Certificação socioambiental: tudo o que você precisa saber

  • Post category:agronegócio
You are currently viewing Certificação socioambiental: tudo o que você precisa saber
Certificação socioambiental - 3TC Isolamento

A certificação socioambiental ajuda a identificar práticas que se relacionam à gestão de energia, de resíduos, redução do uso da água e educação. Embora o número de empresas que certificam pareça aumentar, ainda precisa ser melhor incorporado pelos demais setores. Veja a seguir!

O que é certificação socioambiental?

A certificação ambiental é uma forma de regulação e desenvolvimento ambiental em que uma empresa pode optar por cumprir processos predefinidos via um serviço de certificação. Assim, a maioria dos serviços de certificação socioambiental leva um logotipo (um “rótulo ecológico”) que pode ser aplicado a produtos certificados de acordo com seus padrões.

Desta forma, isso é visto como uma forma de responsabilidade social corporativa que permite às empresas cumprir sua obrigação de minimizar os impactos prejudiciais ao meio ambiente.

Mas, quais são as motivações para a implementação da certificação socioambiental?

 

Motivações da certificação socioambiental

As principais motivações para muitas empresas que optam por implementar esquemas de certificação socioambiental são:

  • fornecer um produto ético para os consumidores;
  • aumentar o desenvolvimento sustentável;
  • melhorar a imagem da empresa;
  • obter um melhor relacionamento com as partes interessadas;
  • e obter um lucro maior.

Muitas empresas acreditam que a implantação de programas de certificação socioambiental pode melhorar a imagem da empresa e gerar vantagem competitiva. Na verdade, isso é geralmente conseguido através da utilização de rótulos ecológicos que podem ser usados ​​nos produtos da empresa, possibilitando destaque por ser produzido de forma ambientalmente correta.

Assim, os rótulos ecológicos associados à certificação socioambiental informam aos consumidores que o produto auditado. E também, que é proveniente de uma empresa com boa gestão ambiental.

Portanto, o certificado socioambiental indica boas práticas e melhora a imagem da empresa. Essa abordagem permite que os consumidores direcionem seu comportamento de compra em uma direção ecologicamente correta.

>>> Leia também: IPTU verde: Guia completo para a sustentabilidade em residências e edifícios.

Na certificação socioambiental, a abordagem do ciclo de vida é frequentemente adotada, desde sua produção até o descarte, de forma sustentável e ambientalmente correta.

Exemplo de certificado socioambiental: ISO 14001

A ISO 14001 é uma norma internacional voluntária criada em 1996 pela International Organization for Standardization (ISO). Ela faz parte da série ISO 14000 de normas ambientais. Isso aconteceu na Cúpula do Rio de Janeiro quando foi discutido o compromisso de proteger o meio ambiente em escala internacional, trazendo a ISO 14001. Isso possibilitou às empresas implementar um Sistema de Gestão Ambiental.

certificação socioambiental

Importância da certificação socioambiental

As políticas ambientais são necessárias porque os valores ambientais geralmente não são considerados na tomada de decisão organizacional. Na verdade, existem duas razões principais para essa omissão.

Primeiro: os efeitos ambientais são externalidades econômicas e os poluidores geralmente não arcam com as consequências de suas ações.

Segundo: os recursos naturais são quase sempre subvalorizados porque frequentemente se supõe que eles têm uma disponibilidade infinita.

Desta forma, uma vez que os incentivos para que os indivíduos usem os bens comuns de forma sustentável são frágeis, os governos têm um papel na proteção dos bens comuns.

Desde o final dos anos 1980, o desenvolvimento sustentável tornou-se um conceito líder na formulação de políticas ambientais. Com a natureza e os recursos naturais considerados como motores econômicos, a formulação de políticas ambientais deixou de ser domínio exclusivo.

Em vez disso, a indústria privada e as organizações não governamentais assumiram maior responsabilidade pelo meio ambiente. Além disso, o conceito enfatizou que as pessoas e suas comunidades desempenhem um papel fundamental na implementação eficaz das políticas.

Com o passar do tempo, desde o início dos anos 1970, as políticas ambientais mudaram de soluções para prevenção e controle.

Essas soluções começaram a contar com a mitigação de efeitos negativos. Além disso, se um efeito negativo fosse inevitável, ele poderia ser compensado investindo em outros lugares ainda não degradados. Têm sido usadas medidas que fortalecem um ecossistema de resiliência ecológica, combinada com medidas que enfatizam a prevenção e a mitigação.

Um exemplo está em Curitiba, uma cidade onde alguns bairros inundam todos os anos. Os residentes de bairros sujeitos a inundações foram realocados para lugares mais altos e secos, e suas antigas áreas de moradia foram transformadas em parques que poderiam ser inundados sem interromper a vida da cidade.

Regulamentação da certificação

A regulamentação é usada para mostrar requisitos mínimos de qualidade ambiental. Essas intervenções visam encorajar ou desencorajar atividades específicas e seus efeitos para o meio ambiente como:

  • emissão de substâncias perigosas específicas;
  • concentrações ambientais de produtos químicos;
  • riscos e danos;
  • e exposição.

Frequentemente, as licenças precisam ser adquiridas para essas atividades e precisam ser renovadas periodicamente. Assim, a regulação é um meio eficaz de prescrever e controlar o comportamento. Com isso, a certificação socioambiental detalhada resultou em uma melhoria considerável na qualidade do ar, da água e do solo desde o início dos anos 1970.

>>> Leia também: Entenda os impactos do aquecimento global na saúde.

Além disso, os regulamentos também são rígidos: são difíceis de alterar. Isso pode ser considerado um ponto forte, uma vez que a rigidez garante que os regulamentos não mudem tão repentinamente.

Relatórios ambientais e a rotulagem ecológica

Existem diversos instrumentos que visam informar os tomadores de decisão sobre os efeitos ambientais de suas ações. As decisões são geralmente baseadas em uma análise de custo-benefício da qual não fazem parte.

O estudo de impacto ambiental é um instrumento que auxilia na decisão sobre iniciativas com determinado impacto, como a construção de estradas e plantas industriais.

Assim, o estudo de impacto mediante a certificação socioambiental já é uma exigência legal em muitos países.

Padrões mais comumente conhecidos são os da ISO 14000 e 14001, emitidos pela primeira vez pela Organização Internacional de Padronização (ISO) em 1996, como vimos. Tais padrões ajudam uma empresa a controlar seu impacto ambiental, formular e monitorar objetivos ambientais e demonstrar que eles foram alcançados.

No sentido social, os rótulos ecológicos e a certificação socioambiental aplicada a produtos e serviços específicos informam os consumidores sobre seu desempenho verde. Assim, os rótulos ecológicos são frequentemente aplicados, por exemplo, na indústria de alimentos, para produtos orgânicos certificados, desempenho energético em edifícios, etc.

Quais são as certificações socioambientais no Brasil?

Com os tipos de certificação socioambiental, podemos distinguir:

Rótulo Ecológico da ABNT

Aplicado a qualquer setor da área industrial.

Selo FSC

Certificado que aprova a origem de materiais de construção como madeira bruta.

Selo IBD

Certificado para produtos orgânicos.

ISO 14001

Certificado do Sistema de Gestão Ambiental.

Produto Orgânico Brasil

Certificado para a agricultura sobre uso de agrotóxicos e fertilizantes.

Procel

Certificado sobre uso eficiente de energia.

LEED

Certificado sobre edificações e construções.

Como obter a certificação socioambiental?

Bom, a primeira coisa é saber qual o tipo de certificado que melhor se adequa em seu setor. Depois, conheça e estude as regras e normas de certificação. Finalmente, avalie a preparação da empresa para seu processo.

Que tal saber mais lendo sobre Eficiência energética: o que é e qual sua importância

Deixe um comentário