização em áreas úmidas deve ser bem avaliada.

Porém, cada tipo de forro, o tradicional e o acartonado, possuem características distintas e cabe avaliar qual é o mais adequado para cada situação. Abaixo, reunimos os prós e contra de cada tipo de forro de gesso.

FORRO DE GESSO TRADICIONAL

Vantagens: ele ainda é mais barato que o gesso acartonado; porém é mais resistente à umidade e apropriado para ambientes menores.

Desvantagens: é mais sensível aos efeitos da variação térmica, podendo estalar ou trincar com facilidade. O processo de instalação produz muita sujeira. Possibilidade de surgir manchas amareladas e ataque de fungos. É mais pesado que o acartonado e demanda mão de obra especializada. Se precisar de manutenção, o forro tem que ser destruído.

FORRO DE GESSO ACARTONADO

Vantagens: Facilidade de instalação; produz menos sujeira que o tradicional. A manutenção é simples, se precisar remover alguma placa é possível remendar; possui menor peso; menos sujeito a manchas; há chapas que podem ser curvadas.

Desvantagens: mais oneroso que o tradicional, baixa resistência à umidade; necessita de mão de obra qualificada.

3TC ISOLAMENTO NOS FORROS DE GESSO

Anteriormente vimos que o gesso é um material que responde bem térmica e acusticamente e essa propriedade pode ser otimizada com a utilização do nosso produto. A instalação do 3TC acima do forro como manta térmica é muito simples, veja só: ele ficará por cima do forro, podendo ser parafusado em montantes metálicos. Em relação aos sistemas de instalação dos forros de gesso acartonado, os tirantes podem atravessar o 3TC, não havendo nenhum prejuízo em relação à eficiência do produto.

Sem dúvida, os forros e rebaixamentos de gesso agregam um valor estético considerável à obra, resultando em ambientes belos e aconchegantes. E então, qual o melhor forro para sua obra? Compartilhe com a gente!

 

Como o objetivo da 3TC é reduzir a demanda de energia e fazer mais com menos, compilamos as melhores dicas da cartilha da Cemig sobre eficiência energética.

Depois de ler nosso post sobre 3 dicas de como economizar energia em casa, em que ressaltamos a importância da eficiência energética e de comparar os aparelhos eletrônicos de acordo com ela, separamos algumas dicas da cartilha da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) para que você continue a reduzir gastos e ter uma conta de luz baixa. Realizada pelo Setor de Eficiência Energética da Superintendência de Desenvolvimento de Belo Horizonte, a cartilha traz 75 dicas divididas em equipamentos usados todos os dia em casa como computadores geladeiras, chuveiro, TV, entre outros.

Você vai perceber que mudanças de hábito simples e uma maior atenção aos eletrodomésticos geram sim economia e diferença na conta. Como todo mundo gosta de economizar, nesse post você confere as melhores dicas da publicação da Cemig sobre eficiência energética:

Procure a orientação de um profissional

Sempre destacamos que é essencial contar com uma orientação profissional ao realizar um projeto ou construção. Ao fazer as instalações elétricas, por exemplo, é necessário consultar um técnico especializado para que ele dimensione e proteja os fios de forma correta.

A instalação do ar condicionado também deve ser orientada para que a potência seja calculada de acordo com os BTU’s e o aparelho seja colocado no lugar mais adequado, evitando gastos de energia desnecessários. Outro eletrodoméstico que depende da localização correta para um bom funcionamento é a geladeira. Ela deve ser instalada longe de fontes de calor ou da exposição ao sol, com distância mínima de 15 cm de outras superfícies.

Aproveite os recursos naturais

Iluminação natural, temperatura local e o vento não devem ser ignorados. Por isso, esses fatores devem ser considerados ao projetar os ambientes, com o objetivo de aproveitá-los ao máximo antes de ligar uma luz, ventilador ou o ar condicionado. O uso de cores claras nas paredes, por exemplo, evita a necessidade de lâmpadas de maior potência, que consomem mais energia.

Quando for tomar banho e não estiver frio, deixe o chuveiro na posição “verão” e desligue o registro para ensaboar. Se possível, também instale aquecedores solares. Além de mais econômicos, eles ajudam a preservar o meio ambiente.

Compre modelos com o Selo Procel A

Seja microondas, máquina de lavar, ar condicionado, geladeira e até lâmpadas, antes de comprar qualquer aparelho é importante comparar os modelos com o Selo Procel de Economia de Energia. Esse selo compara os aparelhos de cada categoria, identificando qual os melhores em eficiência energética de acordo com o consumo de kWh.

Além disso, a eficiência energética também é indicada pela letra A, de uma escala que vai de A até G. Os modelos indicados com A consomem menos energia e possuem maior eficiência de funcionamento.

