Tudo o que você precisa saber sobre forro de gesso

You are currently viewing Tudo o que você precisa saber sobre forro de gesso

Quando se fala em revestimento de teto, certamente o forro de gesso é um dos primeiros a ser considerado por clientes e profissionais. Afinal ele é versátil e pode ser utilizado de várias formas.

Dentre elas, o gesso pode ser utilizado como forro, mas também como rebaixamento de teto. Sabe-se que é um dos materiais mais utilizados em reformas residenciais, comerciais e industriais.

Primeiramente, vamos entender tecnicamente este material. O gesso é um aglomerante simples, constituído basicamente de sulfatos mais ou menos hidratados e de anidros de cálcio, obtido pela calcificação da gipsita.

Além disso, tem como propriedades a pega, o endurecimento rápido e uma boa aderência. Dentre os acabamentos possui bom isolamento térmico e acústico, é resistente ao fogo, e tem estabilidade volumétrica em local seco e superfície lisa.

 

Vantagens e desvantagens do forro de gesso

De uma forma geral, os forros e rebaixamento de gesso têm um forte apelo estético. Além disso são muito usados para embutir iluminação ou disfarçar vigas indesejáveis.

Em segundo lugar ele possui boas propriedades térmicas e acústicas e sua flexibilidade possibilita a criação de diversas formas. Uma das grandes desvantagens é a baixa resistência à umidade, não podem ser instalados em áreas externas, e a utilização em áreas úmidas deve ser bem avaliada.

Porém, cada tipo de forro, o tradicional e o acartonado, possuem características distintas e cabe avaliar qual é o mais adequado para cada situação. Abaixo, reunimos os prós e contra de cada tipo de forro de gesso.

Em se tratando de forros, dois tipos são comumente utilizados no Brasil: o tradicional e o acartonado. O primeiro é constituído por placas moldadas de gesso no tamanho de 60 x 60 cm, com encaixes do tipo macho e fêmea. As placas são fixadas no teto com arames galvanizados de conformidade com a especificação da obra.

Ademais, o gesso acartonado é composto de papel cartão e gesso, são placas maiores e mais finas. A instalação ocorre por três sistemas: o estruturado, o aramado e o removível.

estruturado é o mais utilizado, consiste em pendurais rígidos reguláveis e canaletas metálicas galvanizado.

aramado é composto de pendurais de arame galvanizado, com peças metálicas zincadas tipo “H”. Geralmente utilizado em locais menores e forros mais econômicos.

Já o removível tem como principal característica a possibilidade de visitação de equipamentos instalados na parte superior. É estruturado com pendurais de arame galvanizado, perfis de aço galvanizado com pintura eletrostática.

Confira mais tipos de gesso e escolha o que mais se adequa à sua obra!

Forro de Gesso Tradicional

Vantagens: ele ainda é mais barato que o gesso acartonado; porém é mais resistente à umidade e apropriado para ambientes menores.

Desvantagens: é mais sensível aos efeitos da variação térmica, podendo estalar ou trincar com facilidade. O processo de instalação produz muita sujeira. Possibilidade de surgir manchas amareladas e ataque de fungos. É mais pesado que o acartonado e demanda mão de obra especializada. Se precisar de manutenção, o forro tem que ser destruído.

 

Forro Modular 3TC solicite um orçamento

Forro de Gesso Acartonado

Vantagens: Facilidade de instalação; produz menos sujeira que o tradicional. Ademais, a manutenção é simples, se precisar remover alguma placa é possível remendar; possui menor peso; menos sujeito a manchas; há chapas que podem ser curvadas.

Desvantagens: mais oneroso que o tradicional, baixa resistência à umidade; necessita de mão de obra qualificada.

 

Forro de gesso liso com moldura

Muitas vezes tendemos a ver forros de gesso e pensar que somente a moldura é feita com esse material. Mas em grande parte dos casos, o forro é também feito de gesso.

Vantagem: esse tipo de forro é feito de forma reta, por isso é um dos tipos mais baratos do mercado. As molduras são instaladas nos cantos, entre as paredes e o teto.

O forro de gesso liso é também chamado de teto de gesso. Ele pode ser utilizado para esconder fiação e para corrigir imperfeições de forma precisa.

Desvantagem: é um tipo de forro que entrou em desuso no mercado atualmente.

Forro de gesso liso com tabica

O forro liso com tabica é também chamado de forro negativo. É o tipo de forro de gesso mais utilizado na construção civil no Brasil.

