Inclinação de telhado colonial: como calcular e dicas

Inclinação de telhado colonial: como calcular e dicas
calendar_month22/09/2022 view_list

Todos os fatores que compõem um projeto arquitetônico exigem cálculos precisos. Dessa forma, finaliza-se a construção com segurança e qualidade. No entanto, existe uma área que merece atenção especial: a inclinação do telhado colonial. Além de impactar positivamente na estética da edificação, quando bem feita, impede danos à estrutura e prejuízos financeiros vindos de constantes reparos.

Neste artigo, explicaremos o que é a inclinação desse tipo de cobertura. Mostraremos também como realizar o cálculo e de que forma um isolamento térmico pode ajudar no conforto interno e preservação do telhado. Portanto, acompanhe os próximos tópicos!

Afinal, o que é a inclinação do telhado?

Em termos simples, a inclinação do telhado colonial é o ângulo de projeção e instalação da cobertura de uma edificação. Assim, para chegar ao ângulo correto, é necessária a realização de uma série de cálculos arquitetônicos. Porém, o fator que mais pesa no percentual da inclinação é o tipo de telha.

Por isso, é comum que os fabricantes informem as inclinações mínimas e máximas nas especificações das telhas. Assim, geralmente, o percentual de inclinação de um telhado oscila em torno de 10% a 30%. E entre os tipos de telhas coloniais disponíveis no mercado, podemos destacar:

  • Cerâmicas (também conhecida como telha de barro) – as variações mais comuns são: romana, americana e italiana. Permite inclinações médias e grandes;
  • Concreto – boa durabilidade e conforto térmico. Permite inclinações médias;
  • Esmaltada – ideal para casas sem forro. Funciona bem em níveis médios de inclinação;
  • PVC – grande variação de cores e modelos. Oferece durabilidade, resistência, isolamento acústico e térmico. Pode ser instalada em níveis mínimos e médios de inclinação;
  • Shingle – resistente e apresenta pouca necessidade de manutenção. Por ser leve, reta e não acumular água, permite grandes inclinações;
  • Fibrocimento – mais utilizado em comércios, indústrias, garagens e galpões. Uma característica marcante é a leveza. Motivo pelo qual pode ser usada em telhados com margens mínimas de inclinação;
  • Ecológica – fabricada com material ecológico (fibra vegetal) e apresenta baixa transmissão de calor. Ideal para inclinações que beiram ângulos mínimos e médios. Entretanto, pode ser utilizada também em níveis máximos;
  • Metálica – permitem grandes ângulos de inclinação. São resistentes a impactos do tempo e bem leves. Para um melhor conforto térmico, existem tipos de telhas metálicas que possuem uma camada de material isolante (isopor, manta térmica etc.), como o modelo sanduíche;
  • Policarbonato – Leve, durável, resistente e com proteção contra raios ultravioletas (UV). Devido ser transparente, é utilizada em edificações que necessitam de pontos internos de luz. Também é bastante usada em áreas externas. Permite ângulos inclinados ao nível médio e grande;
  • PET – assim como a telha ecológica, é considerada sustentável – produzida com garrafas PET. Além de se adaptarem bem tanto em ângulos mínimos como máximos de inclinação, são resistentes a altas temperaturas e bem leves;
  • Vidro – permitem a entrada de luz solar nos ambientes. Na maioria dos telhados coloniais, esse tipo de telha é instalado em conjunto com outros tipos (como a cerâmica). Assim sendo, o grau de ângulo de inclinação segue o das telhas que compõem grande parte do telhado.

Inclinação telhado colonial

Agora, podemos apontar ainda outros benefícios de conhecer o grau de inclinação do telhado: identificar a área de cobertura, o comprimento da cumeeira e do beiral. Assim, como dito, a variação de ângulos dos telhados pode variar entre 10% a 30%. Todavia, no caso específico do colonial, a média fica em torno de 30%.

Na introdução, citamos que a ausência de conhecimento sobre a inclinação do telhado colonial pode ocasionar danos estruturais à edificação. A saber, goteiras, umidade e infiltrações. No entanto, existem prejuízos ainda maiores: a queda na qualidade de vida e bem-estar dos moradores e frequentadores do imóvel.

Isso pode acontecer devido ao desconforto térmico, acústico e doenças respiratórias (alergias, rinite etc.) vindas com o aparecimento de fungos. Para que esses resultados negativos não aconteçam, a seguir, mostramos como realizar o cálculo para obter a correta inclinação telhado colonial.

Como calcular a inclinação do telhado colonial

O primeiro passo para identificar a inclinação ideal do telhado colonial é verificar as informações inseridas nas telhas. Conforme citamos anteriormente, muitos fabricantes exibem os percentuais adequados.

Após essa conferência, é necessário medir a área de cobertura do telhado. Essa é uma conta simples. Dessa forma, é preciso mensurar o comprimento e a largura da laje, depois multiplicar os resultados. Por exemplo, se a laje possui 10 metros de largura por 7 metros de comprimento (10 x 7), o resultado será 70 m2 (metros quadrados).

Em seguida, faremos a divisão do percentual de inclinação com a metragem da área a ser coberta. Digamos que o percentual seja de 30%. Considerando que a área de cobertura tem 70 m2, a conta fica assim: 30  : 70 = 0,42. Isso significa que a cada 42 cm na horizontal, o telhado subirá 30 cm na vertical.

Existem ferramentas que facilitam ainda mais esse cálculo: os aplicativos. Entre os disponíveis, destacamos:

Para mais conforto e conservação do telhado colonial, conte com a 3TC Isolamento

Com certeza, o telhado colonial dá um charme especial para a edificação. Portanto, é importante proteger e conservar. Ademais, esse tipo de cobertura precisa gerar conforto térmico e acústico para os moradores ou frequentadores. Dessa maneira, os ambientes internos serão agradáveis, oferecendo uma excelente qualidade de vida.

A melhor estratégia para agregar esses benefícios ao telhado colonial é aplicando o 3TC Isolamento termoacústico. Isso porque desenvolve-se esse produto com uma tecnologia capaz de controlar três formas de transferência de calor: convecção, condução e radiação.

Enquanto os sistemas tradicionais lidam com apenas 10% da condução de calor, a manta térmica 3TC impede a incidência de 97% dos raios infravermelhos. Assim, alcança-se a eficiência graças ao material utilizado: o poliestireno expandido (EPS). Dentre os inúmeros benefícios de implantar o 3TC nos telhados coloniais, citamos:

  • Excelente durabilidade;
  • Redução do consumo de energia com climatizadores;
  • Diminuição dos custos operacionais;
  • Leveza, flexibilidade e maleabilidade;
  • Aplicação em reformas ou novos sistemas construtivos;
  • Redução da geração de resíduos tóxicos;
  • Dispensa a instalação de uma estrutura extra ao local de aplicação;
  • Eficiência energética e sustentabilidade;
  • Segurança – classificado pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) como material que não propaga chamas (classe II-A-d0).

Veja mais da 3TC

Enfim, o 3TC Isolamento é um aliado do projeto arquitetônico de um telhado colonial. Os profissionais responsáveis por esse projeto podem contar com a ajuda dos especialistas em isolamento termoacústico da 3TC. Sendo assim, será comemorada a finalização da obra por causa do nível de qualidade e sucesso.

Gostou do nosso artigo? Entendeu como fazer o cálculo inclinação do telhado colonial? Quer continuar aprendendo e aumentando os seus conhecimentos? Então, acesse o blog 3TC e confira outros conteúdos valiosos publicados

0 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *