Posts

Saiba as vantagens e desvantagens de um forro de madeira e se é a melhor solução para você

Elemento capaz de gerar conforto e ainda agregar beleza aos ambientes, o forro de madeira atende todos os estilos. Do clássico ao rústico, é um revestimento que alia funcionalidade e estética.

A madeira é caracterizada por ser um material heterogêneo, suas propriedades físicas como resistência mecânica e dureza mudam significativamente dependendo da espécie ou mesmo do corte. Porém, de uma maneira geral, podemos dizer que é um material higroscópio, ou seja, absorve água facilmente e é biologicamente perecível. Dessa forma, é fundamental o tratamento da madeira para evitar ataques de insetos e a presença de microrganismos, além é claro, do verniz ou tinta para proteção.

Tipos de forros

Madeiras Naturais: são muitas as opções de forros no mercado. Para escolher a madeira mais adequada ao ambiente é preciso considerar a iluminação, qual é o estilo que se pretende naquele local, quais as exigências em termos térmicos e acústicos. Em residências, os tipos mais utilizados são o pinus, cedro, perobinha, cumaru, jatobá e ipê. Essas madeiras possuem boas propriedades de densidade e facilidade de secagem. A imbuia, jacarandá e peroba rosa aparecem em seguida e são muito resistentes à cupins. Todas elas variam em relação a cores, texturas, valor e trabalhabilidade.

Madeiras industriais: em se tratando de madeiras processadas industrialmente, são encontradas o MDF (Medium Density Fiberboard) e o MDP ((Medium Density Particleboard).  O MDF é um painel de madeira reconstituída, onde as fibras de madeira são submetidas à vapor e pressão, se separando uniformemente para depois serem aglutinadas com resinas sintéticas. E o MDP é uma placa com partículas de madeira, normalmente pinus, com resinas sintéticas prensada sob altas temperaturas.  Os dois materiais possuem boa estabilidade e boa capacidade de absorção de tinta. A principal diferença entre os dois é que o MDF apresenta maior maleabilidade, permitindo a formação de curvas, e o MDP é melhor para ser trabalhado em linhas retas. O MDP costuma ser mais barato que o MDF, porém, por ser mais poroso, absorve mais umidade e tente a se deteriorar mais rápido. São mais utilizados como forros em ambientes corporativos.

Instalação

Os forros de madeira possuem algumas formas de instalação. Podem ser semelhantes aos pisos, utilizando vigas, contraventamentos e tarugamentos. Outra opção são os lambris, que utilizam o sistema de encaixe macho-fêmea, podem ser instalados formando desenhos. Existe também a colocação conhecida como saia-camisa. As tábuas-camisas são emparelhadas e pregadas sob o vigamento. As tábuas-saias são de menor largura, e são fixadas sob as camisas, criando níveis diferentes.

Apesar de a instalação não ser tão complexa, é importante que seja feita por profissional capacitado para garantir um resultado final satisfatório.

Vantagens do Forro de Madeira

Conforto térmico e acústico: a madeira possui propriedades que ajudam na manutenção da temperatura e do nível de ruído do ambiente. No entanto, é bom lembrar que nenhuma opção de forro irá conseguir solucionar sozinho o calor e o som excessivo. Para obter conforto térmicosatisfatório, é indicado o uso de 3TC em conjunto com o forro.

Durabilidade: A madeira é um material que pode durar por muitos anos, se a manutenção for feita de forma correta.

Estética: com inegável apelo estético, dificilmente o forro de madeira irá passar despercebido. Muito versátil, pode decorar todo tipo de ambiente. Vai bem na decoração rustica, moderna, sofisticada ou contemporânea. É um dos materiais mais democráticos em termos de uso.

Facilidade de instalação e remoção: como já foi dito, é um material de fácil instalação, necessitando apenas de mão de obra especializada para a realização de um bom serviço. Se for necessário remover uma parte do forro, não é necessário destruir a peça, como no caso do gesso ou mesmo do PVC.

Variedade: com a possibilidade de combinar as diversas cores e texturas de madeira com as variadas formas de instalação, a madeira é um dos materiais mais versáteis na decoração.

Desvantagens do Forro de Madeira

Custo: alguns tipos de madeira e formas de instalação podem ter valor muito elevado. Isso irá depender das escolhas e características da obra.

Pragas: a madeira é um material que está sujeito tanto a ataque de insetos como de fungos e bactérias. Para evitar que isso ocorra é necessário investir em tratamentos regulares.

Manutenção: Como está mais vulnerável a ataques biológicos e a umidade, é fundamental a manutenção e tratamento regular. Isso inclui a verificação periódica para verificar a presença de cupins, reforço nos tratamentos contra esses insetos e microrganismos diversos, além da aplicação de verniz ou tinta.

Pouca resistência à umidade: Uma das principais características da madeira é ser um material sensível à umidade. Em ambientes úmidos, a madeira absorve agua e se expande, e em ambientes secos, irá retrair. Assim, pode ocorrer de a madeira estufar em caso de grande umidade, desenvolver manchas e fungos provenientes de ataques de microrganismos, levando ao apodrecimento da madeira. Dessa forma, não é recomendável a instalação de forro de madeira em áreas molhadas e com restrição em áreas externas.

Escolher o melhor forro de madeira para sua obra não é uma tarefa simples. São diversas possibilidades e contratar um arquiteto ou um design de interiores para auxiliar nesse momento pode ser uma boa opção. Em se tratando de valores, o preço do forro de madeira pode variar muito, a depender da região do país e da madeira escolhida. É possível encontrar forros a partir de R$ 40,00 mais o custo da mão de obra.

E então, já decidiu qual o melhor forro par a seu projeto? Deixe sua opinião e não deixe de acompanhar a 3TC no Facebook.

Pesquisadores da Holanda desenvolveram um concreto que consegue consertar suas próprias rachaduras

Na 3TC Isolamento valorizamos a inovação e desenvolvimento de novas tecnologias, principalmente as que trazem sustentabilidade e solução para problemas existentes na construção civil. Essa semana começaremos uma série de postagens apresentando novas tecnologias que estão em desenvolvimento pelo mundo e que podem em breve compor a construção civil aqui mesmo no Brasil. O 3TC mesmo é uma tecnologia nova, está apenas há 2 anos e meio em atividade fabril no país, e por isso valorizamos e gostamos de conhecer novas tecnologias, e, quem sabe, um dia sermos os responsáveis pela homologação delas em território nacional. Nessa semana falaremos do BioConcreto, uma tecnologia muito promissora.

Pesquisadores da Universidade Técnica de Delft, na Holanda, desenvolveram um composto de concreto que pode preencher falhas, rachaduras e fissuras usando bactérias especiais. O concreto é o material da construção civil mais utilizado no mundo todo, extremamente importante em obras de pequena ou larga escala, mas é propenso a rachaduras. Dessa forma ele precisa ser reforçado com aço e, em alguns casos, fixado ou substituído quando as rachaduras comprometem a estrutura. O projeto é liderado por dois pesquisadores: Henk Jonkers, um microbiologista e Eric Schlangen, especializado em desenvolvimento de concreto. Eles vêm trabalhando há vários anos nessa tecnologia de concreto que consegue se auto reparar, tentando abordar esse problema de maneira sustentável.

Durante o teste foram misturadas bactérias em uma pasta de cimento e após um mês eles encontraram os esporos de três bactérias específicas ainda estavam viáveis. Os pesquisadores então adicionaram uma bactéria inofensiva conhecida como Bacillus genus ao concreto que permaneceu dormente até entrar em contato com a água. As bactérias usaram os nutrientes que os pesquisadores incorporaram no cimento (lactato de cálcio – um componente do leite).

De acordo com o Dr. Jonkers: “No laboratório temos sido capazes de mostrar a cicatrização de fissuras com uma largura de 0,5 mm e agora estamos aumentando a nossa capacidade. Precisamos de uma quantidade significativa do agente de auto repara para começar a fazer testes ao ar livre, em diferentes construções, diferentes tipos de concreto para ver se este conceito realmente funcionará na prática” afirmou o pesquisador. Assista o vídeo com os pesquisadores explicando a tecnologia:

O principal desafio do projeto concreto de auto reparo é assegurar que o as bactérias possam sobreviver ao processo de mistura. Para isso, os pesquisadores tiveram que revestir as partículas do agente de cura, que ainda é um processo caro mas esperam que nos próximos 6 meses o custo disso seja reduzido drasticamente. Após esse tempo uma nova série de testes deve começar – desta vez fora do laboratório e em condições reais. Mais informações sobre o projeto podem ser encontradas no site da Universidade Técnica de Delft.

Saiba como as boas garrafas térmicas deixam o café quentinho o dia todo, ou o chá gelado

Inventada no século XIX, a garrafa térmica ainda é o dispositivo mais avançado em isolamento térmico por sua simplicidade e eficiência, tanto que nosso café quentinho é servido nos mais variados modelos, mas com a mesma tecnologia. Garrafa térmica é o nome mais popular para o vaso de Dewar, um recipiente utilizado para gerar um isolamento térmico quase perfeito, conservando a temperatura do conteúdo em seu interior por bastante tempo, evitando trocas de calor com o meio externo. A tecnologia foi desenvolvida pelo cientista escocês James Dewar que pretendia inicialmente conservar a temperatura de soluções químicas. Ele acabou não patenteado a tecnologia, o que foi mais tarde feito pela empresa Thermos para começar a comercializar as garrafas térmicas.

Mecanismo de isolamento térmico

O conceito simples e eficaz da garrafa térmica visa diminuir a influência das três formas de transferência de calor, a convecção, condução e a radiação no interior do recipiente. A garrafa térmica é construída de tal forma que diminui consideravelmente a ocorrência de todos esses processos de trocas de calor.  Existem muitas variações dos materiais utilizados para se fazer garrafas térmicas, mas o conceito é o mesmo, demonstrados pelo desenho abaixo:

 

Na figura acima vemos que a parte de armazenamento é protegida por duas superfícies espelhadas/refletivas com uma camada de vácuo/ar no meio, o que evita as três formas de transferência de calor, mantendo a temperatura interna independente da externa. Funciona assim: o vácuo tem o objetivo de evitar que ocorra a condução, pois esse processo de troca de calor necessita de um meio material para acontecer, e o vácuo, por definição, é ausência de matéria. No caso, em alguns casos, utiliza-se de uma camada de ar, pois este é o que temos de mais próximo do vácuo. As superfícies espelhadas das camadas internas evitam que aconteça troca de calor por radiação térmica, pois elas refletem as ondas de calor, bloqueando a maioria delas de entrar e influenciar no recipiente interno. A tampa normalmente é feita por material vedante, impedindo que haja contato e troca de calor entre o ar e o líquido no interior da garrafa, assim, não ocorre a convecção. Caso houvesse contato do ar com o líquido quente ou frio de dentro da garrafa, o movimento do ar faria com que ocorresse a troca de calor por meio da convecção. Dessa forma, a garrafa térmica conserva a temperatura de qualquer conteúdo colocado em seu interior, estando ele quente ou frio, controlando as três formas de transferência de calor.

O 3TC foi desenvolvido com mesmos conceitos da garrafa térmica, aprimorando as superfícies metálicas para um polímero ainda mais refletivo, e adaptando o vácuo para o EPS, que é composto por 98% de ar, tornando a tecnologia acessível e extremamente eficiente para a construção civil. Uma ideia simples, uma inovação tecnológica: conforto térmico e economia para o seu bolso.