Por que você deve se preocupar com o estresse térmico do rebanho?

You are currently viewing Por que você deve se preocupar com o estresse térmico do rebanho?

Os efeitos das altas temperaturas sobre o rebanho resultam no que chamamos de estresse térmico, uma condição que afeta a saúde dos animais e a produtividade.

Para preservar a saúde do rebanho e manter a produção em alta, diversas medidas têm sido estudadas e desenvolvidas. Entre elas, podemos destacar a climatização de ambientes.

Saiba como climatizar o ambiente para o rebanho pode auxiliar o produtor a elevar sua produção! Veja, também, como esse processo pode ser realizado da maneira mais efetiva e econômica possível!

O que é estresse térmico?

Além das condições climáticas do país, que apresentam altas temperaturas em diversos estados na maior parte do ano, existe ainda o fator metabólico.

O fator metabólico ocorre porque as fêmeas quando estão em alta produção de leite tendem a ter a temperatura do corpo elevada.

Com isso, a sensibilidade do animal à temperatura do ambiente fica bem maior, reduzindo a fertilidade das fêmeas e produção do leite em altas escalas.

Estima-se que esse seja um fator preponderante para a redução da produção de leite em escala mundial. Assim, atenuar os efeitos do calor sobre os animais passou a ser preocupação de todos os produtores de rebanhos.

A climatização de ambientes pode ser uma das medidas mais benéficas para solucionar o estresse térmico em rebanhos.

Efeitos negativos do estresse térmico em rebanhos

Além dos impactos negativos para a produção do leite e saúde do rebanho, altas temperaturas geram diversos outros efeitos negativos.

Todos esses efeitos atuando juntos costumam agravar ainda mais o quadro de estresse térmico em rebanhos.

Veja o que a temperatura elevada pode causar ao rebanho:

Redução na alimentação

O rebanho submetido ao estresse térmico não se alimenta corretamente. Quando a qualidade da alimentação cai consideravelmente, a produtividade do animal cai junto.

Além disso, a saúde do rebanho como um todo por estar comprometida caso não haja intervenção a tempo por parte do produtor.

Frequência respiratória alterada

O aumento da frequência da respiração no gado é consequência direta da elevação da temperatura. Esse também é um dos sintomas do estresse do rebanho.

Esse aumento faz com que o rebanho gaste muito mais energia para respirar do que o normal. A respiração comprometida também ocasiona queda da produção.

Aliada à alimentação reduzida, a respiração com alta frequência pode provocar consequências graves à saúde do animal.

Suor

Em períodos de temperaturas muito altas, o rebanho pode apresentar sudorese. O suor excessivo desidrata os animais.

Assim, é comum que o consumo de água aumente muito porque o gado busca equilibrar a temperatura do corpo.

O fato é que há um estresse nesse processo contínuo e cansativo para o animal, que a climatização do espaço pode reduzir ou eliminar.

Alterações hormonais

Especialistas apontam que a alteração hormonal provocada pela alta temperatura ambiente afeta potencialmente a fertilidade do rebanho.

As fêmeas também produzem menos leite devido ao comprometimento hormonal.

Assim, tanto para gados reprodutores quanto para rebanho leiteiro, o estresse térmico é um potente redutor da produção.

Redução do cio

O cio das fêmeas, que duraria cerca de 14 horas pode ser reduzido para oito horas, ocasionando ainda mais dificuldades para o cruzamento.

Esse nível de estresse térmico, reduz a fertilidade do gado de duas formas. A primeira é pela redução hormonal e a segunda, pela redução do tempo de cio, que já é curto.

Produtores que trabalham com gados para cruzamento e vacas leiteiras são profundamente prejudicados pelas altas temperaturas.

Qual a temperatura ideal?

Existe um intervalo ideal de temperatura para rebanhos e ele costuma ser bem baixo. O gado suporta temperaturas entre 5º e 25º C. No entanto, o sugerido é que a temperatura média gire entre 20º e 23º.

Algumas raças de gado suportam temperaturas bem mais altas. No entanto, nunca é aconselhável que essa temperatura passe dos 27º em nenhuma hipótese.

Isso porque a alteração que já é própria das fêmeas quando produzem leite, se somada à alta temperatura do ambiente, certamente resultará em estresse térmico.

Segundo estudos mais recentes, temperaturas próximas dos 30º fazem com que o gado reduza sua alimentação em mais de 20%.

À medida em que essa temperatura aumenta, a alimentação cai totalmente. Assim, temperaturas em torno de 40º fazem com que o gado simplesmente não se alimente.

Quando falamos em temperatura ambiente é preciso considerar que dentro do recinto onde o gado está, as temperaturas podem chegar a níveis ainda maiores.

Por isso, não é possível pensar em alta produtividade sem considerar a climatização do ambiente, sobretudo em um país como o Brasil.

Como reduzir o estresse térmico

A redução do estresse térmico demanda um conjunto de medidas a serem aplicadas pelo produtor rural.

Entre as indicadas por especialistas podemos destacar:

Água limpa e suficiente

A água deve estar à disposição dos animais a todo o tempo, sobretudo após a ordenha. Também é preciso que esteja fresca e que seja suficiente para todos os animais.

Alimentação em local fresco

Os cochos para alimentação precisam ficar em locais de sombra, caso contrário os animais podem sentir dificuldades em se alimentar.

Além disso, também é aconselhado evitar grandes distâncias de deslocamentos do rebanho. Em horários mais quentes é ideal que as vacas permaneçam em lugares frescos onde possam se deitar.

Dieta com gordura protegida

A dieta oferecida ao rebanho precisa ser rica em gordura protegida em épocas com maior propensão ao estresse térmico. Dessa forma é possível que o metabolismo do animal suporte um pouco mais a temperatura.

No entanto, nenhuma alternativa é suficiente se o ambiente não estiver climatizado.

Climatização do ambiente para evitar o estresse térmico

O ambiente da sala de espera, principalmente, o ambiente onde as vacas e gado de confinamento são criados, precisam ser climatizados.

A climatização adequada do ambiente é uma das alternativas mais eficientes para evitar o estresse térmico, sobretudo em regiões mais quentes.

Considerando ainda a temperatura dentro do espaço, climatizar o ambiente é um investimento bastante positivo para elevar a produtividade.

A solução mais indicada, com melhor custo-benefício e ótimos resultados é a climatização de ambiente feita através do isolamento térmico 3TC.

Tecnologia 3TC

O 3TC Isolamento é uma tecnologia para isolamento térmico que atende a todas as normas de segurança e que pode ser instalada em paredes, tetos, telhados e galpões.

Inspirada nas garrafas térmicas e nos tecidos de roupas de astronautas, o 3TC possui o melhor custo-benefício do mercado, sem elevar o consumo de energia elétrica, já que se trata de um revestimento.

Se você deseja garantir a redução do nível de estresse térmico do rebanho, não deixe de conhecer a climatização de ambientes com a tecnologia 3TC e conheça soluções de construção para o agronegócio realmente inovadoras!

3TC Isolamento

Perfil corporativo da 3TC Isolamento

Deixe um comentário