A influência da temperatura na germinação e vigor de sementes é um assunto que desperta muito interesse entre os produtores e gestores do agronegócio.

É fácil descobrir quando uma semente foi castigada pela geada. No entanto, as altas temperaturas podem ser tão prejudiciais quanto as baixas, fazendo com que a muda não se desenvolva de forma plena. E isso pode causar imensos prejuízos financeiros ao agronegócio.

Existe uma disparidade considerável quando se trata dos danos causados pela temperatura nas sementes. Algumas murcham quando o termômetro começa a subir, enquanto outras conseguem germinar bem nas mesmas condições. Por esse motivo, as culturas precisam ser estudas e analisadas caso a caso.

Vale observar que o potencial genético de uma semente só será atingido ao contar com um bom sistema de multiplicação. Nesse cenário, a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes precisa ser analisada para que as plantas cresçam com saúde e vigor.

Falhas no processo de armazenamento e estocagem também podem resultar em prejuízos para o produtor.

Quer saber mais sobre esse assunto e garantir a lucratividade da produção? Então, acompanhe as informações que apresentaremos nesse artigo!

Importância do armazenamento correto ao analisar a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes?

O local e o método de armazenamento devem ser observados com especial atenção pelos produtores para garantir que a semente possa germinar e crescer com vigor.

A produção de sementes de soja, por exemplo, deve observar um rígido controle de qualidade para garantir que os consumidores tenham acesso a um produto em bom estado. Claro, isso exige investimento tecnológico, uma vez que as unidades de semente exigem processos cada vez mais modernos e inteligentes.

A conservação também deve ser feita de maneira adequada. De fato, o armazenamento é essencial para a germinação e assim garantir que as sementes estarão em bom estado para o plantio. O armazenamento feito de maneira adequada é essencial no sucesso da lavoura e consequentemente no potencial produtivo da operação.

O nosso país conta com diversos microclimas. A influência da temperatura na germinação e vigor de sementes deve ser analisado regionalmente, uma vez que as condições do sul do país não são as mesmas da região norte ou nordeste, que é sujeito a altas temperaturas por todo o ano.

A região sul do país apresenta clima frio durante uma parte do ano. Para essa localidade, é possível reduzir a construção de câmaras frias. Já cidades localizadas no Mato Grosso ou em Goiás, que possuem um clima mais quente, precisam ter mais investimentos em câmaras frias para garantir a vitalidade das sementes.

Influência da temperatura na germinação e vigor de sementes

Quais são os riscos do armazenamento incorreto?

Influência da temperatura na germinação e vigor de sementes também afeta essa etapa da produção. O armazenamento adequado garante a qualidade dos insumos durante o tempo de armazenamento.

Assim, as sementes estarão a salva da deterioração, garantindo a longevidade até o plantio da próxima safra.

A etapa de armazenamento das sementes tem início nas instalações do sementeiro e termina com a semeadura do campo. Como esse período pode se estender por vários dias, ou até mesmo semanas, é preciso usar técnicas que garantam as melhores condições possíveis.

Esses cuidados evitam a baixa produtividade e garantem o vigor germinativo. E isso evita o comprometimento da produção e consequentemente os prejuízos.

No armazenamento das sementes também é preciso eliminar focos de infestação, o que exige maior controle da parte do produtor — o ideal é que as sementes saiam do armazém diretamente para o plantio de modo a não ficarem em ambientes sem condições adequadas.

Boas condições de armazenamento garantem a qualidade do plantio e o retorno financeiro. Também previne atrasos e elimina possíveis danos a colheita.

Influência da temperatura na germinação e vigor de sementes

Quais fatores influenciam na qualidade das sementes?

O armazenamento adequado minimiza riscos e garante o vigor das sementes. Nessa etapa, os seguintes fatores merecem especial atenção.

Temperatura

É muito importante observar a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes. A maioria das semente exige temperatura de armazenamento perto de 25ºC. Já  milho e a soja exigem temperaturas mais baixas, em torno de 20ºC.

Quando a temperatura aumenta cerca de 5ºC, a longevidade da semente é reduzida à metade. Essa variação contempla temperaturas na faixa de 0ºC a 50ºC. Assim é preciso investir em equipamentos de refrigeração, caso o sementeiro esteja localizado em uma cidade muito quente.

Vale observar que os armazéns devem permanecer bem ventilados, o que ajudará a manter a temperatura constante.

Umidade relativa do ar

A influência da temperatura na germinação e vigor de sementes deve ser analisada em conjunto com a umidade, que interfere diretamente na qualidade das sementes. O aumento de 1% do grau de umidade (quando se analisa o intervalo de 5 a 14%) reduz o vigor das sementes em até 50%.

Nas condições ideais de armazenamento a soma entre temperatura e a umidade relativa do ar não deve ultrapassar 45 graus. Nessa equação os dois termos precisam ser cuidadosamente mensurados para que a longevidade das sementes garanta a qualidade do plantio.

Muitos armazéns têm umidade do ar em torno de 12%. Acima desse patamar as sementes ficarão muito úmidas, acelerando o processo de apodrecimento e o surgimento de fungos e bactérias.

Circulação do ar

Esse é outro aspecto fundamental ao analisar a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes.

Armazéns e outros espaços de armazenamento precisam ser bem ventilados. No entanto, é preciso garantir que a umidade do lado de fora não interfira no ambiente interno, o que pode prejudicar a qualidade das sementes.

Além disso, é preciso organizar as sementes de modo a garantir o máximo proveito da circulação de ar. Carregar demais o armazém impede que as sementes aproveitem esse benefício, diminuindo a sua durabilidade.

Organização 

O armazém deve ser um espaço bem iluminado e limpo, o que impede a proliferação de pragas. Sempre que possível, os volumes devem ser condicionados sobre paletes de madeira, de modo a evitar o contato direto com o chão.

Além disso, as sementes não devem ter contato com as paredes do galpão, por isso é preciso mantê-las a uma distância de pelos menos 1,5 m da estrutura. O espaço deve ser destinado apenas ao armazenamento de sementes, uma vez que essas não devem permanecer próximas a produtos químicos ou adubos.

Limpeza

Influência da temperatura na germinação e vigor de sementes deve ser observada em espaços limpos e organizados.

Esse é um fator primordial para a manutenção da qualidade de sementes. Para isso, é importante haver profilaxia antes da entrada dos produtos no armazém e durante todo o tempo em que eles ficarem guardados. É fundamental, por exemplo, varrer as sementes que venham a cair no chão. Isso evitará focos de insetos e roedores.

É indispensável, ainda, acompanhar e controlar a presença desses problemas e de pragas, como traças e fungos: assim que descobertas, sementes mofadas devem ser imediatamente eliminadas.

Materiais adequados

Muitas empresas agropecuárias utilizam contêineres para armazenar sementes. Essa opção permite a fácil limpeza, impede a entrada da umidade e pode ser climatizada facilmente para atender as especificações de cada região. 

Isso é fundamental ao observar a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes. Além disso, esse equipamento dispensa a construção de um espaço para o armazenamento. Após o uso ele pode ser reaproveitado para guardar insumos e outros materiais utilizados na lavoura.

Garantindo o armazenamento correto das sementes

Como dissemos acima, manter o espaço limpo e arejado permitirá o máximo aproveitamento das sementes. Seja um contêiner ou um armazém, é preciso manter o espaço livre de pragas que possam atacar os insumos.

Além disso, providencie paletes e faça a distribuição correta dos pesos entre os suportes e os mantenha longe das paredes. Isso garante maior ventilação e minimiza os efeitos negativos da troca térmica entre o ambiente externo e interno.

As pilhas de semente não devem ter uma altura elevada e devem permanecer longe do teto, que alcança temperaturas mais elevadas. Fato que deve ser verificado ao observar a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes. Veja aqui um artigo que escrevemos sobre beneficiamento de sementes!

Também é importante higienizar corretamente o espaço e aplicar inseticidas ou pesticidas caso se mostre necessário.

Lembre-se, ainda, de implantar um programa de controle de pragas que inclua o uso armadilhas e a aplicação de produtos específicos pata tratar os problemas. Os paletes utilizados devem ser limpos, esterilizados e plastificados, o que garante proteção adicional contra a umidade e o ataque de insetos.

Por fim, ao carregar ou descarregar as sementes é preciso evitar impactos, de modo a garantir a a sua integridade.

Estudo de caso 1: sobre a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes de plantas tropicais

O cupuaçu é uma árvore frutífera da região da Amazônia, que desponta como uma alternativa promissora para indústria alimentícia. O fruto pode ser usado na fabricação de sorvetes, licores, sucos, geleias, bombons e doces.

Cada espécie vegetal consegue se desenvolver com máximo vigor em um determinado clima. De fato, a temperatura atua diretamente nos processos bioquímicos e fisiológicos. Esse fator afeta diretamente a velocidade de germinação.

Isso significa que influência da temperatura na germinação e vigor de sementes deve ser analisada e replicada, de modo a garantir uma safra saudável e rentável.

O estudo científico publicado pela Revista Agropecuária Brasileira sobre influência da temperatura na germinação e vigor das semente de copuaçu utilizou três substratos no teste de geminação: areia fina peneirada, serragem curtida e vermiculita número 3. Todo o material utilizado foi previamente esterilizado.

As sementes foram previamente escolhidas e preparadas de acordo com o método de Figueiredo. O teste foi realizado em diferentes temperaturas: 15, 20, 25, 30 e 35ºC e durou 25 dias. Os seguintes parâmetros foram utilizados:

1. Índice de velocidade de geminação (IVG)

A contagem teve início no quinto dia após o plantio das sementes e prosseguiu até o final da germinação. Considera-se germinada a semente que apresentar radícula de 1 cm de comprimento.

O índice de velocidade de geminação é obtido ao dividir o número de sementes geminadas por dia pelo tempo transcorrido desde o plantio.

2. Porcentagem de sementes germinadas e porcentagem de plântulas normais

Passados 25 dias do início do experimento se verificou o percentual de sementes germinadas, normais e anormais, bem como o percentual de plantas que morreram.

Uma planta normal apresenta radícula, caulículo e plúmula bem desenvolvidos. Já o vigor é avaliado pela medição do caulículo da plântula, pelo comprimento da radícula e pelo peso da matéria seca dos cotilédones.

Influência da temperatura na germinação e vigor de sementes

Resultados do estudo sobre a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes

Após a análise dos resultados verificou-se que a temperatura influencia diretamente no vigor das sementes.

No quinto após a semeadura, as sementes que estavam no tratamento de 15º não geminaram e no tratamento de 20% esse índice atingiu cerca de 10%. Já as sementes no tratamento de 25%, 30% e 35% a germinação atingiu 40%.

Esses resultados revelaram que as sementes do copuaçu germinam mais facilmente em temperaturas mais altas, enquanto as baixas temperaturas retardam o processo. Vale ressaltar que essas sementes se comportam de forma semelhante à semente de cacau, que não gemina a temperaturas inferiores a 10º C.

A partir do décimo dia, a porcentagem de sementes germinadas estabilizaram-se em todos os substratos, o que evidencia que as plantas tropicais crescem com mais vigor em locais de temperatura mais elevada.

Influência da temperatura na germinação e vigor de sementes

Índice de velocidade de geminação do estudo sobre a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes

Após a análise dos resultados verificou-se que as sementes germinam melhor em temperaturas compreendidas entre 25 e 30ºC.

A temperatura de 35ºC se mostra a melhor para iniciar o processo germinativo, no entanto, a partir do décimo quarto dia o crescimento se mostra mais lento quando comparado as temperaturas de 20, 25 e 30ºC. Isso significa que a exposição prolongada a 35º bloqueia a germinação das espécies tropicais como cacau e caju.

Porcentagem de plântulas normais

A porcentagem de plântulas normais é a mesma nas temperaturas de 20, 25, 30 e 35ºC. Na temperatura de 15º as sementes que germinaram não atingiram o estágio de plântula no prazo determinado.

O vigor das semente apresentou o seguinte resultado no citado estudo sobre a nfluência da temperatura na germinação e vigor de sementes:

Altura da parte aérea da plântula: As sementes plantadas a 30º C cresceram mais vigorosas e tiveram pleno desenvolvimento. O crescimento foi menor em sementes expostas a 20, 25 e 35ºC.

Comprimento da radícula: As plantas cultivadas a 30ºC apresentaram sistema radicular mais desenvolvidos que as armazenadas em temperaturas de 20, 25 e 35ºC. No entanto, nessas temperaturas as sementes apresentaram desenvolvimento semelhante.

Aos 35ºC, a raiz das plantas se atrofiou, levando a queima do hipocólito. Ou seja, embora essa temperatura favoreça o aparecimento da radícula, ela provoca a queima da planta.

Peso da matéria seca dos dicotilédones: Nesse quesito, temperaturas entre 20 e 25ºC apresentaram melhores resultados que as demais. Entre 30º e 35º não se observou diferença significativa.

Segundo o estudo, é possível concluir que as sementes geminam bem em diferentes substratos. Quando expostas por longos períodos a temperaturas próximas a 15ºC, as sementes perdem a sua vitalidade.

Ao serem expostas a temperaturas de 35ºC, as sementes germinam mais rapidamente, no entanto, a ridícula e o hipocólito se queimam após permanecerem muitos dias expostos as altas temperaturas.

A melhor temperatura para a germinação é de 20 a 25ºC, faixa que também permite o pleno desenvolvimento das plantas de espécies tropicais.

Estudo de caso 2: influência da temperatura na germinação e vigor de sementes de soja e outros grãos

Outro estudo sobre publicado na Revista Brasileira de Sementes buscou verificar a iInfluência da temperatura na germinação e vigor de sementes de soja.

As sementes foram multiplicadas e divididas em dois blocos, subdividos em quatro parcelas. Foram colhidas com 15, 30 e 45 dias de maturação, ou seja, no estágio R8 da escala de Fehr. Após a secagem, as vagens foram separadas em uma câmara fria à temperatura de 10ºC e umidade relativa de 60% até o início das medições.

Os testes foram conduzidos no laboratório da Universidade Federal de Viçosa (UFV). Para verificar se seria possível reduzir o tempo de embebição das sementes, realizou-se o teste de condutividade elétrica (CE) de três maneiras:

  • Metodologia tradicional: composta de quatro repetições de cinquenta sementes, pesadas com precisão e colocadas em copos plásticos com 75 ml de água. Esses recipientes eram então colocados no sementeiro a uma temperatura de 25º C por 24h. Após esse período realizou-se o teste de condutividade.
  • Segunda etapa: as sementes foram levadas ao semeador na temperatura de 32ºC por 10, 30, 60 e 20 minutos e após esse período, realizou-se a leitura da condutividade elétrica da solução.
  • Terceira etapa: as sementes foram levadas ao semeador a temperatura de 40ºC por 10, 30, 60 e 20 minutos. A leitura da condutividade elétrica foi realizada ao término do período.

Cada teste consiste em quatro repetições com 50 sementes cada. Essas foram distribuídas em recipientes com água destilada a temperatura de 25ºC. As medições foram realizadas após cinco dias e após oito dias e a porcentagem de plantas normais, anormais e mortas foi estabelecida segunda as Regras para Análise de Sementes (Brasil, 1992).

Para o teste de envelhecimento acelerado (EA), foram utilizadas caixas plásticas com espaço sufiente para 50 sementes para cada tratamento, colhidas no ensaio de campo.

Essas sementes foram mantidas à temperatura de 42ºC, durante 48h. Em seguida, teve início o teste de germinação, sendo a avaliação do número de plântulas normais feita aos cinco dias após a instalação do teste, expressando-se os resultados em (%) porcentagem.

A análise global indicou que a qualidade das semente das sementes declina progressivamente caso a colheita demore para ocorrer, assim como ocorre pela influência da temperatura na germinação e vigor de sementes.

A metologia empregada indicou é possível reduzir o tempo de embebição das sementes de soja em períodos inferiores a 24 horas para identificar os lotes que apresentam baixa qualidade. Essa possibilidade já foi observada em estudos anteriores em espécies como amendoim, girassol, milheto, tomate, feijão-vagem e quiabo.

Como a tecnologia 3TC permite construir estruturas que garantem o crescimento eficaz das sementes?

Como dissemos, a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes é fundamental para garantir uma colheita de qualidade.

A temperatura de um ambiente oscila devido a troca de calor entre o meio externo e interno. Essa perda é decorrente de três fomas de transmissão: condução, que decorre da transmissão de calor entre materiais e fluidos, convecção, troca de calor por meio de gases, fluidos e vapores e radiação, oriunda dos raios infravermelhos.

Isolantes térmicos tradicionais, como a manta térmica, eliminam apenas a condução, o que corresponde a uma pequena da perda de calor do ambiente. Assim, a maior parte do calor é dissipado, fazendo com que a sementeira se torne fria no inverno e demasiadamente quente no verão.

O 3TC é uma solução tecnológica que forma uma cobertura flexível, impermeável e contínua (assista aqui a um dos vídeos de instalação do 3TC na UBS da empresa Sementes Primeira). Ao usá-la, a sementeira estará a salvo da entrada de vapores o que dificulta a transmissão de calor por convecção.

Ideal para diversos tipos de aplicação no agronegócio, como UBS e armazéns de semente, o 3TC atua em três frentes, o que garante a alta produtividade da sementeira e permite atender as necessidades das diferentes culturas. Veja aqui a instalação do 3TC Isolamento na Cooperativa CAMISC!

Sementeiras com o 3TC Isolamento é uma solução que elimina a transferência e a perda de calor, atuando diretamente contra a condução térmica — a solução é composta de duas lâminas de polímero reflexivo, que barra 97% dos raios infravermelhos, o que elimina a radiação térmica.

Construir ou reformar galpões com o 3TC isolamento não implica em maiores custos. Muito pelo contrário, a eficiência térmica pode reduzir custos com ar-condionado, ventiladores e aquecedores, o que pode gerar uma economia de até 35% no consumo de energia.

Além disso, permite controlar a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes. É importante observar ainda que, o 3TC é muito mais leve que os isolamentos tradicionais, o que reduz o custo com o transporte e o tempo de obra.

Agora que você já sabe mais sobre a influência da temperatura na germinação e vigor de sementes que tal investir em um bom sistema de isolamento térmico que ajude a proteger toda a operação e o processo produtivo? Conheça melhor o 3TC Isolamento e invista nessa tecnologia!

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *