Posts

Cuidar do conforto térmico é uma prática essencial para qualquer ambiente. Garantir que o espaço tenha as temperaturas certas ajuda a diminuir os incômodos com o frio e calor. Mas, para isso, é preciso recorrer às soluções adequadas. Em geral, as construções tradicionais não contam com nenhum elemento para obter o isolamento. Então, uma das possibilidades é a manta térmica para telhado.

Feita de maneira especial, ela é voltada para garantir a total proteção contra a perda ou absorção de calor. No entanto, há muitos modelos e estilos no mercado, o que pode gerar dúvidas na hora de escolher.

Para que não restem questionamentos, acompanhe os próximos tópicos. Você vai entender melhor o que é uma manta térmica, como utilizá-la e algumas dicas para selecionar a mais indicada para as suas necessidades. Boa leitura!

1. O que é uma manta térmica

A manta térmica é um produto com características especiais voltadas para o controle da temperatura de um local. Ela pode ser usada em ambientes residenciais, áreas comerciais ou industriais.

Antes de saber qual é o melhor modelo para comprar, o ideal é reconhecer as características específicas desse produto. Assim, fica muito mais fácil fazer uma boa escolha. A seguir, confira quais são as informações importantes sobre a manta térmica.

1.1 Como a manta térmica é feita?

A manta térmica é produzida em rolos, como se fosse de um tecido. A diferença é que ela é feita de maneira especial e tem o propósito de ajudar a dissipar o calor e a isolar o ambiente da perda ou do ganho de temperatura.

Um isolante térmico tradicional normalmente é feito de materiais como lã de vidro, rocha, poliuretano ou isopor, e exige um espaço de ar que pode gerar custos e dificuldades de instalação. Uma manta térmica comum, no entanto, conta com revestimento aluminizado e protege o local da radiação, além de garantir uma aplicação fácil. A manta térmica 3TC protege o ambiente das três formas de transferência de calor, sendo assim uma solução mais completa.

Nesse tipo de produto, as faces exteriores são refletivas. Esta característica ajuda a evitar o ganho de temperatura e a perda de calor no frio, mantendo o ambiente com um clima agradável.

1.2 Para que ela serve?

Como deu para perceber, a manta térmica tem a função de diminuir a troca de calor entre um ambiente interno com o seu ambiente externo. Isso significa que, após a sua aplicação, é difícil sofrer com o calor ou com o frio no local protegido.

Tal situação acontece porque, em primeiro lugar, a manta auxilia a resguardar o espaço da radiação solar. Os raios são refletidos em vez de serem absorvidos, o que evita a elevação da temperatura.

Além do mais, a camada interna é feita com um excelente isolante térmico. Então, o calor é impedido de passar, mesmo quando é gerado por condução ou convecção. Se não consegue entrar na estrutura, ele também não sai. Na prática, isso significa que o interior da casa fica confortável até quando o ambiente externo estiver mais frio — afinal, ela não perde calor para o lado de fora da casa.

Apesar de não ser a sua função principal, a manta térmica também pode ajudar a isolar ruídos, melhorar a durabilidade do telhado e a proteção do imóvel, em geral.

2. Como utilizá-la no telhado

Para garantir a proteção adequada, a manta térmica para telhado precisa ser instalada corretamente. O processo exige que os passos sejam executados de acordo com a fase da construção e com o tipo do telhado. Assim, é possível deixar a construção preparada.

A seguir, veja quais são os principais tipos de telhados, como é feita a instalação da manta térmica e outras informações importantes.

2.1 Quais são os tipos de telhados?

Antes mesmo de pensar em escolher a manta térmica para telhado, é preciso conhecer quais são os tipos existentes. Desse jeito, é possível reconhecer qual solução se encaixa melhor em cada proposta. Na sequência, descubra quais são os principais modelos disponíveis.

2.1.1 Cerâmico

O modelo feito com telhas cerâmicas é provavelmente o mais famoso e utilizado. O material de cobertura surge em cores diversas, mas a terracota é a mais comum. Apesar da baixa porosidade, a cerâmica ainda absorve parte da água, o que exige um cuidado especial em certos ambientes.

As telhas surgem em vários formatos, como as românicas, germânicas e embutidas. Em geral, não aguentam o peso de alguém que caminha sobre elas, demonstrando o cuidado exigido na manutenção.

2.1.2 Metálico

O telhado metálico pode ser feito com telhas de zinco, galvalume, entre outros materiais menos utilizados. Ele oferece bastante praticidade na instalação, mas não é tão efetivo no controle contra a temperatura. Por se tratar de um excelente condutor de calor, exige um tratamento especial.

Por causa das suas características, é empregado em indústrias e ambientes comerciais, como galpões. Também é bem aplicado em terraços e coberturas como uma solução de baixo custo.

2.1.3 Madeira

De aspecto rústico, o telhado de madeira oferece uma estrutura de fácil acesso. Normalmente, é composto por placas posicionadas sobre as diversas ripas, feitas com o mesmo material.