Priorize a segurança

Não adianta seguir todas as dicas e ignorar ou economizar justamente com a segurança. Para isso, é indispensável sempre ler o manual de instruções dos equipamentos e, como já falamos, contratar um profissional quando necessário. Isso evita dor de cabeça e gastos desnecessários com um possível estrago dos eletrônicos.

A utilização de Benjamim ou T deve ser evitada, pois o acúmulo de aparelhos na mesma tomada pode causar aquecimento e até mesmo provocar um curto-circuito. O mesmo vale para emendas, que inclusive podem aumentar o consumo de energia.

Manter os quadros de energia à vista e onde todos da casa saibam localizar também é algo básico e que ajuda caso haja qualquer emergência.

Além dessas informações, é sempre bom lembrar de desconectar aparelhos sem uso da tomada. Para conferir todas as 75 dicas é só acessar a cartilha completa disponível no site da Cemig.

Aproveite e também siga a 3TC no Facebook para não perder nenhum conteúdo do nosso blog.

Antes de comprar um ar condicionado, saiba quais as dúvidas mais comuns e as respostas para estes problemas.

A compra e instalação de um aparelho de ar condicionado já foi considerada artigo de luxo, um eletrodoméstico para poucos. Com o aumento da temperatura global, e o calor absurdo que vem fazendo, cada vez mais pessoas incluem um ar condicionado em seus orçamentos e seus sonhos de consumo. O crescimento da utilização de aparelhos climatizadores causa um impacto no consumo de energia, e o impacto na conta de luz é tão certa quando o conforto térmico proporcionado por este eletrodoméstico, o mais pesquisado e almejado nas épocas de calor. Veja abaixo as dúvidas mais frequentes de quem quer comprar um ar condicionado, e se informe para não cair em pegadinhas!

 

O que é um ar-condicionado?

O condicionamento do ar é um sistema que refrigera ou esquenta ambientes fechados, podendo até melhorar a qualidade do ar, umidade e circulação com a opção do controle da temperatura desejada para o ambiente.

O ar condicionado tem como principal objetivo deixar ambientes em temperaturas agradáveis criando uma sensação de conforto térmico. Hoje um aparelho de ar condicionado pode até possuir função de refrigeração, aquecimento, ventilação, umidificação, desumidificação, e até mesmo filtro que retêm bactérias, ácaros e vírus da “gripe suína”, o H1N1.

 

Como funciona um ar condicionado?

O princípio de funcionamento dos condicionadores de ar, nada mais é do que a troca de temperatura do ambiente, através da passagem de ar pela serpentina do evaporador que por contato sofre queda ou aumento de temperatura, dependendo do ciclo utilizado, baixando a umidade relativa do ar.

Quando alcançado a temperatura desejada se faz uma leitura através de um sensor (termostato) localizado no evaporador, que este, por sua vez, desliga o compressor, fazendo com que o equipamento mantenha a temperatura. Variações na temperatura estipulada aciona-se novamente o compressor que é responsável pela circulação do gás refrigerante dentro do sistema.

 

Quais as funções de um aparelho de ar condicionado?

Nem sempre todos os condicionadores de ar possuem as mesmas funções. Existem diversos tipos de sistemas, onde cada um possui uma tecnologia ou uma característica diferente, dentre estas estão:

  • refrigeração
  • aquecimento
  • desumidificação
  • umidificação
  • ventilação
  • filtragem
  • automação

 

Quais os modelos de aparelhos de ar condicionado?

Existem aparelhos indicados para uso industrial ou residencial, dependendo do tamanho do espaço, e das peculiaridades do ambiente, como utilização de isolamento térmico, número de máquinas/eletrodomésticos, tamanho do ambiente, número de ocupantes, necessários para o cálculo de potência que falaremos a seguir.

A linha industrial são produtos que necessariamente precisam de um projeto e especificações, realizado por engenheiros capacitados, com sistema de distribuição central, afim de climatizar todo um ambiente. Alguns sistemas possuem controle por quarto ou compartimentação do local, e alguns possuem sistema inteligente. Esta linha é a mais indicada para shoppings, galpões climatizados, prédios comercias.

Na linha residencial você encontrará produtos da categoria janela, Split ou VRF. Estes são aparelhos que comportam e se adaptam na climatização de apenas um cômodo, sendo feito o cálculo de potência apenas para aquele local. Este tipo de ar condicionado é o desejado para aqueles que querem climatizar uma sala de escritório, um quarto/cômodo em uma casa.

 

Como escolher a potência do seu ar-condicionado?

