impacto do aquecimento global na avicultura

O impacto do aquecimento global na avicultura é preocupante, uma vez que as mudanças climáticas em curso podem causar muitos prejuízos aos produtores. Temperaturas acima de 38ºC geram a morte de aves adultas, que são muito sensíveis ao calor.

Além disso, o estresse causado pelas altas temperaturas pode causar perda no rendimento da granja devido à diminuição de peso corporal e aumento da mortalidade.

As aves se desenvolvem melhor com temperaturas entre 18 e 20ºC. Nessas condições, o calor superficial da pele é de cerca de 33ºC e o interno é de 41ºC. Com isso, além da melhoria genética, tecnologias de aclimatação como o 3TC são fundamentais para garantir o aumento da produtividade.

Impacto do aquecimento global na avicultura

O impacto do aquecimento global na avicultural é facilmente observado, uma vez que algumas localidades brasileiras passaram a observar temperaturas diárias extremas, o que dificulta a atividade avícula.

Segundo um estudo publicado pela Faculdade de Engenharia Agrícola da Universidade Estadual de Campinas (Feagri/Unicamp) temperaturas acima de 32ºC são consideradas extremas enquanto temperaturas em torno de 20ºC permitem o crescimento adequado das aves.

Ao analisar esse quadro é possível prever o desenvolvimento dos animais caso o calor aumente ou diminua.

 

→ VEJA AQUI TUDO SOBRE A UTILIZAÇÃO DO 3TC ISOLAMENTO NO AGRONEGÓCIO!

 

O aquecimento global afeta, portanto, o comportamento dos animais de granja o que inclui a diminuição do apetite, da performance das poedeiras e até da fertilidade. Além disso, mudanças climáticas podem fazer com que as aves reduzam as suas atividades, o que pode causar o surgimento de doenças e o aumento da mortalidade.

Vale observar ainda que o aquecimento global pode reduzir a produção agrícola de grãos que compõe a dieta das aves, fazendo com que os animais adoeçam e percam peso caso seja preciso substituir a sua alimentação repentinamente.

impacto do aquecimento global na avicultura, granja usando 3TC

Imagem: Granja no Pará de Minas usando 3TC

O papel de novas tecnologias para minimizar os problemas 

Novas tecnologias são essenciais para evitar os problemas causados pelo aquecimento global. Assim, a termotolerância visa garantir que aves recém-nascidas se adaptem melhor ao estresse causado pelo calor e animais com menos penas possam resistir melhor as altas temperaturas.

Além disso, pesquisas da Embrapa Meio Ambiente (SP) buscam identificar espécies de aves mais adaptadas as altas temperaturas. Galinhas-africanas de pescoço pelado, por exemplo, poderiam participar de cruzamentos para aprimorar as linhagens existentes no Brasil.

Investimento em granjas mais eficientes

Para minimizar os efeitos do aquecimento global também é importante investir em granjas que evitem que as altas temperaturas afetem os animais. De fato, o setor precisa se adaptar as mudanças climáticas e investir em novas tecnologias de infraestrutura para eliminar riscos de eventuais perdas.

Aqui, o Isolante Térmico 3TC merece destaque – disponível em rolo e em placa, o material é fabricado com EPS e polímero reflexivo, o que garante eficiência e durabilidade superior aos isolamentos tradicionais.

Além disso, o 3TC é baseado no sistema de isolamento utilizado pela Nasa e controla três formas de transferência de calor: condução, convecção e radiação. Isolantes térmicos como a lã de vidro, a Espuma de Poliuretano (PU) e o isopor (EPS), eliminam apenas a condução, o que corresponde a menos de 10% da transferência de calor dos galpões.

Outros isolamentos térmicos como as mantas térmicas eliminam apenas a radiação. O 3TC é o único revestimento térmico capaz de garantir que o produtor não sofra com o impacto do aquecimento global na avicultura, garantindo que as aves cresçam e se desenvolvam com saúde e vigor. Saiba mais no vídeo abaixo:

Outros fatores a considerar no impacto do aquecimento global na avicultura

Gases de efeito estufa

No Brasil, os maiores emissores de GEEs são os setores de agropecuária e energia.

Dejetos dos ruminantes correspondem a 55,9% das emissões, o solo agrícola a 35,9%, o manejo de dejetos animais a 4,8%, o cultivo de arroz em áreas alagadas a 1,9% e a queima da cana-de-açúcar a 1,5% – tudo isso é responsável pelo impacto do aquecimento global na avicultura.

Só a criação de gado emite cerca de 11,5 mil toneladas de metano na atmosfera, gás que contribui para o aquecimento global 25 vezes mais que o dióxido de carbono.

Uma linha de pesquisa do Embrapa tenta garantir que as granjas emitam menos gases de efeito estufa (GEEs).

Aqui, as maiores emissões ocorrem devido à queima de combustível fóssil para o aquecimento dos galpões. Também há geração de gás na produção de grãos para a geração de ração. Avaliações preliminares observaram que granjas têm menores emissões de gases de efeito estufa que a criação de bovinos.

A diminuição das emissões pode ser obtida pela eliminação do uso de combustíveis fósseis ou pela adoção de medidas que garantam a conservação do calor, como a utilização do 3TC na construção de galpões.

Também é preciso observar a eliminação dos dejetos. Eles devem ser manejados de modo a evitar a produção de metano. Para a produção de biogás, o esterco das aves precisa ser diluído em água o que, assim como a alta concentração de amônia, representa um grande desafio para os produtores.

 

Biogás

Produzir biogás a partir dos dejetos da criação de animais confinados pode diminuir o impacto do aquecimento global na avicultura. Além disso, promove benefícios sociais e econômicos significativos.

A mitigação de gases e a consequente diminuição do impacto do aquecimento global na avicultura ocorre, principalmente, quando o biogás passa a substituir os combustíveis fósseis ou vegetais. Claro, para isso é preciso gerir de forma eficiente os sistemas de tratamento de dejetos e ampliar os investimentos no setor.

O impacto do aquecimento global na avicultura precisa ser observado de perto. Esse setor da economia é afetado de várias formas: o preço e a disponibilidade dos grãos, assim como a diminuição das pastagens podem causar o emagrecimento, a diminuição do crescimento e causar problemas de saúde ao rebanho. Além disso, pode ser preciso deslocar o rebanho para outras regiões geográficas.

Esses impactos podem ser menores em rebanhos confinados, uma vez que, nesse caso, os animais vivem sob abrigos e são pouco expostos ao calor excessivo, uma vez que esses espaços são climatizados.

Agora que você já conhece o impacto do aquecimento global na avicultura, aproveite para saber mais sobre o isolamento térmico em granjas! E saiba mais sobre a aplicação e os benefícios da tecnologia 3TC no agronegócio clicando aqui.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *