Posts

Conheça aqui 3 descobertas científicas que prometem revolucionar nossos conceitos atuais sobre rodovias, combustível e geração de energia

Polímeros e a revolução no asfalto

A empresa MacRebur (http://www.macrebur.com), sediada no Reino Unido, desenvolveu uma tecnologia sustentável que promete contribuir (E MUITO) com a reciclagem e tratamento de plásticos. O problema com o descarte de polímeros se dá pelo custo financeiro e o consumo de CO2 na fabricação desses materiais e o fato que demoram um tempo enorme para se decompor. A tecnologia é um aditivo à mistura de asfalto que é composto por plásticos (polímeros) que seriam enviados para descarte. Além de contribuir para o meio ambiente, a mistura mostra-se mais durável e resistente que a mistura tradicional de asfalto, e a pavimentação de rodovias é um ótimo destino para plásticos. Dentre os benefícios listados pela empresa estão:

  • Feito com 100% de matérias recicláveis
  • Redução no consumo de combustíveis fósseis
  • Redução do consumo de CO2
  • Redução direta na quantidade de descarte de plástico
  • Ajuda no conceito da economia circular
  • Diminui a necessidade de lixões e estações de tratamento de lixo
  • Aumenta a durabilidade do pavimento
  • Redução no custo de manutenção
  • Alternativa mais barata a tecnologias atuais

Transformando CO2 em Etanol

As vezes a ciência precisa de um pouco de sorte para encontrar soluções para problemas atuais, e nesse caso não foi diferente. Cientistas do Oak Ridge National Laboratory (https://www.ornl.gov/) do estado do Tennessee, nos Estados Unidos, descobriram acidentalmente uma forma de transformar dióxido de carbono (CO2), um dos gases do efeito estufa, em etanol. O processo é eletroquímico e envolve pequenas estruturas de carbono e cobre para conseguir esse feito. Segundo o líder do grupo de pesquisa, Adam Rondinone, “Nós descobrimos um pouco por acaso que esse material funcionou. Estávamos tentando estudar o primeiro passo de uma reação proposta quando percebemos que o catalisador estava fazendo toda a reação por conta própria”.

O catalizador é feito de carbono, cobre e nitrogênio, e eletricidade é aplicado para obter uma reação química complexa, que basicamente reverte o processo de combustão. Com o auxílio de calistas nano tecnológicos, a solução de CO2 e H2O foi convertida em Etanol com 63% de aproveitamento.

Geração de Energia por Fusão Nuclear

A tecnologia nuclear tem papel importante na geração de energia no mundo todo. Apesar dos riscos que envolvem usinas nucleares, esse método ainda é utilizado pelo mundo todo, inclusive no Brasil com usinas em Angra dos Reis, no estado do Rio de Janeiro. Apesar de ter seus problemas peculiares, como o descarte do material radioativo e a utilização de água fluvial, gerar energia por meio de reatores nucleares são mais benéficos ao meio ambiente no que diz respeito a emissão de gases do efeito estufa, e é considerado uma fonte de energia limpa. Infelizmente, as tecnologias que utilizamos de resfriamento, contenção e descarte não evoluíram com o tempo, mas isso promete mudar.

A empresa Tokamak Energy (http://www.tokamakenergy.co.uk), sediada no Reino Unido, tem investido pesado em uma nova forma de geração de energia nuclear. Hoje, utilizamos exclusivamente da fissão nuclear provinda de elementos radioativos como o urânio e o plutônio, que é instável e precisa de ser controlada meticulosamente para que seu funcionamento seja seguro. A Tokamak Energy está próxima de chegar em uma solução comercial para usinas nucleares movidas a fusão nuclear, a mesma que ocorre no núcleo do sol, que utiliza elementos bem mais leves e mais seguros em seu processo.

Segundo David Kingham, CEO da empresa, este é o primeiro dispositivo de fusão controlada projetado, construído e operado por uma empresa privada. A ST40 é uma máquina que irá alcançará temperaturas de fusão – 100 milhões de graus – e serão possíveis e estáveis em reatores compactos e econômicos. Isso permitirá que a geração de energia nuclear por fusão seja alcançada em anos e não em décadas. O maior desafio para tornar economicamente viável essa opção está na manutenção. Segundo Kinham, “ainda precisamos de investimentos significativos, muitas colaborações acadêmicas e industriais, engenheiros e cientistas dedicados e criativos, e uma excelente cadeia de suprimentos. Nossa abordagem continua a ser para quebrar esses desafios de engenharia, aumentando o investimento adicional em alcançar cada novo marco. Já estamos a meio caminho do objetivo da energia de fusão; com trabalho duro, vamos entregar energia de fusão em escala comercial em 2030. ”

Você já pensou como que açougues guardam seus kilos de carnes? O segredo deles é a camara fria, uma MEGA geladeira/freezer para armazenar alimentos.

Você já deve ter alguma ideia do que é uma câmara fria, também chamada de frigorífica. Comum em comércios e indústrias, principalmente do setor alimentício, elas podem ser feitas em diferentes materiais e dimensões, de acordo com o que se deseja armazenar.

Mas o que caracteriza uma câmara fria? E como fazer com que ela funcione de forma mais eficiente? A instalação de um isolante térmico é realmente necessária?

Você confere essas e outras informações nesse post.

O que são?

Câmaras frias ou frigoríficas são equipamentos refrigerados que proporcionam um ambiente adequado ao acondicionamento de alimentos, bebidas e outros produtos perecíveis como remédios e amostras biológicas, removendo o calor do ambiente interno. A temperatura reduzida serve justamente para conservar esses produtos com qualidade por mais tempo, já que reduz as reações químicas, enzimáticas  e microbiológicas.

São compostas por um módulo frigorífico, porta frigorífica, um equipamento de refrigeração, acessórios acoplados, com um ventilador que circula o ar e promove a distribuição uniforme da temperatura.

Podem ser personalizadas de várias formas sempre de acordo com o produto a ser armazenado, condição essencial para que a refrigeração ou congelamento funcione corretamente. Outros fatores a serem considerados são os prévio resfriamento dos itens antes de serem guardados e a quantidade especificada de cada câmara.

Tipos de câmaras frias

Da refrigeração ao congelamento, as câmaras frias possuem seu armazenamento pode ser dividido em dois tipos, considerando também o prazo do condicionamento. Geralmente funcionam dentro de uma faixa de temperatura que vai de -60°C a 20°C.

Câmaras de refrigeração

As câmaras de refrigeração armazenam os produtos a temperaturas acima do seu ponto de congelamento, variando de 0°C a 20°C. As de temperatura mais baixas são utilizadas para conservar alimentos e as de mais alta para amadurecimento de hortifrutigranjeiros.

Elas podem ter armazenamento a curto ou longo prazo, dependendo do tipo de alimento a ser refrigerado.

Câmaras frigoríficas

As câmaras frigoríficas trabalham com.o congelamento, operando em temperaturas abaixo de -18ºC. Assim como a de refrigeração, a temperatura vai depender dos tipos e quantidade de insumos, mas possui a vantagem de conservar os produtos por maior tempo.

Por que instalar um isolante térmico?

As câmaras frias precisam de baixas temperaturas para funcionarem e com isso torna-se necessário aplicar um isolante térmico. É preciso usar um produto resistente, que possua estanqueidade, impeça a entrada de insetos, que não propague fogo, além de ser impermeável.

Instalando um bom isolante térmico, você melhora a eficiência energética do seu aparelho, ou seja, a câmara fria gasta menos energia para refrigerar a mesma quantidade, além de ter sua vida útil aumentada.

O 3TC

O 3TC é um isolante que possui todas as propriedades necessárias para ser empregado em câmaras frias, sendo facilmente instalável. Ele é mais eficiente e mais barato do que materiais comumente usados para esse fim, como o poliuretano.

A flexibilidade do material permite que seja feito de acordo com o tamanho e em várias espessuras como 50, 75 e 100 mm para câmaras de refrigeração ou congelamento.

Para saber mais sobre nosso produto, basta conferir nosso FAQ ou entrar em contato com a gente.

Como o objetivo da 3TC é reduzir a demanda de energia e fazer mais com menos, compilamos as melhores dicas da cartilha da Cemig sobre eficiência energética.

Depois de ler nosso post sobre 3 dicas de como economizar energia em casa, em que ressaltamos a importância da eficiência energética e de comparar os aparelhos eletrônicos de acordo com ela, separamos algumas dicas da cartilha da Cemig (Companhia Energética de Minas Gerais) para que você continue a reduzir gastos e ter uma conta de luz baixa. Realizada pelo Setor de Eficiência Energética da Superintendência de Desenvolvimento de Belo Horizonte, a cartilha traz 75 dicas divididas em equipamentos usados todos os dia em casa como computadores geladeiras, chuveiro, TV, entre outros.

Você vai perceber que mudanças de hábito simples e uma maior atenção aos eletrodomésticos geram sim economia e diferença na conta. Como todo mundo gosta de economizar, nesse post você confere as melhores dicas da publicação da Cemig sobre eficiência energética:

Procure a orientação de um profissional

Sempre destacamos que é essencial contar com uma orientação profissional ao realizar um projeto ou construção. Ao fazer as instalações elétricas, por exemplo, é necessário consultar um técnico especializado para que ele dimensione e proteja os fios de forma correta.

A instalação do ar condicionado também deve ser orientada para que a potência seja calculada de acordo com os BTU’s e o aparelho seja colocado no lugar mais adequado, evitando gastos de energia desnecessários. Outro eletrodoméstico que depende da localização correta para um bom funcionamento é a geladeira. Ela deve ser instalada longe de fontes de calor ou da exposição ao sol, com distância mínima de 15 cm de outras superfícies.

Aproveite os recursos naturais

Iluminação natural, temperatura local e o vento não devem ser ignorados. Por isso, esses fatores devem ser considerados ao projetar os ambientes, com o objetivo de aproveitá-los ao máximo antes de ligar uma luz, ventilador ou o ar condicionado. O uso de cores claras nas paredes, por exemplo, evita a necessidade de lâmpadas de maior potência, que consomem mais energia.

Quando for tomar banho e não estiver frio, deixe o chuveiro na posição “verão” e desligue o registro para ensaboar. Se possível, também instale aquecedores solares. Além de mais econômicos, eles ajudam a preservar o meio ambiente.

Compre modelos com o Selo Procel A

Seja microondas, máquina de lavar, ar condicionado, geladeira e até lâmpadas, antes de comprar qualquer aparelho é importante comparar os modelos com o Selo Procel de Economia de Energia. Esse selo compara os aparelhos de cada categoria, identificando qual os melhores em eficiência energética de acordo com o consumo de kWh.

Além disso, a eficiência energética também é indicada pela letra A, de uma escala que vai de A até G. Os modelos indicados com A consomem menos energia e possuem maior eficiência de funcionamento.

Priorize a segurança

Não adianta seguir todas as dicas e ignorar ou economizar justamente com a segurança. Para isso, é indispensável sempre ler o manual de instruções dos equipamentos e, como já falamos, contratar um profissional quando necessário. Isso evita dor de cabeça e gastos desnecessários com um possível estrago dos eletrônicos.

A utilização de Benjamim ou T deve ser evitada, pois o acúmulo de aparelhos na mesma tomada pode causar aquecimento e até mesmo provocar um curto-circuito. O mesmo vale para emendas, que inclusive podem aumentar o consumo de energia.

Manter os quadros de energia à vista e onde todos da casa saibam localizar também é algo básico e que ajuda caso haja qualquer emergência.

Além dessas informações, é sempre bom lembrar de desconectar aparelhos sem uso da tomada. Para conferir todas as 75 dicas é só acessar a cartilha completa disponível no site da Cemig.

Aproveite e também siga a 3TC no Facebook para não perder nenhum conteúdo do nosso blog.

Na hora de comprar um aparelho de ar condicionado, sempre nos deparamos com a unidade de medida conhecida como BTU. É muito importante saber o que ela significa antes de investir em um equipamento desse. Climatizadores consomem muita energia, e demandam manutenção, então todo cuidado é bem vindo.

Para escolher o ar-condicionado mais adequado às suas necessidades é necessário calcular os BTUs, pois eles indicam a área que aquele aparelho tem capacidade de refrigerar. Além disso, é importante saber quanto de energia o aparelho vai gastar, antes de comprá-lo.

O ambiente de intalação do climatizador é crucial na hora de calcular o BTU

E como saber a potência ideal para escolher o melhor ar? A gente te mostra a seguir:

1 – O que significa BTU?

BTU é a sigla para British Thermal Unit que significa Unidade Térmica Britânica. O BTU define qual a potência ideal de refrigeração ar condicionado para aquele cômodo. Em outras palavras, tecnicamente falando, para cada meio litro de água é necessário 1 BTU para reduzir a temperatura em 0,56 ºC.

A partir do cálculo dos BTU’s, é possível determinar a potência ideal e escolher o melhor modelo de ar. Aparelhos abaixo da potência indicada podem trazer problemas para o equipamento, como desgaste excessivo das peças, reduzindo sua vida útil e gerando maior gasto de energia porque o ele precisará trabalhar mais para refrigerar o local. Se a potência do ar-condicionado for maior do que o necessário, os gastos de energia também aumentarão.

2 – O que considerar na hora de investir em um climatizador?

Em resumo, detalhes como tamanho do cômodo, exposição ao sol, região do imóvel interferem diretamente na capacidade do ar condicionado. A quantidade de pessoas e de aparelhos eletrônicos – TV’s, computadores, também são considerados ao fazer o cálculo de BTU’s.

Se ambiente a ser climatizado tem outras características como pé direito alto, metragem grande, muitas pessoas ou várias divisões, é recomendado a avaliação de um profissional. Na visita ao local, o técnico irá incluir outras variantes no cálculo.

Se o cômodo ficar diretamente exposto ao sol ou fica em uma região mais quente do país, como o Nordeste, por exemplo, mais BTU’s devem ser adicionados e a potência do ar condicionado deverá ser maior. Por isso a importância de considerar todas as condições antes de adquirir seu aparelho.

3 – Como calcular a potência BTU correta para meu ambiente?

Primeiramente, não siga as tabelinhas já prontas relacionadas à apenas a metragem quadrada do espaço. Sendo assim, se você precisa fazer esse cálculo, a gente facilita sua vida. Usando a nossa calculadora você já tem o consumo de energia de acordo com os fatores necessários. Ou seja: número de pessoas, a quantidade de aparelhos e o tamanho do ambiente. Na nossa calculados indicamos também a diferença de potência e consumo se você instalar o 3TC. O 3TC é um produto isolante térmico que controla as três formas de transferência de calor, que garante eficiencia energética do seu climatizador.

Por exemplo: em um quarto de 20m² para um casal, com uma TV e um notebook, você tem um total 14800 BTU’s. Instalando o 3TC, esse número vai para 9620 BTU’s. Isto representa uma diminuição de 35%. O dimensionamento de BTU’s com nosso isolante térmico pode chegar a uma redução de até 40%.

Com essas informações você você vai conseguir escolher o melhor ar condicionado ou climatizador de acordo com a sua necessidade. Desta forma evitará desperdício financeiro e alcançará o máximo de eficiência energética.

Aproveite para consultar nosso FAQ e tirar todas as dúvidas sobre o nosso produto.

Se você precisa realizar isolamento térmico a manta térmica é uma das soluções mais acessíveis do mercado. Saiba tudo sobre o que é e como instalar a manta térmica.

Ao buscar alternativas para o isolamento térmico da sua construção, muitas dúvidas podem surgir. O telhado é parte determinante quando pensamos em conforto térmico, já que ele é a parte mais exposta ao sol da sua casa, galpão ou edificação. Esta superfície acaba absorvendo cerca de 80% de radiação independente de ser um telhado metálico, plástico, de amianto, fibrocimento ou cerâmica. Ao absorver calor, a temperatura do telhado subirá, e assim transmitirá o calor para dentro do ambiente, predominantemente por radiação. Esta radiação é a principal responsável pela sensação de “bafo” dentro de um abiente, por conta do aquecimento dos telhados e outras superfícies. Por esse motivo a aplicação de uma manta térmica de boa qualidade e adequada pode diminuir muito a temperatura interna de um ambiente, dependendo da tecnologia que será utilizada.

O melhor material, como instalar, eficiência e durabilidade são fatores que devem ser considerado antes de fazer esse ótimo investimento. Confira a seguir:

Os benefícios

De acordo com o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), as mantas térmicas  refletem entre 70 e 97% de calor provenientes da radiação infravermelha e podem chegar a reduzir em até 20ºC a temperatura interna da estrutura. É claro que isso também vai depender das condições climáticas, da instalação e dos outros materiais envolvidos na montagem do sistema construtivo, ou da tecnologia escolhida para instalar em reformas.

Outro benefício é a economia de energia. Ainda de acordo com o IPT, a instalação de mantas refletivas reduz o consumo de energia elétrica em até 70%, considerando equipamentos de iluminação e equipamentos de ar condicionado, diminuindo assim a intensidade de BTU’s para resfriar ou aquecer o ambiente.

Além de proporcionar uma temperatura confortável no ambiente,ela também pode funcionar como barreira física, proporcionando uma maior vida útil ao telhado e a estanqueidade da cobertura. Dependendo do material, ela também pode funcionar como isolante acústico, como é o caso da manta 3TC.

Como funciona

Materiais como lã de pet, lã de vidro, isopor, espumas expansivas (poliuretano PU) não funcionam bem como mantas térmicas, justamente por não lidar com a radiação diretamente. Mantas aluminizadas (foils) e o 3TC funcionam muito melhor para esse tipo de situação. A diferença entre a manta térmica 3TC e as mantas aluminizadas como as fornecidas pela Durafoil é que o 3TC não precisa de espaço de ar para refletir o calor, mas o foil sim, implicando em custos maiores de instalação, perda de espaço interno, e até mesmo dificuldade de instalar.

Dessa forma, mesmo com espessuras menores, a manta térmica pode ser muito eficiente de acordo com o material na qual é feita. Por serem vendidas em rolos, são fáceis de instalar, tanto durante a construção como posteriormente em uma reforma. Em alguns casos o 3TC consegue reduzir em 20ºC a tempertura, e os foils costumam reduzir em no máximo 10ºC a temperatura interna. Além disso, o 3TC pode vir na cor Branca para servir de acabamento, coisa que o foil não é indicado pelo acabamento feio de resultado.

A manta 3TC

A manta térmica 3TC pode ser fabricada em rolos de 5mm e 10mm, em diferentes tamanhos, o que proporciona flexibilidade e versatilidade na instalação em subcoberturas ou laje superior em qualquer construção. Por controlar as três formas de transferência de calor, nosso o produto é o ideal para proporcionar conforto térmico, formando uma cobertura com durabilidade melhor do que as mantas tradicionais.

A manta 3TC pode ser utilizada em todos os tipos de telhas, cerâmica, fibrocimento, metálica e até no concreto, em telhados construídos ou em fase de edificação, não necessitando de mão de obra especializada. Ela também é atóxica e protege o telhado da proliferação de fungos e bactérias ao conservar a telha seca e por ser impermeável impede a formação de goteiras, entrada de fuligem, pequenos insetos e mofo.

Um dos diferenciais da manta termica 3TC é que ela vem com a parte interna branca, mantendo a mesma eficiência do 3TC, mas dando um acabamento de forro, podendo ser instalado diretamente nas terças ou abaixo do telhado. A instalação da foto abaixo foi realizada na unidade do MIneirão de Sete Lagoas, do cliente da 3TC Grupo DMA, onde conseguimos mais de 10 graus de diferença de temperatura (da superfície do telhado para a do 3TC), garantindo assim um conforto térmico, sem a necessidade de ar condicionado.

No vídeo abaixo você pode conferir como realizar a instalação em um galpão ou casa que já tenha sido construída. É bem simples e pode ser feita por qualquer pessoa:

Caso tenha se interessado pela Manta Térmica 3TC, solicite um orçamento, sem compromisso: https://www.3tc.com.br/orcamento.

Redes de supermercado procuram abaixar os custos com energia elétrica com projetos de eficiência energética e soluções inovadoras.

Os supermercados brasileiros estão adotando ou acelerando projetos de eficiência energética após os aumentos das contas de eletricidade desde o fim do ano passado, que já afetaram os resultados do primeiro trimestre.

Estimativas de associações do setor indicam que os custos com energia elétrica passaram a ser a segunda maior despesa em algumas redes supermercadistas, superando aluguel e só atrás da folha de pagamento.

As empresas não detalham nos balanços os custos com energia, mas no Grupo Pão de Açúcar, maior do país, a despesa com vendas, gerais e administrativas, que inclui eletricidade, subiu 16,8 por cento no primeiro trimestre na comparação anual.

Segundo a Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBCV), a conta de energia elétrica das redes subiu até 40 por cento desde o fim de ano passado.

“Como essa despesa chega a representar 1 por cento do faturamento do supermercado, um aumento de até 40 por cento tem impacto de 0,4 por cento”, disse o presidente da SBCV, Eduardo Terra. “Isso é monstruoso”, completou.

No Estado de São Paulo, a despesa média com energia subiu de 0,9 por cento do faturamento dos supermercados no ano passado para 1,7 por cento este ano, de acordo com a Associação Paulista de Supermercados (Apas), superando os gastos com aluguel, que respondem por de 1 a 1,5 por cento do faturamento. “Foi a primeira vez que isso aconteceu”, disse Erlon Ortega, vice-presidente da associação.

O preço da energia elétrica, após uma série de reajustes por conta da seca que afetou os reservatórios das hidrelétricas, acumula alta no ano até maio de 41,9 por cento e, em 12 meses, de 58,5 por cento, segundo cálculos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

No varejo, os supermercados são os que mais consomem energia, já que, além de computadores, iluminação e ar condicionado, vendem produtos refrigerados, que demandam muita energia.

Diante desse cenário, o GPA criou um grupo de trabalho para cuidar do tema nas lojas Extra e Pão de Açúcar. Algumas iniciativas já adotadas incluem o uso de lâmpadas mais econômicas, o fechamento de balcões de refrigeração para evitar que o frio se dissipe no ambiente e a automação da refrigeração e do ar condicionado.

A expectativa é que os projetos reduzam em até 25 por cento o consumo de energia nos hipermercados do grupo nos próximos trimestres.

“Paralelamente a empresa intensificou a rotina de análise e mensuração do consumo para identificar possíveis não conformidades e tomar medidas imediatas”, disse o GPA em nota.

A atacadista Assaí, também do grupo GPA, já instalou portas em ilhas de refrigeração de 16 supermercados e está em processo instalação em outros 11 estabelecimentos. Também está monitorando lojas remotamente para detectar equipamentos que mais consomem energia. A meta é chegar a uma economia de cerca de 10 por cento até dezembro.

A maior demanda dos supermercados por projetos de eficiência energética tem sido notada por fornecedores de equipamentos e consultorias especializadas.

Segundo Paula Campos, gerente do Grupo Safira, que dá consultoria no setor, grande parte dos investimentos estão sendo feitos para reduzir a dependência das distribuidoras de energia. “São projetos de geração, seja de gás natural ou solar”, disse.

A empresa está negociando contratos com duas grandes redes de supermercados, mas não citou nomes. “Como o valor da tarifa aumentou, o retorno do investimento desses projetos vêm mais rápido”, disse Paula.

No horários de pico, o GPA tem usado geradores próprios, instalados em 80 por cento das lojas do grupo.

A fabricante de equipamentos Weg também está em negociação com duas redes de shoppings centers –com supermercados dentro– em São Paulo para instalar projetos de eficiência energética.

“No primeiro quadrimestre, os pedidos de ações de eficiência energética superaram largamente os de 2014”, disse o chefe da área de eficiência energética da Weg, Leandro Ávila, referindo-se a projetos para indústria e comércio.

Outras empresas vem utilizando o 3TC, tecnologia em isolamento térmico que ajudam muito como tampas para as ilhas de refrigeração no período noturno. O 3TC garante a eficiência mesmo de ilhas antigas, mantendo produtos congelados e resfriados com menos energia sendo consumida.

Outro diferencial da tecnologia é que ele também pode ser utilizado em isopainéis, com 4x mais eficiência que outros isopainéis, como de isopor e poliuretano.

 

Fonte: DCI

Saiba como a aplicação do isolamento térmico 3TC aumenta a eficiência em isolamento da edificação.

A envoltória de um edifício ao interagir com o meio ambiente troca calor por três mecanismos: convecção, condução e radiação. O fluxo de energia é sempre do sistema de maior temperatura para o de menor temperatura, ou seja, o calor sempre persegue o frio. Uma das preocupações dos arquitetos ao projetarem edifícios em regiões de clima frio é como instalar adequadamente o isolamento térmico da envoltória do edifício – cobertura, fachada e embasamento.

Para que esse sistema seja eficiente e econômico, é preciso entender o que são pontes térmicas para conseguir evitá-las. Confira a seguir:

1) O que é?

Para que a envoltória desempenhe adequadamente a sua função de assegurar conforto térmico e higroscópico, umas das prioridades é a eliminação ou a redução de pontes térmicas . As pontes térmicas são zonas, superfícies ou elementos que prejudicam a resistência térmica da envoltória.

2) Principais efeitos

Um dos efeitos é o aumento do gasto de energia para controle da temperatura dos ambientes, já que as pontes térmicas são o principal fator na transferência de calor. Outro efeito é o desconforto dos usuários no contato com superfícies frias, além de serem mais propensas à formação de bolor pelo efeito da condensação de vapor de água. Por isso a necessidade de evitá-las e proporcionar conforto térmico.

3) Combata com 3TC

A técnica construtiva mais eficaz nesse caso é o uso do 3TC no lado de fora das paredes externas. Ele possui barreira impermeável, além de conseguir eficiência em isolamento com espessuras mais finas.

Além do cuidado com o isolamento das empenas do edifício, uma atenção especial deve ser dada ao isolamento das saliências da fachada, como no caso das sacadas e pilares. Para resolver esse problema, a melhor solução também é o 3TC, que reduz drasticamente a perda de calor pela superfície de concreto exposta, à medida que criam uma barreira térmica e de vapor.

Além das pontes térmicas, há vários fatores que propiciam a transferência do calor em uma construção. Aqui você confere os três vilões do isolamento térmico e como evitá-los.

Edifício de Belo Horizonte foi certificado pelo Green Building LEED Gold

A sustentabilidade na construção civil é um grande desafio para as construtoras e para todo o setor. A quantidade de resíduos e o impacto urbano e ambiental da construção de um prédio são visíveis, já que não são todos que utilizam de produtos ou de técnicas construtivas que beneficiam o consumidor final da construção. Felizmente, esse cenário está mudando com a Engenharia Ambiental canalizando o tratamento de resíduos e com produtos e métodos construtivos cada vez mais eficientes.

Esse é o caso do prédio Fundação Forluminas de Seguridade Social (Forluz), o primeiro Green Building LEED Gold em Minas Gerais. De acordo com o site da Fundação Dom Cabral, em texto escrito por Brener Fidélis de Seixas, o prédio é assinado pelos arquitetos Alexandre Bragança e Gustavo Penna, com 58 mil metros quadrados, 30 andares e capacidade para abrigar 2.850 pessoas, e iniciaram-se em janeiro de 2010 com a previsão de conclusão para o primeiro semestre de 2014.

O prédio adotou técnicas e produtos que reduzem em 19% o consumo de energia e em 40% o volume de água potável utilizado. Além disso, o edifício será gerido por um sistema de automação que controlará desde o tráfego de elevadores até os sistemas de irrigação. Segundo o Green Building Council Brasil, o custo total do ciclo de vida do empreendimento é menor, já que há uma redução das despesas de operação e manutenção durante o período de uso e ocupação do empreendimento entre 6,4% e 8%.

O Green Building Council é o responsável pelo gerenciamento de um sistema de certificação e orientação ambiental de edificações e, apesar de não ter sido utilizado neste projeto, a tecnologia 3TC é a melhor para promover eficiência energética reduzindo o consumo de energia elétrica da utilização de sistemas de ar condicionado. Ao fazer um envelopamento completo de estruturas construtivas com o 3TC, ele controla as três formas de transferência de calor, um produto completo, deixando a temperatura interna de um ambiente sempre próxima do ideal, fazendo com que menos energia seja utilizada em sistemas de controle de temperatura.

As auditorias conduzidas pelo Green Building Council para a certificação de um prédio levam em consideração:

  • O uso racional de água
  • A eficiência energética
  • A redução, reutilização e reciclagem de materiais e recursos
  • A qualidade dos ambientes internos da edificação
  • Inovação e tecnologia
  • O atendimento a necessidades locais

Segundo o Green Building Council, as vantagens para o empreendedor que opta pela certificação da instituição são a valorização do imóvel para revenda ou arrendamento, o aumento na velocidade de ocupação e retenção, a modernização e menor obsolescência do prédio, além da diminuição dos custos operacionais e dos riscos regulatórios. Além disso, edifícios certificados apresentam melhora na segurança e no bem-estar dos trabalhadores e ocupantes, podendo aumentar significativamente a produtividade dos funcionários. As vantagens ambientais, por sua vez, estão no uso racional e redução de consumo dos recursos naturais, uso de materiais e tecnologias de baixo impacto ambiental, além da mitigação dos efeitos das mudanças climáticas.