Existem várias maneiras diferente de se calcular a potência correta de um aparelho de ar condicionado, e deve-se levar em conta diversos fatores, como número de ocupantes, tamanho do ambiente, número de aparelhos eletrônicos, utilização de isolantes térmicos. Caso queira calcular a potência, temos uma calculadora de BTUs para você comprar o tamanho adequado, sem gastar energia extra, nem ficar insatisfeito com o resultado, e também um post explicando o que significa BTU, e como ele influencia diretamente na compra do aparelho de ar condicionado.

 

Qual a diferença entre o condicionador de janela e ar Split?

O condicionador de janela são os aparelhos compactos, produtos com o corpo único, que pode ser instalado na parede ou na janela, hoje estes produtos estão com tecnologias que possibilitam um baixo consumo de energia. Em contrapartida, eles não são tão silenciosos quanto a linha Split. O evaporador e o condensador ficam juntos dentro do mesmo gabinete. Possui algumas restrições para instalação em determinados edifícios ou residências, como por exemplo, alteração da fachada.

Já o sistema Split é dividido em duas ou mais unidades. Uma unidade externa (condensadora) e uma ou mais unidade internas (evaporadora). A ideia deste produto é diminuir o nível do ruído do aparelho dentro do ambiente, pois o compressor, que é o item com maior nível de ruído, fica na unidade externa (condensadora). A união entre as unidades é feita através de uma tubulação frigorífica, utilizando cobre ou alumínio, revestidos de isolamento térmico. A unidade externa, ou condensadora, é destinada para a mudança do estado do gás para líquido, instalada externamente em local de fácil acesso com distância pré-definida pelo fabricante do equipamento. A unidade interna, ou evaporadora, é destinado ao resfriamento do ar no local a ser condicionado. Podem ser instaladas em paredes, piso, sob o forro, semi-embutida (CASSETE) no forro e embutidas no forro (DUTO).

 

Qual a capacidade (BTU/hora) ideal do aparelho de ar condicionado?

A potência do ar condicionado é medida através de BTU/hora, que significa, uma unidade de potência: BTU (British Thermal Unit = Unidade Térmica Britânica). Caso queira saber mais, fizemos um post dedicado a essa sigla, para você entender melhor.

Para escolher um ar-condicionado é preciso considerar o tamanho do ambiente, o seu isolamento, a sua exposição ao sol ou sombra, a quantidade de eletrônicos no ambiente e o número de pessoas que frequentarão o lugar. Outro dado importante para sua eficiência é o local onde está instalado. O ideal são paredes voltadas para o leste ou sul, onde a incidência solar não é tão forte. Caso não seja possível evitar raios solares, instale uma proteção para evitar a incidência diretamente no aparelho.

 

O que é tecnologia inverter?

A tecnologia inverter está integrada na unidade exterior. Uma unidade inverter aumentará gradualmente a sua capacidade consoante à capacidade adequada a divisão que se pretende esfriar ou aquecer. Uma unidade não-inverter funcionará no máximo do seu poder todo o tempo, ou seja, há um consumo maior de energia.

 

Como e quando dar manutenção no seu aparelho de ar condicionado?

A manutenção de aparelhos de ar-condicionado é uma parte importante em garantir a durabilidade de seu aparelho e a qualidade do ar que respira.  A manutenção preventiva do ar-condicionado – prática que vai além da limpeza dos filtros feita a cada quinze dias, deve ser realizada no mínimo uma vez por ano. A manutenção irá prevenir panes, melhorar a qualidade do ar, aumentar a vida útil do aparelho e a eficiência também.

Alguns dos procedimentos de limpeza podem ser feitos pelo dono, e alguns é mais recomendado a contratação de um profissional. A limpeza dos filtros, já mencionada, pode ser feita por você mesmo. Antes de mais nada, desligue o ar-condicionado e o retire da tomada. Retire o painel frontal do aparelho e o limpe com um pano umedecido; retire também os filtros e os limpe com água morna e detergente ou passe o aspirador. Deixe o painel e os filtros secarem na sombra para só então recolocá-los no ar-condicionado. É importante conferir o manual do aparelho para saber como remover e recolocar as partes do ar-condicionado.

Para a limpeza completa, o aparelho é totalmente desmontado e, por isso, recomenda-se contratar um técnico profissional e autorizado. Nessa manutenção, o aparelho é completamente higienizado com produtos específicos para sua limpeza, o que garante sua durabilidade. Esse tipo de manutenção também deve ser feita anualmente no caso de residências e outros ambientes com pouco uso; ou a cada seis meses no caso de escritórios e outros ambientes que utilizem o aparelho com frequência.

 

*Esta publicação foi realizada com a consultoria do Engenheiro João Vítor Mosqueira Moura – CREA-MG 208551/D