Tabica é o nome dado a uma canaleta que é colocada anterior ao forro, fazendo com que ele fique rebaixado. Assim, a aplicação da tabica faz com que o forro de gesso aparente estar solto, abaixo do teto.

Vantagem: É um tipo de forro muito bonito quando aplicado com iluminação projetada para decoração. Luzes pequenas ao longo do forro rebaixado causam impacto visual pela beleza.

Enquanto as molduras, que eram mais utilizadas nas últimas décadas, estão atualmente em desuso, o uso da tabica só cresce em aplicação no mercado nacional.

Desvantagem: Exige iluminação específica, o que pode encarecer o projeto!

Forro de gesso com sanca fechada

A sanca fechada também costuma ser chamada de bandeja. Trata-se de um rebaixamento que é feito somente nas laterais do forro de gesso.

A largura das sancas depende do projeto. É muito comum que sejam utilizadas sancas para executar projetos com iluminação decorativa.

Ambientes maiores podem ter sancas bem mais largas. Já as salas e cômodos menores costumam ter uma faixa de sanca estreita, somente para garantir acabamento e iluminação.

Entre a sanca e o forro e entre a sanca e as paredes as molduras podem ser aplicadas.

Vantagem: permite a personalização do forro de gesso conforme o projeto e o ambiente.

Desvantagem: ambientes pequenos não recebem tanto destaque com o uso das sancas.

Forro de gesso com sanca aberta

O forro de gesso que possui sanca aberta também é chamado de luz indireta. Em geral, o feito é dado pela iluminação, que é colocada na sanca, onde há o rebaixamento.

Embora o mais comum sejam as sancas nas laterais, com o centro mais fundo, é possível construir sancas diferenciadas e em formatos curvos.

Sancas projetadas para valorizar a decoração e a iluminação podem ser feitas em S no centro da sala e garantir uma atmosfera mais amarelada e suntuoso ao ambiente.

Vantagem: Permite a criação de formatos e modelos conforme criação do projeto e necessidade do ambiente

Desvantagem: Exatamente por necessitar de projeto personalizado, o valor da obra tende a subir.

Forro de gesso com sanca invertida

Costumamos dizer que a sanca é invertida é o tipo de forro rebaixado, mas a luz é instalada de forma a se projetar nas laterais do forro. Dessa forma, a impressão que temos é que a luz está saindo de dentro do forro de gesso.

Vantagem: o efeito visual é incrível e pode ser usado em salas residenciais, quartos e outros ambientes. Em espaços que usam cortinas ou que necessitam de luz na lateral, a sanca invertida é o tipo de forro de gesso ideal!

Desvantagem: é ideal somente para ambientes que não exigem iluminação direta e mais forte

Forro de gesso rasgado de luz

Também é chamado de rasgo de luz e é um lindo item de decoração. São tipos de forro de gesso onde são feitos rasgos para inserção da iluminação.

Pode ser usado como forma de separar ambientes. Quem deseja aplicar forro de gesso para dividir sala de estar e sala de TV pode encontrar no gesso com rasgo de luz uma ótima e linda alternativa!

Também usamos o forro de gesso rasgado de luz para destacar móveis, como camas de casal, sofás de salas de estar e mesas de jantar!

Vantagem: o rasgo pode ser feito de acordo com o projeto. Por isso, os formatos são diversos e podem ser personalizados!

Desvantagem: Apesar de representar pouco em termos de elevação de custo, o rasgo personalizado pode elevar o valor da obra, sobretudo em ambientes maiores e com mais iluminação.

Forro de gesso com ilha

As ilhas são formas de rebaixamento do forro de gesso. Costumam ser muito utilizadas em ambientes como cozinhas, para marcar a ilha do fogão.

São feitas literalmente como ilhas em meio ao forro que são mais baixas que o restante. A iluminação precisa acompanhar esse rebaixamento, já que ele sozinho pode não ter tanto efeito.

É possível fazer ilhas fechadas, que são as que não recebem iluminação de forma indireta. Mas ainda existem ilhas chamadas abertas, que podem receber luz indireta, como acontece nas sancas abertas.

Vantagem: Acompanham projetos de ilhas no solo, como cozinhas, cooktop, bares e outros ambientes.

Desvantagem: A ilha só faz sentido quando acompanha os móveis que estão no ambiente, portanto, não será possível modificar muito a posição dos móveis ou trocar radicalemente a decoração.

Quanto custa um forro de gesso?

O valor do forro de gesso varia muito de acordo com a qualidade do material, da mão-de-obra, mas também do tipo de forro que será aplicado. O forro mais barato é o tipo liso com moldura, por utilizar placas simétricas e ser mais fácil de ser aplicado.

Embora exista variação de acordo com a região do país, o valor médio de um metro quadrado de forro de gesso já aplicado costuma girar entre R$75,00 e R$120,00.

Diante dos resultados que o gesso pode oferecer, o valor de um forro de gesso é considerado baixo.

Existe material ainda mais barato que o gesso. Um bom exemplo é o forro de PVC. No entanto, o PVC não oferece características de conforto térmico e acústico. O PVC também apresente maior complexidade para manutenção, diferente do gesso.

Para conhecer outros tipos de forros modulares, acompanhe o texto nesse link!

Planejamento do forro de gesso

Assim como toda etapa da obra, o forro de gesso precisa de planejamento. Esse planejamento não diz respeito somente ao projeto da obra, que precisa detalhar qual tipo de forro de gesso será instalado.

Essa definição é muito importante e precisa ser pensada pelo profissional e proprietário em conjunto. Isso porque o teto de gesso faz parte da decoração e precisa ser considerado na composição do estilo da casa.

No entanto, planejar a aplicação do forro também exige preparar o local para que o gesso seja aplicado. Embora seja possível usar tipos de forro de gesso para esconder instalações e vigas, o ideal é que o local onde será aplicado esteja o mais livre possível de imperfeições.

Caso o forro de gesso seja usado para esconder fiação, o projeto precisa considerar esse item. Os tipos ideais são os rebaixados e com sancas abertas.

Antes de aplicar o gesso, é preciso que o teto tenha sido devidamente nivelado. As aberturas para iluminação também precisam estar prontas antes da instalação.

É muito importante que tudo o que existe na construção já tenha sido testado antes da aplicação do gesso. O encanamento, a instalação elétrica, ar-condicionado e todos os outros serviços já devem estar funcionando.

Isso porque o forro de gesso não pode ser retirado para consertos desse tipo e será necessário quebrar o gesso.

Colocação do forro

A colocação do forro de gesso, embora não seja complexa, exige mão-de-obra especializada. Esse fator é muito importante para que o serviço fique impecável.

Uma aplicação mal feita de gesso raramente pode ser consertada. Antes de contratar a aplicação, certifique-se de que quem irá realizar o serviço possui experiência.

Se possível, visite outros locais onde a empresa instalou forro de gesso do mesmo tipo que você escolheu para sua obra ou reforma.

Algumas empresas que vendem gesso dão assessoria para quem deseja instalar o material. Essa também é uma forma segura de instalar o forro com os mesmos profissionais que estão fazendo outras partes de sua obra.

As etapas para aplicação do gesso são as seguintes:

Marcação

A marcação é uma das etapas mais importantes que precedem a aplicação. É nessa fase que serão marcados os locais das paredes onde serão aplicadas as cantoneiras.

Também será na marcação que a altura do rebaixamento, das sancas ou ilhas será definido. Ela deve seguir o projeto arquitetônico da construção.

O ideal é que o engenheiro civil ou arquiteto responsável pela obra acompanhe a aplicação do gesso em casos de obras maiores ou aplicações mais complexas.

A marcação é feita utilizando canetas a laser ou mangueiras de nível.

Fixação do gesso

Após a marcação, a fixação do gesso é feita. Essa é a etapa da aplicação do material propriamente dita.

Primeiro são fixados os tirantes. Logo após, os suportes que fazem o nivelamento do gesso também são fixados.

Em seguida, todos os níveis são conferidos. Os perfis são colocados e fixados já com buchas e parafusos. Outros materiais podem ser usados para a fixação das placas, como pistolas para pinos de aço e pregos de aço.

Amarração

É na amarração que as chapas são definitivamente fixadas. Além de amarradas, é nessa fase que são feitas as juntas entre as placas de gesso. A massa é colocada para nivelar o forro de gesso, que passa a tomar a forma final.

Também costumam ser utilizadas fitas para unir as placas, juntamente com a massa. A massa também deve ser aplicada sobre os pregos e pinos de aço, para cobrir qualquer imperfeição ou desnível que possa existir no teto.

É na amarração que o tipo de forro de gesso ficará completamente definido. Nesse momento são amarradas as placas e formadas as sancas ou rebaixamentos.

O número e a espessura das placas variam de acordo com o projeto e com o ambiente. Por isso, na amarração os processos podem demorar mais ou menos a depender das exigências do material e do espaço.

>> Leia também: Forros de gesso: conheça as particularidades e cuidados na instalação

Cuidados com o forro de gesso após a aplicação

Alguns cuidados são necessários para manutenção adequada do forro de gesso após a aplicação. Quem costuma jogar água no teto para limpeza terá que deixar de lado essa rotina.

A água usada para limpeza danifica a estrutura do forro, portanto não deve ser utilizada nem esporadicamente. O ideal é utilizar panos úmidos para remover sujeiras após ter espanado a poeira do teto de gesso.

Caso seu forro de gesso esteja ficando úmido, seja pelo uso do ambiente ou pela região de moradia, o ideal é secar o forro com panos secos.

Nesse caso, pode ser necessário usar ventilação artificial para evitar que a umidade danifique o forro de gesso. Consulte sempre um profissional especializado para saber quais medidas tomar contra a umidade em seu forro.

Caso surjam pequenas manchas em decorrência de bolores, pode ser necessário usar água sanitária diluída para retirada

Como lidar com problemas comuns em seu forro de gesso

A maioria absoluta dos danos causados aos forros de gesso têm relação com a umidade. Sempre verifique antes da aplicação se esse material é ideal para sua obra.

Em algumas regiões do país, a aplicação de gesso pode ser inadequada devido à umidade natural.

Já nos casos em que os danos são feitos devido à infiltração de água ou vazamentos, pode ser que o forro de gesso precise ser restaurado.

Rachaduras também podem ocorrer em decorrência das infiltrações.

Uma ótima dica é verificar se a empresa que aplica o gesso utiliza nas juntas misturas de gesso e água. Essa mistura invariavelmente racha quando seca. Isso porque o gesso não suporta receber água. O resultado é sempre manchas e trincas.

Após a placa se manchar, a solução é trocar as placas específicas. Por isso, em locais sujeitos a alguma umidade do telhado, especialistas aconselham o uso de placas finas sobre o teto em si.

Assim, somente essas placas menores serão trocadas em casos de manchas ou infiltrações pequenas.

Em locais mais úmidos, como banheiros ou cozinhas, o gesso pode ser aplicado recebendo por dentro do forro placas chamadas verdes. São placas que recebem material impermeabilizante em um dos lados.

Apesar de não suportarem muita umidade, a umidade normal de banheiros e cozinhas é bem tolerada pelo gesso verde.

As trincas, caso sejam pontuais e em locais específicos, também podem ser restauradas. No entanto, uma investigação precisa ser feita para saber a causa da rachadura.

Em gessos tabicados ou com sancas abertas basta olhar pelas aberturas. Caso o forro de gesso seja fechado, será necessário abrir um sulco para verificar o que está causando as trincas.

Em geral, será preciso fechar a massa acrílica e aplicar material adequado para que o gesso não rache novamente.

Saiba tudo sobre o Forro Modular 3TC, ir para a página de segmento

Isolamento térmico e acústico do gesso

Entre os tipos de materiais utilizados para forro, o gesso é considerado um dos melhores para isolamento térmico e acústico, porém esse isolamento é parcial.

O forro de gesso consegue reduzir o aquecimento do local, mas ainda pode ser necessário usar ar-condicionado para climatizar o espaço.

Já o isolamento acústico do teto está entre os melhores, mas somente o forro não faz o isolamento do ambiente. Para ter um ambiente com maior conforto acústico, outras alternativas podem ser consideradas, como a tecnologia 3TC. Leia também o guia completo do forro acústico!

3TC Isolamento e os forros de gesso

características do 3TC Isolamento

Anteriormente, vimos que o gesso é um material que responde bem térmica e acusticamente e essa propriedade pode ser otimizada com a utilização do nosso produto.

A instalação do 3TC acima do forro como manta térmica é muito simples, veja só: ele ficará por cima do forro, podendo ser parafusado em montantes metálicos. Em relação aos sistemas de instalação dos forros de gesso acartonado, os tirantes podem atravessar o 3TC, não havendo nenhum prejuízo em relação à eficiência do produto.

A tecnologia 3TC oferece ainda redução potente no uso de ar-condicionado, oferecendo climatização de ambiente de forma eficiente, sobretudo quando utilizada com o forro de gesso!

Conheça esse material inovador que fará toda diferença em sua obra! Saiba mais sobre o 3TC!

 

Deixe um comentário