A madeira é utilizada em imóveis com uma proposta rústica e é menos comum em espaços comerciais e industriais.

2.1.4 Vidro

Embora seja menos recorrente, o telhado de vidro aparece em algumas residências. As telhas são feitas com um vidro especial e reforçado, que normalmente permite a passagem de radiação. No entanto, a troca de calor não ocorre, o que leva ao aumento da temperatura do ambiente, como em uma estufa. Neste tipo de telhado o foco é o acabamento, e não é recomendado instalação de manta térmica.

Por causa de suas características, é uma escolha mais indicada para certos pontos da casa, como em claraboias ou áreas em que o sol não bate. Também é adotado em jardins de inverno e pergolados.

2.1.5 Cimento

Novidade no mercado, o telhado de cimento oferece ótimo custo-benefício. É semelhante ao de cerâmica, com a diferença de que não absorve a água da chuva. A versão de fibrocimento é interessante por ser leve, resistente e muito funcional. Quando bem aplicado, é uma alternativa que atende às principais expectativas.

Além do material utilizado, os tipos de telhado variam de formato — especialmente em relação ao escoamento.

2.1.6 Uma água

O telhado uma água é aquele que só tem uma face de escoamento. É muito utilizado para construções menores ou simples, além de ser indicado para ambientes com baixa necessidade de vazão. Para instalar a manta térmica, as dificuldades são pouca, pois há apenas uma área que deve ser coberta.

2.1.7 Duas águas

Já o telhado duas águas é o que conta com duas faces. Está entre os mais utilizados e dá conta de boa parte das necessidades de escoamento de água nos espaços. Nesse tipo de material, cria-se um ponto chamado de cumeeira, que é onde as duas faces se encontram. A instalação da manta térmica normalmente acontece nesse ponto.

2.1.8 Três águas

O telhado três águas tem formato triangular, pois esse tipo apresenta três áreas de escoamento de água. O ponto de encontro dos três formas a cumeeira principal, que também serve de apoio para a instalação da manta térmica para telhado.

2.1.9 Quatro águas

O quatro águas conta com quatro espaços de escoamento, como o nome indica. Esse tipo de telhado tem a melhor vazão para uma grande quantidade de água, o que o torna ideal para ambientes muito chuvosos. Feito com platibanda ou de modo aparente, exige cuidado nas emendas.

2.1.10 Curvo

O telhado curvo é menos usual e é aplicado com frequência em projetos bem modernos. Aparece de forma simétrica ou assimétrica. Na instalação da manta térmica para telhado, exige que o produto acompanhe toda a sua área.

2.2 Como é feita a instalação?

A aplicação precisa ser executada com muito cuidado. É preciso cobrir toda a área dessa região, o máximo possível dentro das possibilidades da obra, de modo a impedir a passagem de calor, água ou outros elementos.

A manta 3TC, especificamente, é aplicada na subcobertura, ou seja, abaixo das telhas. Dependendo do caso, ela também pode ser instalada na laje superior — o importante é criar uma camada de proteção acima do ambiente, de modo a evitar que a temperatura invada o espaço.

O modelo mais simples é com ripas de madeira, como o telhado cerâmico, de cimento ou mesmo de madeira. Nesse caso, a manta é aplicada no “corpo” da estrutura para garantir que as telhas fiquem bem posicionadas acima.

O telhado metálico, por sua vez, exige o uso de elementos como fita adesiva para pregar em toda a área de apoio. Telhados metálicos são mais comuns em galpões industriais, e o 3TC pode ser instalado sem retirar as telhas. A instalação é feita diretamente nas terças, como você pode ver em nosso manual de instalação. Em todos os casos, é indispensável contar com profissionais capacitados, experientes e habilidosos o bastante para executar o procedimento.

2.3 É possível aplicar a manta após a construção?

Muita gente ainda tem dúvidas se a instalação da manta térmica para telhado só pode ser executada na fase de construção. A boa notícia é que, na maioria dos casos, é possível apresentar soluções mesmo após a finalização da etapa. Imóveis em uso, portanto, podem se beneficiar dessa possibilidade.

O processo pode se tornar um pouco mais complexo quando se trata de uma opção já em uso. No entanto, esse não é um empecilho para uma equipe realmente preparada.

3. Como escolher a manta certa

Para que tudo saia conforme o planejado, é essencial fazer uma boa escolha da manta térmica para telhado. Entre tantas opções no mercado, torna-se imprescindível conhecer o que faz sentido para as necessidades específicas.

Na sequência, veja quais aspectos considerar para selecionar o melhor tipo e veja como direcionar a sua decisão corretamente.

3.1 Verifique o controle da transmissão de calor

Como dito, o calor não é transmitido por apenas uma maneira. Além da condução — ou por contato —, ele pode se movimentar por convecção e radiação. O problema é que a maioria das mantas térmicas só considera o primeiro método. Como resultado, o que é gerado e movimentado pelos outros meios circula livremente para dentro do ambiente.

O ideal, portanto, é escolher um material cuja tecnologia seja capaz de lidar com as três formas de transmissão. Os raios de radiação, por exemplo, têm que ser refletidos, enquanto o calor da radiação ou da convecção não deve conseguir vencer a barreira e entrar no ambiente. Desse jeito, é possível conquistar um imóvel realmente protegido.

3.2 Opte por uma alternativa com dupla face refletiva

Assim como acontece com uma garrafa térmica, a manta aplicada no telhado deve conter duas faces refletivas. Se apenas uma delas for desse tipo, há uma perda sensível de eficiência. Como se sabe, perder capacidade no isolamento térmico significa troca de calor e desconforto no ambiente.

Portanto, abra mão das opções que têm apenas uma face. O produto no estilo sanduíche, que conta com isopor no meio das faces metálicas refletivas, é muito adequado e garante o alcance dos efeitos esperados.

3.3 Escolha uma alternativa versátil

Outro ponto relevante é selecionar uma manta térmica para telhado que seja versátil. É importante que ela ajude a evitar o ganho de temperatura no verão e a perda de calor no inverno. Somente desse jeito é possível chegar ao conforto térmico por completo.

Também é interessante pensar em uma alternativa capaz de oferecer isolamento acústico, além do térmico. Ao evitar os diversos ruídos no ambiente, ele se torna ainda mais confortável de estar.

3.4 Pense na praticidade de instalação

Não dá para ignorar questões como a facilidade de instalação. Acima de tudo, a manta térmica para telhado tem que ser prática e simples de ser aplicada, pois isso ajuda a garantir a máxima eficiência e a obtenção dos resultados desejados.

Nesse sentido, é muito importante que o modelo não precise de espaço de ar, como a maioria das aluminizadas precisa. Isso evita a exigência de uma área maior, além de facilitar a manutenção.

Também é interessante que ela possa ser aplicada após a construção e em qualquer tipo de telhado. Tanta adaptabilidade faz com que o processo cumpra todas as expectativas, sem a exigência de gastos extras.

3.5 Avalie a durabilidade

Não dá para se esquecer da durabilidade do material. É indispensável que ela seja feita com componentes de alta qualidade e com um procedimento exclusivo, capaz de conferir um excelente resultado.

Investir em uma boa escolha significa não ter que trocar o material e aproveitar os melhores impactos ao longo do tempo. Trata-se, portanto, de um investimento com grande retorno quando é feito da maneira adequada.

Uma manta térmica para telhado que atende aos requisitos é a 3TC. Capaz de oferecer um excelente desempenho e de fácil aplicação, ela não é como as aluminizadas comuns. De face dupla e sem a necessidade de um espaço de ar, oferece o isolamento térmico necessário para obter o máximo conforto. Como consequência, é uma escolha interessante para todo tipo de telhado.

Tanta versatilidade também a torna uma opção que é indicada para qualquer tipo de imóvel. É possível, inclusive, realizar um estudo de viabilidade para verificar a possibilidade de produção com dimensões personalizadas.

4. Vantagens de contar com uma manta

Recorrer a uma manta térmica para telhado traz muitos benefícios. Esse produto, como visto, oferece características especiais a partir da sua fabricação e aplicação nos diversos tipos de telhado.

Para se convencer de que essa é a melhor escolha para o imóvel, veja por que vale a pena fazer esse investimento.

4.1 Deixa os espaços com temperaturas adequadas

Sentir muito calor ou frio faz com que o corpo não funcione da maneira adequada, o que torna a experiência de estar no ambiente desagradável. Com a manta térmica, esses problemas são resolvidos, proporcionando um conforto térmico às pessoas ali presentes.

Em uma casa, significa ter um lar mais arejado no verão ou que não perde tanto calor no inverno. Em um ambiente de trabalho, as condições ergonômicas e de salubridade são favorecidas. Tudo isso leva a uma melhor experiência, mais produtividade e satisfação com o espaço.

4.2 Aumenta a eficiência energética

Quando o ambiente sofre com a transmissão de calor, é comum que ele experimente um aumento considerável no gasto energético. Uma casa sem o devido isolamento, no verão, exige mais do ar-condicionado. No inverno, pode ter um uso ampliado do aquecedor ou do chuveiro elétrico, por exemplo.

Com a aplicação da manta térmica para telhado, por outro lado, é possível aumentar a eficiência energética do local. Com uma temperatura adequada e relativamente constante, torna-se necessário usar menos os equipamentos para obter conforto. Isso pode provocar uma significativa diminuição do valor da conta de luz.

Seja em uma empresa, seja em um lar, essa mudança pode criar, a longo prazo, condições para uma série de investimentos na infraestrutura do próprio ambiente.

4.3 Evita a ocorrência de infiltrações e goteiras

Não é só o calor que encontra um bloqueio de passagem. Com a manta térmica para telhado, é possível evitar a ocorrência de infiltrações ou goteiras — principalmente, aquelas causadas pela chuva.

Um telhado cerâmico, por exemplo, sofre com a absorção da água. Portanto, sem a devida proteção abaixo das telhas, a água pode se infiltrar na laje ou mesmo na estrutura da casa. A manta, por sua vez, impede esse processo e ajuda, inclusive, a aumentar a resistência e o tempo de vida do telhado.

4.4 Apresenta baixa necessidade de manutenção

Quando bem selecionada e aplicada, a manta funciona de maneira contínua, sem dar problemas ou dores de cabeça. Trata-se de um item capaz de resistir a condições intensas, como altas temperaturas do verão brasileiro.

Além de reduzir gastos após a aquisição e instalação, é uma questão que diminui a preocupação com as manutenções do telhado. Afinal, na maior parte dos imóveis, o acesso ao telhado é difícil. Se fosse preciso fazer a manutenção constante, os demais benefícios seriam menos interessantes. Por outro lado, a aplicação fácil e o funcionamento descomplicado fazem com que você não tenha que se preocupar com a manta.

4.5 Garante máxima acessibilidade

Apesar de o material ter um funcionamento inteligente, ele é bem mais em conta do que pode parecer. Mesmo ao escolher uma tecnologia de ponta, é possível fazer uma contratação por um valor que cabe no bolso.

Os números se tornam especialmente interessantes quando é feita uma análise sobre o custo-benefício. A economia de energia, o aumento do conforto e a grande durabilidade fazem com que a manta térmica se transforme em um investimento com excelente potencial. Para completar, contar com essa proteção é um dos fatores que contribuem para a valorização do imóvel.

4.6 Amplia a sustentabilidade

A aplicação de uma manta térmica para telhado exige, em primeiro lugar, materiais que podem ser reciclados. Boa parte do produto não é descartada após o uso prolongado, o que evita a geração de uma grande quantidade de resíduos.

A garantia de sustentabilidade, entretanto, existe por causa da economia que essa instalação é capaz de causar. Ao regular a temperatura em níveis agradáveis, é preciso usar menos energia elétrica dos climatizadores. Isso gera, afinal, um resultado bem mais interessante, que torna o imóvel amigo da natureza em todos os sentidos.

4.7 Ajuda a aumentar a segurança

Por fim, recorrer à instalação da manta é um jeito de garantir segurança para o imóvel. Primeiramente, esse é um elemento que ajuda a evitar a entrada de itens estranhos, como sujeiras e insetos. Trata-se também de um item à prova de roedores. Ainda sobre os organismos vivos, o produto não acumula bactérias e fungos, o que é ótimo para os alérgicos.

Outro ponto importante é que a manta não propaga fogo. Qualquer princípio de incêndio não tem continuidade até o telhado, o que ajuda a garantir uma atuação rápida e eficaz da segurança.

A manta térmica para telhado é uma solução versátil e repleta de qualidades. Ao fazer a sua escolha considerando as necessidades particulares do projeto, é o investimento certo para garantir conforto e bem-estar dentro de qualquer ambiente.

Gostou de saber como funciona a manta térmica? Entre em contato conosco da 3TC, tire as suas dúvidas e faça já o seu orçamento!

Quando se fala em revestimento de teto, certamente o forro de gesso é um dos primeiros a ser considerado por clientes e profissionais. Afinal ele é considerado versátil e pode ser utilizado de várias formas. Dentre elas, o gesso pode ser utilizado como forro, mas também como rebaixamento de teto. Sabe-se que é um dos materiais mais utilizados em reformas residenciais, comerciais e industriais.

Primeiramente, vamos entender tecnicamente este material. O gesso é um aglomerante simples, constituído basicamente de sulfatos mais ou menos hidratados e de anidros de cálcio, obtido pela calcificação da gipsita. Além disso, tem como propriedades pega e endurecimento rápido, boa aderência. Dentre os acabamentos possui bom isolamento térmico e acústico, é resistente ao fogo, e tem estabilidade volumétrica em local seco e superfície lisa.

Sanca de gesso

Tipos de forro de gesso

Em se tratando de forros, dois tipos são comumente utilizados no Brasil: o tradicional e o acartonado. O primeiro é constituído por placas moldadas de gesso no tamanho de 60 x 60 cm, com encaixes do tipo macho e fêmea. As placas são fixadas no teto com arames galvanizados de conformidade com a especificação da obra.

Ademais, o gesso acartonado é composto de papel cartão e gesso, são placas maiores e mais finas. A instalação ocorre por três sistemas: o estruturado, o aramado e o removível. O estruturado é o mais utilizado, consiste em pendurais rígidos reguláveis e canaletas metálicas galvanizado. Segundo, o aramado é composto de pendurais de arame galvanizado, com peças metálicas zincadas tipo “H”. Geralmente utilizado em locais menores e forros mais econômicos. Já o removível tem como principal característica a possibilidade de visitação de equipamentos instalados na parte superior. É estruturado com pendurais de arame galvanizado, perfis de aço galvanizado com pintura eletrostática.

Teto rebaixado de gesso

Vantagens e desvantagens do forro de gesso

De uma forma geral, os forros e rebaixamento de gesso tem um forte apelo estético. Além disso são muito usados para embutir iluminação ou disfarçar vigas indesejáveis. Em segundo lugar ele possui boas propriedades térmicas e acústicas e sua flexibilidade possibilita a criação de diversas formas. Uma das grandes desvantagens é a baixa resistência à umidade, não podem ser instalados em áreas externas, e a utilização em áreas úmidas deve ser bem avaliada.

Porém, cada tipo de forro, o tradicional e o acartonado, possuem características distintas e cabe avaliar qual é o mais adequado para cada situação. Abaixo, reunimos os prós e contra de cada tipo de forro de gesso.

Forro de Gesso Tradicional

Vantagens: ele ainda é mais barato que o gesso acartonado; porém é mais resistente à umidade e apropriado para ambientes menores.

Desvantagens: é mais sensível aos efeitos da variação térmica, podendo estalar ou trincar com facilidade. O processo de instalação produz muita sujeira. Possibilidade de surgir manchas amareladas e ataque de fungos. É mais pesado que o acartonado e demanda mão de obra especializada. Se precisar de manutenção, o forro tem que ser destruído.

Forro de Gesso Acartonado

Vantagens: Facilidade de instalação; produz menos sujeira que o tradicional. Ademais, a manutenção é simples, se precisar remover alguma placa é possível remendar; possui menor peso; menos sujeito a manchas; há chapas que podem ser curvadas.

Desvantagens: mais oneroso que o tradicional, baixa resistência à umidade; necessita de mão de obra qualificada.

3TC Isolamento e os forros de gesso

Anteriormente vimos que o gesso é um material que responde bem térmica e acusticamente e essa propriedade pode ser otimizada com a utilização do nosso produto. A instalação do 3TC acima do forro como manta térmica é muito simples, veja só: ele ficará por cima do forro, podendo ser parafusado em montantes metálicos. Em relação aos sistemas de instalação dos forros de gesso acartonado, os tirantes podem atravessar o 3TC, não havendo nenhum prejuízo em relação à eficiência do produto.

Sem dúvida, os forros e rebaixamentos de gesso agregam um valor estético considerável à obra, resultando em ambientes belos e aconchegantes. E então, qual o melhor forro para sua obra? Compartilhe com a gente!

 

Hoje em dias novos projetos e reformas na construção civil estão em todos os lugares. As preocupações de quem está realizando ou pagando pelo serviço são as mesmas: custo, tempo de instalação e benefícios. Ou seja, é uma questão de custo e controles. Sendo assim é preciso analisar minuciosamente a relação custo-benefício dos serviços acabados. Pensando nesta questão que tecnologias de instalação fácil, rápida, com um custo acessível surgem no mercado. Tecnologias como o drywall. Hoje em dia existe um movimento para informar e treinar profissionais para capacitá-los a realizar instalações técnicas. Estas tecnologias não são tão novas assim em outros países, mas tem se tornado cada vez mais utilizadas aqui por conta dos vários benefícios.

O que é Drywall?

Drywall em tradução livre significa “parede seca”, e está relacionado à construção seca. Da mesma forma, o este método de construção pode incluir forros de gesso, placas cimentícias, woodrame e steelframe. De maneira geral a tecnologia consiste num sistema de vedação composto por uma estrutura metálica de aço galvanizado ou ripas de madeira, e placas ou chapas aparafusadas nesta estrutura. Desta forma esta tecnologia não necessita de argamassa para sua execução, reduzindo assim a quantidade de entulhos e é bem mais rápida. As paredes de Drywall fazem parte da construção a seco.

A propósito, prédios inteiros estão sendo construídos desta forma hoje em dia. Por causa da praticidade, o drywall é mais utilizado em reformas, principalmente em escritórios, lojas e salas comerciais. Esta tecnologia reduz e muito o tempo de duração se comparado a um sistema de alvenaria tradicional, com menos entulho. De acordo com a Associação brasileira do Drywall o consumo do material no ano de 2013 foi de 50 milhões de metros quadrados.

3TC Isolamento - Drywall

Cada obra tem uma característica diferente e necessidade diferente, por isso as placas de drywall possuem algumas alternativas que podem ser priorizadas. Exatamente por isso compilamos a lista abaixo para que você saiba mais um pouco sobre cada tipo de placa:

Chapas de gesso Standard (ST) Cor branca.

A chapa Standard (ST) é recomendada para uso geral em áreas secas, emprega-se em paredes e forros do sistema drywall.

Chapas de gesso Resistentes à Umidade (RU) Cor verde.

Esta variedade é indicado para os “ambientes molhados”: ambientes sujeito a respingos ou que tenha alta taxa de umidade. Exemplos: banheiros, áreas de serviço, cozinhas, dentre outros. Nestes locais é imprescindível a utilização da chapa verde de drywall do tipo RU, que possui em sua composição química, componentes hidro fugantes, que protegem a superfície contra umidade.

A placa de gesso RU não é a prova d’água e por isso não recomenda ser usado em teto, sobre piscina ou sauna, já que o nível de água/umidade recebida pela placa nestes ambientes é constante, e resultará na deterioração do material. É recomendado apenas como fechamento vertical nas paredes.

Nota importante: é importante realizar a impermeabilização da chapa verde na maioria dos casos. Recomenda-se a impermeabilização da base da parede e revestimentos em drywall com chapas RU, evitando infiltração pelo solo ou pela parede.

Gesso RU

Chapa verde (RU) é a recomendada para assentamento de cerâmica, pois a argamassa colante é misturada com água. No caso de uma chapa Standard, a placa absorve a água e, com o tempo, acaba descolando a cerâmica assentada. Para fixação da cerâmica utiliza-se argamassa tipo AC II ou AC III.

Chapas de Gesso Resistentes ao Fogo (RF) Cor rosa.

Esse tipo de placa de gesso possui, dentro outros componentes, a fibra de vidro em sua fórmula. A fibra de vidro é um material com muita resistência ao calor e ao fogo. Por isso, são bastante indicadas para escadas enclausuradas, saídas de emergência e áreas com risco de incêndio. Resistência ao fogo quer dizer o retardamento das chamas se comparado às chapas ST, obedecendo as normas da NBR 15575.

3TC Isolamento e Drywall ripas de madeira

Chapas de Gesso Acústicas

Um grande problema da construção em drywall consiste no isolamento térmico e acústico da estrutura. Para isso existem as chapas acústicas com poder de absorção e reverberação sonora. Além disso elas também podem contribuir na renovação do ar e são indicadas para restaurantes, bares e locais que necessitam de um reforço no isolamento acústico. Para o isolamento térmico, o produto mais indicado é o 3TC Isolamento de 10mm, garantindo conforto térmico e eficiência energética. Para um reforço acústico, recomenda-se isolamento fibrosos de alta densidade.

Placas Cimentícias

As placas cimentícias costumam ser mais caras que as placas de gesso pois seu método de fabricação precisa de mais recursos. Ela é mais utilizada nas áreas externas por oferecerem mais resistência à ação do tempo que placas de gesso. Além disso o processo de instalação dela é bem parecida com o das placas de gesso. Para não ter problemas, o segredo é seguir as diretrizes técnicas de instalação de cada fabricante.

Algumas vantagens dessa tecnologia incluem a alta durabilidade e resistência ao fogo. Ademais, elas podem receber diversos tipos de acabamento ou revestimentos, como pintura, textura, cerâmica e pastilhas, podendo até mesmo ficarem aparentes.

Desvantagens

A desvantagem das placas cimentícias é que o manuseio é bem mais difícil que das placas de gesso, por serem mais pesadas. Em segundo lugar elas também costumam ter um preço mais elevado tanto do m2 comprado como instalado, justamente por ser um material mais resistente e mais denso. Nesse sentido, na hora de escolher qual a melhor opção para sua finalidade, é importante utilizar o material correto para a finalidade correta. Desta forma consegue-se o melhor acabamento pelo custo-benefício mais adequado.

Caso tenha se interessado pela informação, encontramos um artigo científico que explora muito bem esse tema com diversas citações e com informações mais profundas e detalhadas sobre o tema, principalmente no que diz respeito ao comparativo das paredes de alvenaria e drywall: https://goo.gl/tF1c2Y. O artigo tem autoria de Jordana Tavares Santos e Ligia Eleodora Francovig Rachid.

Engenheiros projetam e constroem evento a partir de grupo de referencias e troca de informações e produtos do WhatsApp afim de potencializar os negócios dos participantes

As novas tecnologias se mostram como uma boa oportunidade para realizar negócios e chegar em clientes e parcerias que antigamente dificilmente seriam feitas. O marketing de conteúdo e os diversos canais digitais e as redes sociais possibilitam o estreitamento de parcerias, iniciativas, campanhas, e até mesmo o contato com o cliente e fornecedores. É preciso estar atento às tendências e mudanças de comportamento do público que se informa e confia cada vez mais na internet, no WhatsApp, nas redes sociais como fontes de informação confiável. Pensando exatamente nisso que um grupo de 5 amigos engenheiros criaram um grupo de WhatsApp com um objetivo: reunir empresas confiáveis que fornecem e precisam de soluções, orçamentos, serviços, produtos e mão de obra de qualidade com referência.

O propósito do grupo foi alcançado em pouco tempo, e as referências internas e externas de empresas e pessoas foi tomando proporções maiores, resultando em 3 grupos e quase 500 pessoas envolvidas e atuantes. A partir desse alcance e da inciativa dos 5 fundadores e responsáveis pelos grupos, teve-se a ideia de organizar um evento para membros dos grupos, clientes, parceiros, fornecedores e principalmente, para as pessoas do grupo se conhecerem. Dessa forma, o grupo digital tomaria forma e com os patrocinadores do evento podendo expor suas empresas, suas soluções em um fórum privilegiado, fazendo a assim contatos com clientes potenciais, firmando parcerias e aumentando o potencial dos grupos de WhatsApp 5A Engenharia. Assim sendo, no último dia 19, o evento para mais de 300 pessoas foi realizado, contando com uma ótima organização, com várias empresas patrocinadoras palestrando e com stands que falavam desde soluções inovadoras em isolamento térmico a formas de lajes, estacas de fundação, novidades em acabamentos, ferramentas e outras áreas importantes da construção civil e de reformas.

 

Dentre os profissionais que participaram, haviam, além de engenheiros, profissionais da arquitetura, do design, da nutrição, investidores, profissionais de marketing, professores, pesquisadores, e outros de diferentes áreas que se interessam direta ou indiretamente pela construção civil. A diversidade do evento, tanto no perfil dos palestrantes, participantes e também do ramo de atividade das empresas, foi um ponto positivo a ser destacado, além da facilidade e abertura de todos os profissionais em conversar e debater soluções, ideias e propostas com as mais diversas finalidades.

A 3TC Isolamento foi uma das empresas patrocinadoras do evento, tendo saído do evento com uma visão muito positiva em relação a que foi apresentado. No tempo de apresentação da 3TC, o diretor de negócios da 3TC, Ricardo Valentini, apresentou e demostrou como o calor e as mudanças climáticas vem sendo um problema para empresas e funcionários que impactam na produtividade, rentabilidade, eficiência energética. Além disso, apresentou o longo caminho de pesquisa e conhecimento técnico apurado adquirido pela empresa que depois de tantos anos chegou a uma solução genial, simples, eficiente e acessível aos mais diferentes mercados, transformando o conhecimento da NASA, e a simplicidade da garrafa térmica no melhor isolamento do mercado, eficiente e versátil.

3TC Isolamento no evento da Engenharia SA

Além das apresentações, a 3TC levou para o evento para o stand um protótipo feito de policarbonato que demonstra a eficiência de diferentes produtos e tecnologias de isolamento térmico. No evento levamos o comparativo do 3TC com a lã de vidro e a lã de rocha, outras tecnologias em isolamento que possuem uma performance bem inferior ao 3TC no quesito térmico.

Os próximos planos dos responsáveis pelo grupo Engenharia 5A são os melhores: será construido um portal e aplicativo por uma empresa desenvolvedora para trazer essa realidade e ideia do WhatsApp para um esforço e uma plataforma mais direcionada adequada para as iniciativas e dinâmicas de interação de oferta, compra e referenciamento dentro do ramo da construção civil.

Equipe, Stand e Apresentação da 3TC Isolamento

Quer saber mais sobre a 3TC? Acesse nosso Blog e fique por dentro do melhor conteúdo em sustentabilidade, engenharia, arquitetura e isolamento térmico.

Sentir calor nos dias de hoje virou rotina de norte a sul do país, causada sempre pelas três formas de transferência de calor. Você conhece elas? Leia abaixo que vamos lhe explicar cada uma delas:

Transferência de Calor

A termodinâmica é o campo da física e engenharia mecânica que estuda as relações de temperatura. Basicamente existem três formas distintas de transferência de calor. Cada uma delas influencia o conforto térmico diferentemente, até mesmo na proporção, dependendo sempre da situação. São elas a condução, a convecção e a radiação.

Primeiramente, vale lembrar que toda transferência de calor ocorre sempre do ponto mais quente para o ponto mais frio. Isto tem a ver com as leis da termodinâmica que afirmam que os sistemas estão sempre buscando equilíbrio. Este equilíbrio tem a ver com a energia, e no caso deste artigo, com a energia em forma de calor.

Nesta postagem vamos introduzir um pouco mais como cada uma é descrita na teoria, com exemplos práticos que facilitarão a compreensão. Existem outros posts em nosso blog que abordam em específico cada uma delas. A transferência de calor sempre vai existir, pois todo sistema tende a ser uniforme. Com isso o calor sempre será difundido até atingir a homeostase, ou seja, um equilíbrio de temperatura. Sendo assim, confira os 3 vilões do conforto térmico:

 

1. Condução Térmica

A condução é o modo pelo qual o calor é transferido através de um meio material. Apesar de não conseguimos ver a olho nu, esta forma acontece de uma molécula (ou átomo) para sua vizinha. Resumindo, a condução acontece pelo contato da matéria. Primordialmente ocorre a condução principalmente em materiais sólidos, onde as partículas estão bem próximas uma das outras.

A rapidez com que o calor é conduzido vai depender de vários fatores. São eles:

  • Tamanho do sistema;
  • Composição dos materiais do sistema;
  • Diferença de temperatura entre áreas.

Como mencionamos anteriormente, existem materiais que são melhores condutores que outros.  Como exemplo, os metais de maneira geral conduzem 300 vezes mais calor que a madeira, embora dependa da densidade e o tipo de cada um. Como o calor se propaga de partícula para partícula, corpos mais densos, com maior número de partícula por unidade de volume são bons condutores. Isto explica porque os metais são bons condutores e a madeira nem tanto. Abaixo listamos alguns materiais comuns e seu valor de condutividade térmica:

MaterialCondutividade térmica (Κ)
Grafeno4115,00
Prata429,00
Cobre401,00
Ouro317,00
Alumínio237,00
Tungstênio174,00
Ferro 80,2
Vidro  0,79
Água  0,61
Tijolo  0,6
Epoxi  0,30
Polipropileno  0,25
Madeira (pinho)  0,13
Fibra de vidro  0,05
Espuma de poliuretano  0,03
Espuma de poliestireno EPS  0,03
Ar  0,03

Pelo mesmo motivo, os líquidos e gases não são bons condutores de calor. Um exemplo prático da condução em ação é o calor de uma frigideira fritando uma carne. O calor da chama do fogão aquece rapidamente o metal da frigideira que por condução deste mesmo calor cozinha a carne que está em contato com a frigideira. Vale lembrar que os valores acima correspondem apenas a como os materiais se comportam com a condução como transferência de calor. Os valores de condutividade K não consideram as outras formas de transferência, que em muitos casos são mais importantes que a própria condução.

2. Convecção Térmica

A convecção é também um importante meio de transferência de calor de massa em fluidos – líquidos e gases. A convecção acontece das seguintes formas:

  • Difusão (movimento aleatório de partículas individuais em fluidos);
  • Pelo movimento que ocorre nas correntes ascendentes de um fluido;
  • Pelo movimento de moléculas mais quentes (com mais energia) dentro de um sistema.

Um jeito fácil de pensar na convecção é que o quente sobre e o frio desce. Por isso, é indicado que aquecedores fiquem na parte inferior de um cômodo e o ar condicionado deve ser instalado na parte superior do ambiente. O aquecedor vai ser mais efetivo ao esquentar o ar frio que desce, e igualmente o ar condicionado vai ser mais efetivo ao resfriar o ar quente que sobe. Caso tenha dúvidas sobre conforto térmico, fizemos uma postagem muito bacana sobre o assunto.

Por esse mesmo motivo os exaustores de galpões industriais são sempre colocados nos telhados e nos cantos superiores de galpões. Desta forma ele vai permitir a saída do ar quente pela convecção natural. Igualmente coifas de cozinhas feitas normalmente de metal ajudam a criar um movimento forçado da fumaça e gases para cima.

O princípio é bem básico e relacionado justamente à densidade dos materiais no sistema. Exemplificando, A água quente é menos densa que a água fria, portanto ela subirá. Enquanto isso a água que estiver mais fria, estará mais densa, e vai descer dentro deste mesmo sistema. Afim de resumir este conceito, separamos um vídeo bem instrutivo feito pelo canal Canada Science and Technology Museum que mostra esse efeito de maneira bem didática. Ele está em inglês, mas é só ativar a tradução para o português que ele tem legendas.

O ar também é considerado um fluido pela termodinâmica, e a troca de calor por convecção vai influenciar demais na temperatura interna.

3. A radiação térmica

Para finalizar falaremos da radiação, o principal vilão do conforto térmico. A radiação é a fonte primária de calor, influenciando na convecção e condução no que diz respeito à construção civil. Certamente a maior fonte energética e de calor que nós temos é o Sol e a radiação advinda dele é a responsável por aquecer todo nosso planeta. Por causa disso, é possível afirmar que a tecnologia para geração de energia do futuro (e do presente) são as placas de captação da energia que vem da radiação solar.

Inegavelmente, no campo da construção civil a zona climática, bem como a exposição ao sol durante o dia são fatores que influenciam muito na temperatura interna de uma edificação. Além disso, livros de física descrevem a radiação como a propagação da energia de um ponto ao outro, seja no vácuo ou em qualquer meio material. Portanto pode ser classificada como energia em trânsito, pois pode ocorrer através de uma onda eletromagnética ou partícula. Só para exemplificar, todo corpo emite radiação, e quanto mais quente um material está, mais radiação ele emitirá.

Um exemplo da atuação da radiação é o calor que se sente ao se expor ao sol e a diminuição desta sensação ao ficar em um local de sombra. Quanto menos radiação um corpo recebe, menos calor ele sentirá. Vale lembrar que a radiação infravermelha é mais energética, ou transporta mais e calor que as visíveis e que as ultravioletas.

Para saber mais sobre transferência de calor e isolamento térmico, curta o Facebook da 3TC e fique por dentro de todas as novidades